# # #

Trocando as filhas na pescaria

3011 palavras | 18 |4.56
Por

Dois pais duas filhas e um dilema. Pra rir, tem que fazer rir.

Esse é um conto bastante antigo que já publiquei em outros lugares e inclusive já vi alguns autores copiando, espero que gostem.

Meu nome é Roberto e recentemente comecei a trablhar numa grande empresa multinacional no Rio, lá conheci Pedro um ótimo cara e com poucas semanas já nos tornamos amigos. Um dia conversando uma conversa rotineira falei a Pedro de uma das minhas paixoes que era pescar, Pedro ficou super alegre e disse que tambem adorava pescar e que tinha uma Lancha na casa de praia dele no Litoral, mas precisamente Arraial do Cabo, e que muito raramente ia pescar pois nao gostava de ir pra alto-mar sozinho, combinamos em tão de ir no primeiro sabado depois do pagamento. Assim que se aproximou a data contei a minha esposa o que ia fazer no sabado seguinte, ela brincou dizendo que era pra eu trazer algum peixe deissa vez, lembrando do fiasco que foi a ultima pescaria, nisso minha filha gritou da cozinha – Pai deixa eu ir! – Minha filha se chama Tais, ela é morena magrinha e baixinha, tem seios pequenos e uma bundinha empinada linda. Eu disse pra ela que nao dava pois, a pescaria é algo chato pra quem nao esta pescando e que ela iria ficar enchendo o saco pra querer ir embora, ela insistiu dizendo que o namoradinho dela estava viajando e que a mae iria trabalhar e que iria ficar o sabado em casa sozinha, ela acabou envolvendo a mae no meio tambem e eu disse que iria ligar para o Pedro pra ver se nao tinha algum problema ela ir, ao ligar, Pedro disse que estava tudo bem e perguntou a idade da minha filha e eu disse que ela tinha 14 anos, ele disse que tambem tinha uma filha e ela tem 15 anos e que tambem perturbava ele pra levar ela mas nunca tinha levado porque nunca ia nenhuma menina nas pescarias. Chegando o esperado sabado saiamos bem cedinho para irmos a casa de Pedro pois iriamos em um carro só, chengando no endereço que ele me deu eu fiquei espantado com a casa dele pois o nosso salario certamente nao bancaria algo assim, quando entrei logo descobri pelas fotos nas parede, sua esposa era desembargadora e ganhava super bem. Ainda conversando desce da escada sua filha, vestida com uma saída de praia branca transparente com um mini biquine por baixo, nao tinha como eu nao reparar como aquela garota era bonita e gostosa, apesar da idade tinha um corpo de mulher formada a pele bem branquinha os cabelos pintados de loiros e olhos castanhos quase indo pro verde, seu nome e Juliana uma menina super simpática e já veio me dando um beijo me chamando de tio, a esposa de Pedro tambem desceu pra nos receber e pude entender o porque daquela garota ser tao linda, era a cópia da mae, um mulherão desses de comercial de cerveja e uma mulher tambem super simpática, feitas as apresentações entramos no carro dele e saimos, o caminha durou umas duas horas e já parecia que as meninas eram amigas de infancia. Minha filha contou pra ela que namorava em casa e a Ju como ela pediu pra ser chamada logo gritou – Viu pai, ela é mais nova que eu e o tio deixa ela namorar em casa. Pedro logo respondeu – É! mas só eu sei a filha que tenho em casa né Juliana! ela ficou meio sem graça e mudou de assunto, só mas tarde fui entender o que ele quiz dizer, pois contou que chegou em casa cedo um dia e flagou ela na cama com o jardineiro deles, ela implorou pra ele nao contar pra mae porque sabia que certamente ela ia mandar prender ele por estupro e iria acabar com a vida do cara e que era ela que chamava ele pra fazer.
Emfim chegamos na tal casa que era igualmente muito bonita deixamos o carro e já fomos direto pra lancha que era muito luxuosa, ele contou que ela foi o presente de casamento do pai dela.
Chegamos rapidamente em alto-mar atracamos e iniciamos a pescaria, as meninas ficaram deitadas na parte da frente hora pegando sol hora mergulhando espantando nossos peixes rs. Eu sempre que tinha uma oportunidade dava uma olhadinha bem discreta pra filha de Pedro, e como aquela história do teto de vidro eu comecei a reparar no Pedro e ele tambem dava umas disfarçada e dava uma olhadinha pra bundinha da minha filha eu achei até engraçado aquela cituação. Cerveja vai Cerveja vem passado uma hora mais ou menos me passa uma outra lancha pela gente com um som super alto com umas cinco mulheres nuas na frente da lancha tomando sol e uns quatro caras atras pelados tambem bebendo, eles acenaram pra gente e passaram direto. As meninas riam de chorar dos caras dançando pelados com o pinto balançando. As duas cochicharam algo no ouvido uma da outra e a Jú gritou de lá – Pai , tio! deixa a gente pegar sol pelada tambem! eu quase engasguei com a cerveja. Pedro logo negou elas olharam pra mim esperando uma resposta tambem, eu tinha aquele dilema. por um lado eu estava doido pra ver aquela ninfetinha gostosa pelada e por outro eu estaria expondo minha filha para outro homem. olhei pro Pedro e ele me olhou como se dizendo voce decide eu entao falei – Só a parte de cima entao. elas resmungaram um pouco mas aceitaram. Ficamos olhando uma tirando o biquine da outra, os seios das meninas eram perfeitos, Jú tinha os seios de porte medio bem duros com o bico bem rosado, já minha filha tinha sieos pequenos parecia uma pera com um bico bem escuro do tamando de uma moeda de um centavos. Eu senti uma mistura de tesao com culpa por deixar minha filha ali pra outro homem ver mas meu pau parecia uma pedra chegava a doer de tao duro, olhei pro lado e tava o Pedro tambem com o pau duro, ele nao disfarçava mais, olhava fixamente para o os peitos da minha filha, elas deitaram novamente e ficamos ali com cara de bunda olhando elas, pedro olhou pra mim disse – ta de pau duro olhando minha filha né tarado! eu respondi dizendo voce quer falar oque! apontei para o pau dele que já saia da sunga, ficamos rindo e bebendo eu eu disse -ta foda cara. ele concordou e viramos a cadeira em direção a elas deixando as varas da pescaria para o outro lado, Pedro começou a a apalpar seu penis por cima da sunga, Pedro vira pra mim e pergunta – sua filha já…! eu respondi que achava que nao que ela nunca contou nada pra mae e ela só namora lá em casa aos sabados e domingos com todo mundo em casa e o garoto era da igreja e bem respeitador. eu aproveitei e perguntei tambem da filha dele. foi ai que ele me contou a história do jardineiro. Eu fiquei com mais tesao ainda, a gente ainda conversando minha filha grita, – pai deixa agente tirar a parte de baixo tambem! Eu ainda pensando o Pedro grita pra elas – tudo bem meninas podem tirar. Minha cabeça foi a mil por horas eu nao sabia o que dizer nem o que sentia, elas deitaram de costa para onde estavamos e pude ver a bunda perfeita daquela garota, ao me virar pra tentar falar alguma coisa para Pedro vejo ele com a mao dentro da sunga, quando vou olhar o que ele esta olhando vejo minha filha deitada de costa mas com as perninhas meio que abertas deixando assim exposta sua bucetinha toda lizinha e pra minha suerpresa bem grande nem minha esposa tinha daquele tamanho, achei melhor nao comentar sobre mais nada, tambem coloquei a mao sob a sunga e fiquei apertando meu pau, alguns minutos depois Pedro tira a sunga e fica nu, com o pau super duro deita na cadeira e fica lentamente se masturbando ignorando minha presença e a da própria filha, as meninas viram e riam igual crianças e mudaram de posição e ficaram agora deitadas de frente para onde estavamos, pude ver com clareza a buceta da menina, era pequena e rosada e toda raspada tambem dei uma olhda na buceta da minha filha, era bem inchada e volumosa em outras palavras suculenta, elas olhavam fixamente o pau do Pedro duro e ele se mechendo, Jú fala – Vai tio! tira tambem a sunga. Eu já estava atorduado ja nao sabia nem o que era certo e errado, tirei a sunga meu pau pulou pra fora, elas gritaram – eeeeeeee, pareciam achar normal um pai ficar de pau duro na frente da filha, fiquei só parado ali olhando na merda que estava fazendo, minha filha grita – mexe papai tambem. nao podia acreditar que minha filha estava mandando eu mexer no meu pau duro pra ela ver. Pedro rompe o silencio e fala tambem – abre mas as pernas meninas. Ele nao estava falando só com minha filha tambem estava mandando a filha dele abrir as pernas pra eu poder ver, essas informações vinham na minha cabeça como uma paulada destruindo todo meu senço de dignidade e respeito. Aonde tinha ido aquela brincadeira agora nao tinha mas volta eu sabia que a merda ja estava feita. Pedro olha pra mim serio e fala – eu nao to aguentando mais e voce! respodi que tambem nao. ele disse – eu topo e voce! eu nao sabia ou nao queria saber ao certo o que ele queria dizer com eu topo, mas topei, acenei que sim com a cabeça e apertamos as maos. Pedro se levanta olha para as meninas e pergunta se elas querem passar protetor solar, elas responderam juntas e gritando _ queremooos! chegamos perto bem junto delas eu estava com vergonha de ficar tao perto da minha menina com o pau daquele jeito, Jú fala para o pai – pai deixa o tio passar em mim e voce passa na Tais, fui para cadeira da Jú e fiquei virado de costa para minha filha e o Pedro, olhar aquele rostinho angelical e o corpo desnudo a pele macia o bico dos seios enrigecidos mostrando sua ecxitação estava me deixando louco, comecei a passar o protetos no seu rosto e logo apos nos ombros e costas pois ela estava sentada na cadeira, fiquei ali sem ter muita coragem e iniciativa de fazer o que eu desejei desde da primeira vez que tinha visto ela descendo da escada, queria tocar em seu seio e senti-lo,ela vira para mim e diz – tio faz em mim igual o papai ta fazendo. quando me virei tive um choque! minha filha deitada e o Pedro mamando os peitinhos dela e ela segurando o pau dele. Voce saber o que pode acontecer é uma coisa, mas voce ver é outra, me deu vontade de parar com tudo aquilo na hora, eu cheguei a levantar mas assim que levantei Jú ainda sentadada de frente pra mim pega meu pau e coloca na boca, minha cabeça me mandava tirar ela de lá, mas meu corpo nao respondeu, ver aquela boca engolindo a metade do meu pau me tirou da realidade que por uns dois segundos voltara mas se foi. Ela me virou pra eu nao ficar olhando pra minha filha e desistir e resolvi entao entrar na dança de vez, peguei ela pelo cabelo e enfiei até a garganta dela, ela tirou o pau da boca e disse – vem! eu sei que voce ficou olhando meu peito lá em casa. eu cai de boca nos peitos dela e ao mesmo tempo passando a mao na buceta dela, ela gemia alto puxando meus cabelos me forçou para baixo em direção a sua buceta, eu chupei aquela bucetinha como um animal e apertava os seios dela e ela gritava ainda mais, até o momento nao tinha ouvido a voz da minha filha, mas o silencio dela durou pouco, logo ouvi ela gemendo alto e quando olhei ela estava de quatro e Pedro sentado no chao chupando a bucetinha por traz, ela me olhava nos olhos e sorria pra mim com cara de safada uma cara que eu nunca tinha visto ela fazer antes, ela pega entao a cadeira de praia dela e arrasta colocando uma colada na outra, Pedro voltou a chupar ela por traz mas agora ela segura minha mao apertando com força cada vez que ele ia mais fundo com a lingua. Jú puxa meu cabelo pra cima e fala – vem tio me come! eu olhei para Pedro elhe me olhou e consentiu com a cabeça. Ela abriu as pernas eu me coloquei entre elas e comecei a meter.logo após eu ouvi o que mas temia – Vem tio me fode! era a voz da minha filha, Pedro me olhou e eu olhei para ela, ela sabia oque eu estava perguntando com o olhar e ela respondeu – pai eu já dei. Pensei na hora, muleque filha da puta! me referindo ao namorado dela, Pedro ainda me olhando esperando o consentimento e eu respondi que sim com o polegar. Pedro sentou na cadeira e ela sentou em seu colo, a buceta dela escorregou até o colo dele, ela subia e descia igual uma puta e gritava, coloquei a jú de quatro e comecei a fuder ela, nisso nossos corpos sempre se esbarrando, Minha filha fica tambem de quatro e Pedro começa a come-la, pedro entao para e diz que vai pegar algumas camisinhas no porão da lancha e sai. Minha filha vem pra perto de mim enquando ainda meto na Jú de quatro, me dá um frio na barriga que nunca sentira antes, ela me abraça por traz e passa sua mao pra frente e pega no meu saco e começa a aperta-lo enquanto meto. Jú cança de ficar de quatro e manda eu deitar, deitei no chao mesmo, ela senta no meu pau e começa a rebolar, minha filha passa as pernas sobre mim na frente da amiga e senta no meu peito e foi se aproximando bem de vagar e pude ver aquela buceta e sentir seu cheiro delicioso, ela subiu um pouco e literalmente esfregou a buceta na minha boca, nao aguentei e comecei a chupa-la, o grito de chupa pai! me dava mais tesao. Pedro volta com as camisinhas e ver a cena da minha filha com a buceta dentro da minha boca, ju rebolando no meu pai diz vem logo pai. O pai para na frente dela e ela simplesmente abre a boca, Pedro entende e poe o pau na boca da filha. depois de alguns poucos minutos assim Pedro pega a mao da filha e levanta ela, deixa ela em pé vai pra traz dela coloca a camisinha e vai encaixando na buceta dela por traz. Minha filha deita em cima de mim e começa a me beijar na boca e ajeitando seu corpinho em sima do meu até que meu pau ficasse bem na entrada da buceta dela, ela foi descendo até que entrou tudo, ficamos nos beijando e metendo ao mesmo tempo, eu nessa hora ja tinha esquecido completamente que ela era minha filha, eu com os olhos fechado sinto um peso maior sobre meu corpo, era Pedro, deitando atraz da minha filha comigo embaixo, eu falei – Que isso Pedro Não! ele entao parou, mas minha filha disse – Deixa papai, vem tio, mas vem devagar. fiquei parado com o pau dentro da buceta da minha filha enquanto Pedro com a ajuda da filha que se colocou sentada de costa para mim no meu peito para poder abrir a bundinha dela pro pai conseguir meter, ele foi metendo e ela gritando de dor mas pedia pra nao parar, eu nao conceguia ver muita coisa com a Ju na minha frente, mas quando ela levantou pude ver minha filha com o rosto todo molhado de lágrimas mas rindo, o pau de Pedro estava totalmente dentro do cuzinho dela, Pedro começou a meter e ela gritou e ele parou mas ela mandou ele nao parar, parecia que ele estava estuprando ela com tanta força que ele metia nela, ele nao aguentou e gozou no cu dela e ela pediu pra ele nao tirar de dentro porque era a minha vez de gozar nela tambem, começei a socar a buceta dela sem pena e acabei gozando dentro de minha filha tambem. ela saiu e deitou no chao exausta e rindo, tirei a camizinha com muita porra e logo veio a Jú, mandou agente ficar em pé e começou a chupar nossos paus cheio de porra, o tesao era tanto que meu pau ainda estava como antes, o pau do pedro deu uma amolecida mas ela nao parava de chupar, ela deitou e mandou o seu pai segurar e levantar as pernas dela, ele assim fez e ela com as maos abriu bem as nadegas e me mandou meter no cú dela tambem, eu sem perder tempo fui logo colocando o pau pra dentro dela, ela gritava mas eu nao parei até entrar tudo.e assim como o Pedro fez com minha filha, eu fodi o cú dela sem pena, enquanto eu metia no cú dela ela gozou igual uma cadela, quando eu vi que eu ia gozar eu tirei o pau pra fora pra gozar dentro da boca dela mas minha filha veio e colocou meu pau na boca bebendo todo meu leite e rindo. Eu cansei mas Pedro continuou comendo minha filha até ela gozar. ficamos ali por mas umas 4 horas bebendo conversando e metendo sem parar. até hoje marcamos bimestralmente um encontro igual a esse. amo muito minha filha e ela me ama e me respeita, isso nos uniu ainda mais.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,56 de 80 votos)

Por # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

18 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Naruto ID:bemna3h2096

    Gozei gostoso😁

  • Responder Newton ID:g3ipe051z4

    Conto maravilhoso! Tenho muita vontade de comer minha filha, mas não sei como chegar nela.

  • Responder breno ID:1ien0g8k0

    Conto massa Telg Breno26

  • Responder Indio 77 ID:81rittwoiai

    E eu que adoro pescaria, me imagino numa dessa,iria ficar de pau, doloridode tanto fuder, essas ninfetas,espero que tenha continuação…

  • Responder BARBA ID:8d5fqgz49dl

    Eese conto esta em outro site de outra pessoa. Eta, nem acabei de ler

    • Nilcontos ID:gsv46uqr90

      Sim sim, em alguns no final está assinado Nilcontos, algumas pessoas publicaram ele. Mas honestamente nunca liguei pra isso, até acho bacana, sinal que o conto eh bom.

  • Responder Vantuil OB ID:mujqotchir

    Realmente esse conto eu já li nesse site e em outros. Mas sempre me da tesão em ler. Se esse conto é teu, então vamos ver se tem continuação. Nos outros não tem. Continua.

    • Garoto rob. ID:wc3nu9qm3

      Minha filha já pois meu pau na sua bucetinha mais nunca cheguei a gozar nela fiquei com remorso. Sinto q ela tem tesão em mim. O q devo fazer alguém pode ajudar aqui. Chama no meu telegram @Cicero69

  • Responder Incestuoso 14 ID:4adeq532d9c2

    Muito bom,adorei a dupla penetração,das duas, conta as outras pescarias, e conta se vc comeu a mulher dele,a desembargadora gostosa

  • Responder luiz ID:dlns5khrd0

    Eu acho que esse deveria ser o inicio de toda menina, o pai e um amigo, é mais confiavel, sem violencia e acima de tudo seguro, se a sociedade nao fosse hipocrita eu nao vejo melhor forma de iniciar uma menina no sexo pelo pai

  • Responder Bruno ID:5pbbjj52m9d8

    Nossa eu adoraria ver uma cena dessas será q vcs aceitariam mais um amigo nessa pescaria?
    [email protected]

  • Responder Rafaella ID:funxvfym26

    Um conto clássico… Beijos !!

  • Responder Claudio ID:g3j706zrkm

    Muito bom, que venham mais relatos!!!!!

    • Rony ID:40vojo7kv9kl

      Adorei seu conto caso queira uma ajudinha moro prox a arraial .

  • Responder Pachecao ID:xlo5sk0bo

    Cara delícia de conto tô aqui quase gozando sem mesmo tocar no meu pau vou ter que tocar uma gostosa punheta agora pensando em vocês. São 5.24. Continue

  • Responder Paulo ID:qplmkc8kj

    Tem continuação?

    • Nilcontos ID:ona0en3xib3

      Sim

  • Responder Milton ID:g62zeo2zj5

    Qdo minha avó foi contemplada com ap num Cingapura, eu não quis mais morar com ela, mas mudei de idéia. É que da janela do meu quarto, eu via umas paradas de arrepiar. O prédio que eu morava, era bem situado, e o ap da minha avó, era no terceiro andar, o que facilitava pra ver muita coisa nos outros aps. Minha prima Dalila morava com minha avó tbm, mas só dava pra rolar umas paradas qdo a vovó não estava, pq ela dormia no quarto com minha avó. Qdo fiz amizade com o Celcinho, descobri que ele comia a irmã dele, a Suely. Ela era um ano mais nova que a Dalila, mas era tão gostosa qto. E assim, pintou um lance entre a gente, que acabou numa troca. Ele ficava com a Dalila, e eu com a Suely. Era putaria direto, e qdo dava, rolava até suruba. Mas o legal de ter morado lá, é que perdi as contas de qtas meninas transei durante os seis anos que morei lá. Saí da casa da minha avó aos 23a, qdo fui morar com uma namorada, e qdo ia visitar minha avó, sempre pintava uma gatinha daqueles tempos, afim de curtir um “remember”, inclusive algumas, já tinham até filhos.
    Bons tempos aqueles, principalmente qdo trocava a Dalila pela Suely.