# #

Encontrei minha esposa Tânia, rolando na cama com seu amante

1273 palavras | 6 |4.31
Por

Eu estava de viagem marcada para um pais vizinho, mais a viagem foi cancelada, daí descobri que sou corno e para não atrapalhar fiquei assistindo

Sou Paulo Sérgio, 28 anos de idade, trabalho numa empresa multinacional, vez ou outra tenho que viajar para outros países sulamericanas a negócio da empresa. Sou uma pessoa até bem apanhada, acho eu, e que pela mordomia que vive minha esposa Tânia, não merecia ser chifrado.
Tânia, tem 26 anos de idade, é muito bonita, corpo tipo violão, bum bum redondinho, onde ela aproveita disso para usar roupas estravagantes, peitinhos meia taça, enfim, tudo em cima durinho, porque ela também frequenta academia quatro vezes por semana.
Estava eu com viagem marcada para o Chile, ia ficar três dias lá, mais por causa dessa pandemia, o vôo foi cancelado.
Com isto, tomei um uber e voltei para minha cidade. Antes passei na empresa para justificar a minha não ida para o Chile e a seguir rumei para minha residência.
Chegando em minha casa, como eu tenho as chaves das portas de entradas, eu adentrei por uma porta lateral, para não fazer barulho, pois o relógio já marcava 23:30 horas e eu achava que minha esposa estava dormindo.
Ledo engano, ao entrar ouvi sorrisos de homem e a voz da minha esposa.
Como para chegar no quarto existe uma divisória tipo ante quarto, eu parei ali sem que ninguém me visse.
Meu pênis ficou duro feito um ferro ao ver a cena que estava acontecendo na minha/nossa cama.
A Tânia, nuazinha e o tal Rafael também, rolavam, se beijavam, se lambiam, se tocavam feitos dois adolecentes famintos por sexo.
Fiquei assistindo o Rafael, penetrá-la suavemente, já que ele possui o pênis avantajado. Ficaram no vai em vem por uns cinco minutos e Tânia, assim como Rafael, anunciaram que iam gozar e gozaram gostoso. Ato continuo viraram-se na cama, sem somar banho nem se limpar e um abocanhou o sexo do outro, onde eu só ouvia minha esposa dizer a palavra = delícia =.
Eu pensei em fazer mil e uma coisas, mais cheguei a conclusão que não valia a pena, que o correto seria eu participar daquele bacanal.
Mais ainda antes disso, assisti com meus próprios olhos, o Rafael, alisar um creme no anus da Tânia, e cravar aquele imenso pênis, maior e mais grosso que o meu, no cusinho dela. Ela gemia. Pedia para ele por devagar. Não resisti e me masturbei esfregando meu pênis na parede.
Quando o pênis dele estava todinho dentro dela, ele principiou a alisar o clítoris da Tânia, que de excitação estava duro e maior que o normal.
Não resisti, entrei pelado no quarto e disse um boa noite para os dois. A Tânia, não sabia o que fazer, no que eu com toda calma deixei-a tranquila, dizendo a ela que ela me presenteou, pois há tempos eu tinha um sonho de vê-la, transando com outro homem que tivesse o pênis maior que o meu e sem querer ganhei o presente.
Entrei de boca nos peitinhos meia taça dela e falei para o Rafael, sugá-la por baixo. Assim ficou eu mamando os peitinhos dela e o Rafael, chupando o clítoris de formato grande dela.
Ao gozar, ela pedia para que a rasgasse, e dizia Rafael, coloca outra vez no meu cusinho. Neste instente eu gozei também nas mãos dela que me punhetava. O Rafael, não se deu de arrogante, ajeitou a buncinha dela passou-lhe mais creme e foi empurrando aquela imensa tora no anus dela, que em pouco tempo ficou só com o saco de fora. Dei-lhe meu pênis para ela chupar, coisa que eu nunca tinha feito em quatro anos de casamento.
Com o Rafael, com seu instrimento todinho dentro dela e alisando seu clítoris, ela tornou a gozar feito uma doisa e dizendo palavras desconexas, assim como: Me rasguem, quero ficar pelada para ir para o hospital e os médicos sentirem tesão por mim. Paulo, me chamou ela; sempre senti vontade de por chifres em você, mais nunca imaginei que fosse tão exitante assim, com você participando, por isso, quero que você mame meu clítoris e enfie os dedos na minha buceta. se quiser pode rasgá-la, pois estou com muita tesão, só de ver você e o Rafael, pelados na minha frente, vou falar disse ela: ele com um pênis maior e mais grosso que o seu. Vamos trazer ele para morar com a gente, assim, quase todo noite fazemos essa libertinagem…eu adorooo

Dei-lhe meu pequeno pênis para ela mamar, enquanto o Rafael, enfiava seu enorme cacete na buceta dela, toda raspadinha-lisinha, pois já tinham marcado encontro anteriromente achando que eu estaria viajando.
Que delícia, gozamos os três no mesmo instante, foi uma gritaria, mais de imediato ela virou a bunda para mim e disse: come meu cusinho também…eu já estava de pau mole onde ela apelou, meu marido e frouxo Rafael, você por favor me come de novo, quero gozar mais. Eu estava envergonhado de ter perdido o líbido, mais satisfeito que minha mulher era uma puta, que eu era casado com uma prostituta gratuita, que possuia carro, piscina, academia, etc., tudo pago por mim para ela transar com outro… me senti o maior chifrudo do mundo.
Mais logo a seguir comecei a ter ereção novamente ao ver o Rafael, fazer tudo que ela pedia, pedi pra ela mamar meu pênis e engolir todinho meu esperma…ela disse: que delícia, ele acordou de novo, abracou meu pênis e mamou até eu gozar na boca dela e ela engolir todinho meu esperma.
Nesta altura já eram duas horas da manhã, no outro dia eu teria que levantar cedo para ir na empresa, assim fui dormir no quarto de hospede e deixei os dois na rolando na cama.
No outro dia, saí as 8:00 horas e ela estava dormindo, voltei ao meio dia para o almoço, daí nos encontramos como se não tivesse havido nada durante à noite.
Mais passado algum instante ela me disse : Paulo, deixa eu chamar o Cláudio esta noite, ele é um rapaz bacana, vamos fazer tudo novamente com outra pessoa.
Me senti num hospício, mais disse a ela:pode chamá-lo, quero ver ele te chupar, te comer de todos os jeitos e assim eu vou acreditar que você e eu não somos certos da cabeça. Vou te pedir um favor Tânia, meu cigarro acabou, quero que você vá até a tabacaria comprar um maço de cigarros para mim; só que tem uma condição: quero que você vá totalmente nua, assim você arruma mais homens ainda este é o meu desejo. Eram 13:00 horas, ela saiu nuazinha atravessou a rua e entrou na tabacaria e comprou o maço de cigarro. Todos os homens que a viram na rua ficaram desnorteados e de pau duro.
Minha esposa Tania, é louca por sexo e eu também comecei a gostar da farra. Adoro ver outros homens trassá-la na minha frente. Adoro ver ela gozar nas mãos de outros.Adoro ver ela com o pênis de outro hoem na boca, Adoro ver um pênis grande entrando no cusinho dela. Virei um safado sem vergonha, só falta eu montar uma zona na minha casa.
Quanto mais ela faz sexo com outros homens mais eu passo a amá-la. Eu amo essa mulher, não vivo sem ela. Ela é meu amor, meu tesão, minha paixão, minha, vida.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,31 de 13 votos)

Por # #
Comente e avalie para incentivar o autor

6 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Lopes perez ID:xlorii8lk

    Fiquei de pau duro lendo se conto,sou do rio de janeiro quero conhece um casal como vcs
    [email protected]

  • Responder Topotudo ID:8cipmr1dzjr

    Conto razoavel

  • Responder Wanderson ID:gqauwr20d6

    Conto top me convide parabéns essa fé de vós bjs amei o conto, casada decididas me chamem.

    [email protected]

  • Responder Cadão ID:46kpgktvk0jp

    Maluco, a parada é assim. Macho alfa, comedor nato, chupador de buceta, qdo fala de putaria…ele diz rola, caralho, cassete, pau, piroca.
    Entendeu ?
    Só corno mesmo é que tem pênis…

  • Responder Débora ID:46kpgktvk0jp

    Caraca !!!
    O cara é paranormal…
    Ele consegue “OUVIR” sorrisos…
    Tá explicado o motivo de ser corno.

    • Casado sbc ID:1dak518hr9k

      Um incrível… De onde Débora?