# # # #

Rancho da putaria – parte I

1199 palavras | 5 |4.35
Por

Nas minhas viagens fiz uma namorada e conheci o melhor rancho que já vi na minha vida. Atenção: contém scat, gay e lesbianismo.

Olá pessoal. Meu nome é Gilson, hoje tenho 50 anos, sou solteiro, boa pinta e muito tarado.

Fui caminhoneiro minha vida inteira. Levava mercadorias de ponta a ponta nesse Brasilsão sem fim. E fiz muita putaria nessa vida. Devo ter uns 20 filhos, mas como nunca deixava contato e não repetia os trajetos então nenhuma mulher reclamou filho comigo. Ainda bem, senão eu tava era fudido.

20 anos atrás eu estava no interior do Rio Grande do Sul. Terra maravilhosa, cheia de mulher bonita. Em um baile me engracei com uma guria hippie, 25 anos, loira, carinha que quem tinha participado do Woodstock. Simone era um doce e fomos para a cama na mesma noite onde a fodi com muito gosto.

Quando acordamos, Simone me disse que morava em um rancho nudista. Fiquei interessado, é muito bom ficar pelado mostrando o pau pra todo mundo. Ela me disse que o rancho acolhe mães solteiras, desde que elas contribuam na manutenção. Me chamou para ir lá conhecer, perguntei se ia dar algum problema e ela disse que não, desde que seja alguém de confiança.

Botei ela no caminhão e partimos para o rancho. Deixei o caminhão na garagem improvisada junto com o carro dos donos do rancho. Atravessamos a porteira e olhei para o rancho. De primeira, à minha esquerda tinha um cercado onde ficavam os cavalos. Tinha uns 5 cavalos, andavam livremente pelo cercado. Após o estábulo ainda à minha esquerda tinha uns chalés de madeira, eram 5 chalés. À minha frente um poço, aí um grande espaço vazio de terra e duas casas maiores, perpendiculares aos chalés formando uma esquina interna.Do lado direito Simone me explicou que era a escola, onde a irmã do dono do chalé, Débora, dava aula para as crianças. Em seguida, antes de fechar o “quadrado” ficava o celeiro.

Ao adentrar olhei para o chão de terra e percebi que tinha algumas poças de urina e fezes. Perguntei a Simone e ela disse que podia ser tanto dos cães quanto dela ou de mais alguém que mora lá. Fiquei estarrecido mas curioso. Já tinha visto uns pornôs alemães fortes em video-cassete de scat, mas não esperava experimentar isso aqui no Brasil. Logo aqui onde se toma 2 a 3 banhos por dia.

Olhei ao redor, vi alguns vira-latas que logo vieram me cheirar e já fui fazendo amizado. Também tinha alguns meninos, estavam todos peladinhos. Simone me chama para o chalé dela onde ela mora com o filho. Chegando lá vejo o filho dela, Lucas. Um piázinho bonitinho como a mãe, 10 anos de idade, loirinho e bronzeado. Bunda carnuda, pinto pequeno e todo lisinho.O garoto já veio me beijando na bochecha e acabei ficando até excitado.

Mal entramos e Simone já foi ficando pelada. Ela é linda, loira, olhos azuis, pele clara mas bronzeada por ficar nua o tempo inteiro. Seios médios com mamilos rosados e bicudos. A bunda é um espetáculo, muito bem desenhada. A buceta parece um capô de fusca, depilada e com uma racha enorme e bem visível.Ela me disse que aqui não temos que ter vergonha e curtir tudo. Tiro a minha roupa e Simone me leva para o pátio do rancho. Próximo ao poço noto duas meninas de mais ou menos 11 ou 12 anos conversando. Uma tem cabelos castanhos, magra, seios pequenos com mamilos escuros, bucetinha lisinha com uma rachinha baixa que mal se nota por cima. A outra é loirinha, seios começando a ficar grandes com mamilos rosados, magra também e bucetinha capô de fusca, bem fofinha. Elas me observam e Simone me apresenta a elas. Chamam-se Karina e Viviane. Me convencem que são namoradas e peço que elas se beijem. Amigos, nunca vi duas meninas se beijando tão gostoso. Fiquei de pau duro na hora.

Continuo meu tour pelo rancho. Simone diz que está com vontade de urinar e mija na minha frente. Como o chão do pátio é de terra, rapidamente a urina de Simone é absorvida. Ela me olha e pergunta se eu gostei, ao que respondo que foi a melhor visão do dia. Ela me diz que ainda não vi nada. Então ela chama Lucas e pergunta se ele está com vontade e ele responde que sim. Aí Lucas começa a mijar e cagar de pé na nossa frente. Parecia até que ele fez sem querer. O cocô saia da bunda do garoto meio mole e deixava ela sujinha. Todo melecado o garoto foi se reunir com os amiguinhos dele. Perguntei a Simone se ele ia se limpar e ela me disse que só na hora em que ele quiser.

Quando Lucas se reuniu com os amigos, beijou eles na boca. Os moleques eram bem gostosinhos também, loiros e bronzeados. Miguel tinha o cabelo tigelinha, 13 anos, encorpadinho e o pau já tinha uma leve penugem e era bem grande para a idade. Mateus tinha 11 anos, cabelo para o lado, bundudo e pinto liso e bem pequeno. Ambos estavam com uma bela ereção.

Simone continuou me conduzindo, conheci o celeiro e após adentramos à casa do proprietário. Seu Jorge era um senhor simpático, me apresentou à esposa, dona Karen. Uma coroa simpática, um pouco gordinha, mas peituda e bunduda. Noto um cheiro forte de fezes e percebo que a bunda de dona Karen está suja. Penso comigo, é aqui que vou realizar minhas fantasias.

Dou uma olhada pela janela e vejo duas outras meninas se pegando. Na varanda, há um banco e um colchão velho.Uma é filha de dona Karen, Letícia. Uma menina de 10 anos, loira, de olhos verdes e cabelos longos, linda. Ela beijava Paulinha, uma das meninas do rancho, filha de Lurdes. Paulinha tinha cabelos escuros, pele bem branquinha, 13 anos me uma buceta linda com lábios vaginais bem expostos. Letícia e Paulinha se beijavam ardentemente. Letícia desce beijando todo o corpo de Paulinha, passando por seus seios em formação, médios e bem redondinhos até chegar na buceta com uma penugem bem fina. Chupando a amiga, Paulinha goza em jatos, mijando no corpo de Letícia. Em seguida, Paulinha começa a lamber o corpo de Letícia, tomando todo seu próprio mijo na boca. Letícia então deita Paulinha no colchão e começa a mijar e cagar na xoxota dela. Em seguida ela esfrega suas próprias fezes na buceta de Paulinha, chegando a enfiar a merda dentro de sua xoxota. Letícia então esfrega um pouco de merda em sua própria xoxota e começa a se esfregar até que as duas explodem em gozo.

Eu fiquei batendo punheta ali dentro, na frente de seu Jorge, dona Karen e Simone que olhavam para mim abismados. Até que resolveram me falar para ter calma, que vou ver muita coisa diferente no rancho. Desde que eu não conte para ninguém, me disseram para eu ficar o tempo que quiser.

Na segunda parte contarei como foi comer o cu cagado dos guris do rancho.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,35 de 20 votos)

Por # # # #

5 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Admirador

    ousado hehe gostei, precisamos de mais!

  • Responder Messin

    Come o Lucas o Miguel e o Mateus come os três juntos numa suruba e faz os três fuderem um ao outro

  • Responder Scateiro

    Que delícia!

  • Responder Gosto de scat.

    Neste rancho mijo e bosta são cois naturais dos seres humanos. Como deve ser! Com a tecnologia que termos com os produtos de limpeza não se deve limitar a liberdade das pessoas para agirem naturalmente em suas casas. Secreções humanas tem de ser vista como vida em ação!

    • Carlos

      Tenho fetiche, mas a higiene é indispensável, pois evita inúmeras doenças