# #

Tesao pelo meu paizao

752 palavras | 14 |4.64
Por

Nunca tive coragem de falar para outras pessoas o que acontecia comigo. Mas, dessa forma, encontrei um meio de compartilhar com pessoas que passam ou passaram por algo semelhante. Durante muito tempo me senti culpado e me martirizei por sentir o que sinto, mas finalmente entendi que não tinha culpa e que era preciso me aceitar da maneira que eu era, com defeitos e qualidades. Bom, tudo começou bem cedo… sempre fui o tipo de pessoa questionadora e com pensamentos avançados, desde sempre. Então, não fui uma criança como as outras, que gostavam de brincar o tempo todo ou falar coisas bobas…eu sempre gostava de estar no meio dos adultos, nas conversas dos adultos e isso foi me fazendo ver as coisas com um outro olhar. Meu pai e eu nunca tivemos um bom relacionamento. Ele causava, de estatura mediana, peludo, ele era o tipo folgado saca? Não fazia nada em casa e ainda bebi. Confesso que entendi o porque ,mas com o tempo isso foi gerando certa curiosidade. Eu já havia tido experiências com um primo mais velho, e isso me deixou com uma malicia pra putaria. Olhava a mala dos caras na rua e sempre que via um volume eu ficava de rola dura também. Em casa, isso não era diferente. Meu pai sempre andava de cueca pela casa e como ele não trabalhava e eu era filho único, ficávamos sozinhos a maior parte do tempo. Olhar a mala dele era difícil, por que ao mesmo tempo em que eu tinha raiva dele, eu sentia um tesão descomunal. Lembro de bater muita punha sempre que via ele pela casa. Com o tempo isso foi aumentando. Já não me contentava mais em olhar pela cueca e comecei a entrar no banheiro sempre na hora que ele ia usar…inventava que estava apertado ou que ia pegar roupa suja do cesto. Olhava ele tomar banho e via a água escorrer pelo corpo dele, molhando os pelos e deixando a pele dele brilhando. O pau dele recebia aquela água e deixava escorrer como uma cascata de prazer. Eu imaginava minha boca tomando aquela água e chegava a salivar. Tinha que me controlar pra não ficar muito mais tempo do que devia, dentro do banheiro… Ele nunca trancava a porta e isso me deixava doido. Olhava sempre, pela brecha da porta entreaberta ou pelo buraco da fechadura, que por não ter o miolo da chave, era apenas um trinco por dentro, dava pra ver claramente quando ele lavava aquele mastro maravilhoso. Meu pau ficava tão duro, e minha cabeça criava tantas situações que as vezes eu gozava sem me tocar, apenas olhando aquilo. Depois de algum tempo, comecei a cheirar as cuecas usadas. O cheiro era de macho, daqueles que não têm frescura nenhuma e sabem que uma rola deve cheirar como rola. Cheirava toda a parte da frente, onde a rola dele descansava e as vezes lambia imaginando que era o gosto da rola daquele homem delicioso. Certo dia, estava batendo punheta, sentado na cama e olhando uma revista pornô que ele escondia no guarda roupa dele e pensava que eu não sabia onde estava. Tive a impressão de ouvir um barulho, mas continuei, e como não aconteceu nada, eu permaneci ali, com a rola na mão e o tesão no corpo todo. A janela estava mal fechada e pude notar que alguém estava do lado de fora, olhando pela fresta, sim, dava pra ver a sombra. Aquilo me deixou com mais tesão e meu pau ainda mais duro, poxa, como queria que fosse meu coroa, como queria que ele soubesse o tesão que eu sentia. Passava a mão na minha rola e descia sentido meu rabo, alisava meu mamilo e gemia vez ou outra… isso deve ter durado poucos minutos, mas na minha cabeça foi uma eternidade, como se o tempo tivesse parado ali… quando gozei, foi como se a alma tivesse deixado o corpo… gemia alto e com as mão sujas eu lambi cada gota da minha porra. Guardei a revista rápido e pouco antes de colocar a bermuda a porta abriu…era meu coroa. Ainda bem que ele abriu e saiu.. acho que ele ficou aquilo na cabeça. Quando ficamos sozinhos ele bate umas eu escuto. Por favor algum pai maduro me chama @juanp2088

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,64 de 11 votos)

Por # #

14 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder p.g

    Porra, eu já ouvi meu pai batendo uma no quarto. Era de madrugada, estavamos sozinhos. A porta estava entreaberta e tava de short e sem cueca. Quando vi meu velho com aquela rola grossa e cheia de veia batendo uma punheta nervosa eu fiquei doidão meu irmão. Eu não sou gay, mas todo aquele climão me deu um tesão do caralho. Minha caceta tava dura que nem pedra. Comecei a mandar ver na minha punheta enquanto assistia aquilo. Foi uma das melhores punhetas da minha vida, eu tava com um tesão monstro. Gozei junto com o meu pai na mesma hora. Fiz questão de deixar a porta galada pra ele ver que eu estive la. Até hoje bate uma lembrando disso

  • Responder Filho punheteiro

    Sempre bato punheta com meu pai, acho super normal.
    Dois machos vendo filme de sacanagem e mandando ver

  • Responder curioso

    rpz, eu tenho 18 anos, é isso mesmo ai, sempre que eu to sozinho com meu velho ele fica mais a vontade. Anda de cueca em casa com o pau meio duro, fica vendo tv apertando o pau duro e os gemidos de punheta no banheiro entaoo… esses ficam mais altos e com tesão.
    Eu fico batendo punheta de porta aberta esperando um convite para bater junto com ele. Espero que ainda role

  • Responder filhão

    Mano, quando eu to sozinho meu pai fica mais a vontade, principalmente em dia de domingo, ele coloca aqueles shortinhos bem molinhos e fica vendo tv e apertando o pau, eu fico doido de tesao.
    Num desses domingos sozinhos em casa ficou passando umas mulheres gostosas na tv, ele apertou tanto a caceta que eu vi escorrer o pre esperma na perna dele. Eu fingi que não vi, coloquei a almofada em cima do pau e fiquei tocando uma de leve, mas chegou uma hora que meu pai tava doido de tesao com a perna levantada meio escondendo e apertando rapido o pau, só vi ele morrendo o labio e respirando forte, achando que eu não tava vendo. Meu pai gozou ali do meu lado cara, só apertando o pau, quando ele levantou o short tava todo melado e ele tentando esconder com a mão. Foi no banheiro se limpar e nunca tocamos no assunto.

    • Pai

      Cara me chama por favor…

  • Responder Anonimo

    Cara, eu tenho quase certeza que meu pai sabe que eu fico espionando ele, quando me aproximo ele sempre começa a gemer mais alto, urrar de prazer e fica cuspindo no pau pra fazer mais barulho na hora da punheta.
    Eu fico do outro lado fazendo respiração alta e gemendo baixinho. Teve uma vez que estavamos sozinhos em casa e ele urrrou tão alto de tesão que fez eco pela casa toda. Aquilo me deu um tesão tãooo grande. Ele saiu do banheiro e se trancou no quarto. Quando eu cheguei no banheiro, a parede e o box estava todo gozado, peguei aquela porra quente passei no pau e bati uma das melhores punhetas da minha vida. Meu pai saiu do quarto e me viu gozando em jatos, mas fez que nao viu nada e saiu de casa.

    • J

      Verdade mesmo serio tenta gravar te mando do meu
      @juanp2088

    • Pablo

      Onde vc fica?? Como vc fica gostaria de saber mais um grande tesao cara me conte mais… onde ele fica?

  • Responder anonimo

    cara, tesão demais.
    Adoro escutar meu pai batendo punheta no banho!

  • Responder Noca

    Tenho 42 anos e muita vontade de dar o rabo

  • Responder @teleyure

    Boto fé que quando você é iniciado você passa a olhar o próprio pai de uma outra forma.

  • Responder Mauro

    Tô aqui filho,vem com o papai