# # #

Eu e meu titio negão

1215 palavras | 4 |4.67
Por

Olá, quero avisar que esse é um conto verídico. Sou mulher, tenho 24 anos e fui iniciada sexualmente aos 7 anos por um tio.

A memória me falha de quando tudo realmente começou. Esse é um relato um pouco tenso de se fazer, pois mexe com muita coisa aqui dentro. A primeira vez que uma menina sente o real prazer é algo inexplicável… mas ao msm tempo traz sequelas pra criança abusada, podem ter certeza.

Mas vamos à história. Nunca conheci meu pai biológico, minha mãe me criou sozinha e trabalhava muito pra nos sustentar. Nisso, ela tinha q me deixar com uma tia, casada e que tinha sido mãe recentemente e estava em depressão pós parto.

Gostava muito de ficar na casa dela, mas ao ver minha priminha tendo pai e mãe e eu não um sentimento de carência emanava de mim, eu queria uma figura masculina na minha vida. Fui me aproximando do “tio” João (ele tinha uns 30 e poucos na época) e como eu era bem espertinha e adorava conversar, é lógico q ele se aproveitou disso.

Não sei exatamente quando e como tudo começou, mas me lembro de um dia em que minha tia estava dormindo de tarde, ficamos só eu e ele.

Ele disse: “vamos brincar de pega pega?” Eu toda feliz disse claro! Ele foi atrás de mim e me pegou facilmente, me agarrou, suas mãos enormes agarraram os carocinhos dos meus seios e ele começou a me sarrar, esfregando o pau em mim (batia na metade das minhas costas, eu era baixinha com 7 anos, magrinha, branca de cabelos cacheados e olhos brilhantes e boca em formato de coração).

Não entendi muito bem o q estava acontecendo, mas tava diferente ser tocada tão intimamente assim então deixei. Ai ele viu q eu não reclamei do toque e enfiou a mão por dentro da minha calcinha, levantando o vestido.

Nossa, senti um calorzinho, uma vibração tão gostosa quando ele começou a esfregar devagar 2 dedos no clitóris, eu nunca tinha sentido aquilo, tava muito bom. Ai ele ouviu barulho vindo do quarto e fez sinal de silêncio, pra eu manter segredo.

Minha tia realmente acordou, foi cuidar da minha prima e mais uma vez fiquei a mercê do tio João. Dessa vez ele me fez deitar na cama dele e da minha tia, me cobriu, apagou a luz e se deitou do meu lado.

Eu fiquei bem quietinha, tava meio assustada com aquilo mas gostando da sensação, algo em mim ansiava por mais carícias. Primeira vez que minha bucetinha latejava.

Ele se encostou em mim e abaixou minha calcinha até o joelho, abrindo minhas perninhas. Eu prendi a respiração, esperando pelo toque. Era tudo em silêncio.

Ele colocou a mão aberta, inteira, em cima da minha ppk e pressionou, pelo tamanho da palma da mão e proporção comparada a minha pepeca infantil, sua mão cobria ela toda. Lembro q ele começou a massagear e tentar enfiar a ponta de 1 dedo na entradinha da buceta, doia um pouco mas era bom também. Depois molhou o dedo e começou a massagear o clitóris, passando o pau entre ela e o bumbum. Eu respirava rápido e não gemia, mas ficava molhada.

Nesse momento minha tia entrou no quarto e gelei, ele parou de me tocar e fingiu que dormia. A sorte é que estávamos cobertos. Ela deitou ao lado dele e apagou a luz de novo. Comecei a sentir sono, virei de lado e dormi.

Acordei sentindo uma pressão nos grandes lábios da ppk e assustada, mas ja lembrei de tudo q tinha acontecido então deduzi que era ele. Mesmo com minha tia dormindo do lado, o safado tinha abaixado minha calcinha de novo e agora passava o pau todo melado na minha bucetinha. Era até melhor que os dedos, lembro exatamente da sensação de sentir a textura, a maciez e o calor do primeiro contato pele com pele.

Ele não ficou muito tempo nisso, logo fomos realmente dormir. Não sem antes ele me dizer bem sério que eu não poderia contar aquilo pra ninguém, senão ninguém mais me amaria pq agora eu era uma vagabunda. Foi algo assim que ele disse. Me marcou muito.

Enfim, os dias foram passando e os abusos se tornaram frequentes, mas não passavam dessa bolinação e esfrega esfrega que eu falei.
Eu adorava… mas também sentia muita culpa por saber que estava fazendo algo errado e escondendo da minha mãe. Mas ele era a única figura paterna que eu tinha, então tinha q obedece-lo.

Não durou muito tempo porque logo eu e mamãe
mudamos de casa e ela me colocou na escola integral, mas teve um dia que rolou algo diferente, pq é o dia que mais ficou guardado na minha memória.

Nesse dia minha tia tinha ido no mercado, e o tio João tava especialmente tarado. Ele se trancou no banheiro comigo, lembro q me sentou na privada. E começou a me masturbar. Muito… mexia os dedos rodando num ritmo alucinado, pela primeira vez eu me permiti soltar um gemido, com outro dedo ele cutucava a entradinha da buceta, comecei a ficar muito molhada e com vontade de fazer xixi rss.

Ai ele me levantou, pegou no colo e colocou minhas pernas em volta dele. Me lembrou mais uma vez o quanto era importante ninguém saber e eu concordei, lógico. Só a vergonha de imaginar alguém sabendo daquilo me paralisava.

Ai ele sentou e me encaixou no colo dele,com o pau engatado na entradinha dela. Nessa hr senti um calafrio e algo estranho aconteceu. Não lembro do q houve. Acho q tive algum lapso de memória, talvez um trauma pq não me lembro de como acabou.

Lembro de nós dois saindo do banheiro, eu só pensava “na frente é bem mais gostoso…,”. Bem, não sei se houve penetração ou não, o fato é que quando fui “oficialmente” transar na adolescência, aos 15 com meu namorado, a primeira vez não doeu, e nem sangrei. Então até hoje tenho essa dúvida do que realmente rolou naquele banheiro.

Confesso que a possibilidade de ter sido penetrada tão novinha me excita muito, talvez por isso eu seja tão putinha hoje em dia.

De qualquer forma foi uma experiência que fodeu com a minha vida. Fiquei mal e traumatizada, se manifestou como depressão grave depois dos meus 18. Sexo com criança dá tesão? Com certeza. Mas deixa marcas também. Tudo tem um preço.

Claro que a sensação foi muito gostosa, não tenho como negar. Eu tive um prazer e uma iniciação sexual muito precoce, mas não foi ruim em si. O problema são os fatores psicológicos e todos os tabus que o tema enfrenta. Então hj eu amo ler e gozo muito com contos de incesto parecidos com o meu, mas outro lado meu quer parar com isso pq sabe ser errado e só faz alimentar o trauma.

O que fazer?

Obrigada por lerem até aqui. Deixem tlgrm

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,67 de 12 votos)

Por # # #

4 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Ana julia

    Não tenho douvidas que foi um homem que escreveu isto kkkkk

    • fabio

      porque você imagina isso

  • Responder Will

    Relato realmente de um trauma que ficou e te fez ter momentos de desejo mais o remorso logo em seguida e isso faz a mente pirar mesmo, tem seu lado bom que é seu prazer em ser uma putinha quando faz sexo

    Telegram @Will_town

  • Responder Neto incesto

    Edu netto meu telegran