# # #

Primeira e única vez

1521 palavras | 5 |4.28
Por

Quando vi aquele mastro mão consegui mais esquecer. Até que o dia chegou

Tenho 38 anos e sou casado e pai de família.
O que vou relatar me aconteceu quando tinha 16 anos.
A rua onde eu morava tinha muitas crianças e adolescentes e por lá, vez em quando, rolavam uns boatos sobre troca troca, quem comeu quem e tal.
Certo dia estávamos em quatro amigos na lage soltando e fazendo pipa e depois de algum tempo conversando vieram os assuntos sobre sexo, onde todos foram ficando de pau duro mas um, em especial, nos chamou a atenção. O do Rogério era realmente grande.
Rogério era naturalmente mais desenvolvido que os outros e eu. Peitoral grande e cabelos pelo corpo todo. Servente de pedreiro, era um garoto forte
Impressionados e achando engraçado pedimos pra ele tirar da bermuda pra vermos se era verdade e quando ele baixou a bermuda, meu queixo caiu.
Era realmente desproporcional a todos nós. Era um pau de adulto dotado num moleque de 16 anos. Estava meia bomba pra duro e era muito maior q o meu durasso.
Depois disso não conseguia tirar aquela imagem da minha cabeça.
Adoro mulheres mas na minha adolescência sempre fui devagar. Demorei a beijar na boca e perder virgindade. Era muito tímido, mas ver a rola do Rogério naquele dia realmente me despertou algo insano.
Serto dia no meio da tarde eu perambulava pela rua quando vi Rogério subindo na lage da casa dele e o chamei. Ele me convidou a subir, e lá fomos nós.
Após algum tempo soltando pipa estávamos enrolando as linhas e terminei primeiro e como era costume na nossa rua as brincadeiras com mão, meti a mão na bunda dele e desci a escada correndo, já com má intenção, ele enrolou a linha me chingando e rindo, disse q eu iria pagar por isso.
Ele estava sozinho em casa então entrei correndo na sala, e tenho memória tão víva de tudo, que me lembro que estava calor e dentro da sala muito fresco. Então ele correu em minha direção e eu encostei de bunda pra parede, mas ele era muito mais forte e me virou metendo a mão na minha bunda forçando o dedo bem no meio do meu cu.
Fui tomado pelo tesão e acredito q ele também, pois eu disse a ele q fizesse aquilo com o pau, na intenção q ele me encoxasse primeiro mas imediatamente ele agarrou o elástico da minha bermuda e foi baixando a minha e a dele.
Senti aquele pauzão enorme e quente encostar na minha coxa de pele fria.
Rogério já não era mais virgem e conhecia os caminhos.
Ele me levou até seu quarto e me colocou de quatro na cama dele com os joelhos no chão e sem exitar cuspiu na mão e passou no meu cu. Ele tentou a primeira, a segunda e na terceira, quando a cabeça estava entrando, eu dei uma piscada com o cu e o pau dele escapou e passou entre minhas pernas.
Ele estava tão enlouquecido que bombou freneticamente rossando o pau entre minhas coxas, então pedi calma e disse a ele, ” abra minha munda q eu coloco ele na direção. E ele, como um bom menino, o fez. Então segurei aquela tora pela primeira vez. Me lembro como se fosse ontem. Uma rola firme, muito dura mesmo e grossa.
Acho q tinha entre 19 e 22 cm
As pessoas falam da dificuldade de dar o cu pela primeira vez mas não passei por isso.
Não doeu tanto, acho q consegui relaxar.
Segurei o pau dele encostando a cabeça no meio e ele foi forçando. Entre uma tentativa e outra ele escapava e corria entre minha pernas ou pra cima entre bunda e sempre que escapava ele esfregava aquela rola imensa em mim, até q conseguimos colocar aquela cabeçona pra dentro de mim.
Ao poucos ele foi forçando seu pau e depois da cabeça veio a parte mais dura, a parte da dor. Eu me segurei no gemido pois não queria q ele parasse e na minha cabeça só pensava, “agora q tô aqui eu vou até o fim”. Então soltando numa voz gemida eu pedia pra ele ir devagar, e quando ele parava de forçar ,querendo recuar, eu levava minhas mãos no quadril dele pra seguralo, até que metade entrou. Eu o ouvia cuspindo na mão e passando na borda do meu cu por cima e cuspi na minha passando por baixo. Parecíamos habituados a fazer isso. Estávamos a vontade ele e eu em seu quarto. Eu com uma rola que saiu da minha cabeça e agora estava no meu cu e ele com uma bundinha novinha em folha pra arrombar.
Ele continuou forçando a entrada e depois de algumas escorregadas pra dentro, ainda com atrito , senti sua virilha tocar minha bunda. Estranhando não estar sentindo dor e surpreso perguntei:
“Entrou???”
“Sim”
“TUDO???”
“SIM CARALHO”
E rimos baixinho, apesar de sozinhos, sabendo que o que estávamos fazendo era contra o normal e errado.
Rogério começou a bombar devagar soltando uns gemidos sussurrados e eu sentia algo completamente diferente.
Frio na barriga e uns espasmos leves no pau, como choques bem de leve. Eu piscava o cu naquela rola imensa e o Rogério bombava cada vez mais rápido.
Acabamos lubrificados por completo e as bombadas já estalavam nas minhas nádegas .
Ficamos assim por uns 3 minutos e com todo aquele melado, lubrificado e relaxado eu já conseguia sentir cada onda daquela rola entrando e saindo de mim. Porém ainda não entrava todo. Em cada bombada eu sentia um leve cutucão no limite do reto, e ele mesmo se movimentou e achou um lugar certinho. Senti a cabeça do pau dele entrando em outro nível em mim.
Agora eu sentia até os pelos dele roçando meu cu e quando eu abria a bunda ele forçava mais até o talo. Quando ele tirava mais um pouco voltavam as cutucadas e ele se ajeitava pra penetrar meu intestino denovo. Era um monstro
Depois de alguns minutos insanos, ele sentindo q iria gozar, me agarrou me envolvendo meu peito com um dos braços e o outro me masturbando.
Aquela sensação boa foi ficando melhor ainda, as bombadas dele mais frenéticas fazendo movimento como um cachorro comendo uma cadela, até q ele soltou um gemidão no meu ouvido fungando várias vzs e eu senti seu pau pulsando no meu cu mas ele tirou e jorrou a porra toda na minha bunda e costas. Inexperiente e preocupado com sujeira falei p ele, “não, tá doido cara”, mas ele pressionou minhas costas com a mão tipo, cala a boca e continuou o gozo, e se levantou em direção ao banheiro. Voltou com um rolo de papel e a porra escorria pela bunda e coxas. Era muita porra.
Eu não gozei pois em alguns momentos eu me preocupava se seria pego ali de surpresa e me desconcentrava, mas adorei dar pra ele.
Depois de me limpar ele tava sem graça e eu também, então fui pra casa.
No caminho de casa senti meu cu muito laceado, mas muito mesmo. Acho q se tivesse vontade de fazer o n°2 não dava pra segurar. Fiquei preocupado achando q ficaria assim pra sempre, arrombado mas ficou assim até o dia seguinte.
Chegando em casa passei pela minha mãe na lavanderia e entrei no banheiro pra ver o estrago. Passei um papel e nele saiu um pouco de sangue, o que também me deixou preocupado. Mas como vocês sabem não é nada de mais.
Depois de me recompor sai pra rua denovo e fui até um campo onde a turma soltava pipa e ele estava lá também. O clima entre a gente ficou estranho.
Dias depois eu estava trabalhando sozinho, juntando entulho numa construção, quando ele apareceu. Conversamos um pouco ali e ele me rodeou, talvez na esperança de eu tomar a iniciativa novamente, mas não rolou.
Com o tempo fomos nos afastando e a amizade acabou.
Nós encontramos três anos depois e eu namorava.
Subimos uma avenida longa conversando e sugeri irmos por uma estrada escura de caminho mais curto mas ele se negou. Acho q percebeu que eu tava na maldade e sei lá kkkk.
Adoro mulheres e mesmo casado tenho mais duas por fora, mas sempre me masturbo pensando naquele dia. Sexo com mulher é bom demais, mas dar gostoso pra um homem com pegada é outro nível.
Nunca mais dei pra outro, ele foi o único.
Recentemente nós adicionamos na rede socia e as vezes conversamos.
Ele mora com a mãe em uma cidade próxima e está solteiro .
Quem sabe vem por aí a segunda foda.
Vamos ver, eu quero 😉

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,28 de 18 votos)

Por # # #

5 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Saulo Batista

    Minha primeira vez foi com 16 anos e e bofe 14 anos foi muito bom
    Adorei seu conto continua

    • Gil

      O amigo e qual cidade

    • Alex

      Será q ele me comeria denovo?
      Tenho vergonha de tocar no assunto

    • Alex

      Gil, Sorocaba SP

  • Responder GAUCHO...

    Minha primeira experiencia foi com um amigo que me obrigou a chular ele…
    ADOREI