# # #

Iniciei a minha filha de 7 anos e o meu filho 11 anos!…

2746 palavras | 18 |4.37

Me chamo Marcos, tenho 36 anos, sou casado hà 10 anos com a Carla, uma mulher muito bonita e gostosa, loira, olhos claros, bunda grande, peitos grandes, coxas grossas é um avião.

Nós temos 2 filhos, uma linda menina de 7 anos, a Karina, ela é loirinha dos olhos claros, puxou a mãe, rsrs, e tem o Lucas, (Luquinhas), ele tem 11 anos, é um menino bonito e muito educado por nós.

Bom… O que eu vou contar agora aconteceu na semana passada…

Um dia eu tava tomando banho de boa, quando minha filha Karina de 7 anos entra no banheiro, eu que tava me me masturbando, não ouvi nem vi ela entrando, até que ela fala – Ele é bem grande papai. Eu me assustei na hora, e parei de me masturbar, quando vi ela, eu falei – É você filha?!. Ela sorrindo fala – Claro que sou eu papai, rsrs… Posso entrar aí?. Eu – Quer tomar banho comigo?. Ela – Quero!. Eu – Tira a roupa então.

Minha filha começou a se despir, quando tava toda peladinha entrou no box e ficou tomando banho comigo. Tava tudo indo muito tranquilo, até que a minha filha, que era bastante curiosa, levou a sua mãozinha até o meu pau, que tava mole já, mas depois que ela colocou sua mão nele, ele começou a ficar duro de novo. Quando eu percebi minha filha havia iniciada uma punheta bem de leve, aí ela falou – Por quê você tava fazendo isso papai?.

Eu nada falava, pois tava paralisado por aquela imagem de minha pequena Karina de 7 aninhos me masturbando carinhosamente, aí eu falei – Era carinho filha. Ela – Posso fazer?. Eu queria falar que não, pois era errado deixar ela fazer aquilo, mas o meu tesão falou mais alto, e em meio a gemidos eu falei – Po… Humm… Pode sim minha anjinha.

Minha filhinha ficou me masturbando por uns 2 minutos, e tava muito bom, só que quando eu tava perto de gozar ela parou de me masturbar, mas não largou a mão do meu pau. Aí ela falou algo que me deixou um pouquinho espantado, ela olhou pra mim e disse – Papai… Será que ele cabe aqui? (Falou apontando pra sua bucetinha).

Eu fiquei uns 10 segundos mudo e pensando “ela perguntou isso mesmo?”, aí eu falei – Por quê você quer saber disso filha?… Já viu o papai e a mamãe brincando disso?. Ela sorriu timidamente e falou – Não… Ontem vi meu primo fazendo isso com a irmã dele!. Eu – SÉRIO?. Ela – Aham. Eu – E você quer fazer aquilo também?. Ela – Sim… Foi por isso que perguntei se o teu negócio cabia aqui. (Apontou pra sua bucetinha de novo). Eu – Por quê quer fazer isso filha?. Ela – Não sei… Mas quero fazer.

Eu já tava ficando super excitado e querendo dizer sim, pois logo me subiu uma vontade louca de transar com minha pequena, que a todo momento dizia “cabe papai?”, “ele cabe aqui?”, aí eu falei – Não!… O pau do papai não cabe na tua ppkinha. Ela – Pau? Ppkinha? Quê isso papai?. Aí eu segurei meu pau e falei – Esse é o pau do papai e essa é a tua ppkinha! (falei apontando pra bucetinha dela).

Aí ela fez carinha de triste e cruzou os braços, aí falou – Por quê o teu pau não cabe na minha ppkinha papai?. Eu – Porquê você é criança ainda… Não tá preparada pra brincar disso. Ela – Mas eu quero brincar. Eu – Eu sei filha, mas o pau do papai é grande e se a gente brincar, você pode se machucar… Entendeu porquê a gente não pode brincar?. Ela – Entendi. Eu com um pouco de pena de ver ela triste falei – Olha filha… Você não pode brincar disso comigo, mas pode brincar com seu irmão.

Nesse momento minha filha abriu um sorriso lindíssimo e falou – Posso papai?. Eu – Aham… O pau dele e pequeno. Ela – Ela – E cabe na minha ppkinha?. Eu – Acho que sim… Já viu teu irmão pelado não viu?. Ela – Já, mas nunca olhei pro pau dele, rsrs. Eu – Nunca mesmo?. Ela – Não papai. Eu – Ele tá em casa?. Ela – Aham, tá no quarto jogando video-game!… Por quê?. Eu – Chama ele pra vir aqui. Ela – Pra fazer o que papai?. Eu – Pra você ver que o pau dele é pequeno. Ela – Entendi.

Aí ela saiu do banho e foi chamar o irmão, uns 2 minutos depois eles entraram, aí eu os chamei pra tomar banho comigo, meu filho ficou meio tímido, pois nós 3 nunca tínhamos tomado banho juntos, mas ele veio mesmo assim.

Com nós 3 no box juntos eu falei – Tá vendo filha… O pau do teu irmão e menor que o do papai. Ela – Tô vendo sim, rsrs. Meu filho – É nada. Eu – Relaxa filhão quando tu for mais velho, teu pau vai ficar maior que o meu, rsrs. Ele – Verdade?. Eu – Aham… Filha faz com ele o que você fez no papai. Ela – Carinho no pau dele?. Eu – Aham.

Aí meu filho fez cara de quem não tava entendendo nada e falou – Que carinho pai?. Eu – Você já vai ver. Minha filha – Mas o pau dele tá mole papai. Eu – Fica apertando ele, mas bem de leve se não vai machucar teu irmão. Ela tá.

Aí minha filha começou apertar e alisar o pau do irmão, que logo tava todo durinho, e até que ele era bem grandinho, mas era fino, então não machucaria minha filha. Aí minha filha começou a masturbar o irmão, igual fez comigo, aí eu comecei a me masturbar também.

Um tempo depois minha filha falou – Ele cabe na minha ppkinha papai?. Eu – Acho que sim… Se você brincar com ele, não vai se machucar. Ela sorrindo diz – A gente pode brincar agora?. Eu – Pode… Mas espera eu sair do banho… Vão pro meu quarto na minha frente… Eu vou daqui a pouco… Não comecem sem mim tá?. Minha filha – Tá bom papai… Mas não demora tá. Meu filho sem entender nada fala – Brincar de quê K? (Ele chama a irmã assim). Eu – Você vai ver filho, eu já tô indo!.

Aí eles foram pro meu quarto, enquanto isso fiquei 2 minutos pensando “devo, ou não devo fazer isso?”, “não é errado? eles são 2 crianças só”. Mesmo com essa dúvida na cabeça eu fui pro meu quarto, e fui pelado mesmo, pois estávamos só eu e meus filhos em casa.

Quando chego no quarto encontro os 2 deitados em minha cama, um do lado do outro, e com minha filha já masturbando o irmão, aí eu falei – O que eu disse hein?… Falei pra não começar sem mim, rsrs. Minha filha – Desculpa papai.

Aí ela arregalou os olhos e ficou rindo quando viu meu pau balançando enquanto andava até eles, aí eu sentei na cama na frente dos 2 e falei – Pode continuar fazendo carinho nele filha. Minha filha então continuou masturbando seu irmão, aí eu falei – Filho porquê não faz carinho na tua irmã também. Ele – Como pai?. Eu – Coloca tua mão na bucetinha dela e fica alisando ela. Ele levou sua mão até a bucetinha da irmã alisou ela e falou – Assim?. Eu – Aham… Mas faz devagarinho.

Um tempo depois eu comecei a me masturbar enquanto assistia meus filhos masturbando um ao outro, aí eu falei – Filha, agora você vai ter que chupar o pau do teu irmão tá. Ela – Por quê?. Eu – Porquê vai ficar mais fácil pro teu irmão colocar o pau dele na tua ppkinha. Ela – Entendi… Mas como eu faço isso?. Eu – Finge que tá chupando um pirulito… É igualzinho. Ela – Tá bom. Eu – Mas faz bem devagarinho e tem que deixar ele babadinho tá, rsrs. Ela – Tá bom papai.

Aí eu ajeitei minha filha de 7 anos entre as pernas do meu filho de 11 e falei pra ela chupar, logo ela começou a chupar o irmão, que tava ofegante e soltava uns gemidinhos bem baixinhos.

Um tempo depois eu falei pra ela parar, que já tava bom, aí eu fiz ela deitar ao lado do irmão, em seguida abri as pernas dela. Aí fiz o meu filho se posicionar no meio da pernas da irmã, em seguida eu posicionei seu pau na entradinha da bucetinha de minha filha e falei pra ele enfiar.

Aí ele começou a enfiar, mas foi rápido, fazendo a irmã fazer cara de dor, aí eu falei – Devagar filho… Tá vendo o rosto da sua irmã… Ela tá sentindo dor… Então enfia bem devagarinho tá. Ele – Desculpa irmã. Minha filha ainda com cara de dor fala – Tudo bem irmão. Eu – Vai de novo. Ele – Tá… Vou devagar agora pai.

Ele então continuou enfiando, mas ainda tava rápido, aí eu falei – Levanta filho… Vamos tentar de outro jeito. Ele – Que jeito pai?. Eu – Você deita que sua irmã vai montar em você… É mais fácil pra ela. Aí meu filho deitou na cama, em seguida fiz minha filha ficar meio que de joelhos bem em cima do pau do irmão, em seguida ergui o leve corpinho de minha filha.

Depois eu peguei no pau do meu filho, que tava bastante meladinho, aí eu coloquei o pau do meu filho na entradinha da bucetinha de minha filha e falei – Filha… Agora você vai ter que descer… Mas desce bem devagarinho filha… Se doer, você para… Aí continua quando a dor parar. Ela – Vai doer papai?. Eu – Um pouquinho… Mas a dor vai embora logo.

Aí minha filha começou a descer, e quando quase metade do pau do irmão tava dentro, ela parou e disse – Tá doendo papai. Eu – Fica paradinha por um tempinho. Aí eu cuspi na minha mão e passei envolta do pau do meu filho, em seguida eu falei – Continua filha. Aí ela continuou, mas parou novamente e falou – Não dá pai, tá doendo. Eu – Você quer parar de brincar?. Ela – Não!. Eu – Então continua filha… Se você conseguir, eu te dou aquele brinquedo que você quer?. Ela – Jura?. Eu – Aham… Eu compro amanhã de manhã.

Quando falei aquilo, minha filha abriu um sorriso bem sapekinha e desceu de uma só vez, eu sabia que ela queria muito aquele tal brinquedo, só não sabia que queria tanto assim a ponto de fazer o que fez. Logo que o pau do meu filho tava todo dentro da bucetinha de minha filha, ela começou a gemer bem alto, e até chorava um pouquinho. Logo vi um pouquinho de sangue escorrendo no pau do meu filho, minha pequena Karina agora era uma mulher já, uma mulher de 7 aninhos de idade, rsrs.

Depois que minha filhota perdeu sua virgindade junto com seu irmão, ela ficou um tempão parada, gemendo bastante e tremendo igual uma vara no vendaval, aí eu falei – Abraça seu irmão filha… Fica abraçadinha nele até a dor ir embora… Enquanto isso vou fazer carinho em você tá?. Ela meio gemendo diz – Ahããnn.

Aí eu fiquei de joelhos atrás da minha e comecei e esfregar meu pau na entradinha do cuzinho dela, aí falei – Fica paradinha tá… Filho faz carinho no rosto de sua irmã… Pra fazer a dor ir embora mais rápido. Ele – Tá bom pai.

Eu só falei aquilo pra que quando eles fossem mais velho, tipo ele 14 anos e ala 10 anos, se eles ainda fizerem essa “brincadeira”, quero que meu filho seja carinhoso com a irmã, rsrs.

Bom… Depois de uns 20 minutos parada em cima do irmão, minha filha ainda ofegante diz – Papai… A dor foi embora… E agora… O que eu faço?. Eu – Bom… Agora você vai cavalgar, rsrs. Ela – Cavalgar?. Eu – É… Lembra daquela vez que fomos pro sítio do teu tio?. Ela – Sim papai.

Aí eu sentei bem do lado dela levei minha mão ao rosto dela e falei – Lembra quando você montou no cavalo e que você ficava quicando em cima dele?. Aí ela sorriu e falou – Aham… Aquilo fazia coçegas na minha ppkinha, rsrs. Eu – Sério?. Ela – Aham, rsrs. Eu – Então… É só ficar fazendo igual naquele dia… Subindo e descendo… É bem fácil. Ela – Subindo e descendo?. Eu – É! Mas vai devagarinho tá. Ela – Tá bem papai.

Logo minha filha começou a cavalgar no irmão, ficou subindo e descendo bem devagarinho, como eu havia lhe pedido para fazer. Ali, naquele exato momento, assistindo meus filhos terem a sua primeira relação sexual juntos e naquela idade, eu reparei no quão excitante e maravilhoso estava sendo aquele dia.

Meus filhos ficaram naquela fodinha, rsrs, por no máximo 5 minutos, logo se cansaram e minha filha abraçou o irmão, ambos estavam bastante suados e ofegantes. Elea ficaram abraçados por mais de 1 hora, estavam extremamente exaustos, muito cansadinhos, em seguida levei eles pro banho.

Lá eu dei um banho longo e cuidadoso nos 2, principalmente na Karina, pois ela estava dolorida, e sua bucetinha tava avermelhada. Depois do banho os levei pro meu quarto e deixei eles deitados na minha cama, onde dormiram quase que no mesmo instante em que eu os deitei na cama.

Depois que meus dois filhos perderam a virgindade juntos, nós ficamos por 1 semana sem brincar, pois minha filha se queixava de dores, mesmo assim a gente continuava brincando. Nos banhos eu pedia pra ela chupar meu pau igual chupou o irmão e ela me chupava, e ontem eu chupei ela pela primeira vez, a danadinha obviamente gostou e muito, rsrs.

Nesse meio tempo minha esposa chegou a me perguntar o porquê de nossa filha estar sentindo doer na região da bucetinha, eu falei que ela tinha se machucado andando de bicicleta e ela acreditou, rsrs.

No dia de hoje eles brincaram pela segunda vez, e foi super tranquilo e fácil pra eles, os 2 safadinhos ficaram brincando de sexo por mais de 1 hora sem parar, rsrs, isso por que nenhum deles goza ainda, rsrs.

No começo minha filha chupou o irmão um pouco, em seguida fizeram, com minha ajuda claro, um lindo papai mamãe, rsrs. Em seguida, fiz minha pequena ficar de 4 com meu filho, meio que de jielhos atrás dela, e por fim minha filha ficou um bom tempo cavalgando no irmão.

Confesso que aquela cena dos meus 2 filhos, que são crianças ainda, fazendo seu sexo, me alegrou bastente, talvez não como pai, mais me deixou feliz, porquê eu via o quão felizes eles ficam ao “brincar” de sexo, rsrs. E enquanto meus filhos brincavam, eu ficava me masturbando, e nessa 1 hora, eu gozei umas 3 vezes, deixei meus dois filhos completamente melados com meu leite, rsrs.

No momento que estou escrevendo isso são 17h30, os 2 estão deitados em minha cama, descansado, pois brincaram muito nessa tarde, rsrs. Mais tarde quando eu for levar a minha filha pra sua cama, eu vou a chupar sua bucetinha um pouquinho, pois ela gostou tanto que pediu pra eu chupar de novo, rsrs.

Eu ainda não penetrei meu pau nela, acho que vou esparar até ela fazer uns 7/8 anos, sei que agora que ela não é mais virgem não vai ser tão difícil. Mesmo assim vou esperar, até porquê eu, sem querer me gabar, tenho um pau grande, (17 cm), e é grosso também.

Além disso a bucetinha da minha filha é muito pequena e nunca aguentaria o meu pau, mesmo que ele fosse menor. Então eu vou esperar, porquê essas horas exigem paciência.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,37 de 51 votos)

# # #

18 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder valeria

    achei meio exagerado esse conto mais foi bem excitante eu e meu marido temos uma filha de 6 anos e adoramos transar juntos nao vejo a hora de ver o pai dela colocando aquela rola enorme na buceta dela.

    • Wil

      Delícia

    • Jack

      Que delícia, se eu pudesse iniciaria ela pra vocês. De maneira pedagógica iria conquistando a confiança dela e pouco a pouco ensinando o prazer do sexo, em pouco tempo estaria metendo nela. Imagine você observando ela com a calcinha de lado cavalgando num cacete, eu iria meter gostoso até gozar bem fundo, deixaria vocês chuparem eu e ela enquanto fodiamos…
      [email protected]

    • Jr

      Um que delicia adoraria ter uma filha

    • Robson Moreno

      Eita… Me conta suas aventuras

  • Responder Irmão Estrupador

    Com 7 anos já puta isso é muito gostoso

  • Responder piroca gostosa

    Gostei do conto, só acho que ele é um parte verdade e uma parte mentira. A verdade é que meninas nessa idade já querem transar, e é melhor fazer com alguém da família do que na rua com desconhecidos. Eu por acaso transei e até engravidei minha prima com 15 anos.
    Hoje como as nossas filhas uma 5 e a outra 10 anos.

  • Responder paulista

    Cara continua ta otimo!

  • Responder Chicão

    Eu divido os contos em duas categorias: aqueles que tem uma conexao com a realidade. Que podem ser reais ou nao.. e aqueles contos totalmente desconectados, pura viagem de gente maluca, que diz que tem uma rola de 20 cm e meteu no cu virgem da menina de 7 anos e ela gostou…kkk Realmente este tipo de fantasia corta totalmente o tesao pq vc fica pensando em quantoo autor é otário e acha q voce é otario tambem.. nestes casos o melhor é parar e ler outro.

  • Responder Zckr

    Glenda e Fábio, o nome do site e CONTOS eroticos cnn… Nem sempre vai ser histórias reais, pra falar a vdd, acredito de 90% dos contos no site seja ficção. Como o sousafadenho disse, apenas bata sua punheta/suririca e pule pro próximo.

  • Responder SouSafadenho

    Eu não sei o que eu amo mais, o povo que fica nervoso com conto ou os que ficam julgando se é real ou não.
    Só bata uma e parta pra outra, parem de levar tudo muito a sério.

  • Responder Paulo

    Estou com tesão de cavalo

  • Responder Glenda

    Viajou !
    Pelos diálogos, percebe-se que se trata de ficção.
    Com 7a, eu não falava nada, só ouvia o que o meu padrinho falava, e atendia seus pedidos.
    Era ele quem me dava banho, e me botava pra dormir. Nessa época, eu já dormia na cama dele.
    Assim que deitava, começava me bolinar, e logo já estávamos fazendo um 69(ele me ensinou o termo). Ele tentava me penetrar, doía demais, eu reclamava, pedia pra ele parar. Ele desistia.
    Só veio consumar o ato, quando eu estava perto de completar 9a. Eu estava bem desenvolvida. Os seios já despontavam, e os pelos na região pubiana, começavam surgir. Lembro que ele me levou pra pescar, depois fomos num parque aquático, e no fim da tarde, lanchamos no Shopping Villa Lobos. A noite ele pediu pizza e comprou sorvetes.
    Quando acabou o Fantástico, fomos tomar banho, e ele nem me enxugou naquele dia. Fomos direto pra cama. Estávamos nos beijando, na clássica papai-mamãe, quando senti ele pincelando a rola na minha buceta, posicionou, e deu uma estocada só. Não deu nem pra gritar dor, porque ele abafou meu grito com um beijo. Desde então, meu padrinho me fez sua mulher. E fui por 16 anos.

    • fabio

      e verdade Glenda parei de ler na ora quando li papai ele e grande ai stop agora seu pouco relato tem mais coerente

    • vander

      queria ter uma menininha para amar

    • KAWAN

      Ki lindo Glenda…

  • Responder Sem

    17 centímetros não é grande. É média

    • euha

      a média é 14