# # #

reencontro com o primo -parte 4

780 palavras | 2 |4.00
Por

Meu primo deixou de comer, minha mulher virou puta e eu queria foder mais

……
Depois de meu primo deixou de me comer, e minha mulher estar metendo com muitos homens na rua, fiquei meio na mão. Já não transava tanto com ela. Ela chegava quase sempre muito cansada.
As vezes eu já estava dormindo. Não tinha coragem de conversar com ela sobre isso. Ela as vezes me comia com um consolo, me colocava calcinhas, mas acho que ela gostava mesmo é de caralho bem duro na buceta e no cu. Perdi totalmente a autoridade.
Então comecei a procurar outras formas de trepar. Não tinha coragem de sair casando homens, não queria comer mulher. Então tentei novamente pegar um travesti.
Já tinha tido uma experiência com travesti quando era noivo(já contei aqui, quando fui comido e assaltado por uma travesti bem feminina); procurei nos jornais e achei uma travesti aqui perto da Av. Assis Brasil (Porto Alegre). Cheguei no apto. , fui recebido pela travesti que me disse que os quartos estavam ocupados, mas podíamos ir no banheiro. Fomos , eu estava bem nervoso.
Ela mandou eu baixar as calcas , pegou no meu pau com uma mão e com a outra pegou no seu.
Claro que o dela ficou duro muito mais rápido, então ela me virou , alisou meu rego, cuspiu no cu e foi logo me comendo. Doía um pouco e meu pau nem conseguia endurecer. Ela bombeou um pouco e eu disse que estava bom. Paguei e fui embora. Não era exatamente o que estava procurando. Dar assim de pé no banheiro. Achei que o clima não estava legal e fui embora.
Algumas semanas depois achei um anuncio que me interessou. Uma travesti novinha bem mignon que se chamava Mel. Fui até lá e era no mesmo apto que eu tinha ido. Fui recebido por ela e fomos para o quarto, quando estávamos sentados na cama a travesti que tinha me comido no banheiro chegou e foi metendo bronca:
——-Tu vai fazer com ela? Tu é meu cliente. Tu tem que me pagar.
Rolou um discussão eu disse que poderia fazer com as duas ou pagar ela também. Mas o clima ficou mais tenso. Ela me xingou muito e disse que se não fizesse com ela não faria com ninguém. Resumindo, Tive que dar todo o meu dinheiro para ela e ainda levei um tapa na cara. Saí correndo de lá . Nem esperei o elevador(eram 5 andares) desci pela escada correndo, por azar ainda torci o pé pulando os degraus.
Fiquei com muito medo e não sai mais com travestis por um bom tempo.
Pelo meu trabalho comecei a viajar para São Paulo com regularidade. Então descobri os cinemas da republica. Lá era bem mais tranquilo. Sem medo de encontrar conhecidos e num lugar onde todos queriam a mesma coisa. Sentava lá , tirava o pau para fora , me punhetiava e logo aparecia alguém para pegar no meu pau, baixava mais as calcas e quase sempre eles acabavam escorregando os dedos para meu cuzinho. As gozava na boca deles com um dedo no meu cu. Ou az vezes ia ao banheiro e dava a bundinha de boa.
Fui ficando mais ousado e comecei a comprar calcinhas e ir ao cinema de calcinha bem sexy.
Mas nem todos gostavam, as dava as vezes não.
Descobri algumas saunas também, onde podia ficar pelado e exibir minha bundinha branca.
Assim era bem mais fácil de ser comido. Depois a sauna da São João fechou, então descobri um cinema cheio de travestis. Foi minha perdição. Comprava uma calcinha sexy, colocava um calção de de futebol e ia me sentava para ver um pornô. Não demora muito aparecia uma travesti colocando a mão no meu pau. Eu já mais liberado colocava a mão no pau delas e perguntava:
——Isso funciona? Quando diziam que sim íamos ao banheiro e elas metiam em mim com vontade.
Quase todas tinham um pau grande e que ficava duro em instantes . As vezes deixava as calcinha de presente para ultima que me comia. Sim por por que as vezes pegava 2 ou 3 por noite.
Os travestis eram melhor que os homens do cinema, pois estavam sempre de pau duro e sempre prontos para comer. Me sentia uma putinha. Fazia uma turnê pelos cinemas da Republica.
As vezes consegui dar no cinema antes de ir dar no cinema das travestis.
Assim fui me virando , mas em Porto Alegre não tem cinemas assim. Por isso até hoje adoro ir para SP, mesmo que seja sempre somente uma noite.
Meu email : [email protected]

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,00 de 4 votos)

Por # # #

2 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Vantuil OB

    Fraco. Estragou o conto

    • boneco

      Não é conto . Aconteceu de verdade.