# #

Desempregado acabei arrumando um serviço que mudou a minha vida

1735 palavras | 7 |4.70

Bem o que vou compartilhar e uma historia realmente verídica, já alguns anos atrás, eu casado acabei ficando desempregado, minha esposa uma mulher bonita, estava estudando para se formar professora, fiquei numa situação difícil, de custear as despesas da casa e ainda manter ela na faculdade, ate que um amigo me apresentou um pequeno comerciante um senhor na época tinha uns 60 anos, um Libanês, que me ofereceu um emprego de balconista na loja dele, eu era na época um rapaz muito bem apresentado, bem desinibido, comunicativo, e um corpo bem sarado, bonito modesta a parte, uma bunda redondinha, eu aceitei e claro, tinha um salário e comissões, não era aquilo que eu queria mais era o que tinha para o momento, comecei a trabalhar, acabei fazendo uma amizade com o Jamil, o nome dele, e fui modificando o estilo de loja dele, modernizando, o o movimento foi crescendo e meu salario também, já no ultimo ano de estudo da minha esposa ela iria se formar, um dia fizemos uma compra grande de mercadorias na loja só eu e o Jamil, nos fundos tinha uma casa com quarto Sala, banheiro, tudo arrumadinho, o quarto com cama de casal, eu tive que fazer uma arrumação na sala e transforma-la em deposito, passei a tarde limpando e arrumando, nos fechávamos a loja as 18 horas, me perdi no horário, quando dei conta o Jamil já havia fechado a loja, e estava na sala, disse que iria tomar um banho, eu também estava precisado de um banho, quando ele tirou a roupa nossa não acreditei, o Jamil mostrou uma rola grossa cabeçuda, uma cabeça que parecia um cogumelo gigante, não era tão grande uns 18 cm, mais muito grosso mesmo, sinceramente não acredite no que eu estava sentindo, fiquei excitado, ele então disse pode vir tomar banho, eu fui ele estava na pia do banheiro, se afastou eu tive que passar entre ele e a pia, senti a pica dele esfregar na minha bunda, o chuveiro não tinha box era aberto eu com a bunda virada para ele notei que ele estava de rola dura, tomei meu banho, quando fui sair ele ainda estava ali fui passar ele me segurou, com a pica no meio da minha pernas disse vamos ali no quarto brincar um pouquinho, sem brincadeira não tive forças para sair fora, ele me arrastou para a cama, lá já tinha vaselina, ele começou chupando meu cu, nossa que sensação maravilhosa, relaxei, ele com muita calma foi tentando, eu gemendo, ai, ai, devagar, tira tira, pedia para ele tirar que estava doendo, ate que ele meteu tudo e gozou no meu cu, nossa eu gozei que nem louco sem nem bater punheta, parecia que estava gozando pelo cu mesmo, foi muito bom, apesar de ficar com o cu doendo, fomos embora.

No dia seguinte nada foi comentando o dia todo, ate a hora de fechar, que ele novamente pediu para irmos nos fundos, e eu topei, e assim estávamos fodendo todas as noites quando dava e claro.

Depois de um tempo aos Sábado na parte da tarde a gente costumava tomar umas, ele adorava Uísque, eu minha cervejinha, e beliscávamos algumas coisas, pizza, aperitivo, já tínhamos uma certa intimidade, eu me abri com ele que minha esposa estaria se formando no final do ano e eu não sei como vou comprar o anel de formatura, e a festa, e em conversa ele que já havia visto ela, ela era é muito bonita ate hoje, uma bunda maravilhosa, umas pernas linda, muito gostosa, loira, baixinha, o Jamil na maior cara de pau disse convida sua esposa para vir aqui no horário de fechar beber umas conosco, quem sabe eu dou o anel, eu respondi tu e louco, se eu comentar isso com ela e separação, ele disse as vezes não, aquilo ficou na minha cabeça, e o pior que eu pensava no assunto e ficava excitado, um dia acabei conversando com ela sobre o Jamil, ela me disse que ele era um coroa charmoso, na verdade ele era mais ou menos como o Valmor Chagas, um ator grisalho que tinha na época, e comecei a falar que ele tem uma rola grossa, comecei a elogiar ele, e disse a ela que todos os Sábados a gente costuma beber uma geladinhas no fechar da loja, ela então perguntou se ela poderia ir participar, eu respondi poder ate pode mais vai que ele te cantar e querer meter com você, ela me respondeu tudo depende de você, se você deixar quem sabe, eu então disse a ela só que ele e vidrado num cuzinho, e você não vai aguentar a rola dele e muito grossa, ela respondeu nas primeiras vezes vai se difícil mais depois acostuma, transamos gostoso, e acabamos dormindo.

Quando foi o Sábado no almoço ela perguntou então posso ir lá a noite, eu disse tudo bem, vai lá pela 17 horas, fiquei muito apreensivo, no que iria acontecer , acabei comentando com ele que minha esposa viria a noite, nossa o Turco já ficou de rola dura, quando foi as 17 horas aparece minha esposa nossa linda, produzida, uma sainha curta, salto alto uma blusinha bem a vontade, nossa fiquei ate enciumado, mais aguentei firme, apresentei os dois, e começamos a beber, pedimos um frango a passarinho, quando foi 18 horas comecei a fechar, a loja, os dois ficaram nos fundos da loja conversando, quando terminei os dois já não estavam mais ali, já haviam entrado, eu fui devagarzinho comecei escutar ela gemendo, ele chupando a boceta dela,, escutei quando ela falou vem aqui vem, mete este pauzão aqui vem , ele começo a meter,. nossa ela gemia, pedia devagar, caralho que rola grossa, isso me arromba, e ele socava, ele beijava ela na boca, eu gozei na punheta, notei que ela já havia gozado umas três vezes, ate que ele disse eu vou gozar, ela respondeu isso goza ai dentro goza, ele encheu a boceta dela de porra, ficou em cima um instante , eu cheguei perto ele tirou o pau de dentro eu cai de boca chupando aquilo tudo melado, ele saiu foi se lavar, eu chupei a boceta dela, deixei ela limpinha, perguntei se ela havia gostado, ela respondeu que adorou, eu perguntei tu vai querer dar o cu para ele, ela respondeu que sim, o turcão chegou, eu avirei de bunda para cima, comecei chupando a rola dele e sai fora, deixando os dois sozinho, ele passou vaselina, ela dizia vai devagar sua rola e muito cabeçuda, ele com muita calma foi introduzindo, aquilo tudo dentro, ela gemia, pedia para ele tirar, ele tirava e socava de novo, ela gritava de dor e prazer, o Turco bombeava forte ela foi se levantando ficando de quatro, na beirada da cama, e o Turco fora da cama, tirava a rola toda para fora e mandava tudo para dentro, ela gritava isso caralho me arromba, me arromba, todinha, caralho, caro gozar com esta rola no meu cu, vai mete, ele fazia um vai e vem acelerado, tirando tudo para fora e metia tudo ate os dois caírem no gozo, ele ficou bem uns dez minutos com a rola dentro do cu dela, levantou eu fui e acabei gozando na boca dela, nossa que delicia foi maravilhoso, saímos e fomos comer um pizza e tomar umas cervejas nos três.

E assim ficamos nos três todos os Sábado íamos para a loja para foder gostoso, tinha dias de semana que o Turco ia em casa para meter com ela, passamos um bom tempo fodendo gostoso.

Com tudo isso minha esposa ficou um putinha, um Sábado estávamos bebendo, quando fui fechar a loja, eles já entraram para os fundos, estava quase fechando entra um sobrinho do Turco, um rapaz de seus 26 anos, médico, perguntando pelo tio, eu disse que ele estava ocupado, e falei espera que eu vou falar com ele, fui e disse para os dois olha sujou, seu sobrinho esta ai quer falar com você, e vai entrar aqui, ele não queria parar, minha esposa também cheia de tesão disse não atrapalha, eu disse se ele entrar ele vai querer meter também, ela respondeu que meta, estamos aqui para foder mesmo, voltei lá e abri o jogo com ele, eu disse tem uma mulher metendo com ele, ele disse eu quero ver, entramos eu já fui tirando a roupa fiquei pelado, ele vendo acabou ficando também, e deu para ver que o cara e mais avantajado do que o tio, tinha 22 cm, de rola grossa, eu fui pegar a rola dele ele disse da uma chupadinha eu cai de boca, a gente vendo os dois metendo, e eu chupando a rola dele, nisso o Turco gozou, foi para o banheiro, minha esposa disse vem mete esta rola aqui, o Alex foi e meteu tudo, nossa minha esposa gritava isso caralho mete fundo, que delicia, o Alex gozou, eu cai de boca chupando a boceta dela, o turco veio ela virou ele começou a meter no cu dela, nossa como ela rebolava na pica dela, e dizia isso tira tudo e põe tudo, o Alex veio e já estava de rola dura, eu como não querer nada já tinha passado uma vaselina no cu, me posicionei de quatro ao lado da minha esposa ele entendeu veio e começou a penetrar no meu cu, caralho, nos dois de quatro sendo enrabado, eu beijava ela na boca, ela dizia isso seu corno, além de corno também e veado,. e gozamos os quatros , que delicia, o Alex foi embora e nos três eu minha esposa e o Turco fomos tomar cerveja e comer pizza.

E assim com isso consegui o anel de formatura, a festa, e uma ajuda para trocar de casa, ficamos nessa situação bem uns 10 anos, na verdade só paramos mesmo pelo falecimento do meu grande amigo, que ate hoje nos faz muita falta, foi os melhores dias da nossa vida.

Depois tivemos mais algumas aventuras que contarei numa próxima vrz.

Espero que tenha gostado.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,70 de 10 votos)

# #

7 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Jorge Elias

    Hum. Que conto delicioso. Assim que eu queria fazer com minha esposa. Quero ver o cara meter nela e depois me mandar chupar a rola e deixar limpinha

    • pn

      se quiser estou aqui

    • Comedor de Fortaleza

      Eu queria muito pode ajudar vc, meu amigo!

    • Comedor de Fortaleza

      [email protected] se tiver alguém de Fortaleza, estamos aí.

  • Responder W.G.

    Esse conto é muito velho..

    • Casado

      Meu skype live:.cid.3a7eb04bcfc49b88

  • Responder Beto e filha

    Vamos conversa [email protected]