# # #

Minha esposa gostosa e o aluno rebelde. Parte 3

4068 palavras | 16 |4.69
Por

Olá, pessoal! Darei continuidade a essa história que marcou e ainda marca a minha vida. Vocês não perdem pela espera. Essa parte será um pouco menor, pois preciso ordenar de forma cronológica, mas por favor, não deixem de ler e fazer comentários construtivos, pois preciso da opinião de vocês. Continuando…
Eu sabia que caso minha esposa desse espaço, aquele moleque ia entrar de sola. Eu por enquanto só ficava como expectador. Não poderia dar uma investida errada, mas poderia tentar sondar alguma coisa despretensiosamente. Ainda naquela semana, de forma corriqueira eu perguntei pra Renata:

– E aquele aluno problemático, amor?

– Qual?

– Um que você estava ajudando em aulas de reforço. Você nunca mais falou nada.

– Ah, ele ta se comportando melhor. Acho que ele entendeu como funcionam as coisas. Às vezes essas pessoas so precisam do incentivo certo.

Eu não sei se ela falava aquilo com segundas intenções, mas soava muito estranho. É claro que na cabeça dela eu não sabia de nada. Continuei simulando:

– E ele mora onde?

– Na Cidade Estrutural. Ele vai de ônibus todo dia, coitado.

Essa tal Cidade Estrutural é bem barra pesada. A criminalidade é bem alta e muita gente perigosa mora lá. É como se fosse realmente uma favela. Sinal de que o garoto realmente não possuía muitos recursos. Eu continuei a conversa:

– E você vai ficar acompanhando até quando esse garoto?

– Ah, amor… Não sei. Talvez o ano todo

Nós ainda estávamos no começo do ano. Isso me preocupou, pois além das aulas no período matutino onde os dois se viam, havia o período vespertino, que era bem pior, pois os dois ficavam sozinhos em uma sala. A semana passou e eu sempre de olho nas conversas da Renata. Comecei a perceber que todos os dias o garoto mandava um bom dia ou boa tarde seguida de uma foto que ele tirava de si mesmo. Renata sempre respondia com texto até que um dia ele disse:

– Poxa prof, sempre mando uma foto pra você! Manda uma também.

– Pra que?

– Ah… Só pra corresponder… É só uma brincadeira.

– Eu não… Depois você manda essas fotos pra alguém… Vai saber…

– Nossa, professora… Nem confia em mim neh. Eu jamais faria uma coisa dessas. Você é minha única amiga nessa escola. Lá todo mundo me rejeita. Eu só tenho você pra conversar.

Ele tentava se aproveitar fazendo chantagem emocional com minha esposa. Ele se mostrava um garoto muito esperto. E aparentemente funcionou, pois na hora a Renata mandou uma foto. Só mostrando a cabeça, sem revelar nada do corpo. E isso continuou por semanas. Sempre que Renata mandava uma foto ele fazia um elogio exagerado sobre a foto. Coisas como “nossa que sorriso lindo”, “que biquinho lindo!”. Isso enchia a vaidade de Renata, que, como eu já disse, é muito mimada e adora ser bajulada. Com o tempo ele foi ganhando a confiança dela até que algumas semanas depois eu notei uma mudança no comportamento do garoto. Ele começou a mandar foto de corpo inteiro e muitas vezes sem camiseta. Não demorou muito e ele entrou mais um pouco:

– Viu aí prof como eu to malhando. Barriguinha tanquinho e tudo!

– Você se acha neh Thiago. Abaixa a bola kkkkkkkkkk…

– Hahahaha… Você fala isso porque não sabe como é difícil academia.

– Claro que eu sei. Eu também malho, meu filho. ou acha que isso aqui é só genética?

– Ah eu nem sei… Nunca parei pra reparar.

– Tem certeza?

– Ah, prof. Já que você falou, fiquei curioso. Manda uma foto de corpo inteiro. Afinal você nunca mandou.

Minha esposa demorou um pouco pra responder. Uns minutos depois, quando eu achava que ela já tinha ignorado o pedido eu vejo uma foto carregando. Era ela no banheiro da escola em frente ao espelho. Ele estava com uma calça jeans torando. Além do mais, ela fez uma pose meio de lado pra enaltecer seu maior atributo: a bunda. Era bem provocativo. Thiago comentou:

– Caraca, vou querer uma dessas todos os dias kkkkkkkk

– kkkkkkkkkkkkkkk

A conversa ficou nisso mesmo, mas houve uma mudança significativa. Todas as vezes que ele mandava uma de corpo ela também mandava. Não pude deixar de perceber que aos poucos, as poses de Renata foram ficando mais ousadas, sempre empinando a bunda. Eu sabia que a qualquer momento aquele moleque iria ousar um pouco mais. Até que um dia ele resolveu evoluir.

Nesse dia era feriado estendido para as escolas. Seria uma quinta e uma sexta, mas eu iria trabalhar normalmente. Liguei meus equipamentos e fiquei monitorando o celular da minha esposa. A primeira coisa que vi foi uma foto do Thiago dando bom dia. Dessa vez era diferente. Ele tirou uma foto de sunga e disse:

– Bom dia minha melhor prof do mundo. Indo para o clube. Vamos?

– Eita que você tá animado hein.

Eles trocaram meia dúzia de conversas furadas até que Thiago resolveu investir pesado:

– Só falta eu saber se você gosta mais do maiô ou do biquini.

– Hahahaha já te falei que depende. Ultimamente prefiro biquini.

– Então só falta eu conferir.

– Como assim?

– Ah… A nossa tradicional foto de bom dia. Nada mais justo. Eu te mandei uma. Também quero uma.

– Voce ta ficando cada dia mais abusado. Deixa de ser safado.

– Deixa você de ser boba. Só quero uma foto como todo dia… Vou esperar.

Eu suava frio. Não era possível que Renata faria uma coisa dessas. Logo eu descobriria. Cerca de meia hora depois eu vi uma foto carregando que me deixou sem ação. Renata vestiu um biquini de cor rosa e mandou para o garoto. Era uma foto em frente ao espelho do guarda roupa do nosso quarto. Mostrava absolutamente todos os contornos do seu corpo. Suas coxas bem torneadas e sua cintura fina, sem falar na sua barriga travada. Era de parar o trânsito. Eu estava louco pra saber qual seria a reação do moleque. Uns 15 minutos depois, ele manda um monte de emoticon com cara assustada:

– Caraca prof. Nunca vi nada igual. Você é surreal mesmo. Tá melhor que aquelas panicats.

– Hahahhahaha. Já estou apta a ir para o clube?

– Só se for comigo. Agora achei que faltou uma coisa.

– O que? Eu já mandei a foto.

– Entao… Mandou de frente. Mas o mais interessante não apareceu.

– kkkkkkkkk o que você quer ver seu danado?

– Preciso ver se esse biquini está do tamanho apropriado. Não posso deixar minha prof sair por aí de qualquer forma.

– Uhum… Tem certeza de que você quer ver o biquini?

– Sim!

– Só o biquini?

– Hahahaha… quero ver tudo que tem de bom aí.

– Só mando com duas condições.

– Quais?

– Primeiro: você tem que prometer apagar essas fotos. Por enquanto estou confiando em você, mas se você pisar na bola, nunca mais a gente se fala pelo WhatsApp. E segundo. Você precisa falar o que quer ver nessa foto. Você ainda não me respondeu.

– Eu juro que assim que me mandar eu apago. E eu quero ver… Ah você sabe prof

– Fala. Senão não tem foto.

– Eu quero ver essa bundona nesse biquini. Saber como é.

Minha esposa não respondeu nada. Somente mandou o que pra mim foi a confirmação da minha desgraça. Enviou uma foto que logo carregou: ela estava de costa para o espelho fazendo uma selfie que pegava tanto a sua parte da frente quanto a de trás. O reflexo do espelho revelava sua bunda gigante. Era fora do normal. Uma bunda imensa num biquini fio dental. Na verdade, nem eu sabia que Renata tinha esse traje de banho. Tudo isso me deixou abismado, mas ao mesmo tempo percebi meu pau duro. Queria saber até onde aquela puta iria com essas conversas. Ela tinha perdido o limite do profissionalismo. Não ponderava mais, talvez por acreditar na confiança do garoto. E isso tudo só me deixava mais angustiado. O garoto só respondeu:

– Eu nunca vi nada igual. Parece um sonho. Tá de parabéns. Com todo respeito, posso falar uma coisa?

– Kkkkkkkkkkk… Fala, Thiago.

– Professora Renata, você dá de dez em qualquer uma daquele colégio. Entre professoras e alunas. Seu marido tem muita sorte.

– Você acha? Kkkkkkk…

– Tenho certeza. Na verdade, eu te acho muito…

– Muito o que garoto?

– Muito gostosa. Desde a primeira vez que eu te vi.

– Obrigada! Agora vou apagar essa foto.

Pelo próprio perfil, Renata apagou a foto. O Thiago protestou:

– A não! Não era pra ter apagado. Eu não apago as minhas, prof.

– Hahahaha… Tudo que é bom dura pouco…

– Então amanhã vou querer outra foto.

– Vou pensar no seu caso. E você não comente isso com ninguém. É só uma coisa entre amigos. Tudo brincadeira.

– Claro prof. Jamais vou mostrar isso pra ninguém. Afinal, eu não dividiria essas esculturas com ninguém kkkkkkkk.

– Acho bom mesmo.

A conversa dos dois se encerrou por ali. Eu sabia que muito provavelmente essa “brincadeira” continuaria no outro dia. Meu medo e curiosidade só aumentavam. Fui pra casa no fim do dia e tentei manter a maior calma possível. Enquanto estávamos jantando na cozinha, pude ver Renata com um shortinho bem curto que mostrava as maçãs da sua bunda. Sem falar que o short estava todo enfiado na sua bunda, sendo literalmente mastigado. Fiquei pensando que aquele garoto faria qualquer coisa pra ter Renata. E era inegável que ele estava evoluindo. Com desculpa de amizade e estudos, ele se aproximava de Renata a cada dia que se passava. Comecei a pensar em algo que poderia parecer utopia há alguns meses, mas hoje já poderia ser uma ameaça real: e se ele comesse a minha mulher? Isso seria possível? Será que Renata se submeteria a tal depravação? A minha mulher tão recatada e tímida, mãe da minha filha? Àquela altura eu já não duvidaria de mais nada. Se eu iria intervir ou não… Realmente não sei, pois tinha medo de, de uma forma ou outra, perder Renata. Isso pra mim era a pior hipótese. Mais uma vez eu apenas ficaria no campo da observação.

No outro dia, levantei cedo, apesar de não ter dormido muito bem, e me arrumei para mais um dia de trabalho. Antes de sair eu vi Renata mexendo no guarda roupa. Perguntei a ela:

– Tá procurando alguma coisa amor?

– Só umas roupas pra separar pra doação. Coisas que eu não uso mais.

– Ummm. Entendi. E vai fazer o que hoje?

– Nada em especial. Só arrumar a casa e cuidar da Clarinha.

– Ok. Então, nos vemos à noite.

Dei um beijo na minha esposa e saí. No caminho fui pensando naquela possibilidade de haver uma conversa mais pesada entre ela e Thiago. Não vacilei. Cheguei, liguei meus equipamentos e deixei o notebook de plantão. Como tinha muita coisa pra fazer, não pude dar atenção ao computador. Fato é que eu terminei a maioria das urgências por volta de quatro da tarde. Disse pro meu pessoal que iria fazer um trabalho a parte na minha sala e que só chamassem se fosse realmente necessário. Fechei a porta e busquei alguma conversa de Renata naquela sexta-feira. E havia. A primeira coisa era uma foto do Thiago vestindo com um short de futebol sem camisa. Aparentemente ele ia jogar bola. Ele logo falou depois da foto:

– Bom diaaa… Hoje vou esperar aquela foto linda.

Ele não ficou de rodeios. Já foi direto ao ponto. Uns dez minutos depois minha esposa manda uma foto. Ela usava um pijama que, apesar de não ser indecente, revelava muito de suas cochas e deixava em evidencia sua bunda. Era um conjunto branco bem curtinho, onde na parte de cima era uma blusinha de alças e na de baixo um shortinho curtinho e bem transparente. Acho que Thiago percebeu isso. Ele mandou de volta:

– A não era essa que eu queria ainda mas ta linda também. Só não vi se fica lindo também na parte de trás.

– Você ta demais, garoto. To de desconhecendo viu…

Antes de ele falar qualquer coisa, ela mandou uma de costas para o espelho. Dessa vez mostrava toda a sua bunda. Eu acho que ela fez de proposito, porque, ao revelar essa foto, deu pra ver sua calcinha fio dental de cor azul nitidamente e grande parte do short enfiando no cu. O garoto deve ter ficado maluco. Ela disse:

– Agora tá bom?

– Tá sim, mas pode melhorar. Quero ver aquele maiô lindo que você disse que tem.

– Olha lá hein Thiago… Não vai me aprontar com essas fotos.

Eu notei que minha esposa nem apagava mais nada. Ela realmente estava confiando no garoto. Passaram-se uns 10 minutos e ela faz o que eu já sabia que faria. Manda uma foto de maiô pra ele. Era um maiô preto, bem cavado na parte de trás. Além disso possuía as costas abertas. Aquela peça preta contrastava com sua pele branca e seus cabelos loiros. Ela tirou deitada na cama de forma que pegasse seu rosto e todo seu corpo, dando nitidez na bunda, que parecia um morro. Eu sabia que isso não poderia acabar bem. Pouco depois, Thiago fala:

– Caraca, Rê. Desse jeito não vou conseguir jogar bola. Covardia. Olha o tamanho dessa bunda.

– Hahahaha. Resultado de academia e muita genética meu filho. E por que não vai conseguir jogar bola?

– kkkkkkkkkkkkkkk eu não posso falar. Deixo pra sua imaginação.

– Deixa de ser bobo. Se eu posso te mandar foto de biquini sendo sua professora, você pode me falar o que é. Pode dizer.

– Eu não tenho muita coragem em falar. Prefiro mostrar.

– Mostrar?

– Sim. Posso te mandar uma foto?

– Manda ué.

Eu quase caí da cadeira. A foto era simplesmente aquele fdp dentro de um vestiário apenas de short de futebol com a rola dura pra caralho. Dava pra ver nitidamente. A que ponto tudo aquilo chegou… Pouco tempo depois minha esposa responde:

– Eita!! Por que isso tá assim?

– Voce sabe neh prof. Por sua causa. Não tem como não ver essas fotos e não ficar assim. Culpa sua kkkkkkkkk

– Realmente não tem como jogar bola assim.

– Pois é. Vou ter que ir ali antes kkkkkkkkkk…

– Como assim?

– Ah prof… Você sabe.

– Ummm posso imaginar. Mas esse eu não quero que você me mostre não. Vai la jogar sua bola e fazer suas necessidades. Depois a gente se fala. Bj safadinho…

– Bj minha professora mais linda e gostosa.

Era um nível de intimidade que os dois adquiriram que eu não conseguia entender. E o fato daquele moleque ta mandando foto pra minha esposa com o pau duro e ela simplesmente aceitando numa boa me deixava perplexo. De toda forma, aquilo começou a me excitar de uma forma muito estranha. Eu queria que aquilo tudo acabasse, mas tinha muita curiosidade em saber qual seria o limite da minha mulher.

Na semana que se seguiu, eu esfriei a cabeça e percebi que estava a um passo de virar um corno. Um corno de um adolescente ainda por cima. Eu não poderia tolerar. Decidi então que deveria intervir mesmo que indiretamente. Minha esposa sempre teve um desejo de diminuir sua carga de trabalho para poder se dedicar melhor à vida pessoal. A gente sempre conversava que isso iria diminuir a renda familiar e por isso seria difícil. Entretanto, dadas as devidas circunstancias, eu deveria fazer algo para que ela se desvinculasse daquele moleque e assim voltasse à vida normal. Por isso eu propus que ela diminuísse sua carga horaria na escola e, para compensar, eu trabalharia um pouco mais na semana e também aos sábados. Depois de uma longa conversa, Renata concordou. O meio do ano já se aproximara e ela conversaria com a Coordenadora.

Pouco tempo depois ela me chamou para conversar:

– Amor, eu conversei com a Coordenadora. Está tudo certo para o próximo semestre.

– Que ótimo querida. E como ficou a sua jornada semanal?

– Então, eu vou trabalhar apenas dois dias na semana, no período matutino.

– Muito bom, querida. Agora você terá mais tempo para cuidar das coisas aqui em casa.

– Sim, só tem um porém.

– Qual?

– Eu ainda vou ter que continuar ajudando o Thiago na escola. A coordenadora gostou bastante da evolução dele e quer que eu continue a monitoria.

Eu fiquei estarrecido com toda aquela informação. Tudo que eu fiz não adiantou absolutamente nada. Na verdade, eu só me ferrei mais ainda por ter que trabalhar quase que dobrado. Infelizmente, não pude deixar transparecer. Eu a questionei:

– Mas se você vai trabalhar apenas duas vezes por semana e no período matutino, como você vai continuar essa monitoria?

– Pois é, ele vai ter que vir aqui em casa. Eu vou passar tudo por aqui mesmo. Isso é bom, porque a escola vai continuar me pagando por isso e eu vou trabalhar de casa, você não acha?

Quando ouvi aquelas palavras, suei frio. Não podia acreditar no tiro no pé que acabei dando. E agora? Como eu faria pra reverter toda aquela situação? No afã de me livrar de um grande problema, eu acabei colocando a raposa dentro do galinheiro. Por hora não poderia fazer muito.

Até que tive uma ideia brilhante. Eu já havia trabalhado com circuito interno de TV. Decidi que colocaria microcâmeras espalhadas por toda a casa, que seriam conectadas ao meu computador. Dessa forma, eu teria tudo gravado e não perderia um movimento sequer de Renata. Decidi não só isso. Também iria colocar mini microfones para captar não só imagens, mas também todo o áudio.

Estávamos no período de férias do meio do ano. Eu encomendei todo o material pela internet e pedi para entregar no meu trabalho para que Renata não desconfiasse de nada. Eu aproveitei um dia que ela disse que ia comprar algumas coisas no shopping e iniciei meus trabalhos. Fiz todas as instalações de câmera e microfone. Configurei e testei tudo. Funcionou muito bem. Era tudo muito discreto e ela jamais perceberia. Além disso a qualidade das imagens era magnifica assim como a captação do áudio. Apesar de ter sido caro, valeu a pena. Eu monitorei o telefone de Renata e não tinha nenhuma conversa com o garoto. Até que faltando dois dias para o retorno das aulas (era um sábado e eu já estava trabalhando na minha nova rotina) o Thiago chamou no aplicativo:

– Fala prof. Que dia a gente começa a monitoria?

– Pode ser quando você quiser.

– Quanto antes, melhor. Estou com saudade de você.

– Hahahaha. Eu também.

– E agora vai ser bem melhor neh?

– Como assim, Thiago?

– Ah… A gente vai ficar aí na sua casa. Bom que ninguém incomoda a gente. Da pra ficar mais à vontade.

– Ummmm… Verdade.

Eles não conversaram mais nada. Fiquei pensando o que seria esse tal “mais à vontade”. Ainda bem que não perderia nenhum movimento.

A segunda feira chegou e eu disse que ia trabalhar. Renata disse que Thiago chegaria por volta de uma da tarde, mas esse horário não seria fixo. Assim que cheguei ao trabalho, liguei o PC e conectei as imagens. Era bem nítido. De cara, vi que Renata trocou de roupa. Ela usava uma calça social. Gostei de sua atitude. Até porque ela estava de short antes de eu sair. O ponto negativo é que a calça social deixava sua bunda enorme e bem marcada. Nesse primeiro dia, tudo normal. Não vi nada demais. Apenas às vezes minha esposa levantava da mesa para pegar algo e o garoto seguia sua bunda com os olhos.

Com o passar das semanas, notei que Renata ficava cada vez mais à vontade. Certo dia antes de ir trabalhar, conversando com minha esposa no café da manhã, ela me disse:

– Nossa, eu acho que fiz uma corrida e acabei ficando um pouco assada. Tá doendo um pouco.

– Passa pomada amor. Logo você melhora.

Não dei nem muita bola pra conversa e fui trabalhar. Fiz como de costume. Conectei as imagens e de cara tomei um susto. Renata tinha colocado um short cinza bem curto. Em determinados movimentos no seu caminhar, era possível ver as polpas de sua bunda. E nesse dia o garoto ia à nossa casa. Rezei pra ela trocar de roupa, mas isso não aconteceu. Quando o garoto cegou, foi impossível não perceber sua reação. Ele olhava sem cerimonias a bunda da minha esposa. Quando estavam já sentados, um pouco depois do início da aula particular, minha esposa diz:

– Nossa Thiago, eu to um pouco dolorida. Fiz uma corrida ontem e acabei me machucando.

– É dor muscular prof?

– Não. Eu fiquei um pouco assada.

– Dói bastante mesmo. E onde ta doendo?

– Na minha virilha e um pouco atrás também… Na bunda.

– Kkkkkkk… Também. Uma bunda desse tamanho e usando só calcinha fio dental. Fica complicado neh prof.

– Para garoto. Isso não tem nada a ver.

– Tem sim. E digo mais. A melhor coisa a fazer é usar roupa de tecido leve e ficar até sem calcinha.

– Voce acha?

– Com certeza.

Minha esposa não falou mais nada. Eles continuaram a aula. Uns 20 minutos depois minha esposa se levanta e entra no quarto. Ela sai depois de uns cinco minutos vestindo um shortinho tactel bem curto. Era mais curto do que o anterior. E isso não era o pior. Quando ela sentou, Thiago perguntou:

– Resolveu seguir meu conselho foi?

– Sim. Eu até tirei a calcinha também

Aquela resposta surpreendeu até mesmo Thiago. Ele ficou boquiaberto.

– Nem parece que ta sem calcinha – exclamou Thiago.

– To sim. Olha aqui.

Minha esposa ficou de pé. Dava pra ver que o short ficava todo dentro da bunda dela. Aquele rabo enorme mastigava o short. De costa para Thiago ela disse:

– Deu pra notar?

– Ummm… Ainda não.

Thiago ficou em pé. Deu pra ver, mesmo ele estando de calça jeans, que seu pau já estava extremamente duro. Aquilo fervia meus pensamentos. De repente minha esposa faz algo que me surpreende:

– Me dá sua mão.

Thiago não reage. Só obedece. Ela pega a mão dele e coloca entre sua cintura e um pouco abaixo da cocha, para que ele sentisse a ausência das alças da calcinha. Mais do que esperto, Thiago diz:

– Engraçado parece que ta usando.

– Ai garoto. Larga de ser teimoso. Não to usando. Olha ai.

Acho que era tudo que ele queria ouvir. Thiago posicionou sua mão desta vez na parte de trás. E sem cerimonias. Ele passou a mão na bunda da minha esposa com tudo. O pior é que ela nada fazia. Ele ficou uns 10 segundos alisando. Até que ela disse:

-Viu agora?

– Realmente, não tem nada.

– Eu te disse. Agora vamos continuar. Senta.

Antes de sentar, Thiago não deu mole. Deu pra ver que ele apertou a bunda dela entre as nádegas, colocando um pouco dos dedos no meio daquele rabão. Minha esposa nada falou. A partir daquele momento, eu sabia que as coisas poderiam piorar e muito.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,69 de 36 votos)

Por # # #

16 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Anônimo

    Pela descrição da sua esposa ela é uma gata. Relaxa e aproveita para transformar ela numa puta maior do que ela já e.

  • Responder Andromeda

    Por que vc não conta das suas relações sexuais com sua esposa sim está?

  • Responder Bravo

    Me dá um desespero seguir os acontecimentos numa situação de traição, não sei o seu pensamento, mas eu já teria resolvido logo no começo cada um cada um, não vou jamais fazer julgamento, seu conto é muito bom bem escrito cheio de detalhes, se for possível gostaria que me mandasse o app que usou para monitorar as conversas por favor. [email protected]

  • Responder helen

    Oi pessoal! Vamos nos conhecer melhor .. ★ .Na plataforma, muitas garotas online. usuários reais – garotas com relacionamento livre .. abra a comunicação .. ..Siga e avalie (grátis … Sem pagamento) .. (copie o link) = >> abre.ai/splatform

    • Leão

      A putaria tá ficando boa, você vai levar chifre e ainda vê o moleque enrrabar tua mulher que não te da a bunda .
      Mas pode continuar tô de pau duro pensando no bundão dela

  • Responder Opa

    Vc deveria escrever um livro, Mt bom!

    • Cristiano

      Agora sim!! O conto tá tomando um caminho que eu desejava, ainda quero ver vcs dois comendo essa sua esposinha puta, vcs dois fazendo uma dp nela, ela parece ser mto puta, já tive uma namorada puta assim, comi ela varias vezes junto com um amigo meu, foram as melhores fodas da minha vida, como metia a desgraçada

  • Responder Jorrildo

    Muito bom, não para

  • Responder Tiê-Tiê

    Pelo jeito, a “prô” ficou com a bucetona molhada, desesperada pela rola do aluno. E tá na cara que além de encher a buceta dela de porra, ele vai arregaçar as pregas do cusinho dela tbm.
    E com toda certeza, o corno vai estar monitorando tudo pelas câmeras e se acabando na punheta…

  • Responder [email protected]

    Nossa amigo esse seu conto é muito excitante e pelo visto ele vai comer sua esposa, não vejo a hora manda logo a parte 4
    Manda pra mim o conto completo no e-mail por favor

    • 50tão

      Apesar de ser um conto muito longo, a riqueza de detalhes, deixa um gostinho de quero mais rs…..e vamos a quarta parte!!!

  • Responder Doidao

    Ansioso pela continuação

  • Responder Marcos/litoral PR

    Boa..Carluxo, deixa eu ver a raba dela também, por favor, mande uma fotos do traseiro monumental….tenho que ver para poder mentalizar melhor o conto, mande logo parte 4, [email protected]

  • Responder Marcos/litoral PR

    Nossa meu amigo…tá na cara que ele vai comer sua mulher…e você vai gostar…até já pós câmeras….kkkk ..vai gravar tudo…e guardar pra assistir com Elá, porque e melhor comer filé acompanhado, do que pelanca sozinho…vá em frente, lavou..ta novo…..de um jeito de comer a amiga que incentivou tudo….seja feliz..

    • João Paulo

      Um dos melhores contos que eu já vi manda logo a parte4

    • marcio

      esse conto tá mexendo comigo