# # #

Abusei do meu avô com 10 anos enquanto ele dormia

923 palavras | 4 |4.62
Por

Olá, esse é o meu primeiro conto e é sobre uma história real de quando eu usava meu avô enquanto ele dormia. Na época eu tinha 10 anos e ele tinha 56

Desde que eu era criança eu era vidrado no meu avô, ele era um coroa charmoso (tinha uns 56 anos na época) todo inteirão, minha avó morria de ciúmes e as mulheres da vizinhança morriam de inveja. Eles moravam em uma vila de casa onde em cada casa morava uma irmã ou irmão dele(era super familiar). Meu avô tinha uma barriga chopp que me deixava maluco, e o corpo peludo mas não em excesso, era muito viril e mulherengo e só andava sem camisa o dia inteiro.
Minha vó era 10 anos mais nova que ele e trabalhava como cabeleireira na varanda da casa deles. Meu avô não tinha emprego fixo e fazia bicos de garçom durante a semana. Meu avô tinha uma rotina diária de sair cedo pra por os passarinhos na rua, voltar para almoçar, assistir um pouco de tv e dormir de tarde. Enquanto isso minha avó trabalhava na varanda. Eu ficava na casa deles com uma certa frequência para minha mãe poder ir trabalhar, fui criado como filho por ele, minha avó e minha tia. Quando eu ficava na casa deles passava o dia assistindo desenho até meu avô chegar pra assistir jornal. Depois do almoço meu avô tirava o short e ficava com uma samba canção de pano frouxa que ele usava por baixo do short. Ele deitava no sofa deixando uma perna esticada e a outra apoiada nas costas do sofá o que fazia com que o pau e o saco dele ficasse de lado todo amostra. Eu ficava louco vendo aquela cena, aquele pau grosso cheio de pelos caído por cima do saco lisinho me deixava com muita vontade de meter a mão. Depois que o jornal terminava ele ia para o quarto dormir e eu voltava a ver televisão sozinho.
Um dia depois do almoço eu decidi ir para a cama deles dormir e aproveitar o ventilador de teto (já que aqui no RJ faz muito calor) enquanto meu avô assistia o jornal na sala.
De repente acordei com o ronco do meu avô que era muito alto. Quando olhei pro lado vi que ele estava deitado com o pau todo de fora da samba canção e barriga para o alto. Fiquei muito nervoso pensando se tentava ou não fazer alguma coisa e decidi arriscar já que o ronco dele poderia servir como um alerta pra eu saber se ele estava dormindo ou não. Comecei tocando nos braços dele bem de leve pra ver se ele teria alguma reação, ele nem se mexeu. Depois fui subindo para os braços e passei passei a mão nos peitos dele e finalmente na barriga que era minha tara. Nesse dia eu fiz só isso porque estava muito nervoso e com medo.
Alguns dias depois eu fui pra casa dele de novo e assim que terminei o almoço já fui pra cama deitar. Esperei ele terminar de assistir o jornal, deitar na cama e começar a roncar pra eu ter certeza de que ele estava dormindo. Nesse dia ele estava deitado de lado e o não estava com o pau pra fora como da primeira vez. Fiz a mesma coisa, comecei tocando de leve e fui passando a mão no peitoral e na barriga dele. Eu estava muito perto dele, conseguia sentir a respiração dele no meu rosto aí decidi dar um selinho nele (acabei dando mais de um) sentir aquela boca com cheiro de cigarro me deixou maluco e com um tesão enorme.
Fiquei passando a mão na barriga, no peitoral e na coxa dele até a hora que ele se mexeu e virou para o outro lado. Quando ele virou quase passou o rabo em mim e eu já aproveitei pra sarrar meu piru no rabo dele por cima do short e passar a mãos pra sentir bem o espaço entre as bandas da bunda. Sarrei até meu corpo ficar colado no dele. Depois de um tempo ele virou de barriga pra cima eu eu finalmente comecei a preparar ele pra pegar no pau fui tocando no joelho, depois na coxa e fui subindo a samba canção dele devagar até ver a pontinha do pau. Me arrastei pra chegar mais perto do pau dele e aproveitei pra subir mais a cueca e deixar o pau todo de fora. Aí eu aproveitei pra cheirar aquela rola com cheirão de macho, dei uns beijinhos no pau dele e passei a língua de leve no saco, meu coração batia tão forte que parecia que eu ia morrer. Depois disso eu puxei a pele do pau dele pra ver a cabeça com minhas mãozinhas delicadas e fiquei cheirando. Gozei na minha cueca sem nem precisar tocar o pau e depois fui tomar banho com ela pra ninguém desconfiar. Depois desse dia eu repetia sempre que dava. Adorava tocar no corpo do meu avô. Depois de um tempo eu comecei a colocar o celular no banheiro escondido pra ver ele pelado, saindo do banho e mijando(eu colocava escondido dentro do cesto de roupas sujas). Fiz isso com ele durante 6 anos e nesse meio tempo fiz também com meu pai e a um tempo atrás fiz com meu irmão

Essa é a primeira vez que escrevo uma história. Espero que gostem. Se tiverem alguma dúvida é só comentar

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,62 de 21 votos)

Por # # #

4 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Tinho

    Nossa que conto apreensivo! Mas gostei, achei bem diferentão. Parabéns.

  • Responder [email protected]

    Olá me chamo Ricardo sou de Salvador Bahia tenho 1’83 altura moreno 22Cm curto meter pica, o que vou contar pra vocês e verídico aconteceu com migo essa semana
    *Bati o carro por causa da mamada que minha filha me deu!
    *Novinhas Putinha come papãi???
    Inst @massagem.gatinhas ❤

    • Tio safafo

      Como faço para conhecer sua filha? Sou de Ilhéus

  • Responder bacellar

    Interessante!