A morena do “shortinho”

Dia desses, estava eu vindo do trabalho bem de boa e sem pensar em nada muito produtivo, quando vejo vindo em minha direção uma menina de uns 13 ou 14 anos de idade e aparência bem humilde. Estava ela vestida com um shortinho daqueles bem colados, do tipo que dá para ver o formato da bocetinha dela.
Ela vinha com um garotinho de uns 8 ou 9 anos de idade fardado para ir para a escola (infelizmente, ele não é importante neste conto) e quando a vi travei meu olhar no corpo dela como se fosse mulher mais gostosa que já tinha visto. Quando dou por mim, ela olha de volta e me sorri em um breve olhar.
Depois deste pequeno episódio, achei que não iria vê-la novamente mas como diz a velha máxima: “O vida é uma caixinha de surpresas”.
Cerca de uma semana depois, eu fui ao mercadinho comprar umas bobagens aqui para casa e a vi andando na rua sozinha e pensei comigo mesmo que não poderia deixar uma menina daquelas passar. – Sempre curti novinhas, meninas tipo Lollita, daquelas bem branquelinhas mas o tesão por essa morena me fez ir falar com ela.
– Oi. -Meio encabulado (apesar do meu gosto em especial, eu nunca havia ficado com ninguém menor de 16).
– Oi, a gente se conhece?
– Não muito bem, mas eu te vi outro dia na rua e te achei muito linda.
– Ahaha, brigada. – Meio surpresa e sem entender nada ela perguntou:
– Quem é você mesmo?
– Pode me chamar de Lipe e desculpa aí, mas não tive como evitar de vir falar com você.
– A tah… Eu sou a Jú, quantos anos você tem?
Daí fomos caminhando e conversamos um pouco, pedi o whats dela e como ela não o tinha, me disse o nick do facebook dela.
Quando encontrei seu perfil, puxei conversa e ela logo respondeu. Falei que adorei o shortinho que ela tava no outro dia e pedi uma foto dela com ele. Tapeou e não me mandou. rsrs
Elogiei ela de todas as formas até que soltei uma piadinha sobre o decotezinho dela até que ela falou:
– O que você quer comigo ein?
– Ah! Eu to doido para beijar essa boca linda. – Respondi.
– kkkkk. É, pode ser. Mas onde a gente se vê?
Eu já estava com tudo meio bolado e disse a Jú.
– Minha Mãe e minha irmã vão passar o fim de semana na casa da praia da minha Tia.
Ela respondeu:
– Mas só dá para eu sair de casa umas 4 da tarde sábado, eu invento que vou no shopping e dá tudo certo…
– Ta ótimo! (Juro que não me liguei na malícia dela, apesar de eu querer tirar a roupinha dela e lamber aquele corpo lindo).

Como era de se esperar, minha Mãe foi com minha irmã à praia e saí umas dez pras 4 para ir buscá-la.
Entramos em minha casa e ela de pronto pediu um copo d’água, fui buscar e quando volto, ela está abaixada de costas pra mim tentando pegar a presilha do cabelo que havia caído no chão. Olhei com aquela cara de: "Nossa, que bunda linda!" mas não comentei nada para não assustá-la.
Entreguei o copo e ela meio que sem querer derrama um pouco em sua blusa branca, mostrando então a cor azul de seu sutiã.
Volto a cozinha, guardo o copo e ligo a TV para tentar quebrar o gelo. Sento-me com ela no sofá, pego em sua mão gelada e com ela olhando para a TV eu começo a beijar suavemente seu pescoçinho lindo, passando um pouco da minha barba nele fazendo-a se arrepiar.
Beijei só mais um pouco por ali e subi por sua orelha quando ela vira o rosto e me beija na boca. Ainda sentados no sofá da sala, fui com minha mão por sua cintura e quando menos espero ela sobe no meu colo e começo a subir a blusinha regata que ela estava. E finalmente nessa hora, percebo que ela queria mais do que uns simples beijinhos.
Subo com uma mão por dentro de seu sutiã com ela rebolando em meu colo e sinto finalmente o quão durinhos eram aqueles par de peitos em formação.
Aperto o bico com os dedos e ela da um gritinho: Ai! assim dói!
Ela para, retira o sutiã e fala: – Eles são tão pequenos ainda, queria que fossem com os da Laís..
Pergunto: – Quem é Láis?
Ela responde: – Ah, uma amiga. depois te apresento.
Menage sempre foi meu sonho, mas nem liguei pra isso na hora. Como podia pensar em outra coisa, senão aquelas tetinhas apontando pra mim?
Beijei ela na boca com a vontade e desci pros peitos dando pequenas mordidinhas neles só pra ouvir ela gemer baixinho.
Ela tira minha minha camisa, beija meu pescoço e eu aperto a bunda dela com as duas mãos.
Ela sai do meu colo e pergunta onde fica meu quarto, ela me puxa pra ele com cara de vontade. Beijo novamente aquela boca deliciosa maravilhosa e vou descendo com a boca na direção de sua barriga, tiro o botão do short jeans que ela veio e tiro só pra me deparar com aquela calcinha linda que dava um PUTA TESÃO DO CARALHO VELHO. Beijo por cima da pequena calcinha e ela olha pra mim com aquela carinha de safada e inocente que desconcerta qualquer UM.
Arranco sua calcinha e começo a chupar aquela boceta deliciosa que mal pelo tinha. Chupo com tanta vontade que ela segura meu cabelo sem me deixar sair.
Antes dela gozar ela diz: – Não aguento mais, mete teu pau em mim.
Nessa hora, meu tesão que já estava a 1000, foi a loucura. Joguei o resto da minha roupa no chão, subo nela e numa estocada só entro com tudo nela quando ela grita! AAAAiii!!!!
Confesso que fiquei bem preocupado, mas ela se acalmou e pediu que eu fosse bem devagar até acostumar com o tamanho.
Vou metendo devagarinho e beijando seu pescoço, sua boca seus seios pequenos e começo a acelerar enquanto ela geme baixinho pedindo mais.
– Que bocetinha gostosa que você tem ein Ju!?
Mesmo muito molhada, a boceta dela pressionava meu pau até que sinto ela se contorcendo e gemendo mais forte. Ela estava gozando no meu pau.
Sentir aquilo foi tão prazeroso que eu começo a gozar meio que junto dela.
Depois de uns minutos conversando ela pede para ir se lavar e eu falo: – Só deixo se eu for também rsrsrs.
Ela com muita vergonha acabou deixando mas pediu para eu me virar na hora dela se lavar. Obedeço e imagino ela se lavando alí atrás de mim, aquela moreninha por quem tanto babei, estava lí a meu alcance e dentro do meu banheiro. Antes de eu tomar qualquer providência ela me abraça com as mãos ensaboadas já pegando no meu pau. Me viro e ela continua me ensaboando, para e me puxa para debaixo dágua e cai de boca em mim.
A sensação foi de que aquela menina já tinha chupado uns 1000 paus antes, mas não, era só puro talento e tesão.
Fez tudo que eu mandei com a boca e mãos: Passou a língua na cabeça, massageou e lambeu meu saco, tentou colocar o máximo dele dentro da boca até que ela pergunta:
– O que você mais gosta em mim?
Já com uma segunda intensão muito pervertida surgindo em minha cabeça lhe respondo:
– A sua boceta é muito apertada e gostosa, mas desde a primeira vez que te vi, me apaixonei pela sua bunda.
– kkkkkkk Nem venha! A minha bunda não dou não.

Tentei convencê-la um pouco, mas de nada adiantou e pra não deixá-la, eu perguntei se ela ja havia tomado porra.
– Ela falou: – Deve ser nojento, nunca tomei não.
– Mas não é júlia, tem muita menina que gosta.
Ela riu e com cara de nojinho e continuou a me chupar. Aquilo estava tão gostoso,além dela chupar muito bem, tinha o prazer de sentir de uma menina de 13 anos mamando no seu pau, de joelhos, dentro do banheiro da sua casa e esperando por porra bem quente dentro da boca. Não aguentei por muito e gozei. Gozei muito! Ela bebeu o que pode e um pouco escorreu pelo canto da boca.
Transamos mais uma vez e ela com ela galopou no meu pau. Logo deu a hora dela ir para casa.

Se gostarem, no próximo conto trarei o relato de como a convenci a me dar aquela bunda linda.

Caso alguém se interesse pela minha forma de narrativa, basta deixar seu email aí embaixo que entro em contato. Abraços.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 2 votos)
Loading...