Carona pra esposinha, a pedido do marido

Sou o Maestro, casado, evangélico, 39 anos mas não consigo abandonar meu vício. As evangélicas, casadas ou noivas recatadas…adoro transformar elas… Ontem, dei carona a uma amiga, esposa de amigo meu, casadinha a 2 anos, 19 aninhos, evangélica e lindinha… e marquei a volta de pegar ela as 15:hrs… No horário de almoço, falei com uma amiga, virtual, e contei com quem fui a Curitiba, e ela perguntou se eu não conseguiria comer ela. Falei sobre a vinda e disse que ela se comportou bem , sá no final da viajem que a conversa tomou um rumo diferente e ela acabou me contando que sá tinha chupado outro, na semana do casamento e foi meio a força, e que nunca mais chupou ninguém. Como já estávamos chegando sá deu tempo para perguntar se gostou e ela quando desceu do carro me disse que depois me falava… Minha amiga virtual, ficou maluca, e disse que estava no papo, então pedi pra ela me dizer como fazer e o que fazer com ela… e com muito tesão, encerramos nosso bate papo no msn, e fui buscar a irmãzinha… Como segue abaixo: Cheguei um pouco atrasado pra pegar ela, marquei na rua lateral do Shoping Cristal, sabe onde é? A que desce antes de chegar nele…uma rua pequena e de pouco movimento. Logo que virei a esquina, vi ela sendo abordada por uma gol branco, ela parecia estar falando alguma coisa, estacionei antes e de longe fiquei observando, vi que o cara insistia e ela foi se afastando do carro e voltado a marquise do ônibus circular e me procurava pelos dois lados, e não viu e estacionar mais acima. O carro se afastou e estacionou e desceu, e ela ficou nitidamente preocupada…e notei que ela estava diferente de quando a deixei. Ela tinha vindo com uma calça jeans e uma blusa de lã. Agora estava com uma camisa curta e uma sainha amarela, não sei o tecido, mas tipo seda…sabe…eu estava longe e não via detalhes…esperei um pouco e vi que ela discutia com o cara, e de repente ele segurou ela e vi que meio a força ele colocou a mão pela saia dela…eu saí rapidamente e ela quando me viu, parece até que respirou e o cara saiu meio que correndo… Ela estava branca , pálida…quase chorando; perguntei o que foi e ela me contou o que eu já tinha visto…disse que o cara seguiu ela desde que cruzou a 24 de maio, depois da XV… Perguntei o porque, ela me falou que achava que por causa da saia que ela comprou e colocou…pois quis usar longe do marido. Parei o carro e passei a mão no rosto dela e falei que não foi nada, que eu estava ali, e puxei ela no meu ombro, e ela acabou chorando compulsivamente… me deu dá dela… Disse pra pararmos numa lanchonete pra tomar um refri…estava muito calor e ela aceitou… Desci e fui abrir a porta pra ela e vi o motivo do cara ter ficado tarado…. Sua sainha amarela, dava detalhes maravilhosos de uma tanguinha preta, enfiada na bundinha… parecia uma putinha mesmo… Bem, ela tem 19 aninhos, é loirinha com o cabelo bem amarelo e liso, e franjinha na testa, tem +ou- 1,65 e o peso, no ponto…é do tipo de mulher que tem aquele “vão entre as pernas” e a bundinha empinada naturalmente, como se estivesse fazendo força pra empinar mais e uma buceta carnuda e saliente, como dizer….”capô de fusca” sabe…na saia dela dava pra notar o “capô”… Bem, quando vi a transparência da tanguinha, comentei com ela o motivo e ela disse qua não tinha notado isso. Falei que no restaurante iria chamar muito a atenção…ela ficou com ar de “o que que eu faço”… Linda, não resisti, e falei que era melhor ela ficar sem, do que daquele jeito….ela me olhou como se pedindo autorização: “mas tiro aqui mesmo’? Falei : claro! Que cena ela entre eu e o carro, no estacionamento, de costa pra mim, levantando a saia e puxando a calcinha pra baixo, sabendo que eu estava olhando a cena…. meu pau doía…me deu vontade de esquecer o refri e tocar direto pra um motel…. mas resisti e esperei ela pedir, como me disse. Fomos, e eu via a sainha entrar na bundinha dela quando ela andava….tomamos o refri, paguei e saímos pra estrada… Minha cabeça estava a mil, mas não perdi a linha, notava que ela estava tremendo de tesão…se mexia no banco sua sainha levantava, olhava pra mim, eu com o canto do olho via…e estávamos em silêncio a uns 5 minutos…já estávamos saindo de Curitiba e consequentemente deixando os motéis pra trás… Perguntei como tinha idos as coisas que ela iria resolver…me falou que resolveu tudo antes do almoço e depois foi na C&A e comprou a sainha e a camisa…e me disse que colocou lá no banheiro da C&A mesmo… Comentei que deve ter feito muito sucesso..e ela confirmou e disse até demais… Perguntei de Porque “até demais…” Ela me disse que numa loja um cara literalmente passou a mão no meio das pernas dela, e ela ficou sem ação, apenas disfarço e saiu…fora a cantadas…. Perguntei porque que ela trocou de roupa, embora eu imaginasse, que ela queria se exibir longe do marido, mas queria ouvir isso dela. Não deu outra, ela me disse que nossa conversa antes dela descer, mexeu com ela, e ela não sabe o que deu, mas queria se exibir…estava se sentindo “putinha” foi a sua palavra…falou isso quase chorando… Puxei ela pra junto de mim, e ela se aconchegou…e perguntei se tinha gostado…ela disse que apesar do medo, adorou! Perguntei como ela iria explicar a roupa pra maridinho quando chegasse, ela me disse que pensou em chegar mais tarde, depois das 8da noite, que ele já teria ido pra aula e estaria noite e ninguém veria ela… Já tínhamos passado de Campo Largo e eram 16:15 ainda, e pensei, sá se pararmos na estrada pra atrasar tanto. Me fiz de bobo e falei que chegaríamos bem mais cedo…umas 18:40 ou 19 hrs no máximo…e ela disse que queria parar um pouco, perguntei onde…e ela me disse: sabe antes de Palmeira, que tem um Motel? Disse que sim, e o que tem lá? Quero parar lá com vc! e me olhou com uma carinha de “por favor”… Falei pra ela: Então quando avistar me avise, pra mim não passar. Ela disse tá bom. Minha cabeça estava a mim…que putinha longe do meu amigo, estava tudo armado, na cabeça dela… Bem quando ela avistou, me avisou e eu entrei..paramos e perguntei se ela queria com Hidro ou sem, e ela me disse que nunca tinha entrado num e era pra mim escolher…escolhi com hidro… Entrei e sentei na cama e esperei que ela tomasse a iniciativa…ela me olhou em pé e veio e me beijou, apaixonadamente, me chupava, passava a mão…eu mandei ela levantar e de pé me mostrar a bunda e abrir com as duas mãos pra mim ver , sem tirar a saia…. Ela fez, mandei ela vir assim bem perto do meu rosto e mostrar ….perguntei se ela já tinha feito isso pro corninho…e ela disse que nunca…falei que iria comer até a bundinha dela e ela me disse que não via a hora de alguém tirar o cabacinho dela na bunda….e que me escolheu na hora em que o marido dela propôs dela pegar uma carona comigo….levantei e fui ligar a hidro e depois fui tomar uma ducha… Quando voltei ela foi e voltou nuazinha….como chupei aquela bucetinha, ela delirava e eu mandei ela chupar meu pau…parecia uma criança, com um brinquedinho novo ou um doce favorito…eu estava quase gozando, mandei ela se ajoelhar na cama e esfreguei a cabeça do pau na buceta dela, que de 4 parecia uma flor desabrochada…que visão maravilhosa…mas continuei segurando a base do pau e esfregando, ela começou a jogar o rabo pra traz…e eu nada..até que ela implorou: Por favor, enfia de uma vez, não aguento mais o tesão…e eu enterrei..que apertadinha e quente…comia como um tarado….literalmente eu socava o pau e ela gemia a cada enterrada….não fiquei muito tempo devido ao tesão e gozei dentro….como gozei… Caímos os dois mortos…beijei ela bem carinhosamente e fui pra banheira que estava pronta…massageei ela , encostada no meu peito e depois de uns 30 minutos, falei que queria inaugurar aquele rabinho… Ela levantou e fomos pra cama…eu a enxuguei e dei o pau pra ela chupar, sentada na cama e eu de pé. Mandei ela ficar de 4 e deitar a cabeça sobre o travesseiro e abrir a bundinha com a s duas mãos.. Peguei um gél anestésico do motel e enquanto enfiava na buceta dela, comecei passar com o dedo no cuzinho dela. Ele chegava a piscar… e eu enfiava um dedo depois dois e fazia círculos e ela gemia …quando vi que estava pronto, tirei e esfreguei e cabeça do pau…vé que ela se abriu mais…forcei e a cabeça passou…ela tentou sair e eu segurei..esperei e enterrei de uma vez com força e fui sugado….eu tirava tudo e colocava de novo…foram uns 40 min…assim até que ela começou a tremer e gritar que estava gozando e não aguentei e enchi aquele cuzinho de porra…esperei amolecer o pau dentro e tirei… Tomamos um banho rápido e nos trocamos….parecíamos dois apaixonados…ela foi vestir a calcinha, eu disse não e falei que toda vez que ela fosse falar comigo na minha casa ou me encontrar em algum lugar, não podia estar de calcinha , no que concordou… Ainda não a vi hoje, mas estou até com medo de ela não segurar a onda. Vamos ver…
Você que é uma esposa ou noiva fiel, recatada, evangélica mas quer algo novo com discrição e sigilo, mesmo que seja apenas virtual, me escreva. Será um prazer , linda.
maestroccb_pr@hotmail.com

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(0 Votos)
Loading...