Ele encheu meu canal

oi meu nome e beth tenho 24 anos sou morena
clara casada uma filha tenho seios fardos uma bundinha bem gostosa como meu marido fala
sou baixinha 1,65 de altura desde pequena gosto de animais de preferencia
cachorros tenho um aqui que e meu xodo.
mas o conto que vou descrever a todos foi com meu primeiro chachorro chamado ted que ja nao tenho mais.
ok vamos la.
como meus pais avia se separado e minha mae tinha arrumado outro macho pra ela e ele nao gostava de criança
minha mae deixou eu com minha avo e meu avo pra eles cuidar de mim eu ficava com eles ei pra escola voltava e ajudava minha vo nas tarefas
da casa e todo dia minha avo mandava eu ir levar o cafe da tarde pro meu avo que trabalhava na roça pois nos morava no interior
eu fui morar com minha avo com 12 anos e eles vendo que eu ficava triste pelos cantos resolveu arrumar um filhote de cachorro mistura de pastor alemao com vira lata
eu fiquei muito feliz erra meu xodo dava banho colocava raçao enfim amava muito
conforme eu fui crescendo ele tambem virou um cachorrao quase da minha altura pois sempre fui baixinha meu grende companheiro onde eu estava la ele estava tambem
como ele era grande ponhava medo em todos e eu me sentia protegida
mas na verdade ele era muito bocio amado gostava de brincar e adorava ir comigo levar o cafe para o meu avo
pois tinhamos que atrvessar uma pequena mata que separava a casa do trabalho onde meu vo fazia as plantasoes de milho e feijao
ele amava i na frente ele via os passaros corria atras pra ele era uma festa.
um dia esta la eu indo levar de novo o cafe e ted esse era o nome dele como sempre fazia correu na frente achei que era pra espantar os passaros como ele gosta de fazer
mas pra minha surpresa dessa vez nao foi isso ele correu foi porque viu um outro cochorro pegando uma cadelinha ali no mato no caminho
ele rodeiva mas como ele era bocio e nao sabia brigar ficava com medo do outro que rosnava pra ele
me aproximei e fique um pouco distante a olhar achei muito interessante aquilo pois nunca tinha visto nem com humanos
pois minha avo era tao rigida que nem beijo na novela me deixava ver
uma cadelinha pequena e um cachorro um pouco grande quase do tamanho do ted.
ele tentando acertar ela mas nao conseguia e ted tudo oriçado querendo tambem mas com medo do outro nao avansava
1,2,3 tentativa finalmente ele estocou ela nosaaa me asustei ela começou a gritar eu sai correndo quase derrubei o cafe do meu avo
a o longe gritei pra ted vir mas ele queria enrrabar tambem mas nao tinha como
com muito custo ele me obedeceu e veio onde eu estava
meu vo ficou bravo pela demora
no dia seguinte ao passar no local notei que ted ficou cheirando mijava voltava cheirar mijava de novo isso foi dias assim
e eu ficava triste de ver que ele teve vontade de meter e nao deu e eu com indade de 14 pra 15 anos saindo da pre para a adolecencia sabe ne as mulheres que le sabe que estou falando
e a epoca que nos nos descobrimos e começamos nos tocar peito incha xoxota começa a se lubrificar os pelos pubianos cresce enfim um toque de macho nos explode
passei a noite quase toda pensando nisso no ted
no dia seguinte falei pra minha avo se podia arrumar uma cachorra pra fazer companhia pro ted ela amou a ideia mas meu avo odiou e nao deixou fiquei chateada mas quem mandava era ele
fim de semana chegou sabado dia de dar banho no ted levei ele pro riacho que tinha perto de nossa casa como fazia sempre mas dessa vez com pensamentos de loka eu iria chaqualhar uma pra ele
ele amava tomar banho pulava na agua e fazia a festa eu tambem de camiseta e shots la estamos nos
lavei ele e fiquei me lavando ele saiu da agua e deitou se na grama ali e começou a se secar lambe da qui lamba da li ate que chegou no seu revolver 38,kk
começou a lamber pra secar e eu fiquei na agua e começei a olhar ele fazer isso e meus sentidos de femea começou a me oriçar
notei que ele lambia tao bem e cuidadoso com usa ferramenta nossaa ali na agua eu senti o liquido liso me envolver minha calcinha de renda minha vulva se delatando minhas ”laranjas” peitos endurecer
os bikos ja querendo rasgar a camisseta pois nao usas sutia quando ia lavar ted.
recobrei os sentidos quando vi aquela pintinha roliça vermelha sair da capa enloukeci de vez
sai da agua e fui junto dele olhei dos lados ninguem meti a mao no membro dele ele se levantou assustado e fugiu de mim ficando distante
aff pensei ele ficou com medo chamei ele aos poucos veio perto de mim com muito cuidado e carinho fui amansando ele ate que consegui por a mao de novo na varinha dele eu pensei cachorro grande vara
pequena vai ser facil sapecar uma pra ele e pronto
eu me enganei comecei no movimento vai e vem ele se afirmou no chao aff aff aff aquilo foi saindo da capa e crescendo que ja nao dava mais pra bater com uma mao enorme nao gigantesco com as maos macetei
uma pra ele quando ele esta no auge eu me derrubou e veio estocando pra cima de mim que sai correndo doida de medo cheguei em casa e avo perguntou que tinha acontecido desconversei e disse que tinha visto uma cobra
enorme no riacho kkkkkkk na verdade eu tinha mesma ne
la vai meu avo atras dessa cobra
a noite na sala ted ficava ali deitado no sofa ao meu lado e nessa noite eu com medo dele fiquei longe
nao dormi quase nada de novo dessa vez nao de do dele mas de do da cadelinha se ele montasse nela aquele dia kkk se aquele cachorro la que comeu ela ja grito horrores imagna encarar esse
tronco na pequena bucetinha ia arrombar tudo
fiquei uma semana pensando no 38 cano duplo do meu ted e pra piorar uma amiga minha da escola minha confidente como todas as meninas da escola tem uma a qual troca segredos eu nunca fala os meus mas ela sim e uma dessas
vezes ela me confidenciou que a filha da vizinha de sua mae tinha dado pro cachorro dela e firam engatados um tal de no que sai no fim da rola dos cachorros que e enorme nossa ai que me espantei mesma aquele poste ja era um mostro
e ainda tinha uma porra de no maior ainda credo eu nunca que dou minha buceta lacrada ainda pra ele o maximo que poderia fazer pra ele ja que meu avo nao deixava ter uma cadela pra ele foder e bater u,ma punheta pra ele e se tiver bom se nao foda se ele,kk
mas nada e como e gente pensa la vou eu de novo no fim de semana lavar e me lavar o ted no riacho a avo me diz menina cuidado com a cobra ok se aparecer me chama
em pensamento falei nossa se eu chama ai que estou frita mesma kkkk
banhamos e la vou eu boli no que esta quieto de novo ja com as maos no poste chaqualhando pra ele e nova mente me derrubou so que dessa vez eu cai de quatro e na hora ele subiu nas minhas costas tentei sair mas ele e mais forte que eu e tentava de todo jeito
me acertar mas como eu estava de shorts jeans nao dava o maximo era sentir aquela ponta roçando nas minhas coxas ele como viu que nao dava disistiu e desceu mas ficou ali me rodeando
pufitiiii bate meus instintos de femea me fodeu ai pensamentos me bagunçou tudo e num absurdo e incontrolavel desejo me apoderou de meu corpo e sem pensar me pus de quatro de novo e ele ficou ali so olhando eu ja meia doida de vontade e as meninas que le sabe
que quando uma garota sobe o tesao sem cotrole ai o que vem pela frente elas topa tudo
chamei ele ja brava que estava ali esperando ele veio e trepou de novo que delicia sentir a cabeça me cutucando as coxas ele viu que nao dava de novo desceu ai eu fiquei puta de raiva
seu brocha falei como se ele tivesse culpa de nao conseguir me penetrar mas ai que caiu a ficha porra de shorts ele nunca que ia me acerta jeans ainda so se o pau dele tivesse uma faca ou uma firadeira para passar por ele
pensei foda se ja estou tesa mesmo ja nao tem como voltar vou tirar essa bosta e dar logo meus avos nao deixa ter uma cachorra pra ele e nem me atrevo a dizer e nem sou maluca em pedir pra ter um namorado eu ajudo ele e ele me ajuda fica tudo em casa eu nao vou falar e com serteza ele tambem ne
desabotuei o shorts desci e tirei ele a calcinha eu afasto de lado e se nao aguentar eu morro,kkk feliz pelo menos ele tira meu cabaço e eu dele
quando me coloquei de quatro e fui chamar ele ouvi uma voz la longe Elizabete Elizabeteeee vem bora esta anoitecendo olha a cobra vem logoooo
poraaa mesmo era minha avo me chamando ja mais uma vez puta da vida la vou eu vestir o shorts e ir pra casa bem e melhor do que ela vim aqui e ve eu dando pro ted ai sim vou morrer mas de tanto apanhar
a noite na cama tentando bolar um jeito de matar nossa vontade pensava uma coisa outra e nada me ajudava
a semana de novo a minha avo foi chamada na escola pra reclamaçao como eu nao estava prestando atençao na liçao mas que culpa tenho eu se estou na pos adolecencia e doida pra ser fodida como nao posso ter um menino vou estourar meu cabaço com o meu cachorro
a mares que vem pra bem ne
nessa brincadeira de minha avo ir na escola rendeu um castigo que pro outro lado iria me ajudar muito meu avo e minha avo todo mes ia na cidade que e muito distante da roça e sempre quando ia eles passava a noite la e voltava no outro dia
eu sempre ia junto e aproveitava e via minha mae
mas dessa vez o castigo era ficar aqui sozinha nao tinha perigo nenhum em ficar eu fechava tudo e colocava o ted pra dormir no quarto e pronto ja fikei varias vezes quando eles na podia me levar eu ficava puta de odio por nao ir mas dessa vez esta feliz
como ja disse a mares que vem pra bem nao pensei nesse plano mas ja que vai ser assim simbora fingir que estava puta de nao ir mas delirantes por ficar
finalmente chegou o fim de semana a tarde deles irem com era longe o onibus so passava tres vezes pro dia manha,tarde,noite.
mas no fim de semana so passava duas vezes de manha e a tarde fui ate o ponto com eles esperei eles embarcar pra ter serteza de tudo
eles me recomendaram tanta coisa que eu figia concordar pra eles ir logo
agora e so eu e voce ted falei quando entrei na casa ele parecia me entender latiu banou rabo e ficou feliz
pensei dou um jeito na casa depois agora vou me banhar no riacho e ted me acompanhou
nos banhamos deitei ali na grama ted veio e quiz me secar com as linguas nossa lokura a cada linguada daquele macho viriu me sugava a pele eu me quemava de tesao mas logo me recompus e falei vamos embora ted
ja e casa me preoculpei em fechar tudo pensei em cada detalhe pra que nada atrapalhace tudo certo dei raçao pra ted peguei minha calcinha nova sutia tbm fui pro banho uma chuverada e um aparelho de barbear pra raspar os pelos da minha bucetinha de pequenos labios vermelha
pronta fui no quarto de minha avo passei pefume agora sim vou fazer um lanche e depois me delirar na pica de ted
ok ted ja comeu toda a raçao eu fiz o lanche apaguei toda a luz da casa pra dar impresao aos vizinhos k nao tem ninguem em casa bora pro quarto chamei ted ele me acompanho acho que ja sabia que sua hora chegou
pronto fechei porta do quarto a paguei a luz liguei uma luzinha que eu uso pra dormir bem fraquinha mas da uma claridade pouquinho mas da pra ver tirei tudo fiquei zero
deitei na cama e chamei ele na se fez de arrogante vei o lambeu me toda e quando chegou na minha racha areganhei toda e deixei ele trabalhar cada linguada um orgasmo e derrepente meu amante queria sentir prazer tambem e com as patas tentava me juntar na possiçao mas nao dava descia tentava de novo
descia choramingava sobia de novo descia como na quele dia no mato ele tentava chegar mas nada começou a latir aff levantei logo
pensou se os vizinhos vie se ver que acontecer aqui
como senti que ele me ranhos com suas unhas fui ate a gaveta peguei meias nas patas dele
e respirei fundo e agora ou nunca pensei
me pus de quatro no chao na posiçao de cadela como eu estava sendo agora ted nem disfarçou
trepou nas minhas costas e me grudou apertando suas patas na minha cintura e me puxando contra ele e ja com aquela ponta roliça procurando como doido meu orificio vaginal
1,2,3,4,5,tentativa e nada
como ele era grande eu na posicçao de cadela nao dava altura ele ja tinha me lambuzado toda e nada de penetra sua tora
sai de cima ja cansado ofegante e começou a lamber o sua arvore eu tentando achar uma coisa pra compensar a altura
lembrei no quarto de minha avo tinha umas caixas que ela usava pra colocar as roupas sujas pra lavar corri la joguei tudo no chao peguei trouxe as e arrumei subi
agora sim e so esperar ele se recompor e vir tentar de novo fiquei ali nao demorou nada senti aquele peso sobre mim outra vez
e me grudou de novo na cintura e puxou contra si e ja senti a broca dele tentando me firar no vai e vem doido daquele animal alucinado fechei os olhos e deixei ele conduzir
varias tentativas ele desceu outra vez dai lembrei na cadelinha como ela sendo pequena e cachorrao a fodeu sem sobir e nada
a ja sei ela abaixou a cabeça um pouco e levantou a bunda
joguei tudo pro lado me posicionei assim que ele subir eu abaxo um pouco o corpo e levanto a bunda e efereço pra ele
derepente meu reprodutor subiu ai fiz como pensei abaixei a frente um pouco e empinei a bunda
aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa iiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii
um enormer grito saiu de minha boca enquanto a outra a de baixo era enxida por aquela tora gigantesca ele pelo jeito ja esta puto por nao me acerta que na primeira bombada acertou em cheio meu canal
e de uma so vez tolou tudo ali foi com sangue pora liquido liso e cabaço tudo pra dentro
morri de medo de alguem ter escutado meu berro mas agora ja era o melho a fazer e relaxar e gozar
mas ja feliz entrou tudo e na esta doiendo
engano meu esqueci do no e pra ele so valia se o no cabeçe pra dentro ele começou a se movimentar rapidamente e sem aviso e sem deixar eu empedir a açao dele
bombou bombou bombou e deu o golpe final na minha vulva colocou deu uma so vez as duas maças uma de cada lado pra dentro
aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii aiiiiiaiiiiiiiiiiiiiiiiiaiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiaiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii
berrei chorei esperniei mais que aquela cadelinha la no mato a dor foi forte tentei sair mas ele me segurou apertado com suas patas no meu quadril
nao teve outo jeito a nao ser lhe obedecer e ficar ali aguentando aquele quase 30 centimetro de rola gigantesca dentro de minha buceta estourada e aquelas duas beterrabas afundada ate o talo
na minha ex vulva virgem
derrepente ele parou de meter a tora em mim ficou parado a foi que senti o drama a quela arvore tinha varado meu utero e pior estava inchando inchando inchando me rasgando me delarando
parecia que tinha colocado um vidro de oleo de cozinha na minha buceta ardia
derrepente senti uma cachoeira me inundando por dentro ai a dor pasou e eu comecei a gosar como louca ele se virou ficamos de bunda com bunda e o meu goso e a cachoeira de pora da quela tora animal me enchendo
eu estava tao dominada que ele me puxava pelo qurto eu grudada nele como uma cadela se osperando ele finalizar seu prazer pra me soltar
quase uma hora depois senti aquele tren enorme começar a muxar e de uma so vez ele arrancou aquela monstruozidade de dentro de mim e a quela bica de porra desceu junto
passei a mao e olhei minha bucetinha toda estourada cabia a mao dentro
cai na cama outro dia acordei cedo arrumei tudo e meus avos chegaram e ta tudo bem ela perguntor
sim respondi como sempre.
espero que voces tenha gostado
fiz o maximo de detalhes possiveis
da proxima contarei como meu marido me pegou no banheiro com rex arrombando meu cuzinho
bjuuus xauuuu.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 1 votos)
Loading...