Quebrando tabus

Conto de Mayara Nascimento
Desde os tempos do colégio que eu cultivo uma grande amizade com algumas garotas, e sempre saímos juntas, seja pras baladas, pro shopping ou qualquer outro evento, sempre estamos juntas, somos inseparáveis. Num desses dias, no final da tarde, nos reunimos pra fofocar, botar o papo em dia e tomar uma cervejinha, já que o calor ta bravo e ninguém é de ferro. A noite chegou e todas foram embora, ficando apenas eu e minha amiga mais chegada, a Debora, que de vez em quando ficava falando ao celular. Quando estávamos prestes a ir embora, a surpresa, Marcelo, namorado da Debora, que ela havia convidado pra nos levar pra casa, e resolveu ficar mais um pouquinho pra beber conosco… Marcelo chegou animado, super simpático e alegre, bebemos mais um pouco e notei algo diferente, conversas ao pe do ouvido um do outro, e é claro que a Debora tinha segundas intenções.
Batemos um papo animado, bebemos muito, rimos mais ainda, até chegar a hora de irmos embora. Como de costume eu levava a Debora ate em casa mas como Marcelo estava de carro levou a Debora e pediu pra que eu os acompanhasse até em casa, ei sabia que a Debora estava sozinha em casa pois seus pais estavam viajando, e logo imaginei que iria rolar uma sacanagem entre eles.
. Fiz o que foi sugerido e os acompanhei ate em casa, seguindo-os no meu carro ,chegamos na casa dela e entramos, fui logo ao banheiro fazer xixi e fiquei imaginando o que iria rolar, será que ela me chamou pra ver ela e o namorado trepando? Quando sai do banheiro e cheguei na sala, Marcelo e Debora estavam completamente nus, ele sentado no sofá com aquele pau duríssimo e ela fazendo um delicioso boquete. Na hora fiquei sem ação e minha boca ficou seca de vontade de também abocanhar aquele delicioso caralho, e minha buceta ficou latejando na hora. Marcelo olhou pra min e disse: “Vem”, na hora fiquei sem ação, Debora olhou pra mim e sorriu e fez sinal com a cabeça me convidando a se juntar a ela, fiquei meio sem graça, mas achei que seria divertido eu e ela dividindo e saboreando o pau do Marcelo
Me ajoelhei junto a Debora e olhei pra ele, ele olhou pra mim e disse: “Chupa…” Ah.. como eu adoro um pau na minha boca! Eu e a Debora ficamos nos revezando enquanto ele metia seu dedo na minha buceta e na buceta da dela. Chupávamos aquele pau delicioso e gemíamos de prazer, eu estava curtindo demais aquela brincadeira deliciosa, afinal sempre gostei de sacanagem, e so de imaginar aquela sena, chupar o pau do namorado da minha amiga na frente dela e com ela desfrutando do mesmo prazer comigo era demais. Estava tudo indo muito bem quando de repente, Marcelo me pediu pra beijar a Debora”, caralho, nunca tive interesse ou intensão de beijar ou tocar outra mulher, olhei pra Debora e ela riu, ela sabia muito bem que meu negocio era homem, agente sempre conversava sobre sexo sabia como eu pensava. Enfim eu não queria decepcionar nenhum dos dois e nos beijamos.
Aquilo era loucura pra mim, eu beijando minha amiga, fazendo um boquete no seu namorado e tudo ao mesmo tempo. E que beijo delicioso, que boquinha macia, sedosa, quente, úmida, nunca tinha beijado alguém assim. Fomos nos revezando. Beijos, carícias, chupadas, e de repente Marcelo olha de novo pra mim e pediu pra que eu chupasse a buceta da Debora.
O que eu poderia fazer???? Não dava pra dizer “não” e se aquele beijo foi tão delicioso porque não experimentar também aquela bucetinha, nunca tive essa vontade e minha amiga sabia disso, mas no auge do tesão todos os meus conceitos caíram por terra. Naquele momento, ela achou que eu não fosse capas de chupa-la pois ela sabia muito bem do que eu gostava, sorrindo pra mim ela sentou-se no sofá e escancarou as pernas o mais que pode e ficou me olhando. Aquele olhar pra mim era um desafio, olhei pra buceta dela e fui chegando devagar ate sentir o seu cheiro, colei minha boca nela, senti o calor e a umidade, e chupei a buceta dela, não sabia bem o que fazer, mas pensei em como eu gostaria de ser chupada, passei minha língua no seu grelo, senti o gostinho da sua buceta, ela gemia baixo e eu ficava cada vez mais excitada, enquanto isso Marcelo socava seus dedos em mim. Debora me pôs no chão, e numa posição meia nove, veio me chupar, ela era voraz, sabia como chupar uma buceta, parecia ter anos de experiência, me chupava com força.
Cheguei a sentir dor, mas ao mesmo tempo, sentia um prazer louco, eu gemia alto, me contorcia de prazer até que gozei na boca dela. Marcelo sentado ao lado apreciava nosso desempenho, eu estava suada, molhada, ofegante, e gozamos juntas uma na boca da outra. Confesso que não foi tão ruim chupar uma buceta, foi muito gostoso, prazeroso descobrir um prazer diferente com uma pessoa do mesmo sexo, mas eu queria sentir ainda aquele gostinho de porra em minha boca, me debrucei no colo do Marcelo e com uma vontade louca, voltei a chupar aquele pau que latejava na minha boca quente, sentia seu caralho pulsando na minha boca e ficava com mais vontade de engolir tudo. Marcelo gemia alto e Debora agora era uma mera observadora, na hora do gozo, Marcelo urrou de prazer, enquanto eu sentia toda aquela porra deliciosa inundar minha boca. Debora colou sua boca à minha num beijo ardente e eu dividi com ela a porra do seu namorado, terminamos, suadas, cansadas mas muito feliz por tudo e rindo de tudo. Depois de um descanso Marcelo ainda fodeu minha buceta enquanto a Debora e eu nos beijávamos, sem duvida nenhuma mais um beijo delicioso, pela segunda vez na noite eu podia desfrutar daquela boquinha macia e sedosa, quente e úmida. Marcelo socava forte seu caralho em minha buceta e logo urrou de novo enchendo minhas entranhas com seu caldo groso e quente. Marcelo se vestiu, nos despedimos e ele foi embora, ficamos eu e Debora, ela ria de mim, afinal eu sempre disse que nunca beijaria uma mulher, muito menos chuparia uma buceta e acabei beijando justamente ela e ainda chupando sua buceta. Depois de ter meus tabus derrubados por terra posso admitir que gostei da situação, de beijar outra mulher e chupar uma buceta. Já eram quase meia noite quando meu namorado me ligou, falei que estava na casa de uma amiga, e ele foi me buscar, me levou pra sua casa pra dormir com ele, eu sem banho e com a buceta inchada, melada e exalando “sexo”. Chegando em casa, queria ir direto tomar uma ducha, mas ele me beijou ali mesmo na sala, foi tirando minha roupa, pensei comigo, é hoje que tudo vai acabar, e é claro que percebeu minha calcinha melada e cheirando a porra, mas ele me fez deitar com ele ali mesmo no tapete da sala.
Não sei o que houve naquela noite, mal me deitei e ele veio me beijar de novo e sem falar nada, tirou minha calcinha melada e sem dó, me comeu com força e vontade. Foi delicioso, sentir seu pau grosso e duro sendo engolido pela minha buceta e eu gozei, novamente, montada nele.” Meu namorado aquele dia encheu minha buceta de porra como nunca tinha feito antes, parecia que era a primeira vez que comia uma buceta, apesar de ter sentido o cheiro de porra na minha buceta, de ter visto minha calcinha melada com porra de outro, ele nunca tocou no assunto ou perguntou qualquer coisa a respeito. Apenas diz que me ama, e isso me deixa feliz. Mayara Nascimento

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,00 de 2 votos)
Loading...