Realizei a fantasia do casal de Curitiba

Sou de Curitiba e publico algumas histórias que vivo com permissão das pessoas que me envolvo, assim, a pedido de Clara e Nando (nomes fictícios), estou escrevendo nossa aventura.
Recebi um e-mail de Nando, perguntando se meus contos era real e gostaria de saber mais sobre mim. Nando disse que era casado com Clara a 5 anos, ele tem 30 e ela 25, e que ele tem muito tesão de imaginar ela com outro, disse que fica louco em ouvir dela quando ela dava antes de namorarem, que adora como ela conta como era suas transas, isso o fez imaginar como seria ela dando para outro.
Perguntei e ela que achava, ele disse que tinha certo receio, pois, depois do casamento não deu para mais ninguém, mas na cama ficava louca imaginando suas fodas antigas. Dei algumas dicas para Nando, como fazer ela se liberar para outro, auxiliei ele para não fazer nada de errado nem estragar a fantasia dos mesmos, acredito que muitos casais já passaram por isso ou passam, de saber como é difícil fazer sua mulher se liberar, é nestas horas que entro em cena.
Certo dia, marquei de encontrar Nando e Clara em um Shopping de Curitiba, apenas eu e ele sabíamos do combinado, neste dia falei para ele mandar ela vestir algo provocante dizendo que ele estava cm tesão de exibi-la, mesmo se alguém desse em cima dela.
Minutos depois ele me mandou watts dizendo que Clara estava com uma calça muito colada marrom, fio dental e uma blusinha sem sutiã, onde mostrava bem os bicos de seus peitos durinhos, e que pelo corpo que sua esposa tinha eu ia ficar louco.
Chegando no shopping Nando ia me dizendo onde eles estavam, para segui-los , o combinado era que em um determinado momento eu chegasse nela, dando uma cantada para ver sua reação. Nando me falou que ela estava se sentindo o máximo vestida daquele jeito, e que estavam na praça de alimentação.
Chegando lá procurei o casal, e sentei em uma mesa de frente para ela, ela levantou para pegar umas bebidas quando pude ve-la melhor, que mulher, 1,70m, 66 kg, morena clara, cabelo até no meio das costas e que bunda, a calça colada o fio dental realçava mais ainda o corpo delicioso daquela mulher.
Dai em diante comecei a encara-la, percebi que ela estava gostando, alguns momentos vi que ela conversava com o marido baixinho. Nando me mandou um watts dizendo que ela percebeu minhas encaradas e falou para ele, ele disse a ela para provocar, que era esta a intenção quando saíram naquele dia. Percebi que ela levantou e foi em direção ao banheiro, pensei é agora, foi quando Nando me deu sinal para ira atrás. Fui ao banheiro também, esperei ela sair, quando ela parou ao lado de uma loja de calçados e ficou olhando, cheguei perto e disse: Desculpe incomodar, mas se sou seu marido não deixo você sair sozinha por ai! Ela me perguntou por quê? Falei que é difícil não reparar o quanto é linda, e como estava vestida só faz nós homens passarem vontade, sabe que não é bom deixar uma pessoa com vontade. Ela sorriu, e disse que não poderia fazer nada, pois era casada, e seu marido a esperava, nesse momento peguei meu número de telefone e passei a ela, disse que se um dia o marido precisasse de ajuda, poderia me ligar, faria questão de cuidar bem dela.
Ela voltou a seu marido e eu continuei andando do shopping, Nando me mandou watts, dizendo que ela chegou eufórica que um cara havia cantado ela e passou o telefone. Ele perguntou a ela o que havia achado, ela disse que estava com tesão, que o cara era elegante, bonito e alto, do jeito que ela gosta, que fazia tempo que ninguém a abordava que se sentiu meio puta, ele disse que a incentivou a guardar o telefone, quem sabe um dia não precisaria.
Pois bem este dia chegou, passaram algumas semanas eu sempre conversando com Nando por watts, e ele me disse que na cama me colocaram algumas vezes, onde ela fantasiou transando comigo, ele disse que deixaria se quisesse e ficaria muito feliz em saber depois.
Estava no trabalho a tarde, quando recebo um watts de um número desconhecido, adivinham era Clara dando um oi. Vi sua foto de perfil e a reconheci, falei que achava que ela nunca mandaria mensagem a mim, devido ser casada, foi quando ela abriu o jogo, falando que seu marido queria ser corno, que gostou de mim, achando que eu seria uma boa oportunidade, perguntei como ela queria, me disse se eu poderia pega-la no mesmo shopping no dia seguinte as 14 hs ai decidíamos o que fazer.
No dia combinado ela estava sozinha, muito mais gostosa que no dia que a vi, seu perfume me deixava louco, a vontade era agarra-la ali mesmo, mas como neste meio tudo tem que ser com calam, para não haver traumas me segurei. Nos cumprimentamos, perguntei se ela preferia ir em algum lugar, ela disse você faz o caminho, assim, seguimos em direção ao motel. No caminho dava para perceber sua tensão, estava nervosa, tentei acalma-la, fiz algumas brincadeiras para ver ela sorrindo, perguntei por que ela estava fazendo aquilo, da onde veio a fantasia, e ela me disse que seu marido tinha tesão de suas transas do passado, e ele queria que ela desse para outro para contar a ele, e como ama seu marido resolveu realizar a fantasia deles.
Chegando no motel, para tranquiliza-la, deitei ela de costas na cama, comecei uma massagem, deixei ela mais tranquila, conforme massageava dava uns beijos em sua nuca, assim, fui tirando peça a peça de sua roupa, até deixa-la só de fio dental, amigos, corpo era aquele, cinturinha fina, malhada, uma bunda redonda, beijei seu corpo todo, ela me agarrou e beijou vorazmente, parecia que fazia tempo que não dava, mordi seu pescoço, fui descendo pelos seus peitos, pequenos, mas estavam durinhos, mordisquei, lambi, chupei, minha língua descia pela sua barriga, quando passei as mãos em sua bunda, segurando seu fio dental, e tirando lentamente, foi quando pude ver uma bucetinha depiladinha, exclusivamente para mim, lambi sua virilha, não fui direto ao ataque, ela estava tão molhada que seu liquido esticava quando tocava em meu rosto, minha língua não queria parar, cheguei a seu clitóris, estava durinho, minha língua subia a descia em movimentos leves, ela gemia, suguei seu clitóris a ponto de estimula-lo mais, meus movimentos eram mas frenéticos, brinquei ali por um tempo, até ver ela se agarrar no lençol, levantar o quadril e soltar um grito de gozo, ela relaxou e nesse momento explorei melhor sua bucetinha, chupei tomando aquele gozo, lambia cada pedaço daquela bucetinha.
Ela me olhou, me agradecendo, e falou que era hora de retribuir, me deitou na cama, tirou minha roupa e caiu de boca em meu pau, chupava com maestria, sabia chupar, lambia, fazia garganta profunda, me segurei para não encher sua boca de porra. Ela disse que duro ele esta, agora quero sentar. Veio por cima, meu pau babado e sua bucetinha encharcada, não houve dificuldade de entrar, senti meus 19cm sendo engolido, ela começou rebolando, deixei ela a vontade, sei que esta é a posição que as mulheres gostam e sabem gozar facilmente, o meu pau entrando e ela se esfregando foi fácil ver ela mordendo meu pau e gozando novamente, ela se deitou em meu peito, me deu um beijo gostoso e pediu para socar. Como resistir, segurei forte sua bunda, e comecei a meter, ela gemia, e como o rosto encostado no meu, eu dizia que ela era minha putinha, vadia que estava fazendo o marido um corno, ela pedia mais, virei ela de quatro, tive uma visão maravilhosa daquela mulher, sua bunda arrebitada, e a bucetinha pedindo para meter, encostei a cabeça do pau e deslizei, que tesão, segurando no seu quadril, soquei fundo, ela gemia e gemia, enrolei a mão em seu cabelo e com a outra dava tapas em sua bunda, chamando ela de puta, ela falava mete meu comedor, que pica gostosa, como sabe me fuder, foi quando ela gozou novamente, chegou a dar uma tremidinha.
Ela virou de frente e pediu para meter assim, no papai mamãe, me beijando me pediu se poderia fazer um favor, perguntei o que, goza dentro da minha bucetinha bem gostoso quero levar esta porra para casa e mostrar a meu marido, para ele ver que agora é corno mesmo, que dei a tarde toda para meu macho gostoso. No meu ouvido ela pedindo minha porra, não foi difícil encher sua bucetinha de porra, foram alguns jatos dentro dela.
Ficamos ali nos curtindo um pouco, ela me agradeceu pelo carinho e compreensão da situação, e por ter cuidado bem dela, disse que ia para casa e ia ter que dar para marido ainda, mas queria levar uma prova boa de que deu para mim, de presente disse que era para tirar uma foto dela, para eu guardar de lembrança, e se o marido dela quisesse mais me avisaria para fazermos de novo.
Levei Clara ao shopping onde nos despedimos, no outro dia, Nando me mando várias fotos de sua esposa, nua, com vestígios de minha porra ainda, me agradecendo que sua mulher e ele estavam felizes, que eu fiz do jeito que eles queriam, no sigilo e respeitando ela, que com certeza iriam fazer de novo, mas sem virar rotina. Apenas me pediu para contar nos contos para lerem e ai esta.
Este foi mais um casal com sua fantasia realizada, casal, casadas ou solteiras que queriam realizar as suas entre em contato, sigilo e descrição sempre.
dimostrari@hotmail.com