# # #

Minha esposa se embebedou e foi enrabada por 3 garotos

3701 palavras | 8 |4.36
Por

Oi pessoal, eu me chamo Carlos, tenho 32 anos, sou moreno com um corpo em forma, sou casado há 4 anos e já compartilhei aqui algumas das minhas transas, o que vou relatar hoje é na verdade sobre minha esposa…
Vamos lá…

Minha esposa se chama Claudia, tem 30 anos, é branca, seios pequenos, pernas grossas e torneadas e uma raba de dar inveja, sempre tivemos uma vida sexual muito intensa, apesar das minha escapadas eu tenho um tesão muito forte nela, transamos de todas as formas possíveis, apesar dela se evangélica, ela é do tipo que se transforma na cama, coisa que eu adoro, e uma peculiaridade sobre ela é a boceta apertada, Cláudia tem o famoso pompoarismo, ela consegue contrair a boceta tão forte que muitas vez, principalmente depois que goza, fica parecendo uma mulher virgem, isso sempre me deixou louco, tanto que tive que aprender a me segurar pra não gozar rápido, o fato é que eu sempre soube que qualquer outro cara que provasse a boceta dela ía ficar gamado, e sim, esse dia chegou, eu só não esperava que eu fosse ficar alheio a isso.
Bom, a coisa toda aconteceu sem eu perceber e quando eu finalmente pude ter certeza que ela estava me traindo foi de uma forma um tanto inusitada.
Claudia tem uma amizade com Jamile, uma adolescente de 16 anos da igreja, Jamile é uma jovem gente boa, muito bonita com um corpo de modelo, magrinha, bundinha saliente, pernas roliças e seios pequenos, Por ser da igreja, ela é meio recatada no que diz reapeito a namoro, tanto que ela namora escondido um rapaz que estuda com ela, o cara que ela namora se chama Tony, é um moreno, magro e alto, tem 18 pra 19 anos, desde que Jamile nos apresentou o rapaz eu notei que minha esposa jogava um certo charme pra ele, mas como ela também é reservada eu não imaginei que ela fosse se envolver com ele, mas enfim, a coisa toda veio a tona quando demos uma festa, é claro que a coisa toda foi reservada, nós convidamos alguns irmãos e na festa em nossa casa haveria musica, DJ, e até alguma bebida, eu e meus amigos não somos crentes então procuramos agradar a todos, Claudia tomou algumas doses de tequila e logo ficou toda alegre, eu sentei na mesa do pessoal do trabalho que convidei e deixei ela a vontade, lá pelas tantas da noite as coisas estavam bem agitadas, Cláudia e outras pessoas dançavam no salão e de longe eu acompanhava as coisas, em certo momento começou a tocar forró e naturalmente os casais se formaram começaram a dançar, logo Cláudia passou a dançar com o Tony o salão estava só com a iluminação da festa mas deu pra ver a mão boba do rapaz que hora estava na cintura dela hora roçava a bunda, após algumas músicas vi jamile indo até eles e tirando o namorado pra dançar, Cláudia veio até a mesa que eu estava me deu um beijo e tomou outro shot de tequila, visivelmente ela estava alterada, como estávamos em casa não vi problema pois na puor das hipóteses ela poderia se recolher caso ficasse muito chapada, a coisa ficou tão agitada que eu me distrai com o pessoal do escritório e meio que esqueci do resto, fiquei batendo papo com o pessoal e só me dei conta do povo de novo quando Jamile veio até mim e perguntou sobre a Cláudia, na hora eu já estava meio alto tbm, tirei um barato com ela e disse que provavelmente ela estivesse ido deitar pois tinha bebido e ela não é muito forte, Jamile riu e disse que precisava ir embora pois tava ficando tarde, a surpresa foi ela dizer que não encontrava tbm nem o namorado nem os amigos que vieram com ele, eu inocente achei que o cara tivesse dado o cano nela e ido embora…
– olha, linda, não sei do Tony, vc quer que eu te leve em casa?
– sim, por favor, aquele lezo do Tony deve ter ido embora com os amigos sem futuro dele!
Perguntei se tava tudo bem e ela disse que sim, mas tava aborrecida pq o namorado queria ir pra outro lugar e ela não queria…
– bom, se vc quiser eu te deixo na sua casa, só preciso achar a chave do carro!
Nessa hora eu levantei e fui buscar a chave do carro, a festa ainda tava bombando, tinha gente abeça, alguns dos irmãos da igreja se soltaram e tinha gente dançando, gente na cozinha e até um pessoal na sala, entrei com a Jamile e pedi pra ela esperar que eu iria pegar a chave no quarto, quando subi as escadas, notei as luzes do corredor apagadas e a porta do nosso quarto fechada, imaginei que Cláudia tinha se recolhido, ao me aproximar da porta escutei barulho de conversa, abri a porta devagar e fui entrando devagar pra não acordar minha mulher, e tal foi minha surpresa, nosso quarto é bem grande, quase um mini apartamento, a porta do quarto dá numa mini sala onde fica o acesso pra nossa suíte e pro closet, ao passar pela antesala caminhei devagar até a mesa e notei a conversa, era voz de homem, ou melhor, homens, nessa hora um calafrio tomou conta de mim, andei mais um pouco e olhei pra parte onde fica a cama e quase morri de susto, o Tony e um dos amigos estavam em pé ao lado da cama e Cláudia de quatro sendo enrabadoa pelo terceiro, como a antesala estava escura eu não pude ser visto, mas a parte que eles estavam era iluminada pelo holofote da area da festa, notei Cláudia de quatro recebendo a pica do rapaz enquanto segurava a rola dos outros dois, apesar da música alta pude ouvir o que diziam, Tony dizia pro que tava comendo a Cláudia pra andar logo…
– vai cara, goza logo, já já aparece o marido dela!
– calma cara, quero curtir, essa puta tem uma boceta apertada!
– então goza logo, ainda falta o Gustavo!
Aqueles três tavam se revesando pra gozar na boceta apertada da Claudia. Não demorou e o que tava comendo ela anunciou que ía gozar…
– caralho, ela é muito apertada, vou gozar!
– eu te falei, não goza dentro dela não, goza fora!
– tá bom, tá bom!
Nisso ele tirou o pau e gozou punhetando o pau. Claudia não reagia, vi que ela estava bem bêbada, e quando o outro, Gustavo, foi pra tras dela, ela tentou dizer algo e agarrar o Tony, ele abaixou as mãos dela empurrando ela pra ficar de quatro…
– fica quieta!
Ela com a voz travada tentava dizer algo…
– o que? Perguntava Tony.
Claudia tentava falar, nisso Tony se abaixa pra tentar entender o que ela dizia…
– o que? Eu já te comi, agora é a vez deles! Disse ele, segurando a cabeça dela e puxando ela pra ficar empinada, o outro garoto meteu nela e começou a socar, nesse momento, um misto de raiva, ciume e tesão tomou conta de mim, eu quis entrar ali e dar uma surra naqueles moleques mas resolvi não intervir, tava com tesão e fiquei olhando minha mulher ser possuída por aqueles muleques, logo o terceiro anunciou que ia gozar, Tony novamente fala pra não gozar dentro mas o muleque não aguentou, gozou tudo na boceta da minha esposa…
– caralho, Tony não consegui tirar!
– filho da puta, não era pra melar ela!
– porra cara, vamos logo então!
– não vai vestir ela?
– não, só passa o lençol no rabo dela e limpa sua sujeira!
O Gustavo passou o lençol na boceta dela colocando ela de bruços na cama, nessa hora eu corri pra suíte e esperei eles saírem do quarto, escutei eles saindo tirando sarro, dizendo que a vadia tinha uma boceta realmente apertada, Tony confirmava dizendo que tbm não aguentava muito.
Quando saíram eu fui até Cláudia que tava chapada na cama, acendi a luz e puxei o cobertor dela, a boceta dela tava melada ainda com um pouco de porra escorrendo, chamei por ela tentando fazer ela acordar…
– Cláudia, acorda!
– oo…ooi…!
– vc tá me ouvindo?
– nnãão…nnão… deixa ele gozar! Ela tentava falar mas tava muito bêbada.
– não de-de-deixa ele gozar em mim!
A safada achava que eu era o Tony…
– calma amor, eles já foram e gozaram em vc!
Deixei ela na cama e fui pegar a chave, ao descer Jamile parecia discutir com o namorado, quando apareci na escada ele ficou pálido, me olhou desconfiado, ao me aproximar notei ela perguntar o que ele fazia com os meninos lá em cima, ele desconversava e eu chamei ela…
– vamos , Jamile!
Ela vira pra ele e diz que ía conversar com ele outra hora, ele me olhou com cara de medo e ficou calado, fomos pro carro pra deixa ela em casa e ao entrar perguntei a ela o que tinha contecido, ela respondeu que ele deu de cara com ela quando desceu com os amigos e começaram a discussão quando ela perguntou onde ele tava…
– olha, linda, vc não vai gostar de saber onde ele tava nem o que tava fazendo!
Ela me olhou espanto…
– como assim?
Não sei se pelo efeito do álcool, mas eu abri o jogo com ela…
– seu namorado e os amigos tavam com a Cláudia!
Mais uma vez ela fez cara de espanto…
– eles estavam transando!
– e vc viu? Não fez nada?
– vi sim, não fiz nada pra não criar confusão, amanhã com ela boa vamos conversar!
– meu Deus, não acredito que vc viu, preciso te falar uma coisa!
– olha Jamile, agora eu não tô com cabeça pra pensar em nada, amanhã conversamos!
– tá, mas me promete que vai falar comigo antes de falar com sua mulher?
– porque?
– por favor me promete!
– tá bom!
No caminho de volta pra casa minha cabeça tava a mil, não sabia o que pensar, apenas voltei e continuei na festa, os garotos tinha ido embora quando retornei e lá pelas 5h da manhã todos já tinham ido embora, entrei no nosso quarto e Cláudia estava jogada, dormia profundamente, olhei pra bunda dela e pra boceta ainda um pouco melada, tentei pensar no que faria mas a cena dos garotos enrabando ela não me saía da cabeça, imaginar minha esposa sendo usada e abusada por aqueles marmanjos tava me dando um puta tesão, acabei não me contendo, comecei a bolinar a boceta dela, e quando meti o dedo ainda senti a porra do garoto, coloquei meu pau pra fora e comecei a me masturbar apalpando aquela bunda, logo não contive a vontade e me colocando em cima dela empurrei o pau na boceta melada dela, meu pau deslizou pra dentro e comcecei a bombar forte e freneticamente, Cláudia balançava pra frente e pra trás mas não esboçava reação, continuei metendo e aproveitando o tesão, enterrei o pau no cuzinho dela, nessa hora ela se mexeu parecia rentar acordar, soquei o pau no cuzinho dela e ela gemia descompassadamente, eu continuei até sentir o gozo vindo e enchi o rabo dela, saí de cima dela e fui tomar um banho, ao dair do banheiro Cláudia ainda rsrsva desmaiada, apenas a cobri e fui comer algo, a casa estava um zona, quando terminei de limpar a cozinha já ía dar 8h da manhã, quando sentei pra comer chega mensagem no meu celular, era Jamile perguntando da minha mulher…
– Caio, a Cláudia acordou, falou com ela?
– não, ela ainda tá xapada!
– pode vir me encontrar, preciso conversar com vc!
– sobre o que vc quer falar?
– tem que ser pessoalmente!
– ok, me dá 10min que eu chego aí!
Fui até a casa dela, ela me esperava na porta, ela entrou no carro e falou pra irmos pra outro lugar, foi então que ela começou a me contar a história. Disse que o namorado dela vinha tentando comer ela, ele vivia insistindo pra ela liberar pra ele mas ela dizia que queria se guardar, nesse contexto claudia sugeriu a ela deixar o namorado se aliviar com outra mulher, Jamile me contou que Cláudia tinha dito que isso seria só sexo e que era normal os homens precisarem se aliviar, essa conversa rendeu um tempo até que elas haviam concordado do Tony se aliviar com a Cláudia, segundo Jamile eles tinham ficado duas vezes, só que o Tony meio que gamou na Cláudia, como eu imaginava, a surra de boceta que ela deu nele fez o garoto gamar, tanto que ele começou a procurar minha mulher diretamente, sem falar com ela…
– Caio, ele chegou ao ponto de dizer que ía terminar comigo, falei que ele era um filho da puta mas ele nem ligou, na festa ele tava mais interessado nela do que em mim!
– Jamile, eu sei como vc se sente, já fui trocado antes, infelizmente não sei como te ajudar, eu acabei sendo vítima da artemanha de vcs, nem sei o que pensar!

… Sim gente, eu reconheço a hipocrisia disso, apesar de eu ter sentido tesão no ocorrido, eu estava me sentindo um lixo, não só por ter sido traído mas tbm por isso ter ocorrido premeditadamente, coisa que eu não imaginava ser possível, em dado momento até pensei em dar em cima dela e propor sexo de vingança mas aquele não era um bom momento, ela tbm estava meio abalada com a situação. Contei pra ela que tinha flagrado o namorado e os dois amigos fazendo com minha mulher e ela ficou indignada com a safadeza deles….

Lá pelas 10h voltei pra casa, pois tinha que limpar a bagunça da festa, quando cheguei Cláudia estava saindo do banho, ela veio até mim e me deu um beijo, eu retribuí e perguntei se tava tudo bem…
– vc tá se sentindo bem?
– nossa, eu bebi demais!
Esperei pra ver se ela se lembrava de algo, mas ela agiu naturalmente, eu fiquei falando sobre a festa e em dado momento comentei que tinha ido levar a Jamile em casa, perguntei se ela tinha visto a hora que o Tony e os amigos foram embora, ela parou um instante e disse que não tinha visto eles saírem, disse que lembrava de ter vindo vomitar e que depois de sair do banheiro não lembrava de nada… Não sei se fiquei mais indignado dela poder estar mentindo ou se por ela ter sido feita de puta pelos garotos, de qualquer forma fiquei na minha, dpois de comer e se recompor ela colocou uma roupa leve e foi me ajudar na limpeza, logo após o almoço Jamile chega de surpresa, Cláudia foi atender, nesse momento eu me preparei pra um barraco mas não, elas entraram e Cláudia agia naturalmente, Jamile me olhou e eu fiz sinal que tava tudo bem, cheguei perto dela e falei baixinho que Cláudia não se lembrava da noite anterior, ela com cara indignada me pergunte…
– e vc vai deixar por isso mesmo?
– sim, não há nada que possa fazer, ela não lembra, o negócio é com vcs duas, se vão querer continuar com isso!
– meu Deus, eu vou terminar com aquele cachorro!
– bom, o namorado é seu!
O dia transcorreu normalmente, mas eu sabia que a Jamile ía comentar algo, e não deu outra, elas ficaram conversando um tempo e quando ela foi embora, Cláudia tava com um semblante preocupado, ela me cercou um tempo, mas fingi estar tudo bem, eu estava aos poucos assimilando tudo, porém a cena na minha cabeça me deixava de pau duro, naquela tarde, entrei na cozinha e ela estava lavando louça, cheguei por trás dando uma encoxada e antes dela perceber abaixei o shortinho dela e cravei a pica, ela pulou quando a pica entrou, eu ajeitei as pernas dela e comecei a socar, puxei o cabelo fazendo ela se empinar, dei uns tapas na raba dela e meti forte, eu comi ela com violência, estapeando a bunda e apertando ela contra a pia, em dado momento ela pediu pra ir devagar, nessa hora ouvir ela falar me deu uma raiva misturada com tesão, dei mais um tapa na bunda e um forte no rosto dela…
– cala boca, vc é minha putinha, puta aguenta pica calada!
Continuei metendo até ela começar a gemer, ela começou a apertar meu pau com a boceta, aquilo me dava mais tesão e ela sabia que eu gozava mais rápido quando ela apertava a boceta…
– quer que eu goze né, vadia?
– ai amor, goza pra mim!
Na verdade eu queria era judiar dela, tirei o pau da boceta e apontei no cu dela, em um golpe forte meti até onde deu arrancando um urro dela…
– aaaahhhh, devagar amor!
– calada vadia!
Soquei com força no cu dela e meti dois dedos na boceta, ela se segurou na pia e começou a gozar, normalmente eu pararia ora ela se recompor, ela ecita me dar o cu depois que goza pois fica sensível, mas dessa vez eu nao5dei trégua, continuei com o pau atolado no cuzinho dela, ela começou a espernear tentando se sair de mim, em certo momento ela me empurrou e se virou, quase que por instinto e dei um tapa forte na cara dela que jogou o cabelo dela no rosto, ela parou com a mão no rosto e eu anpuxeinoelo braço até o sofá da sala, joquei ela e a levantei pelas ancas e apontei o pau no cuzinho de novo, quando entrou ela gemeu de dor mas não tentou sair, continue bombando e estapeando a bunda dela até encher o cu de porra, caí sentado no outro sofá, ela se levantou e sem me olhar foi pro banheiro, ela parecia assustada pois em 4 anos de casado eununca tinha sido violento com ela, eu fingi que tava e boas e a tratei normalmente depois, ela ricou de poucas palavras só respondendo sim ou não, decidi dar uma volta e saí se casa. Sabia que ela tava confusa e imaginei que ela fosse entrar em contato com o Tony, pois como eu havia imaginado, Jamile contou pra ela sobre a noite da festa, fiquei serca de 2 horas fora de casa e estava preparado pro pior quando voltasse, mas pra minha surpresa, quando cheguei em casa a janta tava pronta, mesa posta e ela vestia uma lingerie preta com meia 7/8 e tudo, entrei fingindo não notar, ela me puxou pela mão e me levou até a mesa…
– amor, vc quer que eu te sirva?
– sim por favor! Achei que ela fosse me envenenar, eu ta a meio paranóico!
Ela começou a comer e perguntou se eu queria mais alguma coisa, apenas disse que precisava tomar um banho, ela veio até mim e me puxou pela mão me levando até o sofá da sala, ela se virou arrebitando a bunda e olhando por cima do ombro disse…
– vem comer sua putinha, vem!
Não me fiz de rogado, meti nela sem piedade, fui direto no cuzinho que ainda tava vermelho da foda anterior, ela só gemia e mandava eu meter…
– isso, mete nesse cuzinho, esse cuzinho é só seu, come sua putinha!
Meti nela por uns minutos e quando estava pra gozar puxei ela pelo cabelo e meti o pau na boca dela…
– vai puta, bebe tudinho!
Ela abocanhou meu pau e bebeu até a última gota, dei um tapinha no rosto dela dizendo “boa menina”.
Depois daquele dia algo mudou nela, não sei se por culpa, mas ela passou a ser mais submissa a mim se tratando de sexo, acaba que por conta do ocorrido eu e Jamile começamos a conversar e até saímos junto algumas vezes, só pra bater papo, ela terminou com o Tony, mas me falou que não sabia se Cláudia ainda tava de rolo com ele, falei pra ela que de certa forma eu não me importava, contanto que fosse longe de casa, ela ainda com ar de surpresa me indagou se aquilo não me incomodava e pra falar a verdade me incomodava bastante, mas se ela quisesse me trair ela iria e eu não poderia fazer nada, não posso vigiar ela 100% do tempo, e aos poucos eu comecei a plantar a idéia na Jamile, até brinquei que se ela quisesse a gente dava o troco, ela apenas sorria mas eu sentia que seria uma questão de tempo, e levou um tempinho e um pouco de paciência da minha parte, até que certo dia ela tava uma pilha de stress por causa da família e dos estudos e acabamos ficando, mas isso fica pros próximos.
Quanto a minha mulher, nosso sexo evoluiu pra um tipo de sexo selvagem, ela passou a me incitar a judiar dela e eu até que curti, eu sei que ela tá dando as escapadas dela e até hoje nunca falamos sobre a noite da festa, talvez em algum momento isso venha a tona, até lá estamos vivendo do nosso jeito.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,36 de 50 votos)

Por # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

8 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Sem nome ID:1d1r187glbw1

    Posta nos contos com foto !!!

  • Responder Pedro sub ID:81rd8esfib

    Que delicia!!
    Adoro ver minha mulher na mão de outros homens!!

  • Responder Morenobnu ID:nnyxbr3d3

    É só mais um CORNO burro limpador de resto e uma VACA depósito de PORRA,

  • Responder Milka ID:1ck8ksbwzyc0

    Vai ter continuação?

    • Carlos_06 ID:phk7pc23d8c

      Vai sim;

  • Responder Samuel ID:1ctuyzz0ekk9

    Belo conto! Sua esposa deve ser uma putinha bem gostosa. Bati uma pensando na bunda dela humm se tiver e-mail partilha

  • Responder Pablo 9 ID:1dsmhyssuc5r

    Todo corno manso no fundo gosta é de rola.

    • Casal livre ID:mt973bdn8

      Comer o cu da esposa gozado é bom demais