#

Dona Ana uma delícia de mulhere madura

505 palavras | 0 |3.50
Por

Sou tarado por coroas e confesso. Ser madura e experiente tem um sabor totalmente especial

Não posso negar que sou e sempre fui tarado em coroas… As mulheres de mais idade, sempre chamaram a minha atenção e é maravilhoso.
Isto aconteceu quando fazia bum curso de Lutheria, as instalações da oficina ficava sobre a casa desta senhora que a alugava para o pessoal do curso.
Dona Ana… Mulher alta, cabelo preto, longos, seios enormes, sorriso fácil e lindo. Já faziam algumas semanas de curso e estavamos nós saindo bem boa amizade, ela sempre levava suco, bolo… Gritava na porta: professor! E sempre tinha uma coisinha. Num dia o instrutor não veio cheguei cedo, Dona Ana abriu a porte foi logo dizendo não chegou ninguém! Daí eu sentei num degrau na escadaria e ficamos ali conversando. Ela desse você é todo meu finado marido, espera! E correu para dentro de sua casa… Logo voltou com uma foto nas mãos dizendo não é?
Pequei a foto e para minha surpresa era sim muito parecidao comigo, logo minha cabeça girou e pude perceber a forma como ela me tratava, seria este o motivo?
Passamos parte da manhã ali, já que o instrutor não veio… Eu subi para oficina e mais tarde fuia ao sanitário como não havia ninguém por lá fui de porta aberta mesmo e quando virei pondo minha pica para dentro, notei um vulto, mas como fui lavar as mãos quando cheguei á porta não havia ninguém. Segundos depois ela gritou professor bem almoçar comigo!
Do alto da escadaria respondi tá muito calor vou tomar um banho e já vou. Ela retrucou, vem, aqui tem toalha.
Ela estava só em casa… Entrei no banheiro e pedi a toalha, ela desse vai rapaz, Tomar seu banho, dou já a toalha.
Começei o banho mal começo ela bateu na porta
Fui de ladinho pondo um lado do rosto e a mão para fora ela forçou a entrada dizendo deixa eu ver…
Relutante abri o restante que havia para abrir e ela sorriu dizendo que linda, que lindo. Que pica linda não se assuste! Depois que meu marido morreu não tive mais ninguém. Já fazem 16 anos, nem lembro mais como é… Fez uma cara triste embora numa situação vexatória, de porta aberta, nu, na casa dela ainda assim a abracei tentando consolar… Mas ela me desse nada de choro eu quero você! E quero agora.
Ficou de joelhos na minha frente e passou lentamente a língua na cabeça da minha pica, continuou lentamente enfiando toda na boca repentinamente desse lingeiro as meninas estão pra chegar… Moram com ela as três filhas e duas netas…
Levantando o vestido ela sugeriu que eu metesse e segurando-a pela cintura apontei minha pica para sua buceta e enquanto penetrava, passei a mão era peluda e com racha grande, com grandes lábios salientes hummmm alguns minutos metendo corri terminei o banho e sai de lá como se nada tivesse acontecido.

IMG-20231125-152356

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,50 de 8 votos)

Por #
Comente e avalie para incentivar o autor

Nenhum comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos