# # # #

O preço do desejo 2

338 palavras | 6 |3.88
Por

Papai acordou e me viu ali,jogado e todo ensanguentado,me chacoalhou pedindo desculpa e o dia seguiu normalmente…
A semana toda ficou me evitando,achei que eu tinha feito alguma coisa errada e isso ficou martelando,até que no fim da semana ele disse que precisava conversar comigo,eu apenas disse que estava tudo bem

Ele me pediu desculpa,mas disse que não deveria ser tão ruim,que eu devia me acostumar e eu seria bem recompensado por ser um bom menino rsrs

No sábado chegaram 3 amigos dele do trabalho,todos com grade de cerveja,estranhei,mas nada demais! Eu fui pro meu quarto,estavam com a música muito alta. Um dos amigos do meu pai veio perguntar porque me afastei e eu reclamei do som… Bastou eu reclamar e então apareceram os outros 2 amigos,todos bêbados e só de cueca! Se aproximaram rapidamente da cama e eu assustado,tentei correr. De nada adiantou,me puxaram pelo braço e me jogaram no chão,me puxaram pra cama e esfregaram aqueles paus em mim. Tinha cheiro de mijo…

Implorei para que parassem,mas papai não ouviu,o som estava alto demais. Ninguém jamais ouviria.

Foi quando o amigo de meu pai disse

– Foi exatamente pra isso que colocamos essa música alta,garotinho. E seu pai? Pode chamar o quanto quiser… Quem você acha que deu a ideia? E que nos chamou pra cá? Hahahaha

Ele ria enquanto empurrava minha cabeça até o pau dele

Os outros não falavam nada,mortos de tesão,me pegaram com tudo e rasgaram minhas roupas. Me seguraram e então… Meteram dois paus de uma vez e eu não aguentei,desmaiei por alguns minutos e acordei jogado no chão do meu quarto,enquanto os 3 dormiam na minha cama. Tive que dormir com meu pai,e novamente fui abusado por ele.

Mas de todos aqueles ali,ele foi o menos agressivo. Mas pera,por que eu tô pensando desse jeito?

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,88 de 17 votos)

Por # # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

6 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Lipe qro leke ID:gsudra6ii

    Te comeria mlkote

  • Responder Arthur ID:41iht8gdm9i

    Vai estudar moleque, você vai é ferrar alguém fazendo ele assinar um 217.

  • Responder Arthur ID:41iht8gdm9i

    Pelo menos fala que é fictício, porque os contos são horríveis, mas sem você parar de viajar, trazer para situações plausíveis e comuns os contos ficam bons.

    • Arthur ID:41iht8gdm9i

      Tipo assim olha, puro exercício de criação.

      Eu tinha 12 anos na época e sabia que era “incomum”, gostava de ficar observando os homens mijando nos mictórios de banheiros públicos, minha mãe trabalhava em uma rodoviária e era comum me encontrar lá, eu já era um especialista em paus, tinha uns gordinhos do pau pequeno, outros gordinhos parrudos com paus enormes mesmo mole, tinha uns negros com paus compridos e finos e outros com paus grossos e compridos, mas um tipo de pau me atraia, me fazia bater punheta e gozar aquele líquido incolor, os paus brancos, pequenos e grossos, eu completamente virgem sonhava em chupar um pau desse, não tinha vontade de levar uma varada no cuzinho, só de chupar mesmo, e um dia isso aconteceu, lá estava eu sentado dentro do reservado espiando pela fresta da porta, o ruivo gordo e bigodudo, alto, bem bonachão mesmo entrou e foi na ponta do mictório em frente ao reservado, sacou a pistola e eu não acreditei, era linda, rosada e grossa, não era circuncidada más o prepúcio deslizava lindo liberando a cabeça grossa daquele pau, minha boca encheu de água e eu emocionado bati a cabeça na porta tentando chegar mais perto da fresta, o cara olhou para mim e não havia o que falar, ele sabia que eu era um veadinho manjador de rolas, entrou no reservado comigo sentado no vaso, o pai duro saindo pelo zíper, pegou minha mão e colocou no pau dele, disse pra mim “é toda sua filho, pode fazer o que você quiser”, fui ao céu e voltei, cheguei perto daquele ponto e cheirei, era cheiroso com uma pitada de sal da urina, a cabeça do pau encostou em meu nariz e ele me olhava com um sorriso de surpresa no rosto, minha boca estava cheia de água, minhas mãos sequer fechavam ao redor do pau dele, olhei pra ele e pedi “senhor, posso chupar só um pouquinho? Prometo não morder”, ele assentiu, fazendo um carinho paternal em minha nuca, trazendo ela pra rola dele, dizendo “pode filho, pode chupar o quanto você quiser”, abri a boca e fui sentindo a textura da glande…

  • Responder rj interior ID:8efjj53v9j

    ótimo
    @Mrverly

  • Responder Crítica construtiva ID:831fba520k

    Pô se vai contar algo pelo menos der riqueza de detalhes , se n o conto fica um lixo como este