# #

Meu primo me comeu… de novo… Parte 2

675 palavras | 1 |4.43
Por

Dei de novo para meu primo e dei de novo para o amigo dele…

Continuação…
Como contei na estória anterior, tinha ficado muito brabo com com primo, que além de me comer na frente do amigo, depois ofereceu minha bundinha para ele. Não que eu na gostasse. Eu gostava de ser comido pelo meu primo, já tinha dado meu rabinho para ele varias vezes. Mas nunca na frente de outros meninos.
Por isso dei um gelo no meu primo. Fiquei uma semana sem aparecer. Mas eu já estava meio acostumado . Gostava de sentir seu peso no sobre meu corpo e adorava sentir o pau dele entrando e saindo do meu cu.
Já batia bastante punheta, mas não tentava comer ele. Gostava mesmo de sentir ele me cobiçando , me arretando, me coxando e claro me comendo. Me fazia de difícil, só para ver ouvir ele elogiar minha bundinha .
Voltei naquele dia , ele foi logo mandando eu ir para o quartinho do vigia. Tirei meu shortinho e deitei de bundinha para cima , do jeito que ele gostava.
Ele sentou em mim, cuspiu no meu cuzinho, e foi logo enviando a cabeça do pau no buraquinho.
—–Que saudade que eu tava deste cuzinho. Empina a bundinha para entrar mais.
Nem respondi, obedecendo, empinei a bundinha e senti o pau dele entrar todinho no meu cu.
Ele ficou me comendo por um bom tempo. Quando cansou, saiu de cima de mim e mandou eu me arrumar. Em seguida, enquanto eu colocava meu shortinho , me advertiu:
—–melhor ir rápido que meu pai esta chegando.
Fui embora saltitando, feliz por ter levado ferro no rabinho.
Andei umas 2 ou 3 quadras e avistei o Zeca sentado em cima do muro.
Gelei. Fui passando devagar, cumprimentei ele e ia indo embora, quando ele me chamou :
—–ei, chega aí.
Voltei uns passos e ele disse perguntou onde eu estava indo. Respondi que ia para casa que estava voltando da casa do meu primo. Quando estava me virando ele falou:
—-Eu moro aqui , quer entrar para conhecer meu quarto?
Fiquei na duvida, disse que tinha que ir para casa. Mas ele insistiu:
—-É rapidinho, eu estou sozinho em casa, vamos lá.
Acabei concordando, mas frisei :
—-rapidinho neh, que tenho que voltar para casa.
Entramos na casa dele e fomos direto ao quarto. Entrei , olhei tudo, e parei olhando pela janela.
E chegou perto passou a mão na minha bunda e disse:
—-Se tu esta com pressa tira logo esse short e deita na cama.
—-Tâ maluco, o que tu quer fazer. Respondi sem me mexer.
Ele tirou a mão da minha bunda e foi me agarrando por trás.
—-Deixa eu te comer de novo.
Me desvencilhei dele e tentei disser que não, que não queria. Fui para o lado da cama . Ele me agarrou por trás novamente. Foi alisando minha bunda. Fiquei imóvel. Ele então baixou meu short e disse:
—-Deita.
Terminei de tirar o short e deitei submisso com bundinha para cima. Ele logo sentou sobre minha coxas , abriu as bandas da minha bunda e deixou cair um cuspe bem no meio do rabinho. Senti o cuspe chegar no cuzinho e em seguida ele apontou a cabeça e foi forçando. Não precisou muito esforço para me penetrar. Meu cuzinho que tinha sido alargado pelo meu primo, recebeu o pau o Zeca inteirinho no rabo.
Ele bombeou muito rápido e logo gozou.
Tirou o pau e saindo da cama jogou o meu short em mim. Coloquei o short enquanto ele me dizia:
—-Quando quiser dar a bundinha para mim e só passar aqui. Eu adorei comer teu cuzinho . Ainda mais que não vou precisar dar para teu primo.
—-Por que ? Perguntei.
—-Teu primo me ofereceu um troca-troca. Eu te comia e depois eu tinha que dar a bunda para ele.
—-Ah tâ, entendi.
—-Passa aqui de novo amanha ou depois.
—-Se der eu passo. Respondi já louco para voltar.
Fui embora saltitando como gazela. Feliz por arrumar outro amiguinho para me comer.

meu email : [email protected]

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,43 de 7 votos)

Por # #
Comente e avalie para incentivar o autor

1 comentário

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Nelson ID:3c793cycoii

    Isso é que é uma bixinha de sorte. obrigado