# #

Priminha de Segundo Grau 2° parte

977 palavras | 3 |4.64
Por

Apos um bom tempo de conversa, Julia já estava bem mais calma não falava muito, maior parte das vezes respondia balançando a cabeça, analisando a situação não podia deixar passar essa oportunidade pois a mãe dela retornaria no outro dia.

Continuando a conversa com ela, escolhi um vídeo no histórico onde uma menina virgem se masturbava, perguntei se ela já tinha feito igual ao vídeo, um tempinho depois ela balançou a cabeça que não, coloco minha mão sobre a coxa dela e ela da uma tremida e começa a chorar de novo, pergunto o porquê, me afasto um pouco e ela finalmente fala, pois até então erra só sim e não, ela fala para eu não machucar ela, fiquei surpreso e pedi para me explicar o porquê achava que iria machucar ela, ela com a voz choro fala que uma amiga da escola foi machucada, não soube me dizer como, entendi a situação e já fui acalmando ela dizendo que eu não colocaria a mão nela, só faria o que ela deixar, é que seríamos bons amigos.

Julia me olha por uns segundo que pareceu uma eternidade, esperando a resposta ou atitude dela até que ela meio sem voz de um jeito envergonhado fala que confia em mim, eu brinco com ela um pouco e chamo para fazer um lanche, logo após volto ao assunto dos vídeos e ela já mais soltinha fala que gosta de ver, pergunto se ela sente alguma coisa, ela meio que envergonhada responde que sente uma coisinha na piriquita, eu falo que eu também sinto uma coisa, só que no homem e diferente, ela fala que ja sabe que o homem fica de pinto duro, aproveito a oportunidade e pergunto se ela já viu um de verdade, ela respondeu que havia visto do filho da vizinha só que erra pequenininho (o menino não tinha 11 anos), falei para ela que se quisesse ver eu mostraria meu pau para ela, que nesta hora tava duro feito pedra, ela recusa mas eu insisto e tiro o pau pra fora e falo que ela pode ficar tranquila que não ia fazer nada que fosse machucar ela, ela fica sem jeito mas logo começa a olha meu pau nisso eu fico explicando sobre como homem sente prazer e que na mulher não erra diferente, e os olhos dela no meu pau, vendo que ela já tava a vontade falo para ela pegar no meu pau, ela balançou a cabeça que não, mas pego a mão dela devagar e coloco no meu pau, quase gozei sentindo a mão dela, curti um pouco o momento e finalmente senti que poderia avançar mais uma etapa.

Ela alizava meu pau com aquela mãozinha macia, eu me segurando pra não gozar, expliquei como o homem se masturbava e ela fazendo em mim, aproveitei e pedi para ver a bucetinha dela, ela.soltou meu pau e deu uma recuada, me afasteinmais um poucondela e pedi pra me mostrar que naonfaria nada com ela, só faria se ela deixasse, após uns 5 minutos de insistência ela levanta o vestido mostrando a calcinha levanta do sofá e começa a tirar a calcinha, para mim o tempo ficou em câmera lenta, aquela bucetinha inchafinha, fechadinha com o grelo saliente, eu me segurando pra não fazer merda, de repente ela começa a vestir de novo a calcinha eu peço para ela não vestir, percebo que a calcinha tá com uma mancha molhada, falo para ela que ia explicar o porque, ficando um pouco longe dela e com o pau duro dentro da calça, falo para ela sentar no sofá e fazer o que eu ia dizendo, assim ela fez, expliquei o porquê de ter molhado a calcinha, e a forma dela tocar na bucetinha dela, assim ela foi fazendo até o momento que ela mesmo fechou os olhos e aumentou o ritmo dos dedos na bucetinha, eu fiquei vidrado babando vendo ela se masturbar na minha frente, não tava me aguentando tinha que participar, chamei ela é ela meio que no susto parou e me olhou, perguntei se tava bom ela balançou a cabeça que sim, falei que tinha como ficar ainda melhor só que ela inter de confiar em mim, pois eu ia ter de ajudar igual ao vídeo que ela tinha visto de um homem chupando a buceta da mulher, acho que o tesão dela tava alto, pois ela só balançou a cabeça que sim, não perdi tempo ajoelhado de frente onsofa onde ela tava e com todo o jeitinho foi de encontro aquela bucetinha que eu tava desejando tanto, quando comecei devagarinho ouvi ela soltar um gemidinho, fui bem de leve e ela foi se soltando, eu olhando de rabo de olho para ela, logo ela fica mais ofegante e fecha os olhos, começo a almentar o ritmo da chupada, até o momento que ela paga na minha cabeça apertando contra a bucetinha dela, uns segundos depois sinto ela se contrair toda e gemer constantemente, não tava acreditando que ela tava gozando na minha boca, suguei cada parte da bucetinha dela, o tesão tava tanto que acabei gozando dentro da cueca, quando parei de chupar ela estava molinha, expliquei que ela tinha acabado de gozar.

Me recompus e pedi para ela tomar um banho pois tava perto da minha esposa chegar, assim que ela entra no banheiro meu telefone toca, minha esposa avisando que chegaria bem tarde pois teria de ir na casa da minha sogra resolver um assunto com a irmã dela, não perdi a oportunidade.

Continua…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,64 de 11 votos)

Por # #

3 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Sergio

    Aguardando a continuação, muito bom cheio se detalhes

  • Responder Apreciador, o original

    Conto muito bom, cheio de detalhes. Perfeito! Esperando ansioso a continuação!

  • Responder Junior

    Top