# #

Noiva curiosa (1)

4077 palavras | 5 |5.00
Por

Minha noiva me conta que tem curiosidade de saber como são os outros homens. Ela matou a curiosidade pela web cam comigo assistindo.

Meu nome é Rodrigo, o que vou contar aconteceu a 3 anos atrás.

Sou um homem normal, alto, magro, pele clara e cabelos encaracolados. Tenho um porte físico bom, não sou musculoso  mas tenho uma barriga levemente definida e braços fortes. Tenho poucos pelos, até por que sempre me depilei.

Sou casado com Luana. Luana é baixinha, tem 1,64. Ela tem cabelos castanho-mel, quase um loiro escuro. Olhos brilhantes e levemente esverdeados, quadril largo e uma bunda muito bonita. Tem seios médios, mas muito redondinhos e durinhos. Suas coxas e bunda são durinhas por conta da academia. Luana tem um problema hormonal, onde a deixava infértil, então nao podia engravidar.

Vou resumir como nos conhecemos. Luana e eu estudavamos juntos na mesma escola, eu no último ano do ensino médio e ela no primeiro. Começamos a namorar depois de uns 2 meses ficando, começamos a planejar uma vida juntos, eramos muito ligados um ao outro, somos bem românticos e apaixonados. Eu já tinha tido duas namoradas, uma durou uns meses e a outra durou 1 anos e meio. Entretanto, eu era o primeiro namorado de Luana. Depois de 6 meses de namoro, transamos pela primeira vez, ela ainda era virgem, eu não. Tínhamos um sexo envolvente e apaixonado, extremamente excitante e cheio de prazer. Gozavamos muito e chegávamos a transar duas vezes seguidas de tanto desejo.

Algum tempo depois, após sairmos da escola, noivamos e iniciamos nossa vida juntos na mossa cidade, morávamos em Florianópolis. Não tínhamos pressa de casar, pois eramos bem felizes, tínhamos nossa casinha (alugada, ambos eramos de família simples, mas nossa vida estava melhorando com nos dois em bons empregos) e isso bastava.

Um ano e meio depois morando juntos, ainda tínhamos muito desejo um pelo outro, eramos doidos pelo nosso amor. Até que uma noite, minha noiva se abriu para mim.

Era umas 20h, estávamos deitados e conversando enquanto a TV estava ligada, uma série da TV fechada, com uma cena de sexo adúltero, onde a mulher traía o marido.

Eu: Eita, esse pessoal que trai, não entendo essa vontade né.
Luana: Verdade… se tem algum tipo de fetiche, é preferível conversar né, antes de trair.
Eu:Exatamente.

Eramos muito abertos um com o outro, sempre buscando satisfazer nossos desejos sexuais. Eu tinha um certo tesão em anal, e a algum tempo atrás, Luana deixou eu penetrar seu cuzinho, que era maravilhoso aliás, rosado e apertado. ela não gostou no início, mas depois de umas 3 vezes, acabou gozando e se tornou uma prática até que frequente.
Ela gostava muito de oral, e eu sempre satisfazia ela, fazendo ela gozar até 3 vezes seguidas nos meus lábios.

Luana: Se fosse algo meu… você aceitaria?

Eu estava perdido nos pensamentos, então não entendi.

Eu: Algo o que?
Luana: Se eu quisesse algo assim… o que você acharia?

Eu de início ri, achando que era uma piada. Ela não me acompanhou na risada, então percebi que havia verdade nela.

Eu: Como assim?
Luana: Ah amor, você já namorou antes de mim, estamos a alguns anos juntos e eu sou muito feliz com você, mas tenho curiosidade em algumas coisas…

Ela continuou.

Luana: Você foi meu primeiro. Eu não planejava casar com meu primeiro, acabei caindo no teu feitiço e casei (riu)
Eu: Mas no que você teria curiosidade?

Luana parou por uns segundos. Colocou a TV no mudo para que pudesse falar. Percebi que realmente a conversa era séria.

Luana: Eu tenho uma certa… curiosidade com outros homens, sabe…

Luana apesar dos pesares, era tímida. Tinha apenas 23 anos, então era nova. Ela continuou falando com medo do que eu talvez iria pensar.

Luana: Eu quero que você entenda que eu em nenhum momento me sinto insatisfeita com você, de maneira alguma! Mas tenho curiosidade para saber como os outros homens são… as vezes olho para alguns e imagino como seria…

Eu sinceramente fiquei meio apreensivo, vários pensamentos passaram pela minha cabeça, todos bem enciumados. Pensei em ficar com raiva, com ciúme, e no início fiquei. Mas tratei de por meus pensamentos em ordem e respeitar, ela tinha o direito de ser curiosa. Talvez não o direito de cumprir a fantasia, mas de ficar curiosa sim.

Eu: Mas você sente isso a muito tempo?
Luana: Para ser sincera, não. Isso aconteceu de uns meses para cá.

Continuei pensando…

Luana: É mais curiosidade, sabe… as vezes quero saber como os outros homens transam… como é o pau deles…

Fiquei apreensivo novamente, ela nunca tinha se referido ao pênis de outro homem como “pau”, apenas ao meu, e apenas em contexto sexual.

Eu: Mas é só curiosidade, né?

Eu já tinha visto alguns vídeos pornográficos que retratava esse tipo de coisa, mas nunca imaginei que existisse fora da ficção.

Luana: Sim…

Percebi que ela ficou chateada, acho que com medo. Mas eu também estava…
Ficamos em silêncio durante uns minutos, fiquei pensando em tudo o que ela havia me falado. Eu não sei o que havia me dado, mas decidi dar a ela uma chance.

Eu: Amor, o que você acha então, de nós tentarmos algo assim?

Ela se assustou.

Luana: Como assim??
Eu: Acho que não conseguiria te ver com outro homem sem sentir ciúmes, mas e se você não estivesse literalmente com ele?
Luana: Mas como? Não entendi…

Virei para ela e comecei a explicar.

Eu: Existe um site, de câmeras online, onde você entra online com alguém aleatório pela câmera. A maioria das pessoas estão lá para fazer algo sexual. Se você quiser, podemos tentar…

Ela sorriu, visivelmente feliz.

Luana: Você jura, amor?? Faria isso por mim?
Eu: Faria, amor… se você tem curiosidade, é injusto eu te impedir… Você se abriu comigo, eu seria muito injusto se te julgasse.

Ela sorriu e me beijou. O que era um simples beijo, virou um beijo de língua. Ela começou a passar a mão no meu corpo, por cima da minha cueca box e subiu em cima de mim. Ela estava de camisola azul sem sutiã apenas com uma calcinha de tecido da cor da camisola. Não chegava a ser fio dental, mas sua bunda era tão grande e firme, que acabava entrando um pouco.

Ela começou a esfregar sua bucetinha na minha cueca, eu percebi pelo barulho que ela estava muito molhada. Fiquei com ciúme  pois ela estava molhada com a ideia de se exibir em uma webcam, mas relevei e me deixei levar pelo tesão.

Ela colocou meu pau para fora, meu pau não é enorme, mas é de um bom tamanho. Tem 18cm e sem curvatura, bem reto. Algumas veias e uma cabeça mais escura, avermelhada.

Ela encaixou sua bucetinha, que sempre foi bem apertada, depilada e bem rosada, e começou a descer, enfiando meu pau todo dentro dela.
Luana começou a rebolar e quicar no meu pau. era uma verdadeira delícia.

Ficamos transando algum tempo, até que ela pediu para gozar dentro dela. Como ela não podia engravidar, nunca nos incomodamos com camisinha ou pílulas.

Ejaculei dentro dela, depositando bastante porra dentro de sua bucetinha molhada.

Ela gemia enquanto gozava junto comigo. Mas não parava de quicar, fazendo meu pau ficar duro novamente, onde engatamos em mais uma transa, dessa vez, ela ficou de 4, onde eu gozei em sua bundinha deliciosa com sua calcinha para o lado.

Após terminamos nossa putaria, continuamos conversando sobre o assunto.
Combinamos de fazer aquilo no fim de semana seguinte.
Dormimos abraçados.

Chegando o fim de semana, eu estava extremamente nervoso com a situação.
Eu via que Luana estava bem animada, a cada dia que passava ela ficava mais feliz. Transamos todos os dias da semana, ela a cada dia que passava ficava mais safada e queria mais sexo.

No sábado a noite, tomamos um banho juntos e ela não queria transar, pois queria manter a excitação para o momento.
Ela ficou confusa com que roupa usar, então pediu minha ajuda.

Luana: Amor, qual roupa você acha que eu uso?
Eu: Pode usar uma lingerie, uma bem bonita.

Luana pensou um pouco.

Luana: Quer escolher?

Ela falou de uma forma bem safada, visivelmente querendo que nós dois aproveitemos a noite.

Fui até o guarda roupa dela, e passei meu olho por suas calcinhas e sutiãs. Decidi aproveitar.
Selecionei 3, coloquei em ordem na cama.

Eu: acho que tens que refrescar minha memória. prova elas para mim?

Luana riu, sabia que eu era doido por lingerie, então tirou a toalha, ficando totalmente pelada.

Fui até o escritório, sentei na mesa do computador com ele ainda desligado, e Luana veio com a primeira lingerie.

Era uma calcinha e sutiã de renda branca. A calcinha era fio dental e acentuava sua bunda branquinha e redondinha. O sutiã apertava seus peitos, os deixando em pé e salgados. O sutiã era levemente transparente, deixando aparecer um pouco seu biquinho do peito rosado por de baixo da renda.

Eu já estava excitado com a visão, estava apenas de cueca box branca, quando Luana viu meu volume do pau duro por baixo da cueca, soltou um riso safado.

Ela saiu e voltou com a próxima lingerie, um kit vermelho, com um sutiã sem bojo, que deixava seu corpo maravilhoso. Uma calcinha de renda no estilo shortinho, que desenhava suas curvas de forma maravilhosa.

Luana: E aí, já escolheu?
Eu: Vou ver a última antes de decidir.

Ela riu e saiu.

Na verdade, eu já tinha posto a próxima lingerie como a última de propósito, admito que só tinha colocado as duas primeiras para saciar um pouco de meu desejo.

Ela apareceu. Estava com uma lingerie preta. O sutiã era de bojo rendado, com desenhos muito bonitos deixando seus seios maravilhosos bem empinado e redondos. Sua calcinha era fio dental preta, na lateral era apenas um fiozinho e na frente e atrás, apenas um triângulo rendado, tapando sua bucetinha e atrás, o outro triângulo ficava enfiado em sua bundinha.

Além da calcinha e do sutiã, ela usava uma cinta preta, com uma meia calça super sensual.

Meu pau parecia que ia estourar dentro da cueca, soltei um suspiro de tesão e ela deu um sorriso.

Luana: Acho que já temos um vencedor né.
Eu: sempre tivemos.
Luana: safado, querias um desfile particular, né?

Eu ri e fui até ela, dando um beijo. Apertei sua bunda gostosa e redonda com muito tesão, passei minha mão por seu corpo firme e delicioso.

Luana: Vamos lá?

Um frio me passou pelo corpo, um arrepio na espinha me castigava de forma quase cruel. Minhas mãos ficaram trêmulas e eu automaticamente fiquei com ciúme. Aquela mulher, minha noiva, estava prestes a se exibir para um estranho pela internet.

Ela se sentou na cadeira do computador e eu sentei em uma poltrona que tem em uma extremidade da parede, de forma que a web cam não me pega, mas que eu consiga ver todo o monitor, que por conta do meu serviço, era bem grande.

Luana entrou no site, visivelmente nervosa, mas animada.

Luana: Posso?

Respirei fundo.

Eu: Pode.

Ela entrou. Logo o primeiro, já estava com o pau para fora. Luana soltou um riso e passou.

Eu: Ué?
Ela: Ele já tá de pau pra fora, quero ao menos conversar antes.

Eu fiquei mais apreensivo ainda, ela não queria apenas ver o homem, queria falar com ele.

Ela passou alguns, até que chegou em um homem loiro, boa pinta, sem barba e um cabelo para o lado com um leve topete. Percebi na hora que a posição dela na cadeira mudou. ela ergueu sua coluna a deixando ereta, fazendo com que seus seios ficassem ainda mais empinados.

Ela ligou o microfone e aumentou o som do computador.

Luana: Oi. Tudo bem?
Ele: Olá, tudo. Qual seu nome?
Luana: Luana. E o seu?
Ele: Roger.
Ela: prazer Roger!

Ela estava sorridente, um sorriso meio tímido, dava para ver, mas ainda assim animada.
Me passou pelo corpo uma sensação de impotência, não de humilhação como eu tinha imaginado, não, eu estava excitado com a situação. Minha noiva era uma mulher maravilhosa, e me passou pela cabeça que eu também gostava de ser elogiado e até olhado pelas mulheres, então ela também tinha o direito de sentir o mesmo.

Roger: o prazer é todo meu. Você é linda! Quantos anos tem?
Luana: obrigada, você também é muito bonito. Tenho 23 e você?
Roger: Tenho 19.
Luana: Ual, bem novinho.
Roger: Nem tanto, poucos anos a menos do que você.

Luana riu, estava bem risonha para Roger, e não era para menos, ele era realmente bem bonito, não dava para mentir.

Roger: Você tem namorado, Luana?

Ela olhou para mim de canto de olho, parecendo decidir rapidamente o que falar.

Luana: Eu na verdade sou noiva.
Roger: Nossa, para quem é noiva e estar de sutiã em uma hora dessas nesse site, é por que algo está de errado.

Luana pensou um pouco, me olhou de canto com um olhar de culpa.

Luana: Na verdade não, ele sabe que estou aqui, eu nunca tive outro homem além dele, quero saber como é… eu nunca nem vi um outro homem pelado.
Roger: Entendi, mas ele está em casa?

Eu rapidamente acenei e fiz que não com os dedos.

Luana: Não, está no trabalho.
Roger: Entendi. Bom, devo dizer que ele é muito sortudo.
Luana:Obrigada!
Roger: E além desse sutiã, que roupa você está usando?

Luana soltou um risinho.

Luana: É um conjunto, estou só de lingerie.
Roger: Entendi, pode me mostrar?

Luana pensou um pouco.

Luana: Se eu mostrar, você tem que me mostrar algo também.
Roger: Justo.

Roger se levantou e tirou a blusa. Ele tinha um corpo atlético, sem pelos aparentes e braços e peitoral definido. Ele abaixou a bermuda, ficando apenas de cueca vermelha. Deu uma apalpada em seu pau por cima da cueca, se exibindo um pouco.

Luana: Nossa, você é bem bonito.
Roger: Valeu.

Eu percebi que uma das mãos da minhas noiva estava no computador, a outra entretanto, estava por cima de sua calcinha, fazendo leves movimentos com os dedos. Ela estava excitada, e já se acariciava lemevente.

Roger: Agora é sua vez, né.

Luana respirou fundo, se levantou e afastou a cadeira. Ela agora mostrava todo seu corpo, do topo de sua cabeça até o final de suas coxas.
A lingerie desenhando seu corpo estava toda a mostra para aquele total estranho, que afastou também sua cadeira, mostrando que estava acariciando seu pau por cima de sua cueca vermelha, seu volume era grande, Não era enorme, mas evidenciava um pau muito duro.

Roger: Nossa, você é muito gostosa. Você sabe dançar funk?
Luana: Sei
Roger: poderia dançar um pouco para mim, né?

Luana se virou, mostrando sua bunda redonda em seu fio dental preto e sua cinta liga.
Luana de fato sabia dançar funk, na adolescência costumávamos sair com amigos e ir a festas com músicas assim, entretanto muito tempo que não via minha noiva dançar funk.

Luana rebolava sua bunda de forma maravilhosa, deixando de vez em quando a parte de sua calcinha tapando sua buceta aparecer. Eu não me aguentei, estava começando a gostar da situação. Ver um outro homem desejando ardentemente minha noiva estava me deixando excitado. Eu estava com bastante ciúme, mas igualmente com desejo.

Roger: Nossa, você é muito gostosa Luana, seu noivo tem sorte demais:
Luana: Obrigada.

Luana continuava a rebolar.

Luana: Nossa, você já está excitado?
Roger: Não tem como não ficar, olhar você rebolando esse rabo… É de deixar qualquer homem louco.

Luana foi até a frente da câmera.

Luana: O que você acha de fazermos um trato? Se eu mostrar meus peitos, você mostra o seu pau duro?
Roger: Feito! Mas você mostra primeiro.

Luana soltou um risinho e se sentou na cadeira, ficando com suas costas erguidas e seus peitos bem empinados.

Ela tirou o fecho de seu sutiã e tirou, deixando a mostra seus peitos durinhos e redondos. Luana tinha biquinhos rosados e estavam bem durinhos, ela estava visivelmente excitada.

Roger: Nossa, como eu queria chupar eles.

Luana riu. Começou a acariciar seus peitos, se insinuando para seu amigo virtual.
A cena era extremamente excitante, Luana já soltava leves gemidos enquanto acariciava e apertava seus peitos.

Roger: Coloca eles bem na câmera, para eu ver.

Ela se aproximou, obedecendo ele. Ela colocou os peitos bem na frente da web cam, balançando eles e apertando seus mamilos.

Eu já tinha colocado meu pau para fora da cueca e já estava batendo uma punheta observando minha noiva se exibir.

Luana: Agora é sua vez, quero ver o que tem dentro dessa cueca.

Roger se levantou, deixando a mostra seu peitoral e sua virilha.
Ele abaixou a cueca e seu pau saltou pra fora.
Seu pau era branco com a cabeça rosada, sem nenhum pelo e com algumas veias. Era levemente curvado para o lado, e estava bem duro. Parecia ser do tamanho do meu, talvez um pouco maior.

Luana: Nossa… É tão diferente do meu noivo.

Luana parecia hipnotizada, ela engolia saliva e mexia novamente por cima de sua calcinha com uma mão, enquanto a outra acariciava seu peito.

Luana: É rosado, e é bem grosso.
Roger: Queria estar aí, para colocar nessa boquinha.

Luana: Hmm, seria legal até.

Ela dava uma leve contorcida na cadeira, enquanto acariciava seu grelinho agora por dentro de sua calcinha, ela estava se masturbando olhando o pau do Roger.

Roger: Bem que você poderia mostrar sua pepequinha, né.

Luana pensou um pouco e se levantou.
Ela mexia em sua calcinha, fingindo que ia tirar.

Luana: Eu tiro, mas com uma condição. Eu quero que você goze para mim.
Roger: Acredite, isso não é condição, é consequência! Difícil seria não gozar vendo uma mulher gostosa assim.

Luana se demonstrava cada vez mais excitada com a situação.

Luana: Seu safado!

Luana se virou exibindo sua bunda para ele e inclinando suas costas, até evidenciar bem sua bundinha redonda com seu fio dental, e foi abaixando sua calcinha, deixando sua bucetinha e seu cuzinho apertadinho a mostra. Quando sua calcinha saiu, deu para ver um fiozinho de seu melzinho, sua buceta estava muito molhada.

Roger: como eu gostaria de fuder essa buceta gostosa.
Luana: Ela tá bem molhadinha…

Roger já estava batendo punheta para minha noiva. Luana sempre olhava pra mim, esperando que eu fosse pedir para ela parar.
Apesar de estar me mordendo de ciúmes, era isso que ela queria, não podia impedir ela de realizar sua fantasia, além do mais, ela já tinha realizado tantas fantasias minhas, que seria injusto eu pedir para ela parar.

Roger: Bem que podíamos gozar juntos, né.

Luana olhou para mim, talvez procurando permissão. Mas eu não disse nada  apenas continuei me masturbando, na verdade, não sabia o que dizer.

Ela sentou novamente na cadeira, ajustou a câmera para mostrar todo seu corpo, abriu bem as pernas e começou a massagear seu clitóris.

Roger sentou, também mostrando seu corpo todo e já batia uma punheta com velocidade.

Luana:Eu não achei que ia me excitar tanto assim… Tô tão excitada…
Roger: Nossa, te ver assim me deixa a ponto de gozar. Como eu queria meter nessa bucetinha rosa.

Luana começou a gemer, e gemia mais ainda quando Roger falava esse tipo de coisa.

Luana: Espera aí, só um pouquinho.

Me assustei. Luana saiu do escritório e ficou uns 10 segundos fora. Fiquei preocupado, talvez ela tenha se arrependido…

Mas não.
Ela voltou com um vibrador que ela tinha a algum tempo, era No formato de um pênis, era branco e grande, com algumas veias ele vibrava em 3 velocidades.

Luana: Lembrei dele, ele parece com o seu. (Riu)
Roger: Safada! Enfia ele, vai.

Fiquei com mais ciúmes ainda, mas com tesão ao mesmo tempo, não sabia dizer ao certo o que sentia.

Luana começou a meter o vibrador já ligado dentro dela. Ela gemia alto e penetrava dentro bem fundo, e quando estava lá dentro, fazia movimentos circulares. Ela sempre olhava para Roger, enquanto ele batia uma punheta.

Luana: Aí roger… Me fode vai…

Ela estava literalmente fantasiando com ele, se imaginando dando sua buceta para ele.

Luana: Bate uma punheta como se tivesse comendo minha bucetinha.
Roger: mete Luana, mete que eu tô quase gozando.

Eles ficaram de masturbando por mais alguns minutos, sempre falando putaria, ele dizendo que ela era gostosa e que queria fuder sua buceta.
Ela dizendo que queria dar para ele, sentar em seu pau até ele gozar.

Luana: Eu vou gozar!
Roger: Eu também, goza comigo.

Luana gemia alto e suas pernas tremiam. Ela enfiou bem fundo o vibrador e deixou lá dentro vibrando, enquanto massageava seu clitóris.

Luana: Eu tô gozando, porra eu tô gozando!!

Luana retirou o vibrador e ficou esfregando no seu clitóris. Sua bucetinha começou a esguichar. Luana raramente esguichava, apenas quando estava realmente muito excitada. O que havia acontecido aquela noite.

Luana: Que gostoso, Roger! Queria você metendo em mim!

Eu me assustava um pouco com as frases dela, mas no tesão as vezes falávamos coisas que não passam pelo filtro.

Roger: Vou gozar, Luana!

Roger começou a gozar, foram uns 6 jatos de porra que foram parar em sua barriga e peitoral. Luana gemia mais ainda ao ver Roger gozando.

Luana: Nossa, quanta porra pra mim!
Roger: Queria tudo na sua bucetinha!
Luana: Eu também!

Os dois foram se acalmando e riram um pouco da situação. Luana estava um pouco envergonhada, pois tentava cobrir seus peitos de leve com um braço.

Luana: Nossa, isso foi loucura!
Roger: Nem me fale, mas foi muito bom!
Luana: foi mesmo!

Os dois tomavam fôlego.

Roger: Se você morasse em Florianópolis, iria querer muito te ver!

Luana levou um susto e não se deixou esconder, Roger percebeu o espanto. Eu também estava muito espantado. Sinceramente não tinha pensado que se a câmera caísse em pessoas aleatórias, o que impediria de cair em alguém próximo de onde vivemos, na mesma cidade, ou até em alguém conhecido!

Luana olhou pra mim com uma face de medo.

Roger: Você mora aqui também??
Luana: Moro…
Roger: Caraca! Não acredito. Podíamos marcar algo, né?

Luana não falou nada, parecia que as palavras não saiam da boca dela.

Roger: Ou se não quiser, pelomenos pega meu contato, podemos repetir.

Luana: Pode ser…

Eles trocaram contatos. Achei que ela poderia acabar dando um número falso, mas deu o verdadeiro. Na hora ele já mandou oi pelo Whatsapp, e ela respondeu.

Roger: Nossa, nem acredito.

Luana ainda estava visivelmente em choque.

Roger: Luana, eu queria ficar aqui a noite toda, mas preciso ir. Mas agora que tenho teu contato posso ir tranquilo sabendo que posso te ver de novo.
Luana: claro…
Roger: Foi muito bom, você é uma das mulheres mais gostosas que já vi. Até mais.

Roger deslogou.

Luana fechou o site antes que outra câmera substituísse.
Ela se virou para mim assustada.

Conversamos e decidimos que não iríamos chamar ele, só se ele chamasse.

Ela me contou que ficou meio que no automático, estava com tanto tesão pela experiência que ficou muito excitada. Eu falei que tinha ficado com bastante ciúme, mas no fundo tinha gostado também.
Tenho até vergonha de admitir, mas estava com uma leve raiva por ele ter gozado, ela ter gozado pra ele e eu não.

Mas não demorou muito, até irmos para cama e começarmos um sexo maravilhoso. Gozamos várias vezes aquela noite.

Continua…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 5,00 de 13 votos)

Por # #

5 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Paulo Roberto

    Conto maravilhoso. Eu também sou vidrado nesses joguinhos de safadeza. Quem gostar e quiser, meu e-mail é [email protected]

  • Responder Casal cambirel crs e d4

    A que saudade do msn, eu e minha esposa transavamos muito assim. Começamos no virtual e partimos pro real, com casais, solteiras e solteiros..

  • Responder Samira

    Sua música tocou, qdo perguntada sobre vc, a resposta foi que vc sabia, mas não estava em casa. E digo mais, não sei como foi o desenrolar depois, mas td leva crer que ela não só tinha a curiosidade de olhar, tinha tbm vontade de transar com outro. E pelo andar da carruagem, ela o fez, com ou sem consentimento. Sei bem como é isso, pq passei por situação semelhante. No início, meu noivo compactuou com a idéia, e aceitou que eu tivesse contatos, e transas virtuais com outros homens, mas no meu caso, o tesão falou mais alto, e eu quis transar pra valer, e ele não aceitou. Td bem, respeitei a decisão DELE, naquele momento. A partir de então, nossas transas passaram de ótimas para superficiais, eu apenas deixava ele se satisfazer para acabar logo. De forma egoísta, ele me proibiu até de me relacionar virtualmente. Então decidi, que com ou sem o consentimento dele, eu continuaria sim.
    Enfim, como eu disse, o tesão falou mais alto. E por ele ter sido tão egoísta, cansou de chupar minha buceta com gosto da gala de outro homem. Quatro meses depois, ele enfim descobriu que estava chupando rola “por tabela”. Mas não adiantou espernear, pq eu já estava decidida. Hj ele é um cuckold feliz.

  • Responder carlos

    parabens pelo seu conto, mas não demore pra continuar esta historia

  • Responder Vantuil OB

    Que beleza, primeira vez que bato punheta dessa forma. Gostei muito. Espero logo a continuação. E claro, vai dar a bocetinha pro Roger