# # #

Pequena Aninha, minha perdição

1270 palavras | 6 |4.19
Por

Continuando…
/2020/08/chupando-minha-filhinha/

Eu tentei não fazer mais, só que o diabo atenta.
No caso o diabo aqui são vocês, desde que eu relatei a minha chupada deliciosa na Aninha, recebi muitos incentivos, ideias, dicas.
E antes só tinha consumido aqueles pornôs com meninas tailandesas mas vcs me deram uma outra visão, me alimentaram com mais histórias de meninas com seus pais, tios, “tios”, padrastos e até mães.
Enfim, só sei que minha vontade foi aumentado e minha coragem também.

Depois da minha aventura com minha filha, ela ficou um pouco ressabiada e sempre tentava ficar longe. No começo, eu também tentei evitar.
Só que eu via vídeos de pequenas sendo chupadas, dedadas, fazendo pau de chupeta.

Meu Senhor, eu queria muito ela. Reparava nos seus shorts apertadinho, delineando sua bundinha gostosa, os traços de sua bucetinha.
Tava decidido, eu ia ser mais que um pai para minha bebê.
Um dia minha esposa saiu e só levou o Arthur, a Ana até queria ir, mas a minha esposa disse que não ia dar conta do dois e a Aninha ficou triste com cara de choro, mas minha mulher não deu muita trela para a “manha” da Ana.

Eu tava louco, ia ser meu segundo contato íntimo com minha filha, a gente estava sozinho em casa, só de pensar nisso, meu pau já estava doendo de duro.

Claro que eu esperei alguns minutos depois que minha mulher saiu, vai que ela volta por algum motivo.
Depois de me sentir “seguro” e liguei a tv e coloquei na cartoon, é um canal que minha filha gosta e chamei ela.

– Aninha, o pai colocou no desenho para você, vem assistir com o pai.
Ela me olhou desconfiada e disse que ia brincar no tablet.
– Ana Clara vem aqui um momento
Falei firme, e ela veio meio sem querer
– Que foi pai? Falou meio sem me olhar
Eu levantei o rostinho dela, eu comecei mexer com o emocional dela
– Eu só queria saber porque vc não gosta mais do papai?
– Eu gosto. Ela falou baixinho.
-Gosta? Gosta tanto que queria sair com sua mãe e ia me deixar sozinho. Agora eu coloco seu desenho favorito e vc nem me dar bola.
Vem senta um pouquinho com o papai.
– Mas pai…
– Sem mais Ana Clara, vai ser só um pouquinho.

Sento ela no meu colo, de cara ela já sente meu pau cutucando a sua bundinha.

– Não sei porque vc faz isso com o pai, eu te amo tanto.

Ela nada respondeu, só vidrou o olhar no desenho da tv, enquanto eu acariciava suas coxinhas, chegando próximo da bucetinha, beijava e cheirava seu pescoço.
Que cheiro que ela tem, que pele lisinha. O cabelo dela batia em meu rosto trazendo mais do seu cheiro, e me deixava mais louco.

Eu segurei sua cintura e virei ela para mim, sentada com as pernas escancaradas em volta de mim, meu pau sentindo a quentura da sua buceta. Eu comecei roçar descaradamente.

– O papai quer um beijo
Ela me olhou com espanto, mas disfarçou e deu um beijo no canto da bochecha, e eu virei meu rosto de encontro a aquela boquinha pequena, e beijei com vontade, ela ficava sem jeito, tentando sair.

Fiz sua bundinha empinar com uma boa roçada na bucetinha e enquanto beijava minha pequena, eu enchia a mão naquele traseiro gostoso.

Minha filha era minha, minha e só minha.

Nesse ímpeto, levantei carregando minha pequena.

– Continua beijando o pai, eu amo seus beijo, sua boca gostosa.
Ela beijou porque não podia me negar isso e já estava ciente.
Fiquei feliz da vida, sabendo que ela vai ser minha putinha e vai fazer tudo por mim.

Levei ela para seu quarto, aquele cantinho tem uma magia especial.
Mandei ela fica nua, nisso ela voltou a relutar, eu só dei uma olhada bravo e ela começou a se despir.

Tirou a camisetinha branca e rosa da LoL, eu não aguentei e caí de joelhos para sugar aqueles pontinhos rosas. Ela ainda não tem nada de peito, mesmo assim meu tesao foi as alturas, eu chupava com loucura, a pele branquinha da minha nenêm estava ficando bem vermelha.
Pedi para tirar o resto da roupa, queria ela nuazinha.
Ela tirava short branco e a calcinha de algodão junto.
Minha filha de 7 anos estava nua na minha frente e eu com uma baita ereção e louco de desejo.
Eu já tinha visto ela no banho, mas nesse dia eu tava o demônio com tesao.
Saquei meu pau para fora, punhetando de olho na minha menininha, que agora me olhava com curiosidade, ela nunca tinha visto o meu pipi, só do Arthur quando tava nas fraldas ou no banho.
Eu era o primeiro pau da vida dela, e que orgulhoso eu estava.

– Aninha, baby, chega mais perto. Vem dar um beijinho aqui também.
-Ah pai, isso não, eu não quero
– Vem logo, guria.
Minha voz estava grossa de desejo.
Ela se aproximou peladinha.
– Da um beijinho bebê?
Ela veio com cara de nojo, beijando sem mal abri a boca.
Segurei sua cabeça, fazendo ela abrir a boca, enquanto eu colocava a cabecinha.
– chupa neném, chupa o paizinho!
Ela começou a chupar com sua boquinha delicada. Que delícia sentir a sua língua deslizar no meu pau, sugava como uma mamadeira. Ela tava pegando jeito. Enquanto isso, meus dedos desfrutava de sua buceta pequena, tentava empurrar um dedo, mas ela rebolava para escapar da minha invasão.

Eu estava quase gozando na boquinha da pequena sugadora.

Coloquei ela na cama, eu estava aficionado com a ideia do meu dedo enterrado nela.
Deitei ela na cama e falei para abrir bem as pernas, com uma mão punheta a meu pau babado e com a outra bolinava a Aninha. Larguei meu pau para segurar a barriga da pequena reboladora que não parava quieta, parecia uma cobrinha. Kkk
Segurei firme e fui empurrando me dedo do meio devagar, que grutinha quente. A carinha de dor era um ecstasy a mais..

Tudo isso era demais para mim, tentei empurrar mais um dedo, mas tava apertada demais.
Tirei minha mão e cai de boca, nessa buceta que eu já sabia o gosto, e tava ficando viciado no seu sabor.

Não tava aguentando mais, fique de joelhos na cama, com as pernas entre o rosto da Aninha e botei ela para me chupar de novo, queria sentir aquela boca quente mais uma vez antes de gozar.

E o gozo veio forte, gozei com prazer em todo seu rostinho, olhos, lábios. Eu fiz uma sujeira boa. Kkk

Ela passava a mão para limpar em vão.

– viu Aninha, o papai te ama, e isso é a prova. Você gostou?
Ela nada respondeu
-GOSTOU? Perguntei mais alto
-hurum… falou tímida só para eu não ficar bravo
– E você vai guArdar segredo?
-Porque?
_ porque tem que guardar, não é para falar para ninguém, promete que não vai deixar o pai triste,
– Tá…
– Quero ver hein. Agora já para o banho.
Ela passou por mim toda peladinha e gozada, mas eu me segurei e fui me trocar também.

O remoço dessa vez foi menor, o que eu via era mais possibilidades, e isso me deixava muito feliz.

Eu amo minha filha, amo minha pequena deliciosa.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,19 de 16 votos)

Por # # #

6 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder athos

    Quero descobrir o que elas mais querem de um adulto homem. @Pauloxyk

    • Tiozão

      Arromba ela e goze dentro pra marcar território

  • Responder athos

    Delicia tem que continuar e meter o pau na bucetinha e no cuzinho desta putinha. @Pauloxyk

  • Responder vander

    bom demaiseste conto

  • Responder Louise

    Quando vai comer ela?
    Faz a putinha gostar

  • Responder Fabinho

    Tem que ir com carinho. Talvez ele deixasse idiota..