# # #

Eu e o papai

466 palavras | 5 |4.26
Por

Bom, hoje vou contar a vocês a primeira vez entre eu e meu pai. Eu me chamo Anderson sou um jovem negro, 15 anos, tenho 1,75 um corpo definido e uma bunda bem redonda. Já meu se chama Matheus, ele tem 36 anos meu pai tem 1,95 bem malhado e um pau de 22cm.

Bom eu moro com minha mãe mas fui passar férias com meu pai o Matheus. Eu e meu pai não tinha tanto contato daí ele me convidou pra passar as férias com ele aqui em salvador. Eu estava muito feliz, arrumei minhas coisas pedi pra ele me mandar o endereço novamente da casa dele e fui pegar o meu ônibus.

Cheguei na casa dele, um apartamento com uma sala, cozinha, banheiro e 1 QUARTO. Meu pai logo me recebeu muito feliz, estava só de bermuda de jogar futebol e sem cueca, ele me abraçou e senti o seu pau. Ele conversou muito comigo botamos o papo em dia, aí do nada ele fala em sexo, eu fiquei sem graça ele percebeu e falou:

– não fica com vergonha, você está com seu pai, aqui podemos andar de cueca na casa, falar de mulheres e eu tirar todas as suas dúvidas.

Eu me sentir feliz, aí meu pai pedir licença e foi tomar banho. Ele deixou a porta e eu pude reparar naquele pau enorme, ele não exitou e me chamou pra tomar banho com ele, eu fiquei com muita vergonha mas depois de tanta insistência eu fui. Entrei no box com vergonha do meu pau que mole tem 12cm e ereto tem 17. Meu pai elogiou meu pau e disse que estava no tamanho. Percebo que meu pai estava ficando de pau duro, ele tratou com naturalidade e eu fiquei de boa, até que:
-filho, você topa bater punheta comigo?

Eu não pensei duas vezes e disse:

-pai tá brincando?

– não filho, só pra ficarmos mais íntimos. Não precisa ter vergonha e eu quero ser seu amigo.

-ta bom pai, quero saber se você ainda sabe bater punheta.

Meu pai logo botou a mão no meu pau, alisando e eu não perdi tempo fui alisar o seu saco. Ele começou uma punheta suave e eu estava amando,
Continuei batendo pra ele, estavamos ofegando, até que eu gozo sem avisar a ele, foram duas jatadas na coxa, ele olhou com cara de safado e pediu pra eu aumentar a velocidade da punheta, ele estava gemendo muito até que ele gozou 5 jatadas fartas no meu peitoral. Eu disse:

-o coroa ainda aguenta gozar

-que coroa muleque, pareço mais seu irmão e não seu pai.

Rimos e terminamos o banho.

Continua… E desculpa pelos erro de português.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,26 de 27 votos)

Por # # #

5 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder V22

    continua, mas acrescente mais detalhe na próxima 😉

  • Responder Cgboy

    Perde mais tempo descrevendo o corpo enquanto a foda em si. Fraco, nota 3 por ter perdido tempo escrevendo.

  • Responder Pistola

    Continua por favor

  • Responder Puto

    Amei conta mais

  • Responder Fabinho

    FRAQUINHO….