# #

O fogo de uma pré-adolescência incestuosa… (Parte 1)

2653 palavras | 7 |4.64
Por

À seguir vou contar vou contar a história de incesto e amor entre eu e minha irmã… Pra história não ficar muito longa, vou dividi-lá em 4 partes.

Olá… Meu nome é Thiago, tenho 20 anos, sou meio magro, meio fortinho, tenho cabelos pretos na altura dos ombros, pele clara e olhos pretos. Tenho 3 irmãs, Déborah de 6 anos (é quase uma filha pra mim, rsrs), Priscilla de 16 anos e Juliana, que também tem 20 anos (somos gêmeos). Juliana tem pele clara, é ruivinha com olhos azuis claros, cabelos meio ondulados e longos, tem um rostinho angelical, é uma mulher muito linda!.

10 anos…

Bom… Desde bem novinhos nós sempre fomos muito apegados um ao outro, tínhamos e temos até hoje uma amizade de irmão e irmã que valorizamos bastante. Aí quando a gente tinha 10 anos essa nossa relação de irmãos começou a mudar. Pra ser mais específico começou na nossa festa de 10 anos, foi momentos antes do parabéns que o nosso “despertar sexual” ascendeu-se. A gente tava indo pro quintal, onde todos estavam a nossa espera pro parabéns.

Aí passando pela sala nós vimos uma cena que até hoje comentamos sobre, vimos a nossa priminha de 7 anos chupando um menino de 13, que era irmão de um amigo meu. Naquela época nós ainda éramos só duas criança, que nada sabiam sobre o que estávamos vendo, mas eu tinha uns amigos mais velhos que sempre falavam desse assunto. Um ou outro dizia que fazia e tals, eles contavam tudo que faziam bem detalhadamente, e isso foi atiçando a minha curiosidade.

Bom… Depois que a festa acabou eu e minha irmã fomos tomar banho, lá ela ficava o tempo todo olhando pro meu pau que não amolecia nunca, rsrs. Em seguida fomos dormir, no quarto, a gente tava deitado de conchinha na minha cama, eu atrás de minha irmã, já esfregando meu pau já duro nela.  Um tempo depois, ela do nada vira de frente pra mim e leva sua mãozinha gelada até meu pau e fica alisando ele, em seguida ela se posicionou de joelhos na minha frente.

Um tempo depois eu me ajeitei na cama e fiquei de barriga pra cima, aí sem falar nada, a minha irmãzinha de apenas 10 aninhos colocou meu pau, que era até que grandinho pra minha idade, tinha uns 10cm. Minha irmã colocou ele em sua boquinha e começou a chupar, igual vimos a nossa prima fazendo umas duas horas mais cedo. Aquele foi o primeiro boquete que ela me fez e foi bom pra caralho, rsrs, é verdade que doeu um pouco, e ela arrastava os dentes no meu pau. Mesmo assim foi muito, muito bom, e ela ficou me chupando por bastante tempo, mas logo o sono bateu e dormimos.

Uns dias depois, a gente tava brincando de lutinha no quarto, e em um certo momento minha irmã ficou por cima de mim, que já tava de pau duro, rsrs. Aí minha irmã do nada saiu de cima de mim, puxou meu short e minha cueca pra baixo e tirou meu pau pra fora, em seguida ela olhou pra mim e perguntou – Posso irmão?. Eu apenas acenei positivo com a cabeça, aí minha irmã levou meu pau até sua boquinha e começou a chupar e assim ela ficou por um tempão…

Uma vez um amigo meu que tinha 13 anos, ele disse que fazia sexo com a irmã de 11 anos dele, ficou contando tudo que ele fazia, disse que eles deitavam na cama e ele ficava esfregando o pau na bundinha de sua irmã e tals, quando eles dormiam juntos de conchinha, ele falou que ficava esfregando o pau nela até ela dormir, disse que ela gostava e ficava esfregando a bunda no pau dele, e que chupava ele e tals. Aquilo foi fazendo eu querer experimentar o que meu amigos faziam, porquê eles diziam que era muito bom.

A partir daí eu comecei a sentir uma sensação nova crescendo dentro de mim, sempre que eu olhava pra minha irmã, me imaginava fazendo com ela o que meu amigo fazia com sua irmã. Quando a gente tomava banho juntos, eu sempre ficava com o meu pinto duro, na época não entendia o porquê dele ficar daquele jeito, mas hoje sei que eu sentia tesão por minha irmã, que mesmo aos 10 anos já tinha um corpinho bem desenvolvido pra idade, mesmo sendo muito novinha era bem gostosinha, seios pequenos, mas já começando a crescer, e já apotavam nas blusas que ela usava, tinha uma bundinha bem grandinha e empinadinha e coxas um pouco grossas.

Era assim em todos os banhos que tomávamos juntos, e como minha irmã era uma garota bastante curiosa, perguntava o porquê de meu pinto ficar daquele jeito, duro e apontando pra cima, eu sem saber o motivo não falava nada. Uma vez a minha irmã tocou nele, a gente tava tomando banho, e como sempre meu pau tava duro, aí minha irmã levou sua mãozinha até ele e disse – Ele é duro e quentinho irmão, rsrs.

Isso acontecia sempre que a gente tomava banho, e quando a minha irmã tocava no meu pau, eu sentia uma sensação diferente e meu pau dava uns pulinhos, rsrs. Mas como nós éramos apenas duas crianças, não fazíamos mais nada, além dela ficar alisando meu pau duro enquanto a gente tomava banho. Eu sempre pedia pra ela chupar meu pau de novo, porquê foi bom demais, rsrs, e ela chupava às vezes, rsrs.

11 anos…

Aos 11 anos as coisas ficaram intensas, naquela idade minha a irmã começou a ganhar curvas, era uma garotinha magrinha (é até hoje), seus seios eram pequenos ainda, pareciam morangos, mas sua bunda era grandinha e empinadinha. Nos banhos que tomávamos juntos, ela pedia para eu ficar alisando a sua bucetinha enquanto alisava meu pau, rsrs, ela dizia que era porquê sentia uns choquinhos em sua bucetinha e que gostava daquela sensação.

Ali, na mais pura inocência, nós dois estávamos estimulando o sexo um do outro, ou seja estávamos nos masturbando, e era uma sensação incrivelmente boa, eu olhava pra minha irmã e via ela com os olhos quase fechados e com a boquinha entre-aberta vez ou outra soltava um gemidinho. Todo banho acontecia isso, e mesmo sem eu pedir, a minha irmã se ajoelhava no chão do banheiro, colocava meu pau em sua boquinha e começava a chupar ele.

Logo a gente se masturbava enquanto estávamos deitados na cama também, a gente deitava um do lado do outro, de barriga pra cima. Enquanto eu ficava alisando a bucetinha de minha irmã, que gemia baixinho e se contorcia todinha, ela alisava meu pau, que ficava meladinho bem rápido. Um tempo depois eu pedia pra pra chupar meu pau, aí minha irmã se ajoelhava na minha frente começava a chupar meu pau, rsrs.

Eu aos 11 já entendia um pouco sobre as sensação que eu sentia, porquê vi na internet, eu me masturbava muito, muito mesmo, eu ainda não esporrava, só saía uma aguinha do meu pau, que era pequeno, fino e sem nenhum pêlo. No começo eu só me masturbava quando tava deitada de bruços na minha cama, ou quando minha irmã ficava alisando meu pau. Quando ela não tava afim, eu ficava esfregando meu pau no colchão ou na minha própria mão, rsrs, fazia isso até ficar cansado, até que um dia aprendi a me masturbar do jeito “certo”.

Um dia eu tava na casa do meu primo Matheus, junto tava também o Lucas (amigo dele), a gente tava no quarto do meu primo assistindo um filme pornô. Aí quando olho pro lado vejo Lucas se masturbando, em seguida olho pro Matheus que tava na cama, também masturbando, aí eu falei – O que vocês estão fazendo?. Meu primo fala – Se masturbando!. Eu – Posso fazer também?. Ele – Claro. Eu – Como?. Lucas – Tira seu pau pra fira e aí fica fazendo igual a gente.

Eu então tirei meu pau pra fora e também comecei a me masturbar, em pouco tempo, a cabeça do meu pau tava toda meladinha com aquela aguinha. Um tempo depois o Lucas olhou pro meu primo e aí falou – Uma vez minha prima Thaís chupou o meu pau igual essa mulher… Foi bom pra cacete, eu até gozei na cara dela, rsrs. Eu – Minha irmã me chupa também. Matheus não acreditando falou – Vocês dois mentem pra cacete hein. Lucas – É verdade mano… Deixa eu te mostrar o vídeo que fiz.

Aí ele pegou seu celular e mostrou um vídeo pra meu primo, que ainda não acreditando falou – Não é você. Lucas – Claro que sou eu… Continua vendo, ela vai falar meu nome. Segundos depois meu primo fala – Caralho é tu mesmo mano… Filho da puta, rsrs. Aí eu falei – Também quero ver. Lucas – Tua irmã te chupa mesmo?. Eu – Ahã. Ele – Quria ver isso um dia, rsrs. Aí ele me deu o celular e eu vi que era mesmo a prima dele, pois eu conhecia ela, que no vídeo diz “para de me filmar Lucas… se não vou parar”, aí o vídeo acabou e eu devolvi o celular pra ele.

A partir dali eu passei à me masturbar todos os dias, e às vezes durante os banhos que tomava com minha irmã também, e ela ficava olhando com aqueles olhos curiosos, enquanto se ensaboava e se alisava, rsrs, mas sem dizer nenhuma palavra. Até que uma vez ela viu eu fazendo aquilo com meu pau e perguntou – O que você tá fazendo irmão?. Eu – Tô me masturbando!. Ela – Por quê você tá fazendo isso?. Eu – Porquê é muito bom!… Sabe quando você fica alisando ele?. Ela – Sei. Eu – Sinto a mesma sensação, só é que muito melhor. Aí ela não perguntou mais nada e continuou tomando seu banho enquanto eu me masturbava.

Um dia a gente estava deitado em minha cama assistindo um filme, era por volta das 10h, e tava um friozinho gostoso, nós estávamos meio que de conchinha, com eu atrás dela, já de pau duro, rsrs, aí eu comecei a acariciar sua coxa, aí minha irmã falou – Ele tá duro irmão!?. Eu nada falei e continuei acariciando e encoxando minha irmã, que um tempinho depois falou – Irmão?. Eu – O que foi?. Ela – Posso ver você fazendo aquilo de novo?. Eu – Quer ver eu me masturbando?. Ela – Ahã!. Eu – Tá bom… Senta de frente pra mim vai.

Aí minha irmã sentou na minha frente, em seguida eu tirei o meu pau pra fora, e ele tava até pulando, rsrs. Eu logo comecei a me masturbar e assim fiquei por uns 5 minutos, aí ela falou – Isso é bom mesmo irmão?. Eu meio gemendo falei – Ahãnn… É muito bom irmã… Quer fazer também?. Ela ficou meio pensativa por alguns segundos e falou – Tá bom. Eu – Antes pega meu tablet ali. Ela – Pra quê?. Eu – Quero filmar… Você deixa?. Ela – Pra quê você quer filmar?. Eu – Por nada não. Ela – Tá bom irmão.

Aí ela foi e pegou meu tablet, em seguida sentou do meu lado, aí eu já gravando disse – Pega nele. Aí ela colocou a mão no meu pau e falou – E agora… O que eu faço?. Eu – É só você ficar mexendo a mão pra cima e pra baixo, mas não vai muito rápido. Ela – Tá mas quando acaba?. Eu – Não sei… Mas de uma hora pra outra ele fica mole, e sai tipo uma aguinha dele, e aí você pode parar.

Aí eu abraçei ela com o braço direito e fiquei ajudando ela com a mão esquerda, aí eu falei – Isso aí, continua. Ela – Isso é meio estranho, rsrs. Eu – Mas é muito gostoso também. Minha irmã ficou batendo punheta em mim por uns 10 minutos, até que meu pau começou a ficar mole e saiu aquela aguinha, que melou a mão de minha irmã, que curiosa que era lambeu a sua mão. No que lambeu fez carinha de nojo, aí eu falei – Tem gosto de quê?. Ela – É meio docinho, mas não é bom. Eu – É ruim?. Ela – Ahã. Eu – E por quê tu lambeu sua doida?. Ela – É que eu queria saber se era bom ou ruim, agora sei que é ruim, rsrs.

Um dia a gente tava assistindo uns filmes que eu tinha baixado no meu PC, um deles se chamava “Maladolescenza”, era um filme bem impróprio pra crianças de nossa idade, mas como nós dois éramos MUITO curiosos, decidimos ver mesmo assim. Aí eu dei play no filme, logo na primeira cena aparece um garoto deitado no chão e totalmente pelado, e quando minha irmã viu o pau dele ficou de olhos arregalados e falou – Ele tá pelado irmão, rsrs. Eu – Tô vendo irmã.

Mais adiante esse mesmo garoto estava deitado no chão ao lado de um garotinha loira muito bonita, (que por sinal, aparentava ter a mesma idade que minha irmã). O garoto começa a beijar a bucetinha da garota, um tempo depois ele se deita por cima dela, aí eles começam a se esfregar e a se beijar, eu via na expressão da gorota que aquilo deveria ser muito bom. Aí minha irmã me pergunta – Vamos tentar fazer isso?. Eu – Vamos.

Logo a gente tava deitado na cama, já pelados, ela por baixo, de barriga pra cima e eu por cima dela, eu e minha irmã ficamos esfregando nossos corpos e se beijando ao mesmo tempo. Ao mesmo tempo eu ficava esfregando meu pau na bucetinha de dela, que gemia baixinho, se contorcia e agarrava o lençol da cama. Nós dois ficamos um tempão assim, até que ela reclamou, dizendo que o meu pênis à incomodava, disse que ele tava entrando. Então ela deitou de bruços, aí eu me debrucei sobre dela e fiquei esfregando meu pau já bem melado bem no meio da sua bundinha.

Isso acontecia todo dia quase, nós íamos pro quarto, deitavámos na minha cama ou na cama dela, já pelados e aí ficávamos nos esfregando e beijando por bastante tempo, logo estávamos suados e muito cansados então parávamos e íamos nos banhar. Os dias foram passando e nós passamos a fazer de tudo que vimos no filme, um dia nós fomos pra um lago que tinha aqui perto de onde moramos (hoje não existe mais), e como sabíamos que ninguém ia lá, nós nadavámos pelados, aquele era nosso cantinho secreto, rsrs.

A gente levava uns lençóis numa mochila e uma cesta de piquenique com uns lanches, lá colocávamos os lençois no chão, fazendo tipo uma caminha, que era nosso ninho de amor, rsrs. Em seguida a gente se despia e ficávamos pelados, aí deitavámos e ficávamos nos esfregando, beijando e masturbando um ao outro.

Lá, a gente “brincava” muito, rsrs, minha irmã me chupava muito, e eu chupava ela também, rsrs, na verdade eu ficava só beijando a bucetinha de minha irmã, igual no filme que vimos, a gente ficava um tempão fazendo “carinho” um no outro. Nós fazíamos essas coisas quase todos os dias, no início por curiosidade, mas aquilo logo se transformou em um vício maravilhoso, rsrs.

(Continua)…

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,64 de 14 votos)

Por # #

7 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Anonimo

    Cara termina de escrever a continuaçao do seu conto por favor favor nao me julguem do gordinho da escola veio… vc ja postou outra historia com varias partes novas desse conto aqui e outro ta incompleto termina de escrever aquele conto por favor meu cria vergonha e responsabilidade para com seus leitores porra!

    • thiago (autor)

      Eu não escrevi aquele contos Anonimo

  • Responder Anônimo

    cara continua

  • Responder Amon

    Me diz uma coisa, vc conseguiu pegar tbm a priminha que chupou o moleque.

    • thiago (autor)

      Não consegui, pois não tinha intimidade com ela, sabe

  • Responder ANNINHA

    Bom conto 😉

  • Responder Rafaella

    bonzinho