# #

Minha sobrinha de 8 anos descobre minha rola

3239 palavras | 51 |4.31
Por

Minha sobrinha de 8 anos ficou rodeando rodeando até que descobriu o bichão que ela sentia na bundinha ao sentar no meu colo.

Meu nome é Robson, acabei de fazer 30 anos, instrutor de academia e personal trainer, moreno claro, 1,81 de altura e os meus 96 kilos de muita malhação sofrida com orgulho. Meu pai falecido muito tempo atrás, minha mãe já aposentada, estavamos já acostumados somente minha mãe e eu. Ela passava mais tempo em seu proprio quarto vendo tv que no resta da casa. 

Já Faz alguns meses que minha irmã, mais noiva que eu, se separou e se mudou de volta pra casa e minha liberdade já não era a mesma tendo minha sobrinha em casa. Juliana, uma linda menina de nove anos, cabelos castanhos longos encaracolados, olhos e sorrisos grandes como minha irmã, e muito cheio de energia. 

Sempre fui presente ajudando minha irmã, até que ela tentou morar o pai de Juliana, um cara com mente de moleque, durou um bom tempo e resolveram se separar. Mas mesmo todo o tempo quando minha irmã estava casada, eu sempre as visitei, passava tempo com a ela e Juliana e depois eu ia embora, mas agora morar com ela é outra coisa. 

Minha irmã sempre trabalhando ou estudando, sempre cansada ia pra cama primeiro que Juliana, que acabava ficando no quarto da minha mãe com ela, ou na sala comigo as noites quando eu estava em casa, sempre tinha que convence-la que já era hora de ela ir dormir, e me deixar quieto na sala vendo tv. Ela sempre está correndo, pulando , não cansa.

Eu chego da academia já tarde da noite, tiro minha camiseta e sento no sofá pra dar uma descansada antes de banho, janta e tal. Até mesmo ficava de cueca, mas agora com Juliana eu ponho um short qualquer. Tive que me acostumar a trancar as portas, por varias vezes acordei de manhã com a porta do meu quarto aberta, eu de pau duro pulando pra fora da cueca ou samba canção, enquanto Juliana desenhava e pintava ao pé da minha cama. E as vezes que estava no banheiro dando aquele mijão sem fim e ela entrava só pra lavar as mãos, eu tinha que me virar pro outro lado pra ela não ficar vendo meu negócio.

E essa menina ficou com a mania de correr e se jogar no meu colo com tudo, daí tento fazer ela parar, que o tio quer ficar quieto. E as sentadas dela no meu colo foram se prolongando. Eu empurrava a bundinha dela pro lado pra não sentir meu pau, acho que ela percebeu que tinha algo alí meio proibido. Não sou de ferro, numa noite abri bem minhas coxas escorando no sofá, enrolei as pernas do meu short pra ficar mais curto, eu já ouvia ela vindo pra sala e veio se jogou no meu colo, depois de ajeitar ela, eu aproximei a bundinha dela, naquele shortinho rosa, até ela sentir meu pau e deixei, ela parecia ter gostado. E eu também não tinha feito nada de mais. 

Noutra noite eu vesti só um short de exercício, mais folgado e curto, e sabia que ela ia vir sentar no meu colo. Eu só queria sentir mais uma vez e também ela tinha essa curiosidade de menina, então abri minhas pernas no sofá só esperando, a sala só com a luz da tv como sempre. Juliana veio correndo e desta vez acertou em cheio e machucou minhas bolas me deixando mudo de dor com a mão no meu saco. 

– Tio, desculpa tio, desculpa, por favor, desculpa! – suplicou Juliana apavorada me dando beijinhos pra me acalmar.
– Não corre assim!! Desse jeito machuca o tio, Juliana! – eu disse gemendo com a mão no saco por cima do short.
– Deixa eu beijar que sara, tio! – disse ela levantando a minha mão dando beijocas.
– Não foi minha mão que machucou sua bobinha! Foi o meu saco!
– Ah tio, entendi – disse ela dando risadinhas e cobrindo a boca. – Mas como ía machucar se é pequeno?
– Ju, bobinha. Saco de menino é pequeno, mas de homem é grande, porque cresce. – eu disse na maior naturalidade, mas ela pareceu confusa olhando diretamente pra minha virilha tentando imaginar. – Ah, igual os peitos né? – ela disse apertando seu peitinhos de azeitonas por cima de seu pijama.
– Você já está muito esperta! – falei sorrindo, e ela ria parada na minha frente, cobrindo a imagem da tv, então ela foi mais pra um lado, deixando a luz da tv iluminar entre minhas coxas para ela reparar melhor, eu fingi continuar com a atenção na tv, ela curiosa até se sentou no chão dando um jeito de ver minhas bolas dentro do short folgado, e acabou vendo parte dos meus bagos.

Essa cena fez eu ficar duro, eu não havia planejado isso, ela percebeu que um volume aumentou, me olhou no rosto e ficou sem graça e soltou um comentário:
– Ah tio, cresce mesmo!
– Ju, as bolas crescem aos poucos com a idade do menino se tornando homem, não de uma hora pra outra, o que vc viu crescer não são minhas bolas. E você não deve ver pipi de meninos, não representam a realidade.

Expliquei em poucas palavras porque eu já estava expondo demais. Juliana levantou saiu correndo pela casa, voltou desta vez sem correr e se sentou no meu colo de novo, abri as pernas e ela se ajeitou bem em cima do meu pau que ainda estava enorme sob meu short branco. Eu mantive minhas mãos na nuca naturalmente vendo tv, fiz de conta que nem percebi quando ela se assustou com que sentiu na bundinha saiu e virou-se pra ver meu volume, o contorno do meu pau já dilatado estendia-se pro lado ressaltado pela sombra da luz da tv. Ela em silêncio veio de novo, pondo sua bundinha do outro lado cuidando de não encostar na minha rôla e eu só reparando o jeito curioso dela, me olhando buscando aprovação. Eu comecei a ficar com tesão, mexi meu quadril até a bunda dela parar em cima do meu pau. E assim foram as próximas noites, eu adorando essa safadinha se aproveitando do bilau do tiozão.  

Nessa noite eu havia malhado pernas, estava moído, coloquei um samba canção branco bem surrado. Minha mãe já tinha dado boa noite, minha irmã já dormia havia tempo porque levanta muito cedo, casa escura, e sabia que Juliana já viria. Então no sofá abri minhas pernas e esse short deixou minhas bolas ficarem expostas. Ela veio naquela felicidade por eu haver chegado, se encaixou entre minhas coxas e sentiu o volume, ao se virar a luz da tv iluminou meu saco pra fora, e ela tentava entender o que era.

– É o saco do tio, Ju, como eu te falei, saco de homem é grande.
– Mas tão grande e estranho assim??
– O pinto do tio que também tá grande, mas esse cresce de repente. Você nunca viu o do seu pai?
– Eu não tio! Por que? É igual? – ela parecia confusa olhando pro meu volumão. E eu estava ficando meio louco, ela parecia não desistir.
Eu expliquei que as vezes é, puxei minhas bolas pra fora do short na lateral pra ele poder ver tudo. Ela pois a mão na boca espantada. Disse pra ela que parecia feio, mas ela havia machucado e ainda doia um pouco, e não sabia quem podia me ajudar.

– Desde aquele dia não sarou, tenho que achar alguém que possa fazer sarar!, eu disse provocando.
– Eu sei tio! eu sei! É só beijar que passa!
Eu fiz cara de quem estava duvidando pra atiçar ela. Mas ela se deu conta que havia se empolgado demais então disse que não sabia se podia beijar alí. Eu disse que se é pra ajudar numa dor, sim podia, mas não insisti, voltei minha atenção a tv, ela estranhou o silêncio, ficou inquieta se escorando na minha coxa, olhava pra minha virilha e em seguida se virava tentando esquecer, mas olhava de novo, coçava sua pepeka. Eu massageava meu saco sutilmente, acho que isso a deixava mais interessada. 

-Tio, se você prometer não contar pra ninguém eu posso ajudar! –  disse olhando em meus olhos. Eu disse que claro, que isso seria uma coisa entre tio e sobrinha e ninguém mais poderia saber nem mesmo a sua mãe.

Juliana estava numa fase de descobrimento do sexo oposto, eu era o único homem próximo já que seu pai não dava muita atenção.  Já vi algumas vezes ela se esfregando na almofada e minha mãe dando bronca nela,  que ela devia sentar e não arreganhar as pernas, eu evitava prestar atenção pra não ficar pensando besteira, catava meu capacete e sumia com minha moto.

E agora ela estava parada na minha frente entre minhas as pernas esperando alguma reação minha. Então eu abri no máximo a minhas coxas puxei meu short pro lado pra liberar minhas bolas pra fora. Eu sempre aparo meus pelos pubianos e passo Gilete no saco dando um aspecto de limpeza. Com a minha mão fui empurrando ela fazendo ela se ajoelhar e empinei meu quadril projetando mais o saco próximo ao rostinho dela. Ela ficou olhando com seus olhos grandes e parecia ansiosa pra começar. Então puxei a cabeça dela devagarinho pra começar beijar aos poucos meu saco. 

O meu pau estava escondido dentro do short e eu cobria com a mão deixando ela mais curiosa. Disse pra ela começar por baixo e ela foi dando beijos delicados devagar olhando em meus olhos pra saber se não doia. Então ela percebendo que eu estava gostando sorriu e disse: Viu tio deve estar sarando já né? – eu concordei com a cabeça e fiz sinal pra ela continuar. Falei pra ela passar a língua mas ela não tinha muita experiência e ajudei direcionando a cabeça dela pra minha virilha pedindo pra colocar mais pressão é sugar forte, a pele do meu saco esticava como chiclete na boca dela.

Falei pra ela apalpar e sentir as bolas dentro, falei que eram bolas de homem e se chamavam testículos.
– Mas tio por que que é tão grande!?
Eu não queria entrar no assunto e ficar explicando tudo pra ela naquela hora. Então a posicionei para cheirar minha virilha e beijar a base da minha rola. Aos poucos fui revelando o meu Pau a medida que ela ia beijando, eu disse que também estava doendo porque ela todo dia batia ali no pipi do titio. Ela ia beijando sem reclamar a boquinha dela era macia quente molhado ia subindo na lateral do meu pau . Eu não havia tomado banho ainda e eu pude sentir o cheiro forte da minha própria virilha e rola, o cheiro de mijo estagnado e minha sobrinha pequena passando a linguinha com suas mãozinhas apoiadas nas minhas coxas.

Eu estava ofegante e quase não acreditava no que via tendo aquela garotinha linda ajoelhada beijando a minha rola com todo carinho. Juliana interrompeu ergueu a cabeça para ter uma visão do bichão de 21 cm, eu adorava ver a reação das minas, eu vi sua carinha impressionada com aquela tora diante do seu nariz. A cabeça do meu pau brilhava e era grande e ela olhava tentando entender. 

Eu perguntei se ela queria tirar o short porque seria mais confortável e ela poderia sentir também algo gostoso e entreguei a maior almofada do sofá pra ela por no meio das pernas enquanto estava de joelho. Eu sempre olhava pra ter certeza que a luz do corredor não estava acesa sinal de que ninguém estava vindo pra sala.

Juliana parecia não saber o que fazer, então falei pra ela beijar a cabeça do meu pau.
– Tio mas está com cheiro de xixi! – Minha sobrinha era muito esperta mas não tirava mão do meu pau.
– Ah Ju, Tio ainda não tomou banho cheiro de homem é assim, sua Pepeka também tem cheirinho bom depois que faz xixi. Por que você já não aproveita e já limpa com a boquinha senão tio tem que levantar ir lá longe no banheiro tomar banho vai ficar muito tarde pra voltar aqui.
-Tio mas ele está grande assim não é porque está cheio de xixi.!?
– Não bobinha, o pipi do tio está assim porque ele tá gostando de seus beijos, isso acontece com todos os homens.

Percebi que ela tinha baixado o shortinho e se esfregava na almofada discretamente pra que eu não notasse. Eu disse pra ela ficar tranquila porque não direi nada a sua vó. Isso acontecia porque a Pepeka estava contente. Fui direcionando a cabeçona da minha rola pra dentro da sua boquinha e ela deixou entrar, aos poucos fui empurrando, ela abriu a boca e foi aceitando. Empurrei mais forte na sua garganta, ela automaticamente pulou pra traz um pouco assustada, com os olhos arregalados recuperando ar. 

-Tio eu acho que não cabe tudo, ele é muito grande né?! Por que você quer por dentro da minha boca?

-A não sei não lindinha parece que ele gosta muito de você.-, rapidamente eu arranquei o short eu fiquei totalmente nu, abrindo minhas pernas -E você? Gosta dele? Voce tava sentando e esmagando ele toda a noite!!!

Ela estava com rosto rente ao meu pau reluzente, melado, pulsando e disse que sim com um sorrisinho. 

-Porque se você não gostar e não quiser cuidar dele terei que achar outra moça! Uma namorada. 

-Não tio, não precisa eu gosto dele e posso cuidar todo dia pra ele ficar feliz!- eu estava delirando especialmente em saber que ela fazia tudo por vontade própria,  adoração a rola de seu tio. 

– Então Ju se ele gostar mais de você ele até solta o leite e as meninas adoram. 

Ela disse que sim, queria muito cuidar dele até conseguir experimentar o leite do tio. Então eu puxei a cabeça dela do meu saco dizendo que ali estava o leite que ela podia ter. Fiz ela lamber pra caralho, Tentei por várias vezes fazer ela engolir o máximo possível do meu pau, ele saia cheio de baba que esticava de sua boca. Ela parava várias vezes para respirar, eu tinha que tirar os cabelos dela que grudavam no seu rosto, e ela mesma voltava fazendo todo o esforço pra abocanhar o que podia. Realmente eu sabia que seria impossível mas deixei ainda assim fazendo ela acreditar que ele tinha que entrar dentro dela se não outra moça tomaria. Eu a incentiva e dizia que estava indo bem! 

Os olhos dela já estavam vermelhinhos e cheio de água, e vi em seu rosto a frustração de não conseguir fazer o que eu pedi. Segurei forte seu rosto e dei umas bombadas só até a metade pra não machucar,  só pra ela sentir seus lábios em volta da grossura do um caralho roliço, eu prendi o nariz dela até ficar sem ar. Eu já não conseguia mais me conter, ela não entendia porque eu estava mais agressivo.

-Tio desculpa por não poder fazer caber tudo, não fique brabo comigo! ,- disse toda preocupada porque eu agi bruto com ela. 

Nessa hora eu já não pude mais segurar, empurrei a cabeça dela na minha coxa de rosto pra minha rola, que eu punhetava freneticamente E mandei abrir a boca com a língua pra fora, ela obedeceu um pouco assustada. Eu tive uns espasmos no sofá e mirei minha pica na sua boquinha, minha mão pressionava fortemente o seu rostinho mantendo boquinha ficava bem aberta.

-Bebezinha abre bem a boquinha porque tio vai te dar o leite que está no saco.! – mal acabei de falar e soltei jatos de porra grossa enquanto meu corpo se retorcia tentando meter tudo na boquinha dela. 

-Abre a boquinha putinha do tio, toma tudo e leite de homem, sua Safadinha! – ao mesmo tempo fui com meu pé na sua pepeka.

Tapei a boca da minha sobrinha sapeca e segurei seu queixo para que ela não cuspisse, um pouco de porra vazou com ar entre meus dedos mas encarei ela e mandei engolir, ela me olhava assustada,  mas estava realmente engolindo, suas mãozinhas batiam e puxavam os pelos dos meus antebraços me fazendo sinal para soltá-la pois já havia engolido tudo.  Então fui tirando as mãos de seu rosto e ela abriu a boca  pra mostrar q tinha engolido tudo. Eu pensei que ela ia sair correndo, me xingar ou chorar, mas ela parecia orgulhosa, ali, de joelho na frente do sofa entre minhas pernas, mesmo com o rosto todo melado e cabelos grudados. Com os meus dedos catei todos os vestígios de porra em volta do seu rosto e da minha perna e dei na boca dela de novo, Ela super obediente chupou e engoliu tentando não fazer careta com o gosto. Mostrei a minha rola pra ela terminar de limpar.

-Termina de limpar o pipi do tio Ju. Nos pêlos e em volta do saco tem mais leite.

Ela ainda ofegante Lambeu tudo, Como se fosse uma cadelinha usando sua língua, não se cansava.

-Você é uma  boa garotinha, muito inteligente! O tio gostou muito! , eu a puxei para um abraço carinhoso, pois ela me fez gozar pra caralho. Fiquei pensando que eu não deveria ter sido mais delicado, pois ela não era uma mulher adulta, mas minha sobrinha parecia ter gostado da experiência. Depois disso ela não reclamou só comentou que não esperava que o homem fosse assim. 

-Tio e se eu ficar grávida?, ela perguntou do nada, a mãe dela ja devia ter dito alguma coisa sobre como nascem as crianças ou ela ouviu de algum lugar, minha sobrinha tão pequena mas tão atenta. 

-Não bobinha você é muito novinha, E o leitinho do homem tem que entrar pela Pepeka pra isso acontecer.

Ela parou pensando no que eu disse dando uma rápida olhada pra sua Pepeka dentro da calcinha úmida e uma olhada na minha rola grossa que repousava na minha coxa.

– Eu sei lindinha, você deve estar imaginando como que o pipi do homem pode entrar na Pepeka tão pequenina da mulher. Mas posso te mostrar isso no outro dia e se você for uma boa garota. Agora pega meu short e veste no tio, hora de dormir!

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,31 de 93 votos)

Por # #

51 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Carlos

    Isso é nojento cara

  • Responder Benhur de Oliveira

    E aí meu amigo que conto maravilhoso, continue porque foi simplesmente maravilhoso e muito excitante. Conte-nos se vc consegui e pepeka dela pra nos nos deliciar.

  • Responder Tio de sunga

    Tenho 32 anos, separado e Tenho uma sobrinha de 10 anos que adora fica se esfregando em mim na piscina pq ela sabe que minha rôla fica grande na sunga, eu me faço de bobo brincando não falo nada, e ela até passando mão cheia já ta., ajo como se nada acontecesse e ela adora ver meu pau grande na sunga. Um dia deixei meu pau fora da sunga dentro agua, ela tocou e levou um susto Disfarçadamente, e guardei deixando ela curiosa.

    • Roberto

      Que tesao cara…. essa daí já está no papo.

    • Grisalho

      Fode ela soca rola sem dó se vc não comer outro come aí vc nos conta aqui bkza

  • Responder Júlio César

    Tô gostando muito desses contos meu nome é Júlio César tenho 30 anos, e adoro ler esses contos

  • Responder Anônimo

    To curtido seus contos, escreve mais!

  • Responder Maria

    Delicia como eu queria ter um tio assim e dar bjs até o Piu ficar duro, e depois por leitinho na boca fiquei de grelo duro

  • Responder Carlos

    Delicia de conto, maravilhoso. quem quiser conversar mais sobre isso me deixa comentarios que chamo no email ou telegran

  • Responder GabiOB

    Não gosto de conto com meninas, mas esse pqp ❤

  • Responder JP

    Caralho, que conto mais quente!!! Telegram JP_UK

  • Responder Menina safada

    Oi sou nova com esse tema e descobri que amo muito ler sobre meninos e meninas novinhos sendo comidos por homens mais velhos, eu não tenho vídeos pra trocar, mas quem puder me mandar eu iria adorar ficar excitada assim, eu posso mandar fotos minhas em troca, tenho 17 anos. chama no email que eu mando meu telegram por lá
    [email protected]

    • Marcelo

      Já mandei o email vê lá Menina safada!!

    • Edson

      Manda aqui

    • ricardo

      Te Mandei la Chama telegran

      @rickwk

  • Responder encesto profundo

    Gosto de trancar com crianças

    • Misteriosa

      Hum.
      Interessante.
      Gosto de saber

    • JP

      Tb adoro. Telegram JP_UK

    • Rafael

      Gostei muito!! Me escreva pra trocarmos experiencia,EU soy homen
      [email protected]

  • Responder Yan

    Enteressante passei por algo parecido

    • Coroa safado

      Adoro incesto com novinhas ,alguém com vídeos envia para mim retrebuo mega Rodrigo Pinto envia convite

  • Responder Flavia

    Ótimo conto que cheguei a gozar. Adoro cheiro de mijo no pau me excita muito. bjk

    • marcelo fio dental

      ui delicia

    • marcelo fio dental

      ui adoro

    • uio

      ui

  • Responder Fernanda

    Eu sempre fui putinha desde pequena..

    • Amo incesto

      Tem telegram?

    • ORFHEU

      Fernanda conta pra gente em um conto como foi sua iniciacao e como vc virou uma putinha deliciosa,vou adorar ler e comentar

    • Rola gostosa

      Oi Fernanda vamos bater um papo ? [email protected]

    • Delicia

      Rsrs aí sim

    • Jorge Henrique

      E agora mais do que nunca

  • Responder ORFHEU

    delicia mtas putinhas submissas aprendem a serem boas cadelinhas assim bem novinhas, espero a continuacao

    • gaius

      Pelo teu palavreado nota-se que gosta de denegrir pessoas. A única puta cachorra que vejo neste teu papo nojento foi a que te cagou nesse mundo. Pobre diabo asqueroso.

  • Responder jovita

    É um conto,gostoso de ler mas,so isso,nao me inspirou tesão,sei que voce vai continuar contando mas gosto de tudo de uma so vez

    • jorge ferreira da silva

      Concoro com a Jovita, o conto é gostoso de ler mais não empolga, a menina já tinha mais de oito anos e o cara não tentou nem comer a bocetinha dela nem o cuzinho, se já vinha brincando com ela, era já era acostumada com as brincadeiras do tio, uma menina depois dos seis aos sete anos já tem muita tesão e gosta de ser tocada por homem e suas bocetinhas ficam ensopadas todas meledinhas e como ela já pegava na rola do tio era só chupar sua bocetinha e seu grelinho e esfregar a rola na bocetinha e começar umas forçadinhas e quando ela estiver bem viciada e bem meladinha empurra o rola e talvez ela de um gritinho de ai ai e você para mais já com a rola enfiada mais da metade em sua bocetinha e diz calma já vai passar e começa um vai e vem bem lento e devagar, de garanto que logo logo ela já aguenta a rola toda na bocetinha semreclamar e você já fode ela igual fode uma mulher mais lembre-se ela ainda é uma criança tem que respeitar seu limite o resto é so encher a bocetinha de porra e gozar a vontade e faze-la feliz

  • Responder Yuta

    Quem curte novinho ou novinha chama no telegram @yuuutaaa

  • Responder FABIO

    muito bom continua camila você gosta dos contos sâo otimos ne

  • Responder Denunciar

    Pedófilo

    • Fernanda

      Delícia

    • Crentelho Hipócrita

      Vai se foder. Tá fazendo o que aqui?
      Otário!

  • Responder Camila

    A dlc de conto… Espero continuação
    Meu email: [email protected]

    • FABIO

      ola camila tenho relatos muitos

    • Robson

      Oi Camila. vc gosta de contos para maiores de idade? VC tem algum pra contar?

    • Robson

      Oi Camila. vc gosta de contos para maiores de idade? VC tem algum pra contar? Diga