,

Meu amigo Fran

15-08-18 Por 8 ★ 4.72

Mandei ontem o conto com o título meu amigo Fran, mas ele foi publicado do meio para o final, segue novamente.

Esse conto e em homenagem ao meu amigo Fran e sua sobrinha Ana, (manda seu telegran para mim Fran acho que você perdeu meu contato @amatb123)

Sempre tive tesão em novinhas mas era algo controlado até uns anos atrás pois até evitava ficar perto das pequenas. Mas Ana com seus seven years minha sobrinha começou a me tirar do sério, nisso conheci um cara nos contos CNN que me deu umas dicas pois eu não sou carinhoso com a Ana evito contatos, nisso ele foi passando umas dicas e aconteceu. Vou detalhar agora a primeira vez.

Um dia minha irmã precisou viajar e eu nesse tempo me aproximei tanto dela quanto da minha sobrinha, ela não tem pai e consequente senti falta da figura masculina usei isso para ser o bom tio, então ela pediu se podia ficar com a Ana, moro sozinho e minha irmã passaria cedo aqui deixar ela antes de viajar e assim foi as sete da manhã chega elas.

Oi Fran Oi mana (Ana tava ainda de pijama com cara de sono).
Aqui a mochila com roupas, mas acho que volto a noite.
Oi Ana, (ela vem e me abraça com sono).
Pego ela no colo e levo na minha cama a deitei (vestia pijama do frajola). Minha cama de uma box king de casal.
Me deito ao lado, com esta frio me cubro, e fico na minha com vontade de realizar os conselhos que recebi, mas com medo, até que decidi tentar algo.
Me aproximo e a abraço por debaixo do edredom, ela mesmo sonolenta pega minha mão com sua mãozinha, fico naquela dúvida e agora, solto e faço um carinho na barriga dela por cima do pijama ela se aconchega em mim e fala gostoso tio Fran, noto que ela está acordada.
Te amo minha princesa, e do um beijinho.
Também te amo tio.
Ficamos em silêncio e desço a mão pra ppka dela por cima da calça (meu amigo deu essa dica ir devagar), ela deixa e sinto pela primeira vez a ppkinha dela como ela deixou tento colocar a mão por dentro nisso ela mexe e fala vamos ver televisão tio Fran, acho que foi pelo susto, mas de boa ligo a televisão e continuamos deitados, se fica grudadinha em mim com o passar do tempo ela vendo desenho eu começo novamente.
Passo a mão na barriga e desço na ppka ela não fala nada e novamente sinto aquele capô de fusquinha sinto até o rachinha na ponta dos dedos, volto e tento colocar a mão por dentro ela deixa e quando passo no grelinho ela fecha a perna e sorri.
Que foi Ana, não pode fazer carinho na princesa do tio?
Pode tio, mas na ppka não.
Dói quando faço carinho nela?
Não dói é até gostoso, mas a mãe falo que nem eu posso passar a mão nela.
Nisso me da um estalo de ideias.
Ta mas e gostoso então?
Ela fala uhumm
Se você deixar eu não conto pra ninguém e você não conta. Falo dando risada.
Hummm
Deixa, se você deixar eu te levo no cinema hoje.
Ta bom tio mas o senhor não pode contar pra mãe que deixei.
Ta eu não conto se você não contar.
Ela sorri e fala então trato feito tio.
Desço a mão dentro da ppka e ela abre a perninha, faço carinho subo molho o dedo e passo, fica molhadinha ela respira e fico massageando o grelinho, o buraquinho ela se abre toda a perna sinto ate perto do cuzinho.
Ta gostoso Aninha.
Uhum.
Posso ver ela.
Quem tio.
Rs rs… a ppka sua.
Pode, mas é segredo ta.
Tiro o edredom que nos cobre e puxo a calça do pijama primeiro, a calça e branca com linhas rosa, ela sorri e veja a calcinha bem infantil com com florzinha na frente, depois que tiro a calça vou com a mão na beirada da calcinha e puxo devagar, ela sorri mas ajuda tipo levanta o bumbum e pela primeira vez vejo uma ppkinha novinha na minha frente.
Sorrio e digo, com vc e linda Aninha.
Sou não tio mãe diz que sou feia.
Você e sua ppka é a coisa mas linda que já vi.
Ela apenas sorri e abre um pouco a perna.
Vou ver ela ta, (do tipo ajoelhado na cama e ainda estou todo vestido, mas uma dica o meu amigo para não assustar ela).
Abaixo e olho e falo vou dar um beijinho nela. A Ana apenas sorri e fala ta bom tio.
Beijo a ppka de leve, beijo do lado da perna e passo a língua no grelinho, sinto ela se tremer toda, nisso começo a lamber de leve a ppka, e a com as mãos faço carinho na barriga e peitinho dela, chupo e passo a mão no corpo, sinto ela se entregando a mim, só ouço a respiração dela.
Subo lambendo a barriga, umbigo, peitinho, nisso ela mesma tira a parte de cima, chego no pescoço não chupo mas do um beijo, e ela se arrepia toda, olho nos olhos com vontade de dar um beijo,
Foi gostoso Ana?
Faz de novo tio.
O que?
Tudo que o senhor fez.
Do um selinho nela e ela retribui, (mas novamente lembro do conselho), vou para o pescoço e começo a beijar e descer, paro no peitinho e chupo devagar desço dou uma lambidinha no umbigo, olho a parte de cima da bucetinha, beijo e antes de chegar na ppka beijo as virilhas e parte de dentro das coxas (li que são partes importantes e que dar prazer) só depois volto a lamber a bucetinha, nossa ela se solta e meche a cintura eu acariciando com a mão a parte de cima e ela pega minha cabeça e aperta na ppka, aquilo estava bom demais ela geme e sinto ela quase desfalecer e nisso eu gozo todo na cueca, mas fico lambendo ate ela me soltar, lá não goza mas foi como se tivesse gozado subo para o lado dela e falo e agora foi melhor.
Nossa tio senti um negocio gostoso.
Eu também senti, e vou e dou um Celinho nela.
Vou fazer xixi Ana já volto.

Continua………

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,72 de 18 votos)

Por ,

8 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Anônimo

    Tive um lance assim mas a diferença e que ela era minha meia irmã minha caso e o meu padrasto tinha uma filha

  2. Ex.

    Excelente, muito bom adorei …

  3. Ex.

    Muito bom , excelente to esperando a continuação….

  4. @Luqueiroz2017

    Meu amigo tem que continuar que está ótimo !

  5. Robson

    Q dlc ..continua

  6. Zero

    Curti..excelente meu camarada continue!!

  7. Curioso

    Excelente, espero continuação queria eu ser esse tio

  8. Nando

    Muito bom. Merece uma continuação. Conta como foi uma segunda, uma terceira. Se houve penetração? Com sete, na bundinha, já aguenta.