Prisclila e vizinha novinha e eu solteiro

Autor

Eu estava com 20 anos em 2011 o mês era dezembro, eu estava afastado devido ter quebrado o pé na empresa, mas já estava me recuperando mas iria ficar afastado por um bom tempo, eu morava sozinha num prédio que herdei da minha avó. era um prédio de 3 andares, em baixo uma padaria, em cima também fazia parte da padaria, e no terceiro andar minha casa, 4 cômodos grandes, e na frente uma laje de 10/10 metros, ao lado havia um prédio igual, em baixo um sacolão, em cima a casa da dona do sacolão, e no terceiro andar um casa que estava vazia por anos, mas no inicio de dezembro daquele ano mudou-se uma família pra la, Roberto. 40 anos, sua esposa Amélia, e sua filha Priscila de 11 aninhos, eles se mudarma num sábado, no domingo estavam arrumando tudo, eu empresetei minhas ferramentas pra Roberto, e na segunda feira bem cedo eu levantei as 6 hs da manha, e Roberto me chamou pra devolver minhas ferramentas, eles eram camelos, morávamos em Santo Amaro bairro de São Paulo, zona sul, mas eles eram camelos na região da Sé, ai eu ouvi quando eles sairma e falaram com Priscila pra ela ficar em casa comportada que quando chegarem trariam chocolate, eu tomei café, e depois fiquei na sala assistindo TV, ai o sol saiu, eu fiquei na laje tomando sol, quando Priscila sai, com um vestidinho super curto, de alsinha, cabelos cumpridos lisos, loirinha, olhos azuis, era bem robusta, cheinha, mas não era gorda, uma menina muito linda, ela falou. Oi tudo bem? Eu. Oi fia tudo bem sim, o sol esta bom. Ela. Ta sim, quer me ver andar de patins? Eu. Sim pode andar. Ela pegou os patins colocou e começou a andar, mas a saia levantava e mostrava sua calcinha, eu nem notava, mas depois ela tirou os patins e começou a andar de bicicleta, ai eu falei que ia entrar um pouco, ela ficou la brincando, ai eu em casa derrepente vejo Priscila em minha casa, eu falei. Menina não pode entrar aqui, eu sou homem e solteiro, vc é menina, criança, além do mais vc pode se machucar pulando o muro, Nas laterais da laje tinha um muro bem alto e com grade, mas na frente era de 1 metro gradeado, mas entre so 2 prédios era só o muro de 1 metro. ai ela falou. Não eu consigo pular sem problema, e eu só quero ficar aqui um pouco, sempre fico sozinha. Eu. Mas você pode me dar problema, imagina se seus pais pegam você aqui, o que vao dizer, eu posso até ser preso. então volta pra sua casa. Ela me pediu por favor, mas eu falei que ficaria olhando ela, mas eu do meu lado e ela do lado dela, ela aceitou e foi pro lado dela, eu fiquei la olhando ela, ai ela começou a brincar a dançar, dizendo que sentia falta do balé, mas não podia mais fazer devido os pais dela terem tirado ela da escola de dança, ela com uma vóz de criança embora alta pra idade dela, mas o jeitinho de menina de 8 anos, ai eu falei depois que precisava entrar, ela falou com o semblante bem triste. Ta bom, eu fico aqui. Ai eu entrei e a imagem dela não saia da minha cabeça, eu pensei comigo mesmo, gente será que estou louco, uma criança, meu Deus, me tira isso na cabeça, tentei fazer alguma outra coisa pra distrair, limpei a casa, desci até o sacolão comprei uma frutas, voltei, ai já era hora do almoço eu pedi marmitex, ai a moça que entrega o marmitex chegou la, eu joguei uma cantada, mas ela nem me deu bola, ai estava almoçando, quando vejo Priscila entrando com o prato de comida na mão, Por favor deixa eu almoçar com vc. Eu falei. Ta bom, mas depois volta pra la, Ai almoçamos ela falou que os pais dela saem cedo e só voltam a noite, todos os dias, e ela fica sozinha em casa, eles trancam a porta por fora, pra que ela não tenha chance de sair, eu fiquei com dó da menina, e ela ainda falou tem uma campanhia que toca assim que alguém entra nas escadas, então se eles tiverem voltando eu sei e pulo de volta, ai eu dei sorvete a ela, estava bem calor, e ela sentava com a sainha deixando a calcinha toda de fora, eu tentava evitar, mas não conseguia parar de olhar, me sentia um lixo, ai depois ela pulou de volta e ficou la brincando eu olhando, ai ficamos ao sol até umas 15 horas, eu entrei pra tomar um café, ela pediu pra ir ai, eu falei que ela poderia vir, ela pulou tomamos café, e ela saiu, ela começa a brincar de novo, ai se cança e fica sentada numa cadeira perto do muro eu também, e ela começa e falar da vida dela, que os pais são pobres, e ela tem que ficar sozinha, quando as aulas voltarem ela ira pra escoal com eles de manha e na volta a tia de perua ira deixa-la dentro de casa e trançar o porta pra eu não sair, mas na casa anterior ela ficava trancada sem poder nem sair ao quintal, pois ela uma favela, mas ali pelo menos ela tinha a laje, ai ela pega no meu rosto e fala ainda bem que eu estava ali e era legal, ela só tinha uma amiga na escola, mas só a via na escola mesmo, eu notava uma menina bem triste, sozinha, e de fato é o que ela era, ai já estava próximo a hora dos pais dela chegarem ela pediu licença pois iria tomar banho, da minha casa dava pra ouvir eles conversando, chegarma e começaram e falar com Priscila que ela teria que ficar ali, pois a situação estava difícil, ai trouxeram doce pra ela, eles vendiam dvds e muita outras bugigangas, eu fiquei pensando em tudo e tentava evitar qualquer sentimento ou desejo por uma criança, a noite dormi e sonhava direto com ela, acordava bravo, mas por mais que tentava evitar mais ela ficava em minha mente, no dia seguinte o sol saiu bem cedo já ardendo, ela de férias escolares, ai as 7 hs ela bate em minha porta, eu de dentro de casa falo, Volta pra casa menina é muito cedo. Ela. Eu sei mas como vi que já esta acordado só quero ficar ai com vc. Ela falou com vóz de choro, ai eu abri a porta e ela estava chorando, ela me abraçou apertado e ficou com a cara bem na minha barriga, eu fiquei excitado na hora, também pq já estava a algum tempo sem sexo, e não levava mulher la, também não estava podendo sair muito, ai ela com a carinha de choro me pediu com aquela vóz calminha macia que eu não resisti, deixei ela entrar tomamos café, ela ficou sentada no sofá assistindo, ai deitou no sofá, e a calcinha apareceu, minha ereção não passava, ai ela falou vamos no sol um pouco? Eu e ela saímos, mas ela com a calcinha toda de fora, pois a saia ficou enroscada na calcinha, ali no sol ela me pega nas mãos e fala. Vamos dançar? Ai me abraça meu pau duro fica bem no peito dela, e ela ali esfregando no meu pau. ai ela se afasta roda, e depois sentamos na cadeira, ai ela fala. Você é lindo sabia? Eu ri e disse. Que isso vc é que é linda. ai ela começou a dançar balé falando o nome dos passos, o sol começou a ficar quente demais, ai ela pediu pra entra um pouco, entramos ela liga a TV, eu sento no sofá, ela no outro, e ficamos ali assistindo, ai ela vem e senta no mesmo sofá que eu. ai começa num canal a passar o chaves, ela pede pra deixar naquele canal, eu deixo, afinal também gostava de assistir o chaves, ai ela deita no meu colo, eu até tremi, ela com a cabeça encostada no meu pau, ela estava de lado, meu pau já duro na burmuda jeans, ela ali deitada, meu pau pulsando ela levanta a cabeça e olha pro meu pau. eu pergunto. O que foi? Ela. E que esta mexendo, estou machucando? Eu falei. Não é que ai é muito sensível. Ela. Mas não esta doendo né? Eu. Não pode ficar. Ela. Ainda bem. Ela fala isso da um beijo no ali bem no meu pau por cima da bermuda, e coloca a cabeça de lado. pressionando, eu gozo so com aquilo, ai ela pede pra ir ao banheiro, e quando volta senta no meu colo abraça meu pescoço e me beija no rosto, dizendo. Você é muito legal, gosto muito de vc sabia? Ai me da um abraço forte, e me beija o rosto. meu pau já pulsando ela sentada bem em cima, eu ali já não aguentando mais, eu falo. Mas se alguém te ver assim vai dar problema pra mim. Ela. Mas ninguém vai ver, só tem nós 2 aqui, fica calmo, Eu. Ta bom mas por favor não fale pra ninguém que você fica aki hein. Ela falou que ninguém iria saber, a me chamou pra ir fora um pouco, eu fui, ai dançamos mais um pouco, ela me abraçou forte e meu pau endureceu, ai ela falou. Olha como esta de novo. Eu falei. É fica assim mas é normal. Ela se afastou um pouco e olhou pro meu pau duro dentro da bermuda e pegou nele, me deu um choque, fiquei sem reação pois estava gostoso ela segurando no meu pau, ai ela falou. Não doi? Eu com a vóz tremula falei. Não. Ela. A sei la parece que doi será que não o machuquei? parece inchado. Eu ja quase gozando falei. Não machucou não. quer ver? Ela. Quero sim. parece que quer sair. Ai eu abri o zíper da bermuda tirei pra fora e ela viu e segurou. Olha é quente, Meu pau na mão dela, ela admirando, Ai eu falei. Beija ele, Ela beijou, eu pedi pra ela lamber ela lambeu e eu quase desmaiei, ai ela foi colocando a boca, eu falei. Passa bem a língua ela passava eu e eu. AHHHH Ela parou e perguntou se estava bom. eu disse que sim e falei pra ela continuar, ela chupava com a boca tão macia, a boquinha pequena ficava bem aberta com meu pau na boca, ai eu gozei gostoso, ela engoliu toda a porra, e quando tirou meu pau todo melado da boca, lambeu toda minha porra, eu afastei a cabeça dela, e ela. Foi gostoso? Eu falei. Sim foi muito. que delicia, Ai ela falou. Quando vc quiser eu faço de novo ta? Eu. Ta bom. Falei bem ofegante e saciado, ai eu guardei meu pau, e ela começou a querer dançar de novo ficamos dançando, eu me sentindo um lixo, mas ela percebeu e falou. Você ta triste? Eu. Não só preocupado, sabe se souberem o que fizemos vão me matar, Ela. Não mais ninguém ficara sabendo é nosso segredo, Eu. Nem a sua amiguinha ta bom? Ela. Nem ninguém mesmo prometo, juro por tudo. Mas eu continuava preocupado, ai depois sentamos na cadeira, ela começou a dizer que poderíamos brincar de marido e mulher pois fazemos o mesmo que os pais dela fazem, eu perguntei o que e ela disse que eles se chupavam, a mãe dela ficava parecendo um cadela, e falou podemos fazer igual em segredo só nós. ai eu falei. Ta bom. Mas será nossa brincadeira secreta. Ela, Isso mesmo, assim é mais legal, Ai ela me mandou deitar no chão e falou que os pais dela faziam assim, ela tirou a calcinha e sentou na minha cara. uma bucetinha fechadinha cheirando a xixi, mas uma delicia, eu comecei a lamber. ela riu dizendo que fazia cocegas, e rebolava em cime de mim, eu empurrava a língua mas não com força, e a língua não entrava, mas era bom demais, ai ela depois pediu pra parar um pouco colocou a calcinha e entramos ai mais tarde eu e ela estávamos na sala de casa e ela falou. Vamos nos beijar? Ai começamos num beijo gostoso, uma língua pequena gostosa, a boquinha também, eu ali me sentia realizado, mas depois me sentia o pior lixo do mundo, e todos os dias ela passou a me chupar engolia o máximo que podia, tomava toda minha porra, eu também a chupava até ela pedir pra parar ,acho que ela gozava, pois rebolava, dava uns gemidos, e saia um meladinho bem gostoso, fazíamos umas 6 vezes por dia, as aulas começaram, e ela estudava de manha, a tarde ficávamos juntos, fazendo direto, aos sábados e domingos era o dia todo, quando ela fez 12 anos fazemos um festinha só nós 2, eu a chupei muito, ela também me chupou muito, começamos passando leite condensado no meu pau, na bucetinha dela, mas eu não enfiava a língua la dentro, era só superficialmente, ela ficava com vontade de sair de casa andar por ai ,mas não podíamos, era os pais dela sair e ela vinha pra minha casa e ficávamos na cama nos amando até dar vontade de levantar, eu empurrava o pau na bunda dela, mas não metia, gozava muito, ela ficava brincando andando com meu pau na boca, íamos do quarto até a cozinha ela com meu pau na boca, tinha vezes que íamos do quarto até a laje, teve um dia que estava chovendo e frio e ficamos o dia todo na cama, eu a chupei toda, fizemos uma 10 vezes ou mais, meu pé não ficava bom e eu não voltava a trabalhar, e nem queria mesmo voltar, queria mesmo era ficar com Priscila, aquele ano não teve se quer um dia que não nós chupamos, mas só fazíamos mesmo assim, eu brincava com o pau na bucetinha dela mas nã metia, na bunda dela eu enfiava, e ficava esfregtando ali, eu beijava o corpo dela todo, tomavamso banho juntos, e ela fez 13 aninhos, ja mais maliciosa, eu semrpe falando que tudo teria que ficar só entre nós, ela afirmava o amor por mim o tempo todo, eu fiquei com defeito no pé ja estava reabilitado do inss e recebia o salario acidente e o da empresa, e ainda tinha colocado a empresa na justiça, ai nessa fase eu comprei um carro, ajeitei a garagem na parte de traz do prédio que fica na rua de traz, e começamos e sair juntos, ela descia as escadas e íamos a shoppings, eu comprava roupas pra ela, mas ficava la em casa, dava muito presentes, andávamos como marido e mulher mesmo, é obvio em lugares mais afastados, com a preocupação de voltarmos antes dos pais dela, naquele ano ela quis que eu a penetrasse, e começamos, eu tirei a virgindade dela, ai transavamos todos os dias, ela teve algumas infalmações eu a levava em médicos particulares, pagava caro, comprava os remédios que ela precisava usar, fiz vários exames e deu que sou estéril, transavamos todos os dias, exceto quando ela estava menstruada, pois ela ficava incomodada, ela fez 14 anos, tudo a mesma coisa, depois 15 anos, eu pagava tratamento dentário a levava ao médico, direto, os pais dela não ficavam nem uma semana nem um dia em casa, podia ta a chuva que fosse, eles saiam todos os dias, e ela ficava comigo, aos 15 anos ela ja uma moça com aspecto de mulher pois na realidade era mesmo minha mulher, eu a levava na escola, a buscava, ela combinou com a amiga dela de ficar alguns dias la, mas na realidade foi combinado só pra amiga dela confirmar aos pais dela caso perguntassem, e eu e ela combinamos de ir a praia, e fomos ficamos 7 dias na praia, os pais dela ligaram pra amiga dela, ela confirmava, foi a primeira vez que Priscila viu o mar, ela tinha ciúme de mim, mas um ciúme gostoso, tudo era tão bom com ela que eu não pensava em outra coisa, mas ela estava decidida que tinha que falar com os pais dela que as coisas estavam mudando ela queria sair, queria ter liberdade, e ela começou a falar com os pais, eles foram permitindo aos poucos ela sair, e íamos sempre juntos, ela disse que tinha arrumado um trabalho de diarista, na realidade ela ficava em minha casa, fazia tudo la eu pagava pra ela só pros pais dela verem e acreditarem que era mesmo com isso foram dando cada vez mais liberdade a ela, e com 16 anos ela falou com eles que estava gostando de mim, os pais dela perguntaram se ja estávamos namorando ela disse que não, mas estava ja conversando comigo, e pediu a aprovação deles, eles falaram que se eu estivesse gostando mesmo dela tudo bem, e começamos a namorar oficialmente perante eles, ai saiamos juntos sempre sem precisar se esconder e agora em 2018 nos casamos, e estamos morando aki em minha casa, mas os pais dela acreditam que só começamos a namorar no fim de 2016 ela com 16 pra 17 anos, agora ela com 18 e eu com 28 anos, ficamos nos lembrando dos 11 aninhos dela quando começamos nosso namoro, as muitas vezes que sai com ela escodido eles nunca ficaram sabendo, as vezes que a levei ao ginecologista, os remédio pra inflamações vaginais, o tratamento dentário, as vezes que fomos a praia e ela disse que estava na casa da amiguinha dela, teve um vez que tive que levar também a amiga dela, pois a menina também nunca viu o mar, a primeira vez que ela me chupou, eu também a chupei, tudo hj lembramos e rimos muito como tudo aconteceu. bom é mais um caso de romance do que um conto erótico, pois o sentimento é bem verdadeiro, mesmo assim espero que gostem, se nã ogostarem também faz parte, e desculpem pelos erros. eu e ela resolvemos escrever nossa historia, valeu?

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,79 de 42 votos)
Loading...