Ninfetinha desde sempre – Meu pai é um safado

Autor

Continuando o conto "Ninfetinha desde sempre"
Ao chegar em casa meu pai começou a brigar comigo, me perguntando como eu fui capaz de deixar outro homem tocar em mim, ele berrava e eu não podia dizer nada, em determinado momento ele vira e me pergunta se eu havia gostado, eu balancei com a cabeça dizendo que sim então ele falou que eu era uma puta como minha mãe e que ele iria me tratar igual tratou ela.
Ele me pegou no colo e me fez passar as pernas entre sua cintura e me disse que agora eu seria a putinha dele e somente dele, me disse que sonhava com isso a vida inteira e que já havia me visto brincando com minha no xotinha no banheiro. Começou a me beijar na boca e distribuir beijos por todo o meu corpo, me deitou no sofá e me virou com o bumbum pra cima, ele falou que eu era uma vagabundinha com uma bunda gostosa, passou a beijar meu bumbum e me virou novamente, abriu minhas pernas e comentou sobre minha bucetinha dizendo que era rosinha, carnudinha e bem gostosa igual a da minha mae, ele não via a hora de colocar seu pau dentro. Tirou seu pau pra fora e me colocou pra mamsr, eu comecei a mamar como via nos filmes pornô que eu assistia, peguei o piru dele com minha mãozinha e bati no meu rosto ele deu um urro e ficou surpreso me pegou pela cintura me empurrou pro meio do sofá e abriu minhas pernas dizendo que ia me foder a noite toda até eu não aguentar mais, ele pegou seu pau e enfiou na minha bucetinha sem nenhuma cerimônia, começou a doer muito e eu chorava ele dizia que eu tinha que aguentar pois eu era um putinha safada que gostava de pica. Com o tempo a dor começou a virar uma coisa gostosa a mesma coisa gostosa que senti quando o tio estava colocando na minha bucetinha, eu comecei a gemer e foi nesse momento que vi meu paizinho se transformar em um puto, ele urrava e metia com força, falava que eu era a putinha mais doce que ele tinha comido, que se ele soubesse que eu era tão cachorra assim ele tinha me iniciado e não teria deixado outra pessoa me iniciar, ele metia, metia e eu já estava vendo estrelas quando de repente senti uma explosão tão gostosa, meu corpo tremia é minha bucetinha piscava, foi aí que descobri que havia gozado pela primeira vez, quando meu pai percebeu ele então me virou me colocou de quatro me segurando e meteu fundo, sentia o pau dele pulsando dentro da minha bucetinha, então ele se jogou por cima de mim e depois deitou ao meu lado me colocando perto dele e me abraçando e acabamos adormecendo ali mesmo.
Quando eu acordei papai já tinha levantado, na minha frente tinha uma boneca nova que eu queria muito tempo e ele não quis me dar antes, ele chegou perto se ajoelhou na minha frente e pediu desculpas por ter sido tão bruto comigo pois apesar de tudo eu ainda era sua princesinha, com um sorriso no rosto eu disse, "uma princesinha que adora lamber seu pau papai" então ele deu um sorriso largo, bobo e me abraçou bem forte. Depois disso nos tornamos grandes amantes, até hoje quando vou visitá-lo eu ainda faço o papel de putinha pra ele.
Se gostarem do conto ou quiserem dar sugestões, enviem para o meu e-mail clarinhasadag21@gmail.com.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,61 de 18 votos)
Loading...