Quando eu era baba [pat 2]

Autor

Oi sou a Gabi e resolvi finalmente escrever a parte dois do conto meu conto (Quando eu era baba brinquei muito). Me desculpa por te demorado tanto é que Quando eu fui escrever um conto Demora um tempo para eu poder escrever ele porque eu sou meio que devagar Esses dias eu andei ocupada por trabalho escolares e coisas pessoais. Espero que gostem dessa parte dois e desculpe por qualquer erro.
Minha rotina era pra acordar ir pra escola Quando as colocava eu ia para casa de muitas crises que cuidar o Felipe era o que eu co eu cuidava mas durante a semana pois eu Cuidava dele durante quatro dias seguidos. A partir do dia que o pai do Felipe descobriu sobre a gente eu ficava super ansiosa para ir pra casa do Felipe, ficava todas as aulas com a calcinha molhada só imagino ir pra casa do menino. Quando chegava na casa do Felipe ligações saía eu já tirava toda minha roupa e ele também .
Passávamos a tarde toda brincando das minhas brincadeiras favoritas era brincar de mamãe e bebê eu pegava ele no colo e fazer ele mamar enquanto eu o mastubava. Muitas tardes a gente passava só nós dois era raro quando o pai dele tinha tempo de sair cedo do trabalho para se juntar a gente mas quando acontecia era as minhas tardes favoritos. O pai chegava e a gente ia para o quarto do casal onde que uma tv e DVD ele colecionava o fim pornô colocava na tv Para deixar de fundo ele sempre faz e a gente eu e o Felipe chupar o seu pau. Uma das coisas que ele também adorava era quando porque eles estão mamando nos no seios e ele metia não menino enquanto isso. Outras vezes ele só ficava olhando falava pro Felipe ficar imitando o que ele via nos filmes. O menino via o que matou pornô fazia com a atriz e imitava comigo e o pai dele ficava sentado na poltrona masturbando olhando para a gente.
Por causa dessas tardes eu fiquei totalmente viciado em sexo e naquele prazer que o pai e o filho ma faziam sentir. Nos dias que eu não cuidava do Felipe e ficar e cuidava de outro criança sentia falta daquela prazer e enquanto cuidava de outros ficava pensando e era difícil não ficar molhada. Muitas vezes ficava tentada a fazer alguma coisa com as outras crianças mais ficava com receio de dar errado e algum pai descobrir. Uma tarde quando estava na casa de uma menina chamada Larissa fiquei relembrando do meu último encontro com o Felipe e seu pai onde estava cavalgando no seu pau enquanto o menino estava dormindo de tão exausta do nosso lado. Larissa estava dormindo no quarto dela e eu fui até lá a menina estava dormindo só de calcinha e comecei a fazer carinho na barriga dela e devagar fui descendo até chegar na barra da sua calcinha. Com muito cuidado foi abaixando até o joelho. Quando olhei para sua bucetinha lisinha e fofinha comecei um carinho dela e aos poucos foi intensificado e quando vi estava massageando aquela pequena vagina, Larissa chegou a se mexer a pertando suas perninhas, mas não acordou.
Na semana seguinte quando eu já estava na casa do Felipe com o seu pai e já tínhamos “terminado” nossas brincadeiras. Estávamos deitado na cama de casal eu o seu pai e o Felipe no meio da gente estava conversando e acabei contando sobre a Larissa então tinha feito enquanto ela estava dormindo o pai de Felipe ficou muito interessado e queria que ela contasse em detalhes como eu tinha acariciando ela. Ele me confessou que o som dele era ter uma filha e podem iniciar ele adorava o seu filho mais querido tenho experiência também com uma menina e fazer o Felipe também participar dessa iniciação e sua irmã. Então ele me fez um pedido da próxima vez que eu fosse na casa dela se pudesse eu traria uma calcinha dela para ele.
Quando voltei na casa da Larissa esperei a menina e dormi de novo para então eu poder a tocar quanto dormia. Essa vez foi mais fácil pois eu já sabia como fazer pra ela não acordar a taxa de novo nossa casinha e dessa vez a tirei e guardei na minha mochila para dar voltei na menina abre um pouco as perna dela e passei o nariz por sua bucetinha, resolvi lamber, deu uma pequena lambida e vi que ela não acordou então continuar. Estava adorando poder sentir e chupar quela bucetinha. Mas infelizmente tive que parar pq a menina estava acordado.
Ao ver o pai de Felipe de novo depois de um tempo eu entreguei para ele a calcinha de Larissa. Na mesma hora percebi a existassao dele com o presente. Naquela tarde enquanto eu e Felipe transavamos ele ficou se mastubando com a calcinha. Logo depois desse dia descobri que o pai a mãe de Felipe estavam tentando ter outro filho imaginei que o motivo era essa vantagem de seu pai ter uma menina e assim poder inicial. A ideia de ir ele ter uma menina acabou também me animando pois tinha esperança de eu acabar participando se ainda estivesse com eles nessa época.
Desde Larissa passei a tentar fazer algumas coisas com as outras crianças que eu cuidava nem sempre quem sucesso mas sempre passava um carinho diferente nela ou coisas parecidas. Mas teve um dia de uma conhecida ter que fazer uma coisa de última hora e não tem ninguém para cuidar de sua filha ela sabia que eu era babar e me chamou para eu ficar com a filha dela durante o tempo que ela ficasse fora. A garota se chamava Ana Beatriz e já tinha 10 anos de idade é uma menina muito animada brincalhona Que assim que cheguei ela furava me chamando para brincar com ela que a três pois o sonho dela era ser atriz. Enquanto brincávamos eu acabei fugindo uma ideia na minha cabeça perguntei pra ela se ela queria sim uma grande atriz e se ela sabia que muitas atrizes quando são muito famosas acabo fazendo revistas de batendo foto pelada. A minha supresa a resposta da Ana Beatriz foi:
Ana: “ Sim eu sei eu já assisti muito tv fama e vejo que muitas atrizes batem foto nua e eu já até imagino como vai ser a minha revista”
Eu:”Sério você já tem ideia de como vai ser essa revista porque você não me mostra pra gente brincar de playboy”
A gente foi para o seu quarto onde a Beatriz tirou a roupa e me entregou uma máquina fotográfica de brinquedo. Acabamos ficando eu sendo a fotógrafa e ela atriz para minha surpresa a menina tinha aprendido muito com essas imagens que passa na tv que atrizes pousando no nuas. Ela fazer poses bem eróticas mostrando o corpo dela e suas partes íntimas vendo ela assim fiquei logo um molhada. Aproveitando a situação perguntei para ela se não tinha problema de eu também fica nua. Passam atentam a brincar de que nós duas éramos atrizes estava fazendo um ensaio juntas fazemos poses e eu ficava esfregando o meu corpo nu dela e também tocando e fazendo ela tocar único mas, infelizmente tivemos que acabar pois a sua mãe logo iria chegar. Quando sair de sua casa fiquei esperançosa que a sua mãe me chamasse de novo para cuidar dela mas acabou não acontecendo.
Todas as minhas pequenas aventuras com as outras crianças eu relatava para o pai Felipe pois ele era uma pessoa que eu poderia ser totalmente aberta e sabia que esses relatos o excitavam.
Acabou que trabalhar de babar foi uma experiência muito melhor do que eu imaginava.

( então pessoal é isso desculpem por qualquer coisa boa que coisa que não tenho aprovado. Não sei se esse conto ficou bom espero que pelo menos tenha gostado um pouco e na primeira parte do conto eu deixei o meu contato mas qualquer coisa se pedirem eu desço de novo nos comentários eu atendo por Apenas uma garota ou sugarloli)

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,72 de 18 votos)
Loading...