Minha cunhada

Há 6 meses Por 2 ★ 3.87

Acabamos de levar minha cunhada e esposo ao aeroporto do Galeão. Duas vezes no ano eles veem passar alguns dias conosco. Essa praxe faz exatamente 16 anos. Antes eles vinham de 3 em 3 anos. Isso aconteceu quando ela descobriu que o marido tinha acabado de ser pai de um garoto fora do casamento. Minha cunhada quase foi a loucura, com duas filhas já criadas e estudando fora, ela refugiou-se em nossa casa por quase dois meses e foi um custo demovê-la da ideia de se separar. A partir daí então ela me transformou num ouvidor de suas lamentações e eu sempre pedindo calma. Comentava que seria bom ela banalizar o acontecido, que presumo doeria menos. O tempo foi passando e algumas coisas foram se revelando. Ela ligava pra nós no mínimo três vezes por semana. Falava por muito tempo, na maioria das vezes comigo. Há 4 anos, fomos em sua casa, no Nordeste. Eu acordo cedo e providencio o café, compro o pão e algumas delícias para degustarmos. Como não é muito perto, eu pego o carro deles e vou. Depois de alguns dias, ela começou a me acompanhar. Minha mulher e o marido dela ficavam dormindo. Ela então começou a contar coisas de sua vida e claro o esfriamento sexual. Eu disse que era assim mesmo. Ela perguntou sobre mim e sua irmã. Disse que também acontecia conosco. Os dias passando e ela mais ousada, tocava em mim suavemente, entrava quase dentro de mim conversando quando estávamos sós. Roçava em mim, tomava banho e saia coberta só com a toalha no corpo, nas vezes que a irmã e o marido estavam vendo tv e me perguntava algumas coisas sem o menor sentido. Quando virava, ficava a mostra um pedaço de sua bunda emoldurada por suas belas coxas. Desde então só vinha aumentando. Há três semanas chegaram. Nesses dias ela conversando comigo disse, preciso te confessar um segredo, posso? Eu disse que sim. Ela com lágrimas, não aguento mais, tem muito tempo que não gozo, estou sedenta e escolhi você pra me dar prazer. Minha vara subiu na hora. Minha casa tem dois andares, nós estávamos no andar de cima, minha mulher e o marido dela vendo uma série na tv no andar de baixo. Ela se aproximou, arriou minha bermuda, acariciou minha vara e abocanhou. Mamou, beijou, lambeu, babou, levantou me beijou, levantei seu vestido, arriei a calcinha, meti o dedo em sua boceta já molhada, ela suspirou, dedilhei com vontade. Ela disse, espera, não quero gozar assim. Vamos beber e quando eles dormirem eu vou gozar muito nessa pica. Tô querendo dar pra você faz tempo. Descemos como nada tivesse acontecido, começamos a beber e a assistir tv. Claro que nós maneiramos e os dois encheram a cara. Eles tomaram banho e se recolheram. Nós ficamos embaixo vendo. Uns 40 minutos depois ela subiu e certificou-se que eles dormiam. Desceu e foi tomar banho no banheiro de baixo, deixou a porta entreaberta e me ofertou a visão daquele corpaço, uma boceta lisinha e um rabo encantador. Ela fez sinal pra eu entrar, entrei literalmente, chupei, mordisquei, enfiei naquela xana sedenta, ela gozou, bombiei novamente, ela gozou, virou a bunda pra mim e pediu, me faz gozar pelo cu, EU GOSTO. Meti tudo, ela gozou. Ela ordenou agora goza, gozei naquele cu quentinho. Tomamos banho, ela agachou e mamou, punhetou, pediu goza, quero leite, gozei. Durante a estada deles, demos mais duas fodas. Minha mulher questionou nossas conversas, disse que estava aconselhando, dias depois ela confirmou. Hoje ela disse que quando chegar vai telefonar. Espero.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 3,87 de 15 votos)
Loading...

Por

2 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos

  1. Ksado.gostoso

    Quero safadas assim pra sentar aqui no meu kcete

  2. Tony Bahia

    Gostei. Eu queria tanto que minha mulher fosse assim bem safadinha e desse pra meu irmão ou qualquer macho roludo. [email protected]