Meu Marido me embebedou e ofereceu-me a um desconhecido

Bem o que vou comentar com vocês e uma historia verídica , sou casada, sou branquinha, me considero uma mulher bonita, pernas grossas, seios grandes, uma bunda carnuda saliente, me sinto uma mulher gostosa, adoro sexo anal, oral, faço tudo, meu marido tem uma rola pequena, na verdade não me satisfaz muito não, tem ejaculação precoce goza muito rápido, já algum tempo ele vem me chamando de puta, na hora do sexo, dizendo que eu estou dando a boceta para outro, mais eu nunca o traí.

Um Sábado ele me convidou para irmos a uma churrascada que seria numa Cidade vizinha numa chácara, fomos Sábado as 11 horas, uma bela festa, churrasco e bebida a vontade, ele começou a me dar bebida, já tinha bebido bastante, era mais ou menos umas 14 horas, sou fraca para bebida, eu estava vestida com uma saia curta, mostrava bem as pernas e a bunda, apareceu um cara puxou conversa com a gente um negro bonito, forte, cheiroso, conversa vai conversa vem, já todos meios bêbados começou a conversa sobre sexo, eu não acreditei quando meu marido disse ao cara que eu adorava sexo anal, ele perguntou para mim é verdade mesmo você curte mesmo, eu confirmei, nisso meu marido saiu para pegar mais bebida me deixando sozinha com o cara, que depois falou o nome Henrique, o Henrique começou a me cantar, e disse que gostaria de foder minha bundinha, que chuparia todinha, eu só ria, meu marido voltou, eu disse a ele amor o Henrique esta me cantando, tu foi falar que eu gosto de dar a bunda ele esta querendo me comer, ele riu e disse deixa quieto você não tem coragem mesmo, voltamos a conversar, ele novamente saiu e me deixou sozinho com o Henrique, eu já estava bem alcoolizada, eu só ria, o Henrique pegou na minha mão e me puxou fomos para os fundos da chácara, que tinha umas arvores e começou a me beijar, eu acabei me entregando, ele baixou a bermuda não acreditei ele tirou um vergalhão negro, que deveria ter uns 22 cm, e muito grosso, um cabeção, uma chapeleta, me abaixei para chupar mais não cabia na minha boca, ele me debruçou sobre uma árvore por trás foi penetrando aquilo na minha boceta, nossa doeu um pouco mais foi tudo, nossa fiquei louca em receber uma rola daquele tamanho na boceta, gozei que nem louca e em vista do meu marido o cara ficou um tempão para gozar, encheu minha boceta de porra, bêbada como eu estava nem pensei em camisinha, só senti aquele leite quente dentro, que delicia, me recompus e voltei, encontrei meu marido que perguntou a onde eu estava, peguei na mão dele e levei na minha boceta toda melada, e disse estava enchendo ela de porra, o Henrique gozou ai dentro, você me deixa sozinha com o cara me cantando não aguentei.

Ficamos conversando, ai escureceu, já era umas 19 horas, a festa animada, só que muita gente já havia ido embora, meu marido queria ir embora, só que eu percebi que a coisa estava virando putaria, eu disse a ele agora que esta ficando bom, você quer ir embora, já tinha pouca gente pouca mulher mais homem, começou uma dança, como tinha mais homem do que mulher inventaram a dança da vassoura, os caras começaram a se esfregar, eu já bem alta de fogo me entreguei geral, acabei tirando a calcinha e dançando recebi algumas rolas me cutucando no meio das ´pernas, o Henrique dançando meteu de novo na minha boceta, se encostamos num canto, senti meu marido querendo meter no meu cu, relaxei, ele fodeu meu cuzinho, logo senti uma rola maior entrando doeu um pouco mais devido a bebida e o tesão aguentei o cara meteu tudo no meu cu, o Henrique fodendo a minha boceta e os outros caras metendo no meu cu, mais nenhuma rola superava a do Henrique, ele no meu ouvido dizia tu vai deixar eu foder este cuzinho, eu respondi vou, assim que o cara me largou eu me virei para o Henrique meter no meu cu, nossa como doeu para entrar aquele cabeção, mais foi tudo ate o saco, ele gozou dentro do meu, uns 4 caras gozaram no meu cu, nossa que loucura, fui no banheiro me lavar, e fomos embora.

Eu fiquei sem calcinha, da chácara ate pegar a estrada dava uns 10 Km ou mais, no caminho uma chiboquinha mandei ele parar, quero tomar uma cerveja, na verdade já não estava aquentando mais, uma chiboquinha bem simples, a estrada era de terra escuro, ele parou logo a frente descemos e pedimos uma cerveja, sentado numa mesa, esta um coroa negro, que não tirava os olhos de mim, comecei a provocar, abria as pernas e eu estava sem calcinha, comentei com meu marido o cara ali não tira os olhos daqui, eu falei para o meu marido quero foder com este coroa, meu marido disse tu e louca, eu me levantei e indo em direção ao carro fiz que caiu alguma coisa me abaixei fiz para que a saia subisse um pouco mostrando que eu estava sem calcinha, e fui em direção ao carro, abri a porta me debrucei no banco ficando com a bunda aparente, tentando ver se o coroa ia entender , ele entendeu quando chegou no carro não perguntou nada tirou a rola para fora e meteu, meteu tudo na minha boceta, nossa que rola grossa também, eu comecei dizer poem este rolão preto no meu cu poem, ele tirou da boceta e meteu no meu cu, caralho que delicia, ele socava forte me pegou pelas ancas e atochou tudo no meu cu e gozou, ele tirou a rola de dentro e voltou para a chiboquinha, meu marido veio viemos embora.

No caminho de casa eu tirei a roupa fiquei pelada e dizia para meu marido era isso que você queria seu corno que eu fosse arrombada, meti com uns 6 caras estou toda melada de porra,seu corno, ele respondeu eu queria e ver você metendo, já quasse chegando em casa isso já passava da meia noite, eu moro num condomínio, fechado, lá tem um negrão segurança que fica andando no condomínio, quando entra alguém ele faz questão de se apresentar, eu desci do carro peladinha, o segurança, olhou eu perguntei quer tomar uma cerveja, entrei meu marido disse ela convidou tem coragem, ele entrou nossa já foi pegando ela e começou metendo no cu dela, ela ficou de quatro no sofá, e ele socou a rola no cu dela, meteu ate gozar, saiu e disse não posso demorar mais amanha eu venho mais cedo a gente brinca melhor, só que isso e outra historia.

Mais vou dizer uma coisa nunca meti tanto na minha vida como neste sábado, fiquei toda dolorida mais bem satisfeita, espero que tenha gostado.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,58 de 19 votos)
Loading...