Troca justa ll

Como havia prometido, continuarei o relato, q envolveu eu, minha filha Larissa de 7 anos ,Agenor um coroa de 49 anos e sua neta Carol de 8 anos.
Depois de "brincar " com as meninas na praia , naquela manhã de sábado(eu com a neta dele e ele com minha filha)trocamos telefones e nos despedimos. Foi no domingo a tarde q Agenor ligou pro meu celular convidando eu e Larissa, pra comer uma pizza. Claro q aceitei as pressas, afinal, a netinha dele não saia dá minha cabeça e eu sabia q ele tbm desejava minha filha novamente.
Na hora marcada, peguei os dois no local marcado, em meu carro. Minha filha já foi sentadinha no banco de trás e Agenor colocou a neta no banco do carona é sentou-se ao lado de Larissa. Meu carro é todo filmado, e bem escuro. Ali protegidos de olhares curiosos, enquanto dirigia devagar, bolinava a xaninha de Carol, enquanto a safadinha massageava meu pau já fora da bermuda.
Pelo retrovisor, eu via Larissa deitada de bruços chupando o pau do coroa e ele q já tinha arriado sua calcinha, brincava com o dedo em seu cuzinho.
Em 15 minutos entrei no estacionamento da pizzaria, com as duas mamando nossas picas. Só depois de nos recompor , saímos do carro e sentamos no salão lotado. Como as outras pessoas éramos simples avô e pai, lanchando com sua neta e filha, lindas e inocentes. Larissa e Carol conversavam animadamente enquanto eu e Agenor fazíamos plano pra fuder as duas.
Ele então me deu a boa notícia, dizendo q poderíamos ir pro apartamento dele ,pois sua esposa e filha(mãe de Carol) tinham ido visitar sua sogra , q havia passado por uma cirurgia, e só voltariam no dia seguinte.
Uma hora depois, estávamos os quatro no quarto do Agenor, q pra não correr o risco de sermos surpreendidos, ligou pra esposa perguntando sobre a sogra, mas seu objetivo era se vê, se realmente as duas iriam dormir por lá.
Quando desligou o telefone, eu já beijava a boquinha de Carol, tirando seu vestidinho. Só então pude ver com detalhes sua bucetinha lisa e carnuda, onde meu pau no dia anterior tinha penetrado dentro d’água. Abrir bem os lábios rosados e cai de língua. Ao lado Agenor se apressava em fazer o mesmo com minha filha, q brincava com os cabelos da amiguinha.
Depois coloquei a menina sobre meu peito em posição invertida e iniciamos e belo 69. Carol mamava gostoso enquanto eu revezava língua e dedos em sua xotinha e cuzinho. Ao lado , Agenor q tinha colocado Larissa de quatro, passava kY na pica e no cuzinho dela, q me sorria com cara de putinha.
Cheio de tesão, deitei Carol na cama e colocando suas perninhas sobre meu peito, pincelei a pica em sua bucetinha quente e fui empurrando devagar. Quando a cabeça deslizou pra dentro, a safadinha suspirou mordendo os lábios e revirando os olhinhos. Fui bombando devagar e ao mesmo tempo metendo o dedo em seu cuzinho q piscava sem parar. Logo vi meu pau sumir todo dentro da xaninha, daquela linda criança de 8 anos q se delicia com meu pau, apertando o biquinho de seu peitinho duro.
Agenor já tinha penetrado seu pinto fino no cuzinho da minha filha, q deitada com a cabeça no travesseiro parecia se sentir confortável tomando no cuzinho, afinal a quase um ano ela já se acostumara com meu pau q é bem maior e mais grosso q o pinto do coroa.
Logo fui surpreendido, pois Carol começou a suspirar alto, rebolando na minha piroca, pedia:
Aiiii tio q DLC…isso vai, faz com força… Hummmm q gostoso
Nunca imaginei q uma guria daquela idade pudesse ter um orgasmo. A putinha estava gozando aos espasmos,na minha pica.
Ao mesmo tempo, Agenor tbm enchia o cu da minha filha de leite.
Carol pareceu gozar três vzs seguidas, me olhava com ternura, resfolegando, cansada. Tirei a pica lambuzada de sua xaninha e beijando sua boquinha, pedi:
"Vira a bundinha, deixa eu gozar no seu cuzinho"
Rapidamente ela me atendeu, ficando na posição da Larissa. Cai de língua em seu cuzinho deixando bem salivado, então Agenor, q já havia massageado meu saco no dia anterior, passou kY na minha pica massageando bem . Só então encostou a cabeça no cuzinho da neta, e pediu:
" Vai , empurra devagar q ela guenta!"
O buraquinho quente e apertado, foi cedendo a pressão, quando a cabeça entrou, ela deu um gritinho:
"Aaiii tio…devagar"!
Parei de empurrar,alisando sua bundinha, segundos depois, passado a dor, ela já rebolava e empurrava a bunda contra a pica.agenor brincava com o dedo na buceta da Larissa q assistia a tudo deitada.
Depois o avô, abriu as nádegas da neta é viu de perto meu pau enterrado até o talo. Como fez antes, passou a massagear meu saco, pedindo:
"Vai… Goza no cu dela"
Nesse momento esvaziei o saco dentro do buraquinho quente, dedilhando o grelinho dela q gemia e se contorcia de prazer.
Assim q tirei a pica lambuzada de porra e merda, Agenor caiu de boca no meu cacete solvendo toda a gosma marron, depois fez o mesmo no cu arrombado da netinha.
Minutos depois estávamos os quatro no banheiro, dentro do box, sob o chuveiro. As meninas riam e brincavam falando sacanagens, na maior cumplicidade.
Naquela noite só não comi o cu do Agenor, afinal eu tinha as duas princesinhas a disposição. Ele ficou satisfeito em mamar minha pica junto com as meninas.