Mané do sexo 3

Autor

Logo após a saída da Ingrid, cai no sono, levantei para ir trabalhar. Toda aquela loucura de uma empresa que ganha um contrato com uma empresa multinacional maior. Renata minha secretária sentiu que algo estava errado quando sntei na minha cadeira e deim um gemido de dor. Que foi Valter, ta com hemorroides? Não, eu acho que comi muita pimenta. Sei!!!. Vai, trás dos relatórios para gente ver. Me doía o saco (chupou com força e cavalgou com todo o peso), o pau (dor muscular) e meu cu (tava assado). Gente, eu não podia imaginar o que eu tinha feito, mas, eu fiz. Por uma semana, eu tava numa merda só. Graças que a Marcy menstruou, senão….Passou mais ou menos,e, na sexta fui levar a Renata na Faculdade e, ela me agradeceu com um beijo. Não era um beijo, era como duas cobras trançando as línguas, caramba. Ei, o que foi? Você sempre fechada, agora faz uma dessa. É que acho que eu preciso cuidar de você, tchau. Fui para casa pensando naquilo. Sabado, todo mundo em casa. Filha, ex, sogro e sogra. Toca meu celular e, era a Renata pedindo para ensiná-la calculo. Eu disse que não podia, aí a Dona Vitoria falou: porque não pode, nos vamos sair para compras, vai sim, vi ficar sozinha nesta casa. Via a Marcy olhar meio desconfiada, mas…. Cheguei no apartamento da Renata, e, ela me recebeu como sempre, sisuda. Qual é o problema? Olha Valter, meu pai quase me expulsou de casa por eu ter sexo com meus namorados, sabe aqueles fazendeiros durões. Com aparte de minha mãe, ele me comprou este pequeno apartamento para eu vim estudar e trabalhar. Mas, não posso namorar e estou sentindo falta, você sabe do que. Eu me tornei uma viciada e, parei de ter relacionamento a três anos e meio. Vim para São Paulo e, tenho sexo solitário, espero que você compreenda. Ontem, eu senti um tremendo tesão por você. Mas, com tanto menino bonito, charmoso por ai, você me escolhe. É que você é bem diferente dos outros homens. Gentil, sabe ouvir, auxilia os outros, e, te contei uma estória da minha vida e você nem ficou de pau duro, nem se jogou em cima de mim. Eu sei que você tem problemas com sexo, a quase de 10 anos sem transar e horrível para um homem, mas você levou numa boa.(Se ela soubesse os últimos acontecimentos). Ah, assim, vamos ver os cálculos. Encostei uma cadeira na cadeira dela na mesa e, passei o braço esquerdo sobre ela, segurando na cadeira. Ela se arrepiou por completo, e deu um gemidinho de leve. Eu pensei essa eu comeria com prazer. E fiquei ensinando. Passei a mão de leve no braço direito dela, mais um alto gemido. Ela virou, ajeitou o cabelo, levantou o braço direito, me abraçou, puxando minha cabeça contra ela e, começamos a nos beijar. Olhei meio assustado. Qual é nunca viu uma mulher querer te comer? Vamos vem comigo para o quarto. Chegamos no quarto, ela tirou minha roupa num piscar de olhos, pegou meu pau e disse UAUUU, que delicia. Tirou a roupa sem tirar os olhos do meu pau. Me empurrou para cama e começou a me chupar, lamber, mordiscar toda a extensão do meu pau. Virou o corpo e falou se sabia chupar uma mulher. Comecei a chupar, mordicar, chupar o grelão dela como fosse um pau. Enfiava a língua mais e mais funda naquela quente e molhada boceta. Enfiava o dedo junto, tirava e começava a explorar seu cu. Essa hora já gritava de tesão, um corpo lindo, gostoso, quente, perfumado e parecia um pêssego, todo de pelinhos arrepiados. Depois de uns quinze ou vinte minutos de 69, bebi o suco vaginal dela, eu avisei: Renata, eu vou gozar. Ela pegou o meu pau e chupou, mordeu de leva a cabeça, passou a língua e finalmente abaixou para a minha porra acertar suas grandes tetas. Vem aqui, vem, Poe seu pau no meio das minhas tetas, põe. Tava meio mole, meu saco estava deslizando na minha porra e ela chupava meu pau e apertava as tetas em volta. Depois de endurecer bem meu pau, me levou ao banheiro, lavou meu saco e o suas tetas. Enxugamos, voltamos para a cama, e começou a segunda etapa do chupa pau e cu com boceta. Eu abri bem suas pernas, comecei a esfregar meu pau nos lábios da bocetona dela e, fui enfiando devagar. Vai devagar, eu estou sem um pau a muito tempo e, o seu, é maravilhoso, mas é maior que muitos que já agüentei. Ela é bem maior e mais grossssssso.Vai devagar, não empurra assim, eu quero é gozar, não ficar machucadaaaaaaa. Devagar, por favor Valter, devagar. E, eu fui devagar. Beijando ela, chupando seus seios, mexendo no seu grelo, a mulher começou a gritar de tesão e pedia para enterrar tudo, gritava que eu tinha medo que algum vizinho viesse ver o que acontecia. Põe, mais, mais, me fode, me faz gozarrr, me arromba, a dor melhorou, e eu quero é gozar, vamos garanhão, mete na sua potra, meteeeeee.fodeeeee, UAIIIII,USHA,USHA,ISHHH,FIZZZ, agora goza, espera ai, não ai dentro. Caralhoooo, que cacete, eu vou ficar com você enquanto der. ME ARROMBA VALTERRRR, TO SENTINDO COMO A PRIMEIRA VEZ, METE, COME SUA POTRA COME,COMEEEEEEE, EIIIIIIIIISH TO GOZANDO. Tirei o pau de dentro dela, e comecei a punhetar, ela veio chupou e engoliu toda a porra e, ainda queria mais. Fomos ao banheiro, tomamos banho juntos e, voltamos para a cama. Disse que não podia ficar,pois minha família estava em casa. É, bom, pois eu estou toda dolorida. Ainda bem que você não quis comer meu cu. Aí, sim, eu não agüentaria (continua).