Tudo começou na inocência

Autor

Tudo isso que irei contar aqui é bem recente, e vocês da contoseroticoscnn ajudaram à acontecer. Me chamo Ennio, tenho 29 anos, 187 de altura, 85kg, 21cm de rola, sou branco com um bronzeado leve, cabelos castanho escuro e até semana passada hetero. Sou casado e tenho um casal de filhos, uma menina de 3 e um menino de 9. Sempre fui um bom pai e nunca vi meu filho com outros olhos, até que, semana passada fomos pra casa na praia de um amigo meu, isso era uma coisa corriqueira em nossas vidas, só que nesse dia a minha filhinha não estava bem e a minha esposa preferiu não ir. Então fomos eu e meu filho Enzo, ele adora a praia, fui nesse dia apenas pra fazer ele Feliz, pois não gosto de andar sem a minha esposa. Logo esse dia que iniciou uma nova relação de pai e filho.

Chegamos cedo na casa de praia do meu amigo,
e o Enzo já queria ir pro mar, mas eu vi o tempo pesado, meio nublado e falei pra ele esperar abrir o sol que eu iria com ele. Cumprimentei meu amigo, a família dele, e Enzo emburrado querendo ir pra praia. Ele pediu mais uma vez pra irmos pro mar, nem quis saber do churrasco na varanda.

-Filho, tá com cara que vai chover, a sua irmã já tá gripada, quer ficar doente igual ela?
-pai, por favorzinhoooo! Qual a graça de vir na praia e não tomar banho no mar?
-vamos fazer um trato? Vou ligar pra sua mãe e pergunto pra ela, se ela deixar eu te levo.
-Ok, pai!
-alô, amor?
-Oi Ennio, o Enzo já almoçou?
-Não quis comer nada, amor, tá aqui emburrado querendo ir pro mar, eu até levaria, mas tá uma ventania forte e o tempo tá nublado…
-não, Ennio, o Enzo adoece com qualquer coisa, já me basta uma doente pra eu cuidar.
-Você ouviu, né Enzo? Sua mãe disse não.

Nisso o Enzo começou a chorar, isso partiu meu coração, não gosto de ver meu filhote chorando. Terminei de conversar com a minha esposa e desliguei o celular, fui até o Enzo e fiz um acordo com ele.

-Filho, o pai te leva na praia se você não contar pra sua mãe, ok?
-Ok, pai! Será nosso segredo!

Meu amigo queria caminhar um pouco e nos acompanhou. Ficamos na areia batendo papo enquanto o Enzo pulava nas ondas, se jogava na sua, fazia a festa. Eu sempre de olho nele pra ele não ir pro fundo, falei pra ele ficar no máximo com a Água na cintura. 5 segundos de distração e escuto o Enzo gritar. Corri feito louco pra ajudar meu filho que estava sentado no razo segurando o antebraço enquanto gritava e chorava. As ondas trouxeram uma caravela (espécie de água viva) , e o Enzo tentou pegar e acabou se queimando. Eu não sabia o que fazer, a minha esposa que sabia agir nessas situações, meu amigo disse que urina era o remédio pra essas coisas, pois contém amônia. Eu falei pro Enzo fazer xixi em cima, mas ele tava com vergonha do meu amigo e na hora eu não pensei duas vezes, vi a praia vazia por conta tô tempo ruim e coloquei a rola pra fora, vi que o Enzo ficou impressionado com o tamanho da minha jeba, e não era pra menos, uma rola que mede 21cm dura pra ele parecia ser gigante. Comecei a mijar em seu antebraço e mão. Eu havia mijado pouco antes de sairmos pra praia, e não tinha muito o que mijar, mesmo assim dei uma boa mijada. Enzo já não chorava mais, não sei se foi por distração com a minha rola ou se o mijo tinha feito efeito.

-parou de doer filho?
-tá melhor, mas ainda tá queimando…
-mija mais, Ennio, até parar de doer -disse meu amigo.
-eu mijei antes de sairmos, tô sem…
-Bom, se você quiser posso ajudar, bebi bastante cerveja no churrasco e tô com o tanque cheio.

Eu acabei concordando, afinal era para o bem do meu filho. Meu amigo colocou a rola pra fora, parecia estar meia bomba, não era grande, acho que dura deveria ter um tamanho médio. Enzo agora revezava o olhar entre as duas rolas, só aí lembrei de guardar a minha rola na bermuda. Meu amigo mijou como um cavalo, Enzo girava o braço pra molhar tudo de mijo, ele parecia gostar do remédio pra queimadura. Voltamos pra casa da praia e a esposa do meu amigo fez um tratamento melhor na queimadura, não comentamos das mijadas pra ela. Já no carro voltando pra casa, falei pro Enzo não contar nada pra mãe dele, se ela soubesse da queimadura saberia que desobedecemos e fomos pra praia, ele concordou e manter segredo.

-pai, quando chegar em casa, o senhor pode mijar outra vez na queimadura?

Achei estranho ele pedir isso depois da esposa do meu amigo ter aplicado uma pomada.

-Ainda tá doendo, filho?
-um pouco, mas deve melhorar com o seu xixi.
-Por que você mesmo não mija?
-Acho que o seu xixi é mais forte já que o senhor é adulto.
-tá bom, mas isso fica só entre nós!

Eu deveria ter negado, mas eu senti algo estranho enquanto mijava em meu filho. Chegamos em casa e a minha esposa estava deitada no quarto.

-Já pro banho, Enzo! -disse minha esposa.
-E o senhor, pai? Não vai tomar banho?
-vou sim filho, depois que você sair.
-Vamos comigo, quando eu era menorzinho o senhor tomava banho comigo.
-E amor, toma banho com o Enzo, aproveita e dá uma geral nesse porquinho, lava ele todo, e não esqueça atrás da orelha.

O Enzo não pedia pra tomar banho junto comigo desde que tinha uns 5 anos, e do nada tá querendo, eu sabia o que ele tava querendo de verdade. Assim que entramos no banheiro ele trancou a porta e já foi tirando a roupa, ele entrou no box e ficou me olhando ficar nu.

-pai, pode ser agora?
-xiiiiii, silêncio pra sua mãe não escutar! -falei baixinho.

Entrei no box com o Enzo e ele já posicionou o braço perto do meu pau. Comecei a mijar, ele parecia estar hipnotizado pela minha pica. Quando olhei pra baixo, vi sua piquinha dura e pulsando. Aquilo me desconcertou por dentro, e me deu um certo tesão, resultando no meu pau crescendo. Tentei pensar em outras coisas pra evitar essa ereção, mas foi em vão. Meu pau estava duro como pedra e o mijo estava indo pra parede, Enzo meteu a mão na minha rola e apontou pro lugar certo. Após acabar de mijar tentei terminar o mais rápido possível aquele banho. Meu pau não baixava e Enzo toda hora tentava pegar meu pau e passar sabonete no meu saco, numa dessas eu não aguentei e gozei. Jorrou leite no rosto dele e no peito. Sai do box sem falar nada, me enrolei na toalha e antes de sair do banheiro olho pro Enzo que sorria com uma carinha de safado e disse baixinho:

-nosso segredo!

O resto da noite, aquela situação não saia da minha cabeça, eu sabia que era errado mas só de pensar meu pau ficava duro, comecei a pensar no corpo do meu filho, na bundinha redonda dele toda ensaboada. Já de madrugada quando a casa toda dormia, levantei e fui até o quarto do meu garoto. A luz do corredor iluminava seu corpo adormecido, minha vontade era de arrancar o shortinHo dele e lambe-lo dos pés a cabeça, sentir o sabor do meu filho, dar um banho de língua em seu cuzinho virgem.

Meu pau já estava duro querendo sair da minha cueca boxer. Fui até a sala e liguei o computador e pesquisei sobre esse assunto. Todos os vídeos que achei de pais de filhos, com certeza eram falsos, até que achei este site da cnn repleto de contos de pais e filhos, amanheceu comutador dia e eu estava lendo, li vários relatos e punhetei feito louco. Eu estava disposto a praticar com meu garoto, mas precisava ver se ele guardaria segredo e se ele realmente queria isso.

Fui pro banheiro tomar um banho e bater outra punheta, quando sai minha esposa estava levantando.

-Bom dia amor!
-Bom dia querida!
-Hoje vou levar a Eliza pra creche antes de ir trabalhar, ela parece estar melhor da gripe.

Minha esposa entrou no banheiro pra se preparar pro trabalho e pediu pra eu acordar o Enzo. Entrei no quarto e ele estava só com aquele shortinHo minúsculo, comecei a beijar do seu umbigo até seu pescoço, e ele foi acordando aos poucos. Quando ele percebeu que era eu beijando seu corpo abriu um sorriso, e pude perceber um pequeno volume no shortinHo de tecido fino.

-Bom dia pai!
-Bom dia meu lindo!
-Meu lindo? O senhor nunca me chamou assim?
-não gostou?
-gostei, só achei estranho rsrs.
-levanta e se prepara pra escola.
-Aff, tinha esquecido que hoje é segunda, não queria ir pra escola…
-e não vai, hoje vamos passar um dia só nosso, mas sua mãe não pode saber, você vai levantar, se arrumar, tomar café… Tudo como você faz sempre, pra sua mãe não perceber que você vai faltar na aula.
-Nossa pai! Sério?
-Sim, só disfarça essa felicidade pra ela não perceber, já já ela vai levar a Eliza na creche e de lá vai pro trabalho, aí ela só volta de 5 horas. Vamos ter um dia só nosso.

E assim Enzo fez, se arrumou todo e tava na mesa tomando café quando a minha esposa chega com a minha filha no colo pra se despedir do Enzo. Assim que elas foram embora, eu passei a chave na porta e fechei todas as janelas. Tava na hora do Enzo descobrir as coisas boas da vida.

-Pai, o senhor vai mijar na minha mão?
-depois, antes quero te mostrar umas coisas.
-O que?
-calma apressadinho, temos o dia todo. Antes vai no seu quarto e tira essa roupa, pode ficar nu.
-nu?
-É! Vai lá não faça perguntas.

Enquanto o Enzo foi no quarto guardar a mochila e tirar a roupa eu também tirei a minha e liguei o computador na sala. Meu pau estava duro, apontava pro teto e pulsava como nunca.

-Enzo?
-Tô indo pai!

Quando ele chega na sala e se depara comigo nu e de pau duro, já abre aquele sorriso safado.

-Vem aqui no computador que eu quero que você veja uma coisa.

Eu sentei na cadeira e bati na minha coxa sinalizando onde ele deveria sentar. Ele veio até mim com seu pauzinho duro. Quando ele sentou e senti aquela bundinha pequena e quente se encaixar na minha perna e meu pai encostar na sua cintura, dei um gemido e beijei seu pescoço e mordi sua orelha fazendo ela ficar todo arrepiado.

-quero que você leia uma história que vou abrir aqui no computador, tá?
-tá bom, papai.

Abri o site da cnn e coloquei em um dos contos que li na madrugada, era sobre um pai que comeu o filho numa fazenda. Enzo começou a ler e eu sentia sua excitação na respiração que ficou mais forte e nas reboladas que ele dava na minha perna, algumas coisas ele não entendia e me perguntava o que era, e eu respondia bem pertinho do ouvido dele finalizando com uma mordidinha. Quando ele acabou de ler perguntou se podíamos fazer aquilo, eu disse que sim, disse que faríamos o dia todo e enfiei minha língua em sua boca. Ele não sabia o que fazer com a minha língua no começo, mas por extinto começou a chupar. Peguei ele no colo e o levei pra o banheiro, entramos no box e eu comecei a mijar no rostinho dele, ele abria a boca pra tentar saborear minha urina, eu encaixo a ponta do pau bem na boquinha dele e ele começa a beber, o excesso do mijo que ele não conseguia engolir escorria em seu corpinho. Assim que o mijo acabou enfiei o pau na boca dele, e ele mamou. O tesão era demais e acabei gozando dentro da boquinha dele. Ele engoliu tudo e continuo chupando meu pau que não amoleceu. Dei um banho nele, pra limpar o mijo e o enrolei na toalha, queria comer aquele rabinho na cama dele. O coloquei de quatro e ele empinou a bunda expondo um cuzinho minúsculo e rosado, admirei a cena por uns segundos e mergulhei de língua naquela bundinha. Enzo gemia a cada linguada que eu dava, cada vez mais fundo, uma vez ou outra eu afastava a cabeça e dava uma cusparada forte bem no cuzinho que piscava feito louco.

-papai, me come igual o pai do menino fez na história. Mete no meu vizinho papai, quero ser sua putinha igual o menino fez com o pai dele…

Não esperei ele pedir outra vez, o deitei na cama e mandei ele segurar os tornozelos ficando na posição de frango assado. Passei um lubrificante anestésico, que uso pra comer o cú da minha esposa, melei todo o cuzinho e comecei a melar por dentro com 1 dedo, fui devagar pro anestésico fazer efeito, meti o segundo dedo e Enzo gemia, fiz movimentos circulares e o cú foi relaxando e abrindo, meti outro dedo e mais anestésico, quando senti que o cú já estava pronto, pincelei a cabeça do pau bem na entradinha, e comecei a forçar passagem, o cú resistiu ao meu pau, comecei a fazer movimentos de vai e vem e forçar, o pau escorregou pra dentro fazendo Enzo gemer alto.

-tá doendo amor?
-tá um pouco, mas é muito gostosoooooooo

Após ouvir isso iniciei as bombadas, comecei devagar e aos poucos fui acelerando, enquanto fudia aquele cuzinho desvirginado me inclinei e comecei a beijar a boca do meu filho, que parava de chupar a minha língua pra gemer. Gozei naquele cuzinho quente mas não parei de bombar, meu pau não baixava, era tesão demais. Segurei Enzo e o levei pra sala, ele estava pendurado encaixado pelo meu pau. Coloquei um vídeo Gay no computador pra ele aprender coisas novas, Deitei no sofá com ele cravado na minha rola, e ele quicava com uma voracidade incrível, quem diria meu filhinho, meu machinho, pulando e rebolando no meu pau. Que tesão, fudemos o dia todo, só paramos pra almoçar e deixar o cú relaxar após tanto entra e sai de rola. Minha mulher chegaria em casa de 5 horas da tarde, por volta de 4 horas iniciei a arrumação da casa, limpando as gozadas no chão… Ao terminarmos fomos pro banheiro tomar aquele banho gostoso, lá acabei mijando dentro do cuzinho do Enzo que adorou a sensação. Minha esposa chegou e não percebeu nada. Deixei o lubrificante com o Enzo pra ir passando no cú pra anestesiar, e ele me olhava com um olhar de apaixonado. Essa semana ele não foi pra escola nenhum dia, só quis saber de dar o cú pro papai. Estou escrevendo no sábado (dia 7 de outubro) , amanhã é domingo e vamos pra casa na praia do meu amigo, domingo passado o pau dele tava meia bomba ao mijar no Enzo, já estou ensinando pro Enzo o que ele deve fazer com o meu amigo, tipo: sentar no pau dele e rebolar, encarar ele e sorrir com carinha de safado, colocar o dedo na boca e chupar, tudo com descrição pra ninguém ver. Vamos ver o que vai rolar, qualquer novidade conto aqui na segunda.

Nunca fui tão feliz…