Eu, meu marido e minha Mãe

Olá! Me chamo Margarete tenho 28 anos e sou filha única, Fátima minha mãe tem 48 anos e é viúva a mais de 10 anos, e desde que enviuvou não teve mais ninguém, conheci o Leandro há 8 anos e após dois anos de namoro casamos.
Eu fui morar na cidade natal do Leando, que ficava a mais de 300km da minha cidade, minha mãe passou a morar sozinha, o Leandro tem uma ótima situação financeira e moramos em uma casa bastante grande para apenas um casal, final de semana sempre íamos a um lugar diferente, uma vez que o Leandro possui chácara, casa de praia, casa na Serra e uma casa em uma cidade pequena, mas bastante turística.
Muitas vezes minha mãe vinha passar final de semana conosco, ela é uma mulher bonita, alta, seios fartos, bunda grande e muito charmosa, Leandro e eu notávamos quando os homens davam uma olhada para ela, os amigos do Leandro muitas vezes comentavam sobre a beleza e o charme de minha mãe.
Tudo começou quando o Leandro conversou comigo a respeito de convidarmos a minha mãe para morar conosco uma vez que ela vivia muito só, eu concordei na hora, então conversamos com a minha mãe e ela aceitou o convite.
À noite o Leandro muito safado, diga-se de passagem, começou a me provocar falando que a sogra dele era muito gostosa, eu sempre falava para ele ter vergonha na cara, então ele começou a me beijar e sorrindo falou:
– Deixa-me comer a minha sogruinha?
Eu rindo falei:
– Deixa de ser safado!
Começamos a fazer amor e o Leandro me comendo e falando:
– Vai Fátima fode com o teu genro.
Aquilo me deu muito tesão e eu comecei a provocar:
– Vai Leandro, me come seu safado.
Gozamos muito e desse dia em diante Leandro ficava me pedindo para eu o ajudar a comer a minha mãe, e essa tara começou a me dominar, quando estávamos transando eu sempre falava:
– Vai meu amor, come mainha vai, mete no rabo dela vai…
Gozava-mos loucamente, até que tudo foi ficando cada vez mais picante, um dia eu fui com mainha ao supermercado e comentei com ela:
– Maninha a senhora sabia que o Leandro morre de tesão pela senhora?
Ela riu para mim e falou:
– Sabia sim!
– Como assim á senhora sabia?
– Uma vez à noite eu precisava falar com você e fui até o seu quarto, então ouvi gemidos então decidi voltar, porém escutei o meu nome, então decidi escutar um pouco atrás da porta.
– E o que a senhora ouviu?
– Escutei toda a fantasia de vocês e tudo que falaram sobre mim, esperei vocês terminarem e só depois eu voltei silenciosamente para o meu quarto.
– Estou passada, sem saber o que falar.
– Não se preocupe todo casal tem suas fantasias.
Fomos fazer ás compras e eu passei o dia todo sem jeito, a noite quando já estava recolhida para dormir, eu falei tudo o que havia acontecido para o Leandro, então ele me falou:
– Eu acho que se você convidar a Fátima topa transar com a gente!
Então eu cheia de tesão falei:
– Leandro eu teria coragem de transar com a minha própria mãe, mas eu quero que você coma ela.
Então o Leandro aproveitando a adrenalina, me convenceu a ir até o quarto da minha mãe e puxar assunto, e eu sem pensar duas vezes fui, chegando bati a porta e ela perguntou quem era, respondi e ela me mandou entrar, ela estava apenas de calcinha e com uma blusa branca então eu falei:
– Mainha eu estou morta de vergonha pele que a senhora escutou, comentei com o Leandro e ele falou que não sabe como vai olhar mais para a senhora.
Então mainha falou:
– Margarete, se você quiser eu posso voltar para minha casa, pois eu não quero incomodar e muito menos que vocês fiquem constrangidos por minha causa.
– Claro que não mainha, eu posso pedir para o Leandro vim aqui, assim a senhora explicando que não ficou chateada vai ficar tudo bem, posso?
– Claro que sim, mas antes me deixa vestir uma roupa e nos encontramos na sala.
Eu voltei ao meu quarto e falei tudo para o Leandro, então fomos à sala, quando chegamos mainha já nos esperava, então sorrindo ela falou:
– Todo o casal tem suas fantasias, mas confesso que transar com a sogra me surpreendeu.
O Leandro foi logo falando:
– Pois a senhora não devia se surpreender, pois a senhora é uma mulher muito bonita e gostosa, e o fato da senhora não ter ninguém, me despertou essa vontade.
Eu criei coragem não sei de onde e falei:
– Maninha se a senhora topar eu gostaria que o Leandro transasse com nós duas, sem ter nada entre eu e a senhora, claro.
Maninha apenas suspirou e não falou nada, então o Leandro me abraçou por trás e eu sentindo o pau dele duro como uma pedra, eu me virei, baixei o short dele e comecei a chupar aquele pau grande, grosso e extremamente duro, mainha não falava nada e ficava só olhando, então o Leandro tirou o pau da minha boca, foi até a minha mãe e bem próximo a ela falou:
– Se a senhora escutou nossa fantasia até o fim, é porque gostou, o que acha de não apenas ouvir, mas de participar?
Mainha olhava para o Leandro, me olhava, olhava para o pau do Leandro, mas não falava nada, eu então resolvi ir para o tudo ou nada, e fui até a minha mãe, abracei por trás e falei para o Leandro:
– Vem meu amor, você não está vendo que essa puta está louca pra ser sua puta? Vai mainha chupa o pau do meu marido vai.
Segurei a cabeça da minha mãe e impulsionei para o pau do Leandro, então ela baixou e começou a chupar, ela chupava com muita vontade, então eu tirei a minha roupa e quando já estava totalmente nua falei:
– Agora é a minha vez de chupar, tire a sua roupa, pois puta só presta nua.
Mainha ficou nua e o Leandro a colocou no sofá e começou a meter na buceta dela, ela gemia e falava:
– Que loucura… Filha o seu marido está me comendo…
Eu falei:
– Ele não só está lhe comendo como vai lhe comer sempre, pois a partir de hoje a senhora vai dormir no nosso quarto, meu marido vai escolher se quer comer a mãe ou a filha, e tem mais mainha, a partir de hoje não invente de arranjar namorado, pois eu não aceito o meu marido ser traído, e você Leandro lembre-se que você tem duas vadias dentro de casa para dá conta. Mainha a senhora vai dá o cú para o nosso macho, não vai?
Mainha gemendo falou:
– Eu vou dá o que vocês quiserem…
Atualmente vivemos muito bem, com esse triângulo amoroso aonde nem os empregados da casa desconfiam, pois mantemos a compostura, e só a partir do momento em que estamos apenas os três em casa é que rola muito amor, carinho e sexo.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,00 de 1 votos)
Loading...