A filha da Empregada!

Tenho uma senhora que realiza serviços de diarista pra mim de 15 em 15 dias em meu “apertamento”.
Como solteiro e morando sozinho, não preciso de grandes limpezas passadas no meu apê.
Ocorre que minha atual empregada, ficando doente, teve que se afastar de seus serviços, indicando sua filha para substíui-la.
Semana seguinte, recebo a visita de sua filha para sunstituir a mãe. NOSSA… Uma morena linda, corpo enguia, cabelos negros super bem tratados na altura dos ombros, com uma bundinha enguia e um lindo par de olhos verdes claros, sem contar com peitos avantajados que eram proporcionais aos seus +/- 1m70cm de altura.
Cumprimentações formais sem deixar mostrar a garota que deveria ter em torno dos 20 anos, explico como gostaria ser feito a limpeza no apartamento. Da limpeza quinzenal que solicitava para mãe dela, passo a contratar Fernanda semanalmente para prestar seus serviços.
Mãos a obra, Fernanda entra banheiro de serviço para se trocar, enquanto redijo meus relatórios na sala, foi quando ouço ela me perguntar:
– Senhor Renato, aonde estão guardados os materiais de limpeza e os apetrechos para começar?!
“Mama mia!!!” – pensei. Fernanda estava usando uma bermuda de brim na altura dos joelhos e um camisetão branco com propaganda de sei lá qual empresa e sem sutiã.
Olhei ela de cima a baixo e quasse embabacando a fala falei:
– Em baixo do tanque e no armario na área de serviço. Deixa que te mostro.
Levei ela e apontei para o tanque.
– Pode pegar o que precisar ali em baixo. Ela ae abaixa e parece se “mostrar” empinando a bunda pra cima e logo se abaixa. No que se acoca, consigo ver sob a camiseta meio folgada, seus par de peitos durinhos, empinados e com os malimos escuros que pareciam estar durinhos.
– Fica a vontade Fernanda. Se não for abuso, gostaria que passasse um café. Aproveita e passa bastante e ponha na térmica, assim você pode também tomar durante o dia se quiser.
Não conseguia tirar da cabeça, tanto da cabeça de cima como da “cabeça de baixo” a visão de seus peitos e do rabinho lindo que deveria estar sobre aquela calça de brim dela.
Fernanda era muito simpatica e sorria o tempo todo.
Pronto o café, ela me trás uma xicara.
– Fernanda, me responda uma coisa: você sempre faz teus serviços vestida assim, a vontade?!
– Não seu Renato. O senhor é meu primeiro cliente. Antes trabalhava como camareira de motel e fiquei desempregada porque o motel onde trabalhava reduziu o pessoal. Como era mais nova na empresa, solteira e sem filhos, sobrou pra mim. Porque, estou com roupas inapropriadas?!
– Não, claro que não e nem é de minha conta. Pode trabalhar até com roupa de baixo se quiser, juro que não me importarei!
Fernanda riu abertamente.
– Nossa seu Renato, o senhor está me dando uma cantada?!
– Não, bem que podia, mas não. Estou tentando fazer um elogio. É uma mulher muito bonita, aposto que bem arrumada causaria muito pavorosso. Tens carinha e corpo de modelo sabia?!
– Sério?! Obrigada!!! Nunca recebi um elogio destes. E capa de revista, será que podia aparecer?!
– Olha Fernanda. Se pudesse te ver estampada numa revista, queria te ver numa Playboy, Sexy ou outra do gênero.
A garota se expanta e me pergunta:
– …Aiii…aii…aiii… Seu Renato!!!! Quer me ver pelada é?!
– Bem que queria. Se não te ofender, posso te fazer uma proposta indecente?!
– Se for boa e depois de um elogio destes.
– Durante estes dois meses que substituir tua mãe, mas não vai contar pra ela pois não quero incomodos com ela, te proponho pagar os R$100,00 e mais R$150,00 na tua diária para te levar pra cama e outras “prestações de serviços durante o dia”. Que acha?!
– Que outras prestações seu Renato.
– Te levar pra cama uma vez, e de vez quando chupar teus peitos e vc chupar meu pau.
– Trato feito! Mas não pense que fiz ou faço isto com qualquer outra pessoa ou patrão. O senhor é o primeiro. E peço que não conte para minha mãe ou outras pessoas.
– Tire a roupa Fernanda. “Vou te passar o ferro agora!”
Ela tira o ferro e caio de boca naquelas tetas maravilhosas de mamar.
Levo ela pro quarto, sento ela num quifofo baixinho e peço pra ela mamar.
– Chupa Fernanda! Chupa gostoso….
Em ponto de bala fui até meio rude e falo:
– Deita na cama e abre as pernas.
Dou uma rápida chupada, pego uma camisinha na gaveta de meu camiseiro e meto meu caralho maquela buceta carnuda com os pentelhos negros e bem depilada.
– Mete seu Renato!!! …seu Renato… haaaaammmm…. piçudoooo!!!
Em questão de minutos encho a camisinha de porra, dou mais umas chupadas naqueles peitos.
– Agora vamos ao trabalho Fernanda?!
– Ela fica vestida apenas de calcinha e sutiã e, antes do almoço, vejo ela passando aspirador na sala e peço:
– Desliga o aspirador e vem cá.
Arrio minha bermuda e segurando o caralho duro mando ela mamar.
Ela solta o sutiãm para evitar cair porra neste e começa a chupar maravilhosamente meu caralho.
– Engole tudo. Não vamos querer manchar o tapete e o sofá de porra né gata?!
Fernanda me leva ao orgasmo engolindo até minha última gota de porra, ficando uns bons minutos chupando a cabeça do meu pau.
Quase no final da tarde, ela me avisa que está pronta com o serviço.
Dei ao dinheiro a ela e aproveitei para dar a última foda. Não timha mais cisinha, mas botei ela de quatro na minha cama, lubrifiquei o cacete e meti de novo na buceta de Fernanda segurando firme pelos quadris fudendo ela como um cavalo garanhão arrancando gemidos como uma cadela no cio, acabamdo por ejacular toda porra pela bunda, fazendo a porra escorrer rego abaixo. Dei mais umas mamadas nos peitos, deixando ela se arrumar para ir embora.
Patrão e empregada satosfeitos, semana seguite teria “mais limpeza!”
Outra hora conto mais por aqui.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,00 de 1 votos)
Loading...