# #

Família de Militare

937 palavras | 8 |4.28

Sou militar, assim como todos os homens da minha família, hoje sou casado,tenho 40 anos sou pai de dois lindos garotos ainda muito jovens mas inacreditavelmente espertos e curiosos, bom, o que passo a relatar aqui foi um choque para mim, lidar com essa situação não foi fácil no inicio. Sou casado com uma executiva e a profissão afaz viajar e ficar longos períodos fora de casa o que me faz ser mais responsável pela criação e educação de nossos filhos, passo o dia no trabalho, as vezes patrulhando pela cidade as vezes envolto em diversos procedimento na corporação.
Levo meus filho a escola todos os dias e meus pais vão busca-los, dão o almoço deles e passam o dia com eles ao final da tarde passo na casa deles e os pego para levar para nossa casa, chego em casa muito cansado, como sempre eles vão para o quarto jogar video game e eu fico na sala vendo o jornal as vezes cochilo no sofá ainda de farda a cerca de um ano mais ou menos percebi que em quanto eu cochilava no sofá, as vezes sentia um afago, um calor diferente sobre meu pau, mas não dei muita importância pois pela falta de sexo poderia ser só tesão, fico de pau duro muitas vezes durante o dia, durante o trabalho em casa quando estou deitado, cochilando ou dormindo.
Bom no começo eu nao ligava, mas isso começou a se repetir sempre que estava cochilando na sala e sempre fardado, ate que um dia em quanto sentia esta sensação despertei subitamente, e entrei em choque, tamanha minha surpresa nao consegui me mexer cheguei a perder o fôlego, ao abrir os olhos vi um de meus filhos apalpando e acariciando meu pau por sobre a calça da farda, mas não de maneira inocente e sim com uma avidez, um desejo que não sei explicar de onde ele tirou, cheguei a achar que era um sonho, fechei meus olhos novamente puxei o ar com força e fui me levantando ainda com os olhos fechados, quando abri vi meu filho diante de mim, com um olhar diferente do que de costume a boquinha molhada chegava a escorres saliva no canto.
mil coisas me passaram pela cabeça naquele momento, sai andando para o banheiro onde me despi entrei em baixo do chuveiro e acho que por não saber como reagir ao que tinha acontecido desabei em lágrimas, quando sai do banho ambos já estavam em suas camas ate já dormiam, fui para meu quarto tranquei a porta e dormi que nem pedra, acordei no dia seguinte ainda meio confuso, mas dei o café dos meninos e os levei para a escola, no trabalho durante todo o dia trabalhei mal, não sabia o que fazer, o que pensar, um misto de culpa e tesão me invadia a alma, ao final da tarde como de costume passei para pegar os garotos e meu pai me pediu alguns minutos para conversar e na verdade não entendi a conversa, pois ele falava algo sobre eu precisar ter mais calma com os meninos, pra não dar broca porque pode traumatizar e terminou me dizendo que deixasse as coisas acontecerem naturalmente.
No caminho para casa so pensava na conversa do meu pai tentando entender do que ele estava falando, se ele sabia de algo, se ele fizera algo com meus filhos, cheguei em casa e deitei no sofá, novamente adormeci, mas acordei novamente com o mesmo afago do dia anterior, dessa vez mais desperto e querendo saber onde aquilo iria, sem neuras e calmo abri meus olhos e novamente vi meu filho afagando meu pau por sobre a farda , este duro como rocha ja até vazava molhando a calça, meu filho ao perceber que eu acordara, tirou a mão imediatamente e ficou parado a minha frente como que esperando um tapão, mas com o mesmo olhar incisivo do dia anterior, mas eu continuei na mesma posição, apenas abaixei minha mão e desabotoei a calça e expus meu pau duro para ele, que ajoelho e se pôs a acariciar, cheirar e lamber me proporcionando um prazer inigualável, meu pau babava litros e ele lambia cada gota que saia, eu não acreditava que era meu filho que me mamava o pau naquele momento mas eu não fechava os olhos, mal pude crer quando ele abriu a boquinha e mandou a cabeça do meu pau pra dentro e foi engolindo ate engasgar, voltou respirou e continuou mamando, não consigo precisar quanto tempo foi de mamada, mas foi tão inacreditável e prazerosa a melhor mamada que eu já levara nunca senti prazer igual que gozei mas gozei muito, porra farta e grossa, ele engasgava mas não tirava a boca, vi uma quantidade absurda de minha porra escorrendo pelo queixo e pescoço do meu pequeno, quando terminei de gozar, ainda deitado e extasiado de prazer, o puxei pelo braço pra cima de mim ainda com o pau duro e fora da calça sujo pela baba do meu filho e minha porra, disse que o amava muito e perguntei se ele já havia beijado alguém na boca ele disse que não então pela primeira vez lhe beijei de língua sentindo o sabor de minha porra em sua boquinha gulosa, quando percebi minha farda estava toda suja de porra.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,28 de 25 votos)

# #
Comente e avalie para incentivar o autor

8 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder PDF Negão ID:1cqx0dqkuc0e8

    Delícia de iniciação

  • Responder Flavinha ID:1d2mqu1mwlvle

    Nossa, acho que foi o melhor conto lido por mim. Parabéns e escreve muito bem. bjs

  • Responder passivo discreto mamador ID:7r03u2g20i6

    meu sonho é sentir o sabor das picas de militares e ser enrabado por eles. [email protected]

  • Responder Lu e thais ID:bemlgaet0aj

    Muito bom amigo. Parabéns. telegran @luethais2019

  • Responder mente aberta ID:e9q2i8d9dl

    deliciA

  • Responder anonimo ID:e9q2i8d9dl

    viadagem do caralho porra

  • Responder mauricio ID:e9q2i8d9dl

    vc deve ser muito gostoso gosto muito de homens de farda nunca tive nenhuma experiencia co policial adoraria

  • Responder mauricio ID:e9q2i8d9dl

    muito excitante