Dominação Tântrica VII – O Encontro

Num destes domingos fui assistir o filme Truque de Mestre 2 no Shopping JK, em São Paulo. Tinha gostado muito do primeiro filme que tinha uma roteiro inteligente e muito bem construído. Deixei meu carro no estacionamento e quando subi as escadas me dirigi a loja da Ducati para ver a nova X Diavel. Para supresa, vi um casal caminhando e olhando as vitrines. Era Maiara e seu marido. Quando me viu puxou o marido e veio em minha direção. Dr. Ricardo que bom te ver, deixa te apresentar o meu marido Paulo O cumprimentei de forma firme com um olhar como se quisesse ler a sua alma. Me pergunto o que estava fazendo por ali, lhe disse que pretendia ir ao cinema e vocês retribui o questionamento. Estamos fazendo algumas compras, emos um evento neste final de semana na empresa do P….me respondeu. Que ótimo , vou deixa-los então pois quero ver uma moto que acaba de ser lançada antes de ir ao cinema.
Senti um certo desconforto inicial por parte de Paulo, mas Maiara habilmente quebrou o gelo e disse que tal tomarmos um café antes assim o Sr. e Paulo se conhecem. Ele ainda esta aguardando a sua reposta sobre aceita-lo ou não como paciente. O que você acha amor? disse ela olhando para marido. Educadamente ele respondeu que seria um prazer. Então aceitei o convite e sentamos confortavelmente nos sofás na cafeteria. Perguntei a minha escrava paciente se estava seguindo minhas recomendações profissionais. Me disse que está seguindo de forma rígida pois era uma pessoa comprometida com suas metas e sonhos. Inclusive contei ao Paulo tudo o que aconteceu em nosso últimos encontro. O homem surtou ficou com um tesão e pela primeira vez gozei gostoso na sua língua e no seu pau. Parece que a verdade foi um grande afrodisíaco.
Lhe disse que estava curioso e ansioso para nossa próxima sessão pois saber a reação de Paulo é fundamental para rumo que daremos ao tratamento. Então pedi para ele me contasse sem constrangimentos ou censuras como recebeu o que a sua esposa havia lhe contato. Me disse que princípio foi tomado por um profundo ódio, mas não contra mim ou contra ela. Seu ódio era contra ele mesmo por não ter tomado ciência de tudo antes e ele mesmo ter buscado ajuda. Num segundo momento percebeu a grande mudança que estava acontecendo com sua esposa. Havia um brilho novo no seu olhar, estava fazendo ginástica, o seu cabelo mudou, suas roupas e principalmente o seu comportamento na cama. Ela agora era uma gata selvagem e quando tratavam havia tesão, fogo. Antes ficava enrolando no trabalho evitando ir para casa, na última semana saiu no meio da tarde só para ver sua mulher e meter gostoso com ela. Me contou haviam ido a um Sex Shop onde compraram diversos brinquedos para ambos. Me disse que as vezes fica imaginando sua esposa fazendo compras no supermercado sem calcinha e e com aquele plug no rabo. Em resumo me disse que estava feliz.
Maiara escutava tudo com ar de menina apaixonada. Lhe disse que estava feliz por poder auxilia-los e lhe perguntei quais o motivos pelos quais queria fazer terapia comigo. Me contou que era executivo de grande multinacional e que sempre fora arrimo de família, seu pai havia falecido quando ele tinha 4 anos de idade. Vivia em constante pressão profissional, era muito cobrado e se cobrava muito. Queria poder compartilhar com alguém isso e encontrar uma atividade onde ele fosse um mero coadjuvante, nada de ser o líder e o ator principal. Briguei dizendo que deveria jogar futebol que é um esporte coletivo e o sucesso não depende alguém mas de um trabalho em equipe. Sua resposta me surpreendeu : Quero fazer terapia porque sinto que já estamos fazendo um trabalho em equipe.
Lhe entreguei um cartão e lhe disse que poderia me ligar para agendarmos. Nova supresa; já que você não esta fazendo nada e nos podemos deixar o que estamos fazendo para depois porque não vamos lá para casa, tomamos um vinho e pedimos uma pizza. Assim podemos falar mais sobre tudo em particular. Maiara parecia uma criança batendo palminhas infantis e dando gritinhos dizendo: Por favor, Dr. Vamos , o Paulo nunca convida ninguém e pelo visto ele gostou do Sr.Pensei por alguns segundo e respondi afirmativamente. Eles me acompanharam até a Ducati para ver a moto. Maiara esta radiante, tão radiante que fez o marido subir em algumas moto, subindo na garupa me perguntando se ficaram bem, serem um casal bonito. Cada vez que ela tentava subir o vendedor parecia que ir ter um infarto pois sua bucetinha ficava expostas e na moto ela arrebitava o rabo gostoso.
Paulo me passou o endereço dizendo que estávamos muito próximo da sua casa e em menos de 15 minutos estariam lá. E realmente assim foi. O prédio era muito bonito com um belo terraço gourmet e uma sala ampla. Quando cheguei eles já haviam aberto um vinho e estavam tomando, a minha taça estava vazia sobre a mesa. Acomodei-me no sofá de frente para o casal, Maiara estava sentada de forma muito relaxada mostrando toda sua xoxota depilada para mim, Paulo disse que me chamou porque tinha um curiosidade. Me disse que uma coisa era sua esposa contar e outra seria ele ver. Me disse que gostaria de me ver fudendo o seu amor. Lhe perguntei o que ele gostaria de ver exatamente. Me disse que gostaria de vê-la tomando rola no cu e gemendo gostoso, depois queria que ela mamasse na minha pica tomasse leitinho. Lhe perguntei o que mais? Me disse não sabia, queria deixar rolar.
Olhei firmemente para ele lhe disse. Você é mentiroso. Quando disse isso, Maiara disse meu Deus e olhou para o Paulo você não deveria ter mentido. Agora você vai escutar tudo o que jamais pensou ouvir, prepare-se alertou o marido. Então, continuei, você sabe que é corno, mas não aceita. Quer ver se tudo o que a Maiara lhe contou é verdade. Mais você quer participar, quer alguém que te ensine a ter prazer e a dar prazer sem cobranças. Agora vejo que você não a satisfazia não por que não sabe o que fazer, como fazer quando fazer. No seu intimo você morre de vontade de mamar num pau gostoso e quem saber sonhar em dar o seu rabo sem se punir ou ser chamado de viadinho, gay, boiola ou qualquer forma pejorativa pela qual as pessoas se referem aos homossexuais e bissexuais que seja. Qual ela lhe contou você a invejou, vi quando me olhou de cima em baixo tentando me ler e medir hoje no shopping.
Neste momento Paulo chorava compulsivamente sendo consolado pela mulher. Que lhe dizia, eu te avisei. Você precisa tomar cuidado ao falar com o meu Lord. Ele não brinca em serviço, ele é capaz de ler a alma de qualquer pessoa. Parece algo sobre natural.
Lhe perguntei se realmente ele queria começar hoje? Se estava preparado para entrar numa viagem que não teria volta. Ele ainda chorando me disse que sim, que ele precisava descobrir quem era e como ser feliz. Quando mãe disse isso mais uma vez como à sabedoria nas leis naturais. Diferente da física onde os iguais se repelem , no convívio social os iguais se atraem, Paulo falara exatamente o que a sua esposa tinha me dito quando começamos nossa a sessão de audição.
Já está certo disso, então vamos começar agora. Primeiro sirva o meu vinho e depois tire a roupa. Fique como veio ao mundo peladinho. Paulo obedeceu cegamente, serviu ou vinho e tirou a roupa ficando completamente nú em minha frente. Ele era um homem peludo, tinha pelo nos braços, mas costas na bunda. Perguntei a sua esposa como ela se depilava. Disse ter comparado um depilador nos USA que deixava tudo lisinho. Então mandei que fosse busca-lo. Paulo ameaçou falar algo e foi interrompido por mim. CALA A BOCA. AGORA VOCÊ É MEU. FAREI COM O VOCÊ O QYE DESEJAR. SE DESEJAR TE DEPILAR TE DEPILO. SE DESEJAR TE FUDER TE FODO. VOCÊ FICA QUIETO, QUEM DECIDE SOU EU. VOCÊ NÃO É NADA. Ele ficou me olhando boquiaberto, parecendo não acreditar. 
Quando Maiara voltou para sala mandei s aproximar, dei-lhe um gostoso beijo na boca e meti a mão na sua bunda , na sua buceta levando depois os dedos ao nariz para sentir o seu cheiro de fêmea. Disse que estava deliciosa, sua buceta estava molhadinha esperando receber uma pau de verdade. Não do corninho que não sabia fuder. Mandei ela também ficar nua, ordenando que o seu marido ficasse de quatro como uma cadelinha. Quando ele se desnudou, mandei que o depilasse todinho, inclusive a cabeça. Não queria ver um pelo sequer naquele corpo. Parecendo divertir-se ela começou pela cabeça, costas ,bunda e pernas . Depois mando ele levantar para passar no tórax, barriga, pau, saco e pernas. Quando ela terminou me avisou pra que eu fizesse a inspeção. Olhei cada centímetro e depois mais ele ficar de quatro novamente abrindo a bunda com as mãos. Vi que ainda tinha pelos no saco e no cu, mandei ela limpar tudo. Nenhum pelo deveria restar na aquele corpo.
Mandei ele pegar um aspirador de pó e limpar toda a bagunça. Mas deveria usar o avental que sua empregada domestica utilizar para fazer serviço. Minutos depois vem ele com o aspirador de pó na mão de avental cobrindo o pau e deixando a bunda de fora. Perguntei a Maiara onde ficava o espelho onde me disse que dançava como havia lhe ensinado. Pegando-me pela não me levou ao quarto. Paulo não nos seguiu e por isso tive que chama-lo. Mandei sua esposa mostrar como fazia. O que ela fez colocando uma musica lenta. Ao deparar-se com o corpo nú e sem nenhum pela Paulo parece ter tomado um choque. Perguntou porque tinha feito aquilo, Lhe disse que não havia necessidade de explicações , mas que ele lembra-se do corpo de um recém nascido. Eles não tem pelo no corpo, alguns nem mesmo cabelo. Ele estava renascendo naquele momento, era necessário. Agora chega de conversa e dance com a sua mulher lhe ensinou. 
Paulo olhava e ora ria ora chorava. A principio começou a dançar meio desajeitado. Tudo durão querendo se passar por macho, mas aos poucos foi se soltando. Rebolando, virando de costas para espelho, abaixando para olhar o seu cuzinho depilado. Seu pau ja dava sinais de vida, apresentando uma ereção. Ele estava com tesão por si mesmo. Maiara sentou no meu colo e ficou assistindo a tudo como se não estivesse acreditando. Quando a terceira musica acabou, mandei para vir até mim e lhe disse apartir de agora você vai me chamar somente de Lord, não meu Lord. Eu sou o Lord dele para você serei apenas Lord. Ok. Agora tire os meus sapatos, as minhas meias, depois a minha camisa, minha calça e as minhas cuecas. Maiara saiu do meu colo, sentou na cama e parecia não acreditar no que estava vendo. Seu maridinho despindo o seu Lord para ele comece o seu cu.
Quando estava completamente nú, fique de pé e mandei Paulo ajoelhar-se na minha frente. Lhe disse que cheirasse o meu pau e as minha bolas. Ele me olhou como se não acreditasse e eu lhe encarei e perguntei se queria ser castigado, acenando que não com a cabeça encostou o nariz no meu pau e encheu as narinas. Lhe perguntei se tinha cheiro bom, ele me disse que sim. Tinha cheiro de macho limpo. Você gostou? Respondeu sacudindo a cabeça afirmativamente. Fui a cama onde estava Maiara e lhe mandei chupar o meu pau, despejando sobre ele o máximo de saliva possível. Eu iria meter no seu cú. Mandei o marido tirar o plug do cu dele e enche-lo de saliva, chupando sua bucetinha também. Era lindo ver os dois chupando famintamente. Tudo aquilo tinha deixado o tesão a mil no ar.
Quando meu pau estava duro como rocha. Mandei os dois fazer um 69 com a Maiara empinando o rabinho para tomar rola no cu. Disse para Paulo que ele veria tudo bem de pertinho. Me posicionei atrás dela e fui penetrando bem devagar, pois esta era apenas a terceira vez que eu comia sua bunda. Paulo chuva a xoxota de sua e mulher e as vezes o meu saco. Parecia gostar de chupar um saco de macho. Propositadamente tirei do cuzinho e deixei meu pau percorrer sua bucetinha , Paulo não se fez de rogado não. Deu uma mamada gostosa no meu pau sentindo o gostinho do cuzinho da mulher. Voltei a bombar forte no Cu de Maiara que rebolava como louca, gozando na boca do marido. Ele já havia gozado, mas ele o chupo para que manteve a ereção. Quando percebi que ela se contorcia, mandei Paulo sair debaixo dele e soca o pinto na bucetinha. Nossa DP fez aquela mulher urrar de prazer , tendo orgasmos múltiplos. O marido pela segunda vez não se segurou e gozou. Deixei os dois caídos na cama e sentei na poltrona observando o casal exausto deita numa possa de gozo na própria cama. Alguns minutos depois quando ando estavam refeitos, chamei Maiara para sentar no meu colo e ela repetiu o que tinha feito no consultoria encaixando meu para na bucetinha e cavalgando como uma amazona ninfomaníaca até gozar novamente.
Lhe disse que ainda não tinha gozado, mas lhe daria leitinho se pedisse. Ele ajoelhou-se aos meus pés e falou de forma dengosa: Meu Lord, má leitinho para sua escravinha. Enche a minha boca de porra. Deixei ela mamar com vontade e então lhe disse manter minha porra na boca e não engolisse. Maiara parecia ler meus pensamentos e sorriu maliciosamente. Quando gozei enchi sua boca, ele não desperdiçou nada e abriu a boca mostrando que ainda tinha uma boa quantidade . Chamei Paulo e mandei ele beijar a esposa. Os dois pareciam enlouquecidos disputando minha porra com a língua.
Depois disso tomamos um banho juntos e fizemos uma DP na banheira. Maiara ria a toa. Antes de ir pera que ela me mostrasse os brinquedinhos que tinham comprado. Entre eles havia um vibrador de uns 25 cm. Perguntei se ela já havia usado e ela me disse que não, o vibrador era virgem. Então mandei o marido ficar de quatro e que ela untasse o seu cu como KY. Ele fez enfiando dois dedos no cu do marido. Depois mandei passar gel o vibrador no seu Cu. Paulo tentou fugir para sabia que não adiantaria e então aceito. Enquanto ela judiava do cuzinho virgem nos marido e metia novamente ora na bucetinha e ora no seu cuzinho. Levando ambos a um novo orgasmos.
Deixei os dois no quarto exaustos, peguei minhas roupas e parti.

Continua ….

lordoftrantricdomination@gmail.com
Se quiser saber sobre Audições e Dominação Tantrica me mande um e-mail