# # #

Meu filho me conquistou com seu pau grande

9736 palavras | 6 |4.00
Por

Desde pequeno eu já notava que Pedro tinha um órgão sexual muito grande pra sua idade. Ele tinha 13anos e seu órgão já media 18cm

Meu filho me conquistou com seu pau grande

Desde pequeno eu já notava que Pedro tinha um órgão sexual muito grande pra sua idade. Ele tinha 13anos e seu órgão já media 18cm duro e grosso também, já era um pau de um homem adulto. Eu sei porque sempre ficava duro quando eu dava banho nele antes de ir pra escola e aquilo já me impressionava na época. Conversei com meu marido que concordou em levar Pedro num urologista. Eduardo, pai de Pedro ficou perguntando várias coisas sobre o pênis de Pedro
“ como assim, Verônica… é tão grande assim? É grosso também?”
achei suas perguntas até um pouco estranhas, mas acho que é porque Eduardo tem um pau pequeno, ele deve ter ficado pensando de quem Pedro puxou o seu pau grande. Eu sei que sempre passa pela cabeça dos homens, nem que seja por uma única vez, que seu filho pode não ser dele.
Na consulta quem me atendeu foi uma mulher, até me surpreendeu, nessa área são quase todos homens. Expliquei a situação para a doutora que mandou Pedro deitar na maca e tirar a roupa. Dava pra ver o pobrezinho meio tímido pra abaixar as calças e quando tirou a cueca a doutora não consegui esconder o olhar de espanto. De forma muito profissional ele colocou as luvas e pegou a ponta do pau de Pedro e mediu com uma régua. Flácido tinha 12cm, mas aí que uma coisa muito constrangedora aconteceu: o toque da doutora pra medir as genitais do Pedro, fez seu pau endurecer na nossa frente.
___ O que é isso menino, respeita a doutora.
___ Não se preocupa, isso é involuntário. É bom que eu consigo medir ele ereto. 18cm! Tá de parabéns garotão.___ Falou em tom de brincadeira enquanto manuseava o pau do meu filho observando bem de perto.
A doutora tirou as luvas e sentou na mesa e começou a fazer anotações.
___Não tem nada de erado com seu filho, o tamanho é realmente acima da média mas a princípio isso não vai gerar nenhum problema, muito pelo contrário, ele vai fazer sucesso com a mulherada daqui uns anos. ____ mais uma brincadeira da doutora, talvez para amenizar aquela situação constrangedora em que estávamos.
Pedro continuava pelado e de pau duro na maca. Acho que o safadinho estava achando que ia ter mais um toque da bela médica que aparentava ter uns 30anos, loira, muito bonita.
____ Pode botar as calças rapazinho. Ta querendo me conquistar? Tem que leva pra sai primeiro._____mais uma piada. Pedro levanta sem jeito, guardando aquela ereção de jovem na puberdade e deixando um volume na calça.
____Então, mãe, o pênis do seu filho provavelmente ainda vai crescer mais. Não se preocupe, tem casos médicos de pênis chegando a 27cm sem nenhuma anormalidade. Mas é bom ficar observando. Pênis muito grande tem propensão a desenvolver priapismo: Uma condição onde o pênis fica ereto por muito tempo causando dor.
____ Nesse caso, o que eu faço, doutora?
____ Nesses casso são duas opções: Ou você o ajuda a ejacular, se estiver doendo muito ele não vai conseguir se masturbar sozinho, ou você traz ele na emergência que vão aplicar uma injeção de adrenalina no seu pênis pra abaixar.
____ Meu Deus! Eu vou ter que masturbar meu próprio filho.
____ É como eu disse: Existem outros métodos, mas a mais simples e menos dolorosa, nesse caso, seria a senhora fazer isso. Não precisa ficar com a consciência pesada, não pense como uma coisa erótica. Pense como uma terapia com fins medicinais.
Graças a Deus nunca houve nenhum caso do tal priapismo que a doutora mencionou e já tinha se passado dois anos. Pedro agora tinha 16 anos. Um garoto muito bonito, 1,8m, magro mas definido( tava malhando), moreno como o pai e olhos amarelos, cabelo raspado na máquina número 2. Eu perguntava a ele sobre as namoradas. Pedro era muito tímido mas acabei descobrindo que ele ainda era virgem. Eu tenho uma amiga, a Débora, que sempre o elogia quando vem aqui em casa, eu contei a ela a história da consulta na urologista uma vez, ela disse “ nossa mulher, além do seu filho ser gato ainda tem pau grande, vai vira um homem perfeito.”
Debora tem 41 anos, é uma coroa muito bem cuidada, vaidosa, tem uma bunda grande, pele bem negra. Fica olhando pra Pedro o tempo todo. Pedro poderia comer ela a qualquer hora mas é muito jovem e inexperiente pra tomar a iniciativa. Acho que Débora só não agarrou Pedro ainda porque ele é de menor, ela deve ter medo de eu não gostar, talvez perde minha amizade. Sinceramente eu até queria que eles ficassem, pra mim é um orgulho ter um filho tão cobiçado, queria vê ela se espantando com o tamanho do pau do meu garoto. Isso me daria ainda mais orgulho do meu bebezão. Desde aquela consulta que eu nunca mais vi o seu pau, também não ia perguntar se cresceu mais. No entanto, um dia ele se atrasou pra ir pra escola eu fui acorda-lo. Fiquei chocada, senti até um frio na barriga. Pedro levantou de cueca com uma ereção matinal. Parecia que a cueca ia rasgar. Mesmo sem vê fora da cueca dava pra notar…Muito grande e grosso. Ele tentou esconder, foi então que eu percebi que estava olhando muito fixamente.
___Mãe, deixa eu me trocar, por favor.
___ Meu filho, deixa eu perguntar, você escondeu uma calabresa dentro da cueca?___ Falei em tom de brincadeira, era a melhor forma deu sair daquela situação, já que ele tinha notado que eu fiquei olhando hipnotizada.
___ Mãe! Para.___ O cachorro respondeu sorrindo timidamente. Por mais que eu tentasse afastar esses pensamentos, era impossível não sentir algo olhando aquele pau enorme. Meu filho era muito gostoso. Mas você que está lendo, não se engane, eu nunca pensei em fazer nenhuma besteira com meu filho, jamais.
Quando meu marido está embarcado, eu não saia da casa de Débora, ou ela que sempre vinha na minha casa (até porque ela me ajuda muito quando meu marido não está). E é claro que eu ia aproveitar pra fofocar com a Débora…
___ Amiga é muito grande.
___ Sério que é isso tudo.
___ A cueca parecia que ia rasgar, juro. Parece essas pirocas que a gente só vem em filme pornô.
___ Nossa, assim eu não vou aguentar amiga, vou agarra seu filho a força___ disse Débora dando gargalhadas, eu também cai na risada.
___ Mas será que é só grande, ou também é grosso. Aí amiga, vai me desculpar a franqueza mas eu quero chupa o pau do seu filho.
___ Para de fala bobagens sua depravada.
___ Você que começou…
___ Olha, pelo o que eu vi, mesmo dentro da cueca, acho que não cabe na sua boca.
___ Meu Deus! To começando a ficar com medo já.
E novamente terminou em risada…
Os dias se passaram e eu tentei outras vezes entrar no quarto de Pedro pra ter a bela visão daquela “pika” enorme de novo, mas sem sucesso, ele passou a dormir de bermuda. Pedro era muito tímido, coitadinho. Ainda sim, dava pra ver a barraca armada nas sua ereções matinais. Todo dia Débora perguntava do Pedro, ficava me mandando vídeos pornô. Ela amostrou vídeos de um tal Ed júnior, um ator brasileiro com um pau grande e grosso. Ficava perguntando se o do Pedro era daquele tamanho, eu respondia que nunca vi fora da cueca mas devia ser do mesmo tamanho. Quando meu marido estava embarcado eu me masturbava toda a noite com os Vídeos da Débora. Uma piroca mais gostosa que a outra. Eu estava criando uma fixação com pau grande.
Só de pensar na piroca gigante do meu filho minha calcinha ficava toda babada, isso me deixava com peso na consciência e imediatamente tentava pensar em outras coisas. Me masturbar vendo pirocas enormes no xvideos virou uma rotina pra mim e era impossível a imagem do meu filho pelado com aquela jeba enorme, dura não vir na minha mente, eu estava com medo de enlouquecer com aqueles pensamentos. Pro meu azar, ou não, um dia eu notei Pedro levantando com sua ereção matinal de costume, mas ele parece está sentindo dor e foi se escorando para o banheiro e fechou a porta.
____ Meu filho, você está bem, o que houve!?
____ Eu estou bem mãe. Só estou com um pouco de dor, mas está passando já.
____ Dor a onde? Abre a porta.
Pedro relutou em abrir a porta mas acabou cedendo a minha insistência. Quando eu entrei no banheiro ele estava com uma toalha enrolada na cintura, tinha um volume enorme do seu pau duro por baixo da toalha, foi impossível não reparar, o pobrezinho ficou envergonhado tentando esconder a ereção.
___ Tá com dor a onde meu filho!?
___ Mãe, eu estou bem, deixa eu me trocar, por favor.
___ Você não está bem, eu sou sua mãe, eu te conheço. É o tal do priapismo que a médica falou né…?
Envergonhado Pedro só acenou com a cabeça confirmando minha pergunta.
___ Acordei 4h da manhã pra mija, estava muito duro. Doía muito. Nem consegui dormir mais.
Minha barriga gelou na hora de nervosismo. Eu teria que olhar o pau do Pedro pra vê se estava tudo certo. Claro que eu queria ver aquela bela piroca, mas também estava preocupada com meu filho.
___ Deixa a mamãe vê.
___ Não mãe, tá passando já.
___ Vai logo, garoto, eu sou sua mãe. Tenho que ver como está, pode ser o caso de te levar pro médico.
___ Mãe eu tenho vergonha…
___ Então vamos pro médico. Eles vão aplicar uma injeção pra abaixar.
___ Não mãe, isso não, por favor.
___ Então amostra logo.
Ele tirou a toalha devagar revelando uma cobra maravilhosa. Nunca vi pessoalmente um pau tão bonito. Era grosso, cheia de veias, parecendo o tronco de uma árvore. Era calejado, como se tivesse vários mini caroços por baixo da pele. E que cabeça. Imediatamente imaginei chupando aquela cabeça que mal devia cabem na minha boca. Começei a salivar da mesma forma quando a gente olha uma coisa gostoso e fica louco pra por na boca. E o tamanho? Débora me mandou vídeos do Ed Júnior perguntando se era igual. Agora eu vejo que não, deve ser maior, beirando os 25cm. O saco estava caído e inchado. Era grande. Um par de bolas bem grandes. “Olha como essas bolas estão inchadas, esse pau deve goza muito”, pensei. Fiquei imaginando aquele pau magnífico soltando vários jatos de porra bem quentinha. Minha boca mais uma vez salivou.
___ A onde dói mais meu filho?
___ No saco, tá doendo muito. Pode nem encostar.
___ Já tentou se masturbar?
___ Sim, mas não abaixa.
___ Deixa a mamãe tentar.
___ Não, mãe!___ ignorando o que ele disse fui lhe-conduzindo até centar na privada.
___ Senta aqui meu bebê, mamãe vai te ajudar.
Ele ficou relutante mas acabou cedendo. Fui logo segurando seu pau: que delícia… Grossa, minha mão quase não fechava em volta da circunferência. Dava pra sentir o sangue quente pulsando naquela piroca grande e veiúda. Aquela jeba enorme dava espasmos de tão dura na minha mão.
Comecei fazer movimentos de sobe e desce apreciando aquele obra de arte de carne e músculos. Eu podia sentir pequenas ondulações nas minhas mãos. Seu pau era calejado de um jeito que eu nunca vi.
___ Calma mãe! Tá doendo.___ Eu estava tão hipnotizada naquela piroca linda que não percebi que estava apertado demais aquele pau.____ Desculpa meu bebezão, mamãe vai fazer mais devagar.
Aquela piroca preenchia minhas duas mãos e ainda sobrava a cabeça pra fora. Eu fazia movimentos suaves de sobe e desce. Dava pra sentir o sangue quente pulsando naquelas veias grossas, parecia que eu estava punlhetando um cavalo. E a cabeça? Nossa! Que chapeleta grande e gostosa. Minha boca salivava, involuntariamente mordia os lábios vendo a pele daquela obra de arte cobrindo e descobrindo a cabeça enorme daquele piruzão. Pedro se contorcia de dor e prazer me deixando ainda mais excitada.
___ Mãe, meu saco tá doendo muito!
___ Tadinho, mamãe vai massagear.
Era um par de bolas grandes, o saco estava inchado e meio caído, com muita pele sobrando. Pedro era vaidoso, toda a região do saco e da vizinha estava bem depilado. Massageava o saco do meu bebezão bem devagar enquanto ele dava urros de prazer. O pau de tão grande, sedia com o próprio peso e ficava na direção da minha boca enquanto eu massageava as bolas. Minha cabeça estava a uns 4cm do seu pau, dava pra sentir o cheiro de sexo exalando do seu pau. Minha vontade era de abocanhar aquela cobra. Fui me aproximando aos poucos disfarçadamente até deixar o pau encostar na minha cara esfregando no meu nariz passando pela boca. Que vontade de abrir a boca e deixar aquela pau grande entrar na minha boca até a garganta. Minha vontade era fazer uma gulosa bem babado naquele pau, mas eu nunca ia deixar meu filho perceber que tinha malícia no que eu estava fazendo. Pra todos os efeitos eu estava apenas o ajudando com uma terapia indicada pelo médico.
Pedro começa a se contorcer de prazer, então eu voltei imediatamente a dar atenção pro seu pau, sabia que o seu orgasmo estava perto.
___ Goza meu bebê, goza pra mamãe, vai. Vai aliviar sua dor. A mamãe tá aqui pra te ajudar em qualquer coisa que você precisar sempre.
___ Mãe! Vou gozar.
___ Pode gozar meu amor. Mamãe te ama tanto.
De repente o primeiro jato. Foi tão forte que foi para na pia que estava a quase um metro da gente. No segundo jato eu mirei na minha cara, claro que dando a impressão que foi tudo por acaso. Tomei vários jatos daquele leite quentinho na cara. Tinha muito leite acumulado naquelas bolas. Discretamente passei a língua na minha cara que estava totalmente lambuzada, pra sentir o gosto. Viscosa e quentinha. Delicia.
Virei as costas pro Pedro pra me lavar na pia. Não aguentei e passei o dedo naquela porra gostosa e passei na boca, achei que tinha feito sem ele notar mas tomei um susto quando percebi que ele olhou eu lambendo os dedos do seu esperma pelo espelho. Disfarcei na hora…
____ Melhorou a dor, meu amor?
____ Sim mãe, bastante. O saco ainda dói um pouco, mas aliviou muito.
____ Não se preocupa, seu saco ainda tá inchado, vai para de doer daqui a pouco. Se sentir isso de novo, não precisa ter vergonha, pode me chamar, tudo bem ?
___ Sim mãe, se acontecer de novo eu chamo. A senhora tem uma mão muito macia e quentinha, foi maravilhoso.
___ Me respeite. Eu só fiz isso porque a médica mandou, não confunda as coisas.
___ Desculpa mãe.
___ Não precisa se desculpar meu bebezão, só não quero que a gente perca o respeito entre mãe e filho sabe… Vamos manter o que aconteceu aqui só entre a gente tudo bem.
___ Tudo bem.___ Finalizei a conversa com um beijo na sua testa.
Mas é claro que eu ia fofocar com a Débora, aquela preta fogosa da bunda grande. Eu e a Débora contamos tudo uma pra outra, amostramos tudo também. Débora tinha um namorado, ela chupava o pau dele (nada demais, um pau de 15cm normal) e filmava tudo com o celular e depois me mandava. Seu boquete era naquele estilo desleixado, babando bastante. Ela praticava garganta profunda com um dildo, então ela tinha muita prática pra enfiar o pau todo na boca e ainda passar a língua no saco. Eu assistia aquilo e ficava impressionada e cheia de tesão. Nunca conseguiria fazer um boquete tão violento como ela faz, ela deixa o cara soca na garganta dela com toda a força. Débora não é uma mulher muito bonita, tem a boca grande e os lábios grosso, cabelo crespo e curto. Meia gordinha também. Assisto muito filme pornô no xvideos e percebi que as mulheres negras tem esse talento, o boquete que elas fazem é impossível de copiar. Muito babado, parece que dá pra encher um balde de saliva e engole até o talo. Da pra vê até a garganta enlarguecendo para acomodar a grossura do pau que tá passando. Já me masturbei várias vezes vendo os vídeos dela. Somos amigas ao ponto dela me “ajudar” quando eu estou com muito tesão acumulado e meu marido tá embarcado. Jamais teria coragem de trair meu marido, mas… Eu sei que é polêmico, a única coisa que eu considero como traição e o pau de outro homem entrando na minha buceta. O que a Débora faz por mim eu considero um grande favor de uma amiga. Só quem já passou por isso sabe o quanto é ruim você tá com muito tesão acumulado e só ter os dedos pra te saciar. Um belo dia ela estava aqui em casa e eu revelei isso a ela, depois de algumas cervejas ela acabou me oferecendo um favor sexual. “ Eu posso te fazer goza se você quiser” ela disse. O tesão somado a bebida fez eu aceitar. Melhor decisão da minha vida. Se tornou quase uma rotina quando meu marido está embarcado ela dormir aqui em casa uma noite pra chupa minha buceta até eu goza no boca dela. Que língua gostosa ela tem. Ela massageia o grelo com a língua babando bastante. Meu orgasmo é tão intenso que minhas pernas ficam trêmulas. Uma amiga que me ajuda em absolutamente tudo. Amiga é pra essas coisas.
____ Oi amiga, tô te ligando porque estou precisando muito de você.
____ O que aconteceu? É algo grave?
____ Gravíssimo ( risos ) tô brincando, nada sério, só queria que você dormisse aqui em casa essa noite. Tô precisando tanto daquele carinho que só você sabe fazer.
____ Hum… Entendi ___ disse num tom de brincadeira mas demonstrando estar excitada.___ infelizmente só vou poder ir aí semana que vem, estou estudando pra prova da faculdade.
____ Puxa amiga estou precisando muito, muito mesmo. Trás seu material e estuda aqui em casa.
____ Nossa! Nunca te vi assim. Da onde veio esse tesão todo?
____ Aconteceu uma coisa
____ Que coisa? Fala logo!
____ toquei uma punheta pro Pedro. Ele teve aquele tal de priapismo que a médica falou a muito tempo atrás.
____ Juraaa! Que delícia. É grande mesmo. Quantos centímetros?
____ Devia ter mais de 22cm. Grossa, toda veiúda. Estava muito dura. O saco estava inchado e meio caído. Tinha muita porra dentro daquelas bolas, nunca vi algo assim na minha vida.
___ E você resistiu? Ficou só na punheta?
___ Claro né sua louca, ele é meu filho. Por isso que eu quero que você venha aqui, porque eu não quero ficar com esses pensamentos maliciosos com meu filho. Acho que depois que eu goza vai passa. Mas eu me sinto mal porque eu nunca retribuo.
___ Não se preocupa amiga eu gosto muito mais de chupa do que ser chupada, você sabe que eu só gozo pelo cu. Se instigar minha buceta com a língua meu cu vai querer um pau e só vai ter o do seu filho pra me saciar. Se bem que eu nunca tive um de 22cm socando no meu rabo rabo, nem sei se aguentaria.
___ Para amiga, já falei que tô subindo pelas paredes e você fica falando essas coisas. Vai vir hoje ou não?
___ E claro que eu vou. Quero todos os detalhes dessa punheta que você tocou pro seu filho gostoso. Se ele tiver esse tal priapismo de novo, deixa que eu resolvo. Se o saco dele tiver muito cheio eu vou tirar tudinho e não vou desperdiçar nada, quero tudo, quero engolir tudinho(Risos).
___ Debora sua depravada___ Disse em tom de brincadeira mas com uma mão já estava esfregando a buceta. Nunca senti um fogo tão grande na vida.
Débora chegou já era umas 21h. Olhou Pedro de cima a baixo que estava sentado sem camisa no sofá. Só de chinelo e bermuda.
___ Oi Pedro! Nossa como você tá grande, já é um homem. Tá com quantos anos mesmo?
___ Eu tenho 16
___ Carinha de bebê e corpo de homem feito… Vou pro quarto com a sua mãe, tenho que estudar pra uma prova.
Entrei no quarto com a Débora meio sem graça, sempre fico sem graça nessa parte.
____ Você ainda vai estudar… Quer beber alguma coisa…
____ Quero chupa sua buceta logo. Tira tudo vai.
____ Nossa! Que rápido. Não vai me conquistar primeiro___ tentei fazer uma piadinha pra quebrar o gelo mas Débora já veio abaixando minhas calças.____ Anda logo, deixa eu vê essa buceta, tá toda babada né… Sua vagabunda. Vou te chupa tão gostoso que suas pernas vão tremer.
Ela já começou dando uma cuspida bem molhada no meu grelo que já está dura e pra fora como se fosse um dedinho de um bebê. Eu sou greluda, quando eu fico muito excitada fica enorme.
Débora chupava babando no meu grelo. O primeiro gozo veio rápido. Não dava pra segurar, comecei a gemer e tremer a perna. Meu Deus, que sensação maravilhosa. Esquecemos até de ligar a tv pra disfarçar o barulho, eu mordia a boca pra não geme alto mas era impossível. E a piranha da Débora acho que queria que ele ouvisse. Na verdade acho que Pedro sempre ouviu, claro que ele nunca ia dizer nada.
Outra técnica que Débora tinha que me fazia revirar os olhos era chupa só o grelo como se tivesse chupando um piruzinho. Impossível no gemer, estava soltando urros altos na segunda vez que eu gozei. Mas ela não para. Ela nunca para na primeira gozada, são pelo menos três orgasmo na sua boca toda vez que ela vem aqui em casa. Com Débora é satisfação garantida. Depois de uns 40minutos eu já tinha gozado três vezes. Minha buceta já estava muito sensível, eu queria mais e não conseguia de tão sensível que estava minha buceta. Tirei a cabeça de Débora do meio das minhas pernas que insistia em continuar chupando. Débora não tem limites. Não sou lésbica mas eu nunca quero perder essa mulher na minha vida.
Estava tão relaxada que dormi pelada. Apaguei num sono gostoso e relaxante. Acordei com Débora me chamando.
___ O que houve?___ perguntei assustada.
___ Quer ver um vídeo… Do seu filho?
___ O que? O que você fez?
___ Quer ver, sim ou não?
___ Quero.
Débora então amostrou o vídeo no seu celular: ela chupava aquele pau enorme deixando todo babado. Pedro urrava de prazer. O que a piranha da Débora conseguia fazer era incrível. Engolia até a metade daquele pau grande e grosso. Débora já me amostrou outros vídeos dela engolindo o pau dos caras que ela sai. Eu sabia que ela consegue fazer garganta profunda, mas com um pau daquela calibre é realmente incrível de se ver. Minha boca encheu d’água na hora. Fiquei imaginando um pau tão gostoso daquele na minha boca.
___ Quer que eu te chupe enquanto você assiste?
____ Quero. Quero muito. Já tô toda molhada.
Mais uma vês Débora lambuza meu grelo fazendo meu corpo se contorcer de prazer. Me apoiei em um travesseiro na cabeceira da cama pra ficar mais confortável e aproveitar cada segundo. Enquanto eu via aquela negra babando no pau emdo meu filho como uma puta tarada no vídeo, sentia sua língua gostosa massageando meu grelo que estava muito duro. Pedro deu uma gozada muito farta na boca de Débora que engoliu tudo. Dava pra ver o pau tendo espasmos enquanto os jatos de esperma quente passava pelo canal peniano. Que experiência maravilhosa. Me imaginava no lugar de Débora sentindo o gosto da porra quentinha na minha boca enquanto sentia um prazer enorme com a língua de Débora na minha buceta. De repente Débora fica de quatro e coloca o celular de baixo de sua pernas. A torra entrou fácil no cu dela. Pedro começou a bombar devagar e em instantes já estava socando com força e Débora pedindo pra meter mais forte. Incrível com aquela piroca grande entrava quase toda no cu de Débora sem dificuldade, parecia que estava entrando buceta. Se bem que aquela puta estava acostumada, ela dizia que adorava enfiar plugs no cu pra ir pro trabalho e ficava mexendo na cadeira quando estava sozinha na sala do escritório. Ela dizia que chegava a goza três vezes ao longo do dia. Que a buceta dela ficava tão molhada que escorria pela perna. Débora é viciada em dar o cu. Todos os caras que ela sai ela pede pra só foder o cu dela. Tive um dos orgasmo mais gostoso da minha vida, vendo Débora dando o cu pro meu filho pauzudo enquanto Débora lambuzava minha buceta, estimulando meu grelo com a língua. Que loucura foi aquela noite. Que noite inesquecível. No dia seguinte brinquei com Pedro deixando bem claro que sabia que ele e a Débora tinham ficado, mas é claro que eu nunca ia contar que assisti o vídeos da transa deles. Pedro fica muito sem graça. O pobrezinho ainda é muito jovem, e fica muito tímido com essas conversas.
Uma semana se passa desde aquela noite especial, onde eu gozei com a língua de Débora na minha buceta enquanto assistia o pau enorme de Pedro entrando e saindo no cu daquela safada num ritmo frenético. Os gemidos escândalos dela não saia da minha cabeça e me deixava com tesão varias vezes ao dia. Queria goza de novo imediatamente. Todo dia eu brincava com Pedro que estava ficando com Débora todos os dias. Eu sabia que ele perdeu sua virgindade com ela. Pedro já tinha me revelando que era virgem um pouco antes de ficar com ela da primeira vez . Débora passou a frequentar aqui em casa com mais frequência e eu podia ouvir os dois transando no quarto e ficava cheia de tesão. De madrugada Débora vinha me amostrar o vídeo e me chupava. Isso virou uma rotina. Vale falar que nas últimas vezes Débora passou a fazer uma coisa nova em mim que eu adorei: Enquanto chupa minha buceta ela passou a enfiar a pontinha do dedo no meu cu. Achei uma sensação nova maravilhosa. Já tinha dado o cu pro meu marido algumas vezes mas não tinha curtido muito, acho que por não estava com muito tesão, talvez. Mas Débora sabia me deixar com tesão. Ela me colocou de bruços e com muita habilidade conseguiu enfiar o dedo médio no meu cuzinho. Que gostoso. Então ela mexia o dedo com movimentos curtos e repetitivos. Meu cu contraia quando doía um pouco. Habilmente ela espera o músculo relaxar e voltava os movimentos suavemente. Meu cu foi cedendo e minha buceta começou a jorrar como nunca tinha acontecido. Tinha uma torneira aberta na minha buceta que não parava de jorrar. O tesão auxiliado com o esfíncter do meu cu já relaxado permitir Débora enfiar mais um dedo e fazer os movimentos mais rápido. Que tesão. Que orgasmo maravilhoso. Era impossível conter os meus gemidos escandalosos. Claro que meu filho estava escutando do outro lado, isso me envergonhava mas se eu tentasse impedir os gemidos eu ia enlouquecer, era mais forte do que eu. Naquele momento eu pensava: Eu quero sempre, quero da meu cu toda vez. Que sensação deliciosa.
No dia seguinte estávamos na cozinha enquanto eu preparava o café da manhã, Débora já tinha ido embora. Eu sabia que Pedro devia ter escutado, eu queria quebrar o gelo pra sair do silêncio.
____ Seu pai volta amanhã. Vai contar pra ele que está ficando com a Débora ?
____ Acho que não. Mas não me importo dele saber.
____ Seu pai vai querer saber que o filho dele não é mais virgem e que sabe agradar uma mulher na cama.
____ E como a senhora sabe disso?
___ Pedro, para de bancar o inocente, eu escuto vocês a noite. Eu e Débora somos melhores amigas, ela me conta as coisas.____ De repente Pedro da uma resposta que me surpreende
____ Eu também escuto vocês.____ Minha barriga gelou. Não sabia onde enfiar a cara.____ Pedro, sobre isso… Eh… Eu queria que você entendesse que é muito difícil pra mim ficar sem sexo enquanto seu pai fica embarcado. E Débora é mulher, isso não é, exatamente, uma traição. Eu jamais sairia com outro homem…
____ Mãe.____ Pedro diz me interrompendo.____ Não se preocupa, eu não vou falar nada pro papai. Eu te entendo. Débora é muito boa em fazer alguém goza.
Pedro, estava mudado. Me assustou dizendo aquelas coisas. Estava virando um homem e eu nem notei.
___ Verdade, Débora é maravilhosa. Por favor, nunca conte isso pro seu pai. Mas os orgasmos que ela me proporciona seu pai nunca conseguiu fazer igual. É mágico.
___ Eu sei___ Disse Pedro rindo.____ O jeito que Débora chupa meu pau eu vou no paraíso e volto.
Fiquei com medo do rumo que estava tomando aquele conversa. Era hora de cortar aquele assunto.
____ Isso já são detalhes muito além do que eu preciso saber, Pedro.
____. Desculpe mãe. É porque só de lembrar eu fico…____ Sutilmente Pedro apertou o volume enorme que ele tinha na bermuda.
____ Já entendi Pedro! Já entendi. Come logo que tá na hora de ir pra escola.
A noite, depois de mais um dia corrido, finalmente sentamos na sala pra ver TV. Pedro tinha acabado de tomar banho estava sem camisa e uma calda curta de tecido leve que deixava o volume do seu pau bem marcado. Dava pra ver que estava duro. Ele sentou no sofá na minha frente com as pernas abertas. Meus olhos eram atraídos para aquele volume como uma força magnética. Ele já tinha notado que eu olhava tentando disfarçar e o safado mexia, como se tivesse coçando, só pra instigar.
____ o que você tem nesse saco que tá coçando tanto menino ?
____ Na verdade tá doendo mãe. Tá daquele jeito de novo.
____ Hum… Mas agora você tem a Débora pra te ajudar nisso.____ Disse com leve sorriso no rosto disfarçando pra olhar aquele volume na calça.
____ Débora não vai vir hoje. Ela tá em semana de prova. Vai estudar hoje até mais tarde.
___ Eu sei, ela me disse.
___ Então mãe… A senhora não me ajudaria como fez da última vez? Olha como tá inchado…
Pedro sacou aquela piroca gigante pra fora. Que pau lindo, grande, grosso e cheio de veias. Estava muito dura. Imediatamente senti aquele nervosismo, aquele frio na barriga, mas não gostei nada daquilo. O nosso respeito entre mãe e filho não podia acabar.
____ Que isso menino!? Guarda isso. Respeite sua mãe.
____ Mas mãe, a senhora tocou uma punheta pra mim da outra vez, porque não pode agora?
____ Aquilo foi pra te ajudar com a dor, você confundiu as coisas. Até me arrependo de ter feito aquilo.
____ Pedro continuava com aquele mastro de pé apontado pra mim. Estava tão duro que dava leve espasmos de excitação.
____ Mas está doendo agora.
____ Mentira. E você pode se masturbar sozinho. Vamos garoto, guarda essa coisa me respeita se não eu vou te deixar aqui e vou pra cama.
____ Tá bom mãe, me desculpa. É que a sensação da sua mão macia e delicada no meu pau é muito gostosa. Só de lembrar eu fico cheio de tesão. Depois daquele dia eu não consigo parar de imaginar várias coisas. Fico imaginando a senhora chupando meu…
____ Já chega!! Pedro o que está acontecendo____ interrompi antes que ele dissesse o que eu sabia que ele ia dizer. Fiquei com muita raiva e vergonha ao mesmo tempo.____ Você era um menino recatado, o que aconteceu com você? É a Débora que está te influenciando? Anda Pedro, conta logo, o que a Debora tem falado com você, pra você perder o respeito comigo?
Pedro ficou de cabeça baixa envergonhado. Seu pau ficou meia bomba depois daquele esporro. Ainda assim eu reparei rapidamente que mesmo meia bomba era grande e grosso. Tinha muita carne sobrando nas mão de Pedro que segurava seu pau meio mole pra guardar na calça.
____ Ela falou que a senhora tem tesão em mim. Que fica admirando meu pau o tempo todo e que se eu fizesse tudo certo, conquistaria a senhora. Disse que com jeitinho eu convenceria a senhora a chupar meu pau.
____ Isso nunca vai acontecer. Me entristece muito saber que você pensa essas coisas de mim. Pior ainda, minha melhor amiga botando essas coisas na sua cabeça. Fantasia é uma coisa, agora, fazer de fato é outra completamente diferente. Achei que ela entendia essa diferença.
____ Então a senhora tem fantasias comigo?
____ Já chega Pedro! Vai pro seu quarto. Você não vai mais ficar com a Débora. Chega de tudo isso. Ainda bem que seu pai volta amanhã e tudo vai voltar ao normal por aqui.
Pedro se levantou e foi pro quarto cabisbaixo. Foi então que eu notei que apesar daquele “piru” de cavalo que ele tem, apesar de ser alto e ter ombros largos, ele ainda é só um garoto de 16anos. Um menino meio imaturo com uma basuca no meio das pernas. Na mesma hora fiquei arrependida, até porque, realmente foi eu que instiguei essa tara dele em mim no dia que eu bati uma punheta pra ele. Não adianta eu negar com essa ideia de que foi só por causa da orientação médica. Isso era só pra eu ficar bem com a minha consciência. A verdade é que eu adorei aquilo e isso mexeu com a cabeça do meu menino. Estava me sentindo horrível quando eu fui deitar. Pior ainda porque eu lembrava da cena dele me amostra do aquele pau grande e me pedindo pra tocar. Essas lembrança acendia uma chama dentro de mim. Olhei para o relógio, era meia noite. Minha calcinha molhada. Não tinha a Débora pra me aliviar. Enfiei um dedo na buceta e senti minha perna estremecer. “ que pau grande! Como eu queria chupar aquele pau” pensava enquanto enfiava dois dedos dentro da buceta. Meus dedos saíram molhados do meu suco vaginal, então enfiei os dedos na boca pra sentir o gosto. Com todo medo e culpa, comecei a pensar em me redimir com meu filho, mas eu prometi pra mim mesma que não iria tomar a iniciativa, talvez pra não me sentir tão culpada. Esperaria alguma iniciativa dele. Se não acontecesse eu ia deixar pra lá. Também não iria cruzar um limite: que seria apenas uma punheta que eu tocaria pro meu bebezão lindo, e só. Nada mais. Iria me segurar ao máximo pra não cai de boca naquele monumento de carne. Meus planos era: Se ele quiser e tomar a iniciativa, eu vou pegar aquela piroca gostosa e massageá-la até ele gosta. Depois eu me masturbo sozinha na minha cama até dormir.
Fui até o quarto de Pedro que já estava dormindo. Quase desisti mas lembrei que o pai dele chaga amanhã e vai ficar 30 dias em casa. É agora ou nunca. Acendi uma luz fraca no abajur e sentei do seu lado na cama.
___ Pedro, acorda filho.
___ Oi mãe. Desculpe por aquilo. Eu não sei a onde eu estava com a cabeça. Eu…
___ Não Pedro. Eu é que tenho que me desculpar. Eu fui muito dura com você. E você estava certo. Eu fiz da primeira vez com orientação da médica. Não posso negar que você tem um pau muito bonito, chama muita atenção, mas não quero ver isso como algo erótico e sim como uma terapia orientada pelo médico. É claro que eu também sou mulher e tenho desejos mas vou tentar fazer isso da forma menos erótica possível. Eu vou te ajudar com o priapismo quando você precisar mas nós nunca iremos cruzar um certo limite entre mãe e filho. Tá bom meu filho… Boa noite.
Dei um beijo em sua testa. Esperei alguns instantes pra ver se ele ia fala alguma coisa. Não queria descumprir minha promessa. Se ele não tomasse a iniciativa eu ia desistir daquilo. Estava tão nervosa que minha mão tremia um pouco. Fiquei um pouco decepcionada quando ele disse: “ tá bom mãe, boa noite.” Me levantei, virei as costas pra sair.
____Mãe!
____ Sim meu filho, o que foi.
____ O papai volta amanhã, então se não acontecer hoje não vai acontecer mais. Vou ser sincero com a senhora, não quero mentir, não estou com aquele tal priapismo. Só queria sentir sua mão no meu pau mais uma vez. ____ Disse isso tirando a coberta e já abaixando a bermuda até o joelho. Aquela anaconda sedia com o próprio peso e ficava levemente caida de lado. Imediatamente senti aquele calafrio.____ Por favor, mãe. Por favor. Só uma punheta daquele jeito que a senhora fez naquele dia. Sua mão é tão delicada e macia. A senhora é tão linda.
____ Por favor né Pedro. Você querer que eu te faça goza tudo bem, mas não precisa dizer que sou linda. Já sou uma mulher de 45anos. Eu sei que tudo que você quer e goza, tudo bem, você é jovem, é normal. Se Débora estivesse aqui você nem ligaria pra mim.
____ O que?! Claro que não mãe. Olha pra você, que mulher gostosa você é. Branca com o cabelo liso, loiro. Uma bunda grande, pernas grossas. Peitos grandes.
____ Para Pedro eu tô gorda.
____ Gordelicia! Meu sonho era apertar todas suas sobrinhas. Sua cintura é fina e sua bunda é grande mãe. A senhora não é gorda, a senhora é uma coroa muito gostosa.
____ He… Tô vendo que você me acha gostosa mesmo____ Disse em tom de brincadeira apontando pro seu pau que ficava tendo espasmos de tão duro que estava.____ Tá bom, a mamãe vai fazer isso, só porque você quer muito e você sabe que eu faço de tudo pra agradar meu bebezão.
____ Eu sei mamãe. A senhora faz todas as minhas vontades.
____ Deixa a mamãe ver esse pipizão.____ Disse sentando do seu lado na cama e pegando aquela jiboia delicadamente. Dava pra sentir o sangue quente correndo pela veias grossas. Alisei com cuidado subindo e descendo a pele, que quando estava totalmente abaixada, revelava uma cabeça grossa e brilhante. Fiquei imaginando colocar aquela cabeça na boca. Senti minha buceta se contrair. Delicadamente suspendi aquele pauzão com dois dedos e fiquei admirando o tamanho.
____ Meu filho! Tá de parabéns. É muito grande. Você já mediu?
____ Não mãe, nunca.
____ Espera um pouco que eu vou medir.____ Fui correndo no meu quarto e peguei uma fita métrica.____ Deixa a mamãe vê o tamanho desse colosso.
Delicadamente eu peguei no pau e medi com a fita da base do saco até a cabeça. Fiquei assustada com o resultado, era maior do que os 22cm que eu imaginava.
____ Deus é mais! Meu bebê você tem um pau de 24cm. Meu filho a mulher que casar com você vai ser uma mulher de muita sorte.
O safado colocou as mãos atrás da nuca e estava adorando tudo aquilo. Colocou mais um travesseiro na cabeça pra ficar numa posição ainda mais relaxada.
____ A senhora acha meu pau bonito mãe?
____ Lindo! Nunca vi nada assim. Só em filme pornô. Filhinho da mamãe você tem que tomar cuidado com essa ferramenta, nem toda mulher é uma puta igual a Débora. Entra qualquer coisa no cu daquela safada. Mas as mulheres comuns, você vai ter que ter muita paciência pra não machucar.____ Os movimento lentos e delicados subindo e descendo a pele daquele pau continuava enquanto eu falava. As vezes dava uma apertada com força no meio pra sentir a grossura e o poder daquele pau, mas voltava a alisar delicadamente novamente, assim podia contemplar aquele pau melhor.
____ Mãe…
____ O que foi meu bebezão?
____ Eu não estou aguentando mais. Que carinho gostoso.
____ Tá gostoso meu bebê.? Quer que a mamãe faz mais forte ou assim tá bom.
____ Tá maravilhoso assim mãe. Eu queria era outra coisa.
____ Hum… Já sei o que você quer. O combinado foi só uma punheta. Não posso fazer o que você quer meu filho, infelizmente. Isso cruza os limites que eu falei.
____ Não é o que você está pensando mãe… Eu queria que a senhora tirasse a roupa. Queria muito te ver pelada.
____ Meu filho… Eu não entendo, eu já sou uma mulher velha, não tenho o corpo bonito.
____ Seu corpo é lindo mãe, deixa eu te ver pelada por favor.
____ Tá bom meu bebê. Tudo pra te agradar meu amor.____ comecei tirando o sutiã, meus peitos grandes caíram com o peso. Pedro ficou tocando no seu pau enquanto me olhava fixamente tirando a roupa. No início estava um pouco tímida, mas ou ver o tesão que Pedro ficou em me ver pelada, me senti vaidosa e me soltei mais. Tiraria a calça e fiquei só de calcinha.
____ Tira a calcinha mãe.
____ Ah… Meu filho, a mamãe tá com vergonha.
____ Por favor mãe.
____ Tá bom…____ Fui tirando a calcinha lentamente. Fiquei com mais vergonha ainda porque minha buceta estava molhada.
____ Mãe a senhora e gostosa demais. Queria enfiar meu pau na sua buceta.
____ Não, não, não… Eu disse que seria só uma punheta.____ Voltei a massagear aquele pau grande. O tesão de Pedro aumentou e ele começou a começou a falar algumas obscenidades: “ quem punheta gostosa. Mamãe você é uma puta safada”.
____ Ei!____ Disse protestando em tom de brincadeira, dando um tapinha na nua perna.
____ Desculpa mãe, saiu sem querer.
____ Tudo bem. Pode fala.
____ Chupa me pau então sua puta safada.
____ Meeeu Deus! Tá se transformando é… Tô ficando com medo. Se o seu tesão aumentar você vai querer me agarrar a força._____ Pedro me surpreendeu segurando minha nuca e forçando contra seu pau. Não era mais o Pedro recatado que eu conhecia.
____ Vem mamãe puta. Vem chupar meu pau.
____ Não Pedro. Isso não por favor.____ De repente Pedro senta na cama e me dá um beijo gostoso de língua. Tentei resistir mas acabei cedendo. Foi um beijo curto, mas muito intenso de língua.
____ Mãe, eu não aguento mais. Chupa meu pau. Chupa bem gostoso sua safada.
Suspirei…Tentei me controlar, meu corpo era um vulcão prestes a entrar em erupção.
____ Tá bom Pedro mas por favor não conte isso pra Débora nem pra ninguém nunca.____ Pedro respondeu com outro beijo molhado e ficou de pé na cama. Seu pau estava na direção exata da minha boca. Umedeci os lábios e dei o primeiro beijo na chapeleta. Bem molhado. Saiu aquele fiozinho de saliva. Outros dois beijos. Senti aquele pau enorme e quente na minha boca. Depois abocanhei. Mal consegui passar da cabeça. Não cabia na minha boca. “Talvez se eu lubrificar mais” pensei. Então cuspi na cabeça do pau. Minha boca salivou só de olhar aquele pau grande e grosso, todo babado. Tentei engolir de novo. Desse vez fui feliz. Cheio até a metade. As vezes vinha um sentimento de culpa “ meu Deus, que pecado eu tô cometendo”, pensava. Mas o tesão era maior. Pedro me segurou pelos cabelos e começou a socar minha cara contra aquela cobra grossa que ele tem entre as pernas. Engasguei algumas vezes. O pau batendo na garganta estava machucado mas eu estava adorando ser dominada e tratada como uma vagabunda. Lutei contra ele pra tirar o pau da boca por alguns instantes pra respirar.
____ Haaa… ____ Puxei o ar com força quando consegui tirar aquele pau inchado que me sufocava. Seu pau ficou completamente babado.____ Calma filho, eu não sou a Débora.
Como resposta recebi um tapa na cara.
____ Não! Você não é a Débora. Você é minha puta. Quero você chupando meu pau todo dia. Sua cadela.____ Apesar de me sentir ofendida eu estava adorando ser submissa aquela opressão sexual e abri a boca num sinal de que apesar de reclamar eu estava gostando. Abri bem a boca e botei a língua pra fora. O recado era claro: enfia de novo esse pau na minha boca do jeito que você quiser. Fode minha garganta com essa rola grossa que eu aguento. Tomei mais alguns tapas na cara, logo em seguida o pau veio enlarguecendo minha boca de novo.
____ Então você gosta de pau grande!? Sua puta. Mamãe você é um puta que adora chupa um pau grande. ____ O tesão tomou conta de mim. Não tinha sobrado mais nem um pingo de racionalidade, só desejo em chupar aquele pau e ser tratada como puta.
____ Isso meu bebê. Chama a mamãe de puta. Tá gostoso o boquete da mamãe ? Seu safado do pau grande. Deixa a mamãe chupa, deixa. Hum… Delicia. Que delícia o gosto do seu pau. Hummm…. Nunca botei uma coisa tão gostosa assim na boca. Pedro estava transformando. Era uma versão muito mais safada e cruel do Pedro que eu conheço. Mas eu estava adorando esse seu lado que eu não conhecia.
____ chupa meu saco mamãe puta.____ Era um par de bolas enorme. Coloquei um ovo inteiro na boca. O safado urrava de prazer. E mais uma vez minha cabeça foi conduzida ao pau que eu já conseguia enfiar até a metade na boca. Ele diminuiu as estocadas na minha garganta e passou a pressionar minha cabeça num ritmo mais lento. Acho que pra sentir melhor aquele momento. Eu também gostei assim porque podia sentir melhor seu pau na minha boca. O pau dele era macio, dava pra sentir os espasmos, era quente, todo calejado, como se tivesse pequenos caroços por baixo da pele.
____ Huuumm…que delícia meu bebezão, goza na boca da mamãe. Da esse leite quentinho na minha boca.
____ Aaaah! Mamãe você uma puta. Adora chupa um pau grande né… ? Sua puta safada. Não aguento mais, vou goza muito na sua boca. Vai engolir tudo. Não desperdiça nada.
____ Não vou desperdiçar nadinha meu amor. Seu pau é tão macio. Que delícia chupa essa cobra grossa.
Pedro aumentou o ritmo das estocadas na minha garganta. Dava pra ouvir o som do pau todo babado entrando e saindo da minha boca. Minha buceta babava de tesão. De repente Pedro pressiona minha cabeça com toda força. Um jato forte de esperma e lançado no fundo da minha garganta me fazendo engasgar. Muuita porra. Engoli tudinho. Seu sêmen é Quente e viscoso. Que delicia. Pela primeira vez na vida eu tinha gostado sem ao menos encostar na buceta. Só do tesão que chupa aquele pau enorme. Esqueci completamente da culpa cansaço, a única coisa que eu queria, desesperadamente, era aquele pau grande e grosso preenchendo minha buceta.
____ Fode a buceta da mamãe, meu bebezão. Só não conta pra Débora por favor. Vai ser nosso segredo.
____ Sua cadela. A partir de hoje você vai me dá essa buceta inchada que você tem sempre que eu quiser.
____ Eu te dou meu, amor. Fasso de tudo por você. Sem exceção. Tudo que você quiser a mamãe te dá.____ Pedro pegou um tubo de lubrificante no armário, provavelmente, que ele usava com a Débora. Passou um pouco na cabeça do pau.
____ Passa bastante filho, se não vai machucar a mamãe. Seu pau é muito grande.____ O safado abriu minhas pernas e deu uma chupada gostosa na minha buceta que já estava muito molhada. Sentia os músculos da minha buceta se contraindo querendo receber pika, mas o safado judiava de mim esfregando aquele pau enorme no meu grelo.
____ Mete, filho. Mete logo. Mamãe não tá aguentando mais.____ quando entrou foi uma mistura de dor e prazer. Parecia que eu estava sendo rasgada ao meio.____ Devagar meu bebê, deixa a mamãe acostumar primeiro. Caralho! Que pau grande. Calma filho… vai com calma.
A buceta começou a se acostumar e a sensação era maravilhosa. Meus olhos reviraram de prazer. Mais um tapa na cara. Depois ele apertou minhas bochechas e falou bem perto da minha cara, enquanto socava aquele pau de cavalo na minha buceta:
____ Sua puta. Mamãe você é uma puta. Sua buceta é muito quente. Sua puta gostosa. Isso revira os olhos pra mim, cadela.
____ Mamãe vai gozar de novo. Fode meu filho. Faz a mamãe goza. Porra, que delícia!____ O que já estava ótimo ia ficar ainda melhor. Ele parou de socar e me virou de bruços. “O que ele vai fazer” fiquei pensando. Ele enfiou na minha buceta e voltou a me foder como um animal selvagem puxando meus cabelos. De repente ele enfiou o dedão no meu cu enquanto me fodia, meu cuzinho ofereceu resistência piscando no seu dedo. Aos poucos o tesão foi aumentando e meu cu relaxou. Eu não resisti, ele fodia minha buceta mexendo o dedão no meu cuzinho. Perdi os sentido. Meus olhos reviraram de prazer, gozei pela segunda vez. Meu corpo relaxou, estava quase dormindo mas eu lembrei safado não tinha gozado ainda. O pau continuava duro como pedra. Impressionante, a virilidade de um jovem de 16 anos.
____ Meu bebê, a mamãe já está toda assada.
____ Você falou que me daria o que eu quisesse. Eu quero seu cu, pra deixar sua buceta descansar um pouco.
____ Não sei meu filho. Não sei se eu aguento.
Ou a Débora ensinou esse menino muito bem, ou ele aprendeu muito vendo filmes pornô. Ele lubrificou o dedo do meio e enfiou todo no meu cu. Entrou fácil porque ele já tinha me preparado com o dedão. Ele começou devagar e aumentou o ritmo até ficar frenético. Minha buceta começou a jorrar como se eu tivesse mijando. Isso nunca tinha acontecido comigo, molhou toda a roupa de cama. Quando meu cu estava bem preparado senti aquela coisa enorme me rasgando pra entrar em mim.
____ Devagar, meu bebê. Devagar com a mamãe. Aí! Caralho, é muito grande seu pau. Calma amor da minha vida. Vai devagar no cuzinho da sua mamãe pra não machucar meu amor.
____ Tá doendo mamãe? Deixa eu foder seu cu, deixa? Tá muito gostoso, seu cu é tão apertado. Tá quase entrando mamãe. Seu cu tá mordendo meu pau, mãe. Tá muito gostoso, mãe. Não vou aguentar, quero goza no seu cu. Seu filho te ama muito, sabia. Deixa seu filho arromba seu cuzinho, deixa mamãe? Seu filho te ama tanto mamãe.
____ Eu sei meu amor, eu também te amo tanto que até meu cu eu dou pra te agradar. Pode arromba meu amor. Fode o cu da sua mãe do jeito que você quiser. A mamãe deixa. Tá muito gostoso amor.
____ Você vai ser minha puta mamãe? Quero te foder todo dia.
____ Sim meu bebê. Você pode foder o cu da mamãe a hora que você quiser. Aaaai!____ Senti a cabeça entrando. Meu cu ficou piscando, era uma dor intensa mas muito gostosa._____ Entrou amor, vai devagar agora. Vai devagar com o cuzinho da mamãe meu amor. Mamãe te ama. Aaaai! Caralho! Tá doendo mas tá gostoso amor da mamãe. Vai fodendo devagar amorzinho, até meu cuzinho acostumar.
____ Mãe, seu cu é muito apertado. Tá muito quente, muito gostoso. Eu te amo mamãe. Quero foder seu cu todo dia. ____ Ele foi aumentando a velocidade como muita calma e muito carinho.
____Não para que tá gostoso. Tá entrando fácil agora. Pode soca forte no cu da mamãe meu bebê. Fode com força, fode. Fode o cu da sua mamãe. Deixa o cu da mamãe todo arrombado. Caralho! Que dor gostosa! Fode com esse pau grande seu safado.
Meu bebê era dosagem perfeita entre um macho dominador e um cavalheiro gentil na cama. O pau já estava entrando até a metade. Meu cu não oferecia mas nenhuma resistência, graças ao tesão já estava entrando e saindo fácil.
____ Agora pode foder meu amor. Pode foder sem dó. Soca sem dó no cu da mamãe. Aiiii! Aí meu cu! Tá me arrombando meu amor. Tá doendo mas tá muito gostoso. Que dor gostosa no cu.
Mais uma vez o filhinho mimado da mamãe se tornou um macho dominador.
____ Tá gostoso sua puta. Gosta de um pau grande socando no seu cu!? Você é uma puta safada mamãe. Quero goza no fundo do seu cu.
Conforme meu tesão foi aumentando meu cu ficava cada vez menos resistente a entrada daquele pau de cavalo que já passava da metade. Que dor maravilhosa. Por um momento me veio um pensamento “ é uma dor maravilhosa mas, com certeza amanhã eu mal vou conseguir andar. Que história vou contar para o meu marido.” Mas era impossível parar agora. Não podia interromper o orgasmo mais gostoso da minha vida. Mais uma vez meus olhos reviraram. O pau já entrava até o talo, eu sentia o saco batendo na minha bunda. Fiquei surpresa “ meu deus! Entrou tudo, como eu consegui!?” meu tesão era tão grande que podia entrar uma mão até o ante- braço no meu cu agora. Fiquei imaginando como seria maravilhoso bota a Débora pra me chupar enquanto meu filho fodia meu cu. Isso vai ficar só na imaginação porque eu nunca teria coragem. O orgasmo foi muito forte. Acho que nem drogas pesadas causariam aquele efeito: meu corpo se contorceu, eu fiquei muito sensível, não conseguia raciocinar direito, perdi todos os sentidos por alguns instantes. Depois daquele orgasmo fortíssimo eu queria relaxar mas Pedro não tinha gozado ainda, ele continuava socando e começou a doer por que meu corpo estava muito sensível.
____ Aí! Goza logo filho. Tá doendo. Goza logo meu amor.____ Como resposta recebi um tapa forte na minha bunda.
____ Cala a boca sua puta, deixa eu foder.
Pedro parecia uma animal selvagem fodendo meu cu. Ele começou a socar com muita força e muito rápido. De repente ele agarrou meu cabelos e puxou urrando como se fosse uma fera. A dor ser transforma em prazer novamente. “Jovens tem uma virilidade impressionante, ele vai me fazer goza de novo ” pensei. Mais um orgasmo. Um pouco menos intenso do que o último, mas a experiência foi maravilhosa porque nós gozamos juntos dessa vez. Senti aquele pau grande jorrando leite dentro do meu cu. Uma sensação maravilhosa. Depois senti aquela cobra grossas saindo do meu cu bem devagar. Quando aquela tora saiu completamente, meu cu fez um barulho de ketchup e eu senti a porra escorrendo pela minha bunda. Saiu muito porra. A quantidade de porra que saiu do meu cu dava encher um copo. Meu bebê todo suado veio e me beijou de língua. Um beijo molhado e intenso, comum de jovens apaixonados.
____ Mãe, eu tô apaixonado por você. Não quero te dividir com meu pai.
____ Não fala assim que eu vou me apaixonar também filho. Seu pai vai chegar hoje mas a gente pode foder sempre que conseguir dá um perdido. Mas você não pode acabar comigo como você fez hoje, se não ele vai descobrir que tem outro pau me fodendo. Principalmente porque o “piru” do seu pai não é capaz de me arromba. Ele só tem 13cm.
____ Só isso!?
____ Sim, e ainda é fino.____ Respondi rindo. Acho que senti um certo fetiche em humilhar o tamanho do piruzinho do meu marido corno.
____ Quando você quiser um pau de verdade pra te foder é só me procurar.
____ Claro que eu vou procurar, mas tem que ser no sigilo. Meu cu tá todo doido, ele pode perceber. Não quero magoar seu pai, ele sempre foi um homem bom pra mim. Vou falar que cai de algum lugar limpando a casa.

Aguardem a continuação dessa história.
[email protected] me chame para comentar sobre essa história

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,00 de 44 votos)

Por # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

6 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Gozador secreto ID:gp1f9i5m1

    Cara gozei pra caralho se esse conto não acaba eu teria morrido de tanto tesão!!!

    • Contos do L ID:g3jmgyzri

      A história ainda não acabou
      Vou lançar um livro

  • Responder Lagartixa ID:w73hy209

    Gozei pra caralho. Eu sou bi, mas quem estava esperando um conto gay perdeu a leitura.

    REPOSTE COM A TAG CORRETA.

    • Contos do L ID:g3jmgyzri

      Na continuação vc vai entender a tag

  • Responder Aaa ID:13t7lnixyb57

    Faz um conto de incesto gay, por favor

  • Responder Vini ID:qkihfp94zw9

    Ótimo conto mas a categoria tá errada, não tem nada gay aí, a tag devia ser lésbica pra não enganar quem tá esperando sexo entre homens.