# #

pais e mães cuidem de suas filhas 4

1417 palavras | 4 |4.13
Por

esse relato era para ser da serie – pais e mães cuidem de suas filhas – mais um relato , boa leitura

bom relato sem nome – seria da série – pais e mães cuidem das suas filhas , mas perdi a ordem dos relatos então sendo assim , aquele que leu um das serie entenda como continuação .
relato sem nome .
cheguei do interior paulista e minha mãe foi fazer minha matricula no ginasio – ano 1974 – eu tinha 11 anos e minha vida de cabeça para baixo , aqui em são paulo capital era outro mundo , eu tinha deixado amizades , parentes e tudo pra traz , bom era cidade nova , vida nova e logo começaria as aulas e logo estaria com amizades novas e esqueceria tudo deixado no interior , ledo engano , a primeira decepção foi o preconceito – falava de forma errada e era corrigida pelas supostas amigas , as poucas que achava que eram amigas – ano dificil aquele mas como tudo na vida passa e como disse um filosofo alemão na segunda guerra ( nada não é tão ruim que não possa piorar ) e eu iria descobrir isso logo no ano seguinte , então vamos para o ano depois .
eu tinha acabado de completar 12 anos , era estatura pequena , tinha mais ou menos um metro e meio ou menos , loira coxas bem torneada e seios começando a aparecer , alguns pelinhos na xereca e bem magrinha , pesava em torno de 29 kilos .
com muita dificuldade consegui duas amigas da oitava serie laura e luana tinham por voltas de uns 14 anos ou 15 anos , ja tinham os corpos formados , ja namoravam , ja transavam ao menos dizia oque faziam com seus namorados e eu sem nunca esperimentar nen um beijo de lingua , laura era bem putinha na época e era oque diziam as outras pessoas , diziam que ela tinha até dado para seu irmão que vim saber depois do ocorrido comigo .
aquelas conversas dela uma com outra contando detalhes me deixavam louca , eu ouvia atenta a tudo e chegava em casa toda babada e corria tomar banho para aliviar a tensão , um dia saimos da escola com duas aulas vagas então saimos no intervalo e ao chegar la na rua eu vi um grupinho de rapazes sentado no murinho em frente e quando eu vi a laura também viu e um dos papazes se encaminhou na nossa direção chegando junto e comprimentando as duas e só ai que laura falou –
ahhhh espere ai luam essa aqui é nossa amiga chama-se ilma então ele me abraçou abaixando bastante ja que eu quaze batia na cintura dele e me deu tres beijinhos mas um abraço forte e apertado me levantando do chão que até minha calçinha apareceu porque tava vestida com uma saia xadres ja meia curta que era uniforme la no interior – o luam cuidado ai meu ela é santinha ainda ( giria entre elas de virgem ) ahhhh que bom , leva ela la em casa que vou com a tropa ali fumar um beg e ja vou la também – falou e saiu correndo se juntar aos amigos – luam era magro , forte e alto chegando quaze um metro e oitenta a idade não sei mas ainda era menor de 18 anos .
fomos la pra casa da laura e conversando e eu tentando entender as palavras – fumar um beg ? ela é santinha ? tudo novidade para mim mas o assunto la como sempre era putaria – mais ih ai laura esse seu brother e taludo mesmo ou e só fantasia – ahhh não sei não eu não vi , só senti me rasgar ( risos ) e tem mais sabe aquele bichinha la da quinta ? sei – ficou uma semana sem vir na escola ( risos e mão na boca de espanto ) juraaaaa ? – juuuro e foi ali ohh a apontou para o guarto aberto com uma cama de solteiro , eu ali ouvindo tudo entendia alguma coisa e outras não mas tinha vergonha de perguntar e logo o luam chegou ai a comida tava quente então comemos e o luam ali , perguntando as coisas eu respondendo e ele me elogiando hora cabelo , hora o rosto hora as pernas , os olhos e eu ja toda encantada com ele , toda inocente quando ele me rouba um beijo , meu primeiro beijo de lingua que me levou nas altura e ja abri a guarda toda com falta de esperiencia e inocencia de mais , imaginando um namoro sendo beijos e caricias como ouvia falar la no interior .
as meninas gritaram na hora eu fiquei vermelha , morrendo de vergonha e logo depois acabei indo pra sala com ele ver alguma coisa como desculpa e la ele me abraçou levando a mão na minha bunda por baixo da saia e subiu e me levantou me beijando comigo em seu colo , tudo aquilo pra mim era novidade e tava bom de mais eu tava literalmente intregue só não sabia ai voltamos para cozinha e de la fomo para aquele quarto apontado anteriormente , la sentamos na cama lado a lado depois ele ajoelhou na minha frente eu sentada na cama , observei a porta fechada e na hora me deu medo mas ele começou me beijar novamente e esqueci e seguiu beijando e alisando minhas tetinhas minusculas eu beijava e gemia , mesmo me segurando as vezes escapava um gemido de tesão só eu não sabia oque era mas ja tinha esquecido do mundo , do horario , de casa e de tudo quando ele levanta eu percebi um volume mostruoso na frente na altura da barguia de calça e descia marcando a roupa até iniciar a perna , era bonito , era excitante ver aquilo e eu sabia oque era , sabia que era um pinto de homem e duro mas dai a me comer era outra coisa , achava que jamais ele iria me comer ali com a irmã e outra menina junta e sem tirar a roupa então ai eu fiquei de certa forma tranquila e fui cedendo ao passo que as ccoisas foram acontecendo – ele levantou e me levantou também e ele ja sem camisa , me abraçou novamente para me beijar e eu disfacei e passei uma mão ali naquela verga eli com ele chupando minha lingua e senti aquele nervo se mexer sozinho só com meu contato de relançe e beijando ele e sendo alizada por baixo da saia na bunda e não percebi que seu pau ja tava de fora e apontado para cima , quando percebi foi quando ele puxou um lado da minha calçinha e pincelou aquela cabeça na minha bucetinha eu sem querer soltei um gemido uhrhrhr ja senti uma fisgada na buceta e ja era aquela cabeçona tentando me invadir e começei a falar para para não nao não para para e outra cutucada e eu tentei sair daquela posição de escanchada no colo dele e ele não ouvia e empurrava e para para não não não e ele muito forte acertou o lugarzinho eu gemi ele me puxou pra baixo enterrando aquela picona na minha bucetinha que dei um berro na hora mas ele surdo não ouvia me puxou pra cima um pouco e puxou pra baixo novamente ai foi o golpe de misericordia pro meu cabacinho e começou meter e socar pra dentro e era grande de mais e sentia arder e começou doer la dentro com a cabeça batendo la no fundo e foi indo e eu chorando e pedindo para parar , ta doendo para por favor e não parava e continuava socando aquele monstro até que senti ele soltar um urro e começou a diminuir as pancada la dentro e foi tirando e sacou de vez caindo sentado na cama e eu sai de seu colo puxei e ajeitei a calçinha abri a porta e sai atordoada não vi nem ouvi ninguém falar nada só abri a porta e sai vim embora mau conseguindo andar sentindo dor do arrombamento e doia la no fundo , quando mudava o passo sentia a bucetinha arder e quando batia o pe no chão sentia doer la dentro la no fundo e no meio do caminho senti escorrer algo na perna fui ver era porra e sangue me limpei com a saia mesmo e cheguei em casa toda arrombada dolorida e sem cabaço .
pais e mães cuidem de suas filhas , acompanhem suas amizades , sejam amigas de suas filhas .

1

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,13 de 16 votos)

Por # #
Comente e avalie para incentivar o autor

4 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder D. Maricota ID:1d2tllmuubin

    Minha filha, você é uma vagaba! Deu pro primeiro maconheiro que apareceu e com 12 aninhos. Ficou toda arrombada e gostou. Esse mundo tá perdido mesmo…

  • Responder dragao ID:gqbanshr9

    Gostei do conto ,mas sou contra a violencia no sexo nao consensual .

  • Responder Skype: ric.silva2014 ID:xlpkchr9

    Novinhas de Brasília que queiram iniciar suas descobertas só mandar mensagem no skype para o professor.

    • anonimo ID:6stz27wozi

      só que não é conto ( relato ) estudava na mesma escola , conheci a pessoa em questão , perdi contato ha mais de 40 anos