# #

Sobrinha e amante

1470 palavras | 13 |4.45
Por

Aos 13 anos comecei meu relacionamento com meu tio, me fez mulher e me ensinou como é bom o sexo.

Sou a Teresa me chamam de Tati, tenho 27 anos, solteira, nasci e moro em Goiás, com 13 anos, tive um relacionamento com meu tio Josué , irmão caçula de meu pai, na altura com 20 anos, vivia em nossa casa e estava cursando engenharia, era um gato lindo de morrer, o mulherio o comia com os olhos e comecei tendo ciúme.

Aos 13 anos eu aparentava mais idade, peito cheio, coxa roliça e bunda grande, quem nos conhecia falava que era uma cópia de minha mãe.

Eu adorava quando aos fins de semana íamos todos tomar banho e brincar dentro do rio ele me apertava contra ele, virava segurava no colo e me lançava na água, mergulhando de seguida como se estivesse fugindo eu o perseguia nadando e me atirava para suas costas prendendo minhas pernas em sua cintura, lhe chamando de cavalinho me levava até à margem e se deixava cair fingindo estar cansado, meus pais riam com nossas brincadeiras.

Meus pais sempre adoram festa, conviver com amigos com muita bebida churrasco, musica, minha paixão é dançar forró, Bruninho filho de um casal amigo de meus pais que eram de Pernambuco, dançava bem, me apertava gostoso e numa dessas festas que reparei em teu tio nos observava com uma cara séria, ai eu me apertei mais a Bruninho e olhei meu tio sorrindo com ar provocador.

Depois que acabei de dançar, meu tio se aproximou e falou para dançarmos os dois eu achei estranho pois ele não usava dançar e perguntei se sabia dançar forro.

Ele riu e falou que eu ia ver como se dançava, logo que a musica começou se colou a mim e na verdade ela sabia dançar me fez sentir nas nuvens quando senti o volume de sua rola encostada na xaninha, um calor delicioso subiu no meu corpo e me arrepiava cada vez que ele de forma dissimulada me fazia sentir que estava com tesão, mordi o lábio, soltei um gemidinho baixo que ele percebeu bem como eu estava gostando.

Logo que acabou a música eu falei que ia no banheiro, ele sorriu e disse que também estava precisando

Entramos na casa, quando ia entrar no banheiro meu tio me abraçou puxando-me para ele, deixei-me ir e fiquei encostada nele, estremeci quando suas mãos desceram e seguraram minha bundinha.

Está assanhadinha sobrinha, sabe beijar? Perguntou ele .

Nem me deu tempo de responder e sua boca estava sobre a minha, senti sua língua querer entrar e abri, tremia de tesão beijando de língua meu tio, sentindo sua rola entesada roçar em meu corpo.

Ele me fez entrar no banheiro beijando e passando a mão no meu corpo, com o pé fechou a porta.

Durante alguns minutos estivemos nos maiores amassos, me deixando descontrolada de tesão, eu gemia, esfregava meu corpo nele, me beijava com sofreguidão metendo a língua dentro de minha boca e sugava minha saliva, não resisti e fui com minha mão até ao volume de sua rola e apertei, soltando um gemidinho ao senti o quanto estava dura.
Ele parou, me dizendo que podiam estar dando por nossa falta.

Ai titio…eu quero mais, supliquei eu doida de tesão sentindo minha xaninha molhada e pulsando.

Temos tempo querida, agora vamos voltar, se componha e refresque sua cara que está bem vermelha.

Me deixou sozinha no banheiro, me olhei no espelho e quase não me reconheci, respiração forte, olhos brilhantes e cara estava afogueada, passei água nela me deixei estar por mais um tempinho até restabelecer e fui na festa, titio já estava bebendo junto a papai, me olhou e sorriu me chamando, senti um aperto no coração e minha cara avermelhou.

Está corada o que se passou? Perguntou papai.

Nada não acho que é do calor, falei eu meia engasgada e pelo canto do olho vi que meu tio sorria divertido.

Seu tio vai no próximo fim-de-semana visitar vóvo, nós não podemos ir, vai com ele, faz tempo que não visita sua avó.

Vou sim papai, falei eu não conseguindo esconder meu contentamento.

Aquela semana parecia estar a demorar mais que as outras tamanha era a minha ansiedade, mas sábado chegou e saímos logo pela manhã e meu tio previa chegar perto do almoço.

Enquanto conduzia eu o olhava, esperando que ele falasse do que acontecera no banheiro mas não dizia nada e me aventurei colocando minha mão sobre sua perna e a acariciando, ele olhou e de seguida me falou que estava dirigindo.

Não gosta titio? Perguntei eu fazendo voz de safadinha.

Está ficando safadinha logo de manhã por isso falei que estou dirigindo, disse ele rindo.

Continuei passando a mão até tocar no volume que começara surgindo em sua calça
Ele continuou dirigindo com uma mão apenas e com a outra foi abrindo o ziper da calça.

Meti a mão e tirei seu pinto para fora, estava ficando duro e comecei acariciando.
Quer brincar com ele? Perguntou ele olhando e rindo para mim com cara de safado.
Quero mais que brincar, falei eu fazendo vozinha melosa de quem está precisando de carinho.
Comecei a a manipular a rola, sentindo ela engrossar em minha mão.

Faz com calma queridinha que vou ver onde parar.

Não precisa, faço aqui mesmo, respondi sem nem pensar, eu queria realizar meu desejo e não ia perder aquela chance.

Nada disso, falou ele continuando a dirigir até que encontrou uma estrada rural e entrou nela seguindo por um tempo até que o sítio era um pouco isolado, aí parou, se virou para mim e falou que ali estávamos bem.

Tirou o cinto e me beijou, o imitei tirei o cinto e quase me lancei sobre ele o beijando de língua, me abraçou e puxou até eu ficar de joelhos no banco, segurei seu pau e comecei o punhetando, aí ele colocou uma mão sobre minha cabeça e fez uma delicada pressão, meio endoidada de desejo abaixei lentamente minha cabeça até meus lábios encontrarem a cabeça da rola, , passei a língua em volta e logo em seguida comecei a mamar lentamente, parava e chupava, como se fosse um pirulito delicioso, conseguia escutar meu tio gemendo, passando a mão em cabelos, comecei a fazer um vai e vem gostoso como se ele estivesse metendo em minha boca, lambia toda a extensão rola e voltava a mamar. Ele meteu a mão por dentro de minha calcinha e começou a passar a mão na minha bundinha colocou o seu dedo na portinha do meu cuzinho e ficou alisando sem tentar enfia-lo apenas fazendo movimentos circulares.

Uma nova sensação que me deixava doidinha de desejo, chupava o seu pau com mais gosto, com mais tesão, enquanto ele cucutava meu cuzinho, quando enfiou seu dedo em meu cu, eu gemi alto e estremeci.

Calma queridinha relaxa, falou ele e sua respiração começava a ser forte.

Começou fazendo movimentos de vai e vem, o tesão era tanto que comecei a chupa-lo como um louca, chupando forte a cabeça da rola sendo correspondida pelo seu dedo no meu cuzinho.

Quanto mais rápido o movimento de seu dedo em meu cuzinho mais forte eu chupava.

Até que ele segurou minha cabeça, gemeu alto e com voz rouca de tesão quae gritou vou gozar…vou gozar….

Encheu minha boca de porra, decidida a mostrar que sabia mamar eu engoli sem engasgar, chupei até não sair mais leite enquanto ele estremecia e esticava as pernas.

Enfiou o dedo bem fundo no meu cú, me fazendo estremecer e deixou ficar até relaxar.

Safadinha…me deixou seco, falou ele e sua respiração ainda mostrava como tinha gozado.

Levantei minha cabeça e o olhei, passou o dedo em meu queixo e me fez lamber o resto de porra que tinha escorrido.

Mamou tão bem minha queridinha que me deixou de rastos, falou ele passando a mão em minha cara.

Descansámos um pouco ou melhor ele descansou que eu estava doidinha de desejo e sem vergonha lhe pedi :

Me coma titio…vá me coma…

Ele sorriu depois me beijou e falou que ali não era sitio para me inagurar.

Você merece melhor que uma trepada no carro, vou te comer sim…toda…todinha repetiu ele.

Nos fizemos ao caminho para não atrasar muito nossa viagem.

Um primeiro conto um pouco longo, mas os próximos serão mais curtos e bem apimentados.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,45 de 49 votos)

Por # #
Comente e avalie para incentivar o autor

13 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Tarado ID:8egu7eq6poy

    Tenho várias sobrinhas mais só consegui comer a mais velha porque ela já chegou junto e me conquistou nunca transei gostoso com outra mulher e essa minha sobrinha sabe fuder gostoso é muito safadinha e gulosa

  • Responder Discreto ID:1dc53i7xelz1

    N Ramos, você tem algum conto aqui no site?

  • Responder Discreto ID:1dsos949ubpn

    Eu queria muito ter acesso a conteúdos de incesto real,. Alguém sabe onde consigo?

    • Teresa ID:5erpoot09

      meu relato é real, desconheço onde possa encontrar outros.

  • Responder Discreto ID:g3jl2f20a

    O conto é fictício ou real?
    Muito bem contado, adorei.
    Eu tenho um caso com duas sobrinhas que são irmãs mas uma não sabe da outra. Uma tem 21 anos e a outra 25 e são filhas do meu irmão com mães diferentes
    A mais nova eu como desde quando ela tinha 15 anos e a mais velha desde 18.
    Sou um grande amante do incesto, exceto entre pais e filhos, e na adolescência eu tive a minha primeira experiência incestuosa com minha irmã.
    Minha irmã é 4 anos mais nova e eu tinha 16 anos quando começamos a nos pegar. De início eram apenas beijos e carícias que em menos de um ano evoluiu para sexo.
    Fomos amantes por quase 10 anos e hoje em dia ainda rola mas só quando ela vem visitar a família pois ela se mudou para São Paulo tem uns 20 anos e a nossa cidade é Belém do Pará.
    Hoje eu tenho 48 anos de idade e sigo minha vida transando com minhas sobrinhas lindas.

    • DDDigao ID:1erd7twfwlrx

      Conte como começou com suas sobrinhas

    • Discreto ID:1dsos949ubpn

      Então, a minha sobrinha mais nova começou a demonstrar interesse em mim desde de seus 11 ou 12 anos. Eu não a conhecia até os seus 10 anos de idade pois ela é filha de uma moça que o meu irmão apenas saiu algumas vezes. Mas a minha mãe sempre teve contato com ela e um belo dia minha mãe me apresentou a minha sobrinha pois a duas moravam na mesma cidade(Santa Izabel) que fica bem próxima a cidade que moro (Belém) e daí passei a ter mais contato com minha sobrinha e percebi que ela grudava em mim sempre que eu ia a Santa Izabel.
      Um certo dia, quando ela já tinha seus 15 anos de idade, ela me mandou um nudes e logo em seguida se desculpou alegando que tinha mandado errado. Fiquei com muito tesão e daí em diante as coisas mudaram e passei a jogar indiretas e ela. Se mostrou disposta a ceder até que um dia eu sai com ela pra comprar água mineral para a minha mãe e parei o carro numa estradinha mais deserta e a comi no banco de trás. Conclusão, até hoje ela é a putinha do titio.
      Já a irmã mais velha dela foi por acaso. A própria mãe fez a ponte sem querer.
      A mãe dessa minha sobrinha estava fazendo o canal para que eu ficasse com a sobrinha delae nesse desenrolar o tiro saiu pela culatra e acabei comendo a filha dela. Claro que a mãe não sabe disso rssrr

    • Tati ID:5erpoot09

      todo meu relato é verdadeiro, hoje não tenho relacionamento com meu tio mas continuamos nos falando como familiar, ninguém na família se apercebeu do que se passou e queremos que se mantenha assim.

    • Leitorcasado ID:jwar9obzzf0

      Um conterrâneo por aqui 🤙

    • N Ramos ID:8k4je2yzri

      Também sou de Belém do Pará,… Tenho uma relação incestuosa com minha sobrinha; começou quando ela tinha 7a e gostava de sentar em meu colo pra que a ensinasse a fazer a lição, na época eu tinha 16a , antes era tranquilo mas depois que tirei o cabaço da minha prima de 9a fiquei “meio” que na fissura por novinhas, de início até senti nojo de mim mas depois não aguentei e pra minha surpresa fui correspondido pela sobrinha que aceitou consensualmente minhas carícias. Os acontecimentos abriram minha mente para um mundo novo

    • Pedro ID:1cqd93m2mhni

      Top! Tbm sou de Belém e já tive experiências com umas primas quando tinham 7, 9
      [email protected]

  • Responder Dirceu ID:5erpoot09

    tesão de chupada, conte como ele tirou seus cabacinhos.

  • Responder @chefeX ID:fi04j88ri

    Novinha safadinha gostei caiu de boca legal no tio ainda tomou leitinho uma sobrinha assim é o sonho de todo tio kkkk vou deixar meu telegram aqui : @chefeX