# # # #

Lucas – Meu primo comeu meu cuzinho

1688 palavras | 2 |4.76
Por

meu primo tava na flor da idade, me enganou. Quando eu vi, meu cuzinho já estava cheio de leite!

Oi, me chamo Heitor. Tenho 14 anos e vou contar a vcs como foi o dia em que Lucas, meu primo, arrancou as preguinhas da minha cucetinha. Vou começar nos descrevendo:

Eu: 1,68 de altura, branco, nem magro e nem gordo, bunda grande e branquinha, loiro, olho verde, e até então virgem.

Lucas: 1,75 de altura, branco, magrinho de abdômen trincado, 15 anos, loiro, olho azul, piroca medindo aproximadamente uns 18cm, era da zona rural, um pouco mais escuro que eu devido ao sol, pois trabalhava cuidando dos animais da fazenda.

Eram Férias de meio de ano, meus pais iriam viajar em casal e eu seria deixado no sítio do meu tio (pai de Lucas) conforme o combinado. Chegou o dia da viagem e eu fui pro sítio, chegando lá me despedi dos meus pais que iriam seguir ao aeroporto e cumprimentei meu tio, minha tia, e meu primo Lucas. Eu tinha os visto pela última vez à 4 anos, então logo começaram as perguntas e afirmações do tipo “você cresceu ne?” “mudou muito Heitor!” “deve estar cheio das menininhas na escola”. Mas o que me impressionou mesmo foi a beleza de Lucas, meu primo nunca tinha sido muito bonito, mas ele estava lindo! Gostoso então? demais. Todos suspeitavam da minha sexualidade, por conta do meu jeito mais afeminado e da minha forma mais delicada de agir. Já meu primo, era bruto, brincalhão – o típico macho alfa da familia – assim como meus tios. Ele é assim desde quando éramos mais novos. Quando eu tinha 7 anos e ele 8, ele veio com uma tara surreal pra cima de mim. Tinha me dito que espiou o que seus pais tanto faziam a noite que trancavam ele no quarto todas as sextas-feiras na noitada, porém naquela noite a porta do quarto dele ficou aberta e ele foi ver, me disse que viu a mãe dele chupando o pinto do pai dele como se fosse um pirulito, disse também que ficou curioso pra saber como era colocar o pinto na boca de outra pessoa e me perguntou se podia colocar a minha. Prontamente eu de início recusei, mas depois deixei, sempre quis mamar uma rola mesmo, só não esperava que fosse a dele. Voltando aos dias atuais, a semana passou bem, nós estávamos nos tratando normalmente, até que quando estávamos prestes a ir dormir ele me lança um:

Lucas: Ei, primo! tu é baitola?
eu: Deixa de brincadeira, Lucas!
Lucas: Eu tô pergunta de vdd mesmo pô..
eu: Pq cê ta me perguntando isso?
Lucas: É pq hoje mais cedo tu não parava de me olhar cara, e tu sabe bem pra onde tu tava olhando…(disse pegando no volume sob o shorts de dormir)
eu: Eu tava olhando pra lugar nenhum, Lucas! Ta ficando biruta?
Lucas: Eu vi tu me secando otario, parecendo as putas q eu como no cabaré da cidade. Ta com saudade de quando éramos pequenos é viadinho? (falou enquanto me encarava com cara de sarcasmo e seu pau pulsava no short)
eu: Vai dormir imbecil, e para de me estressar! (Lucas me imita fazendo uma voz fina)
Lucas: Eu saquei a tua já mané! Vê se faz teu papel de puta e me acorda com uma mamada amanhã otario! tô precisando. (Falou virando o rosto pro teto e se enrolando pronto pra dormir; fiz o mesmo, me virei pra parede ficando de bunda pra ele)

Eu não parava de pensar no que ele tinha dito. Eu queria muito aquele macho, mas tinha medo das consequências. Acabei dormindo, porém ele dormiu primeiro que eu. Acordei pra ir ao banheiro, vi no meu celular e eram 2:27 da manhã, fui ao banheiro e na volta para o quarto lembrei do que ele tinha dito. Parei na porta do quarto e tranquei na chave. Fiquei em pé olhando ele deitado na cama só de short de dormir, sem cueca, e com aquele volume que mesmo mole era notório, me chamando. De repente sinto aquela adrenalina e penso comigo: “melhor se arrepender do que passar vontade”. Então logo vou subindo na cama e deitando ao lado dele de bruços, em uma posição que dava pra mama-lo. Apalpo sua piroca e vejo que não foi só de altura que ele cresceu, mas de pica também. Coloco a mão dentro de seu shorts e inicio uma leve punheta com receio de que ele acorde. Abaixo um pouco seu short ate a altura do joelho e cheiro devagarzinho o seu saco. Tinha um cheiro incrível, me fez lembrar das vezes que eu cheirava sua cueca enquanto ele não estava em casa. Logo abocanho sua piroca, agora sem medo de que ele acorde, e ela vai crescendo dentro da minha boca. Em menos de 1 minuto a rola gostosa, grossa, veiuda e grando do meu primo ja tinha acordado, só faltava ele. Começo a mamar ele com mais destreza, fazendo a sua piroca entrar na minha garganta e sair varias vezes. Até que eu fico sem ar e paro um pouco pra dar um suspiro e escuto um: “Parou pq, putinha? tava tão gostoso. Mama aí vai!” O safado estava acordado esse tempo todo, só esperando eu cair na armadilha. Logo, me assusto, mas n falo nada e volto a mamar aquela rola gostosa que ele tem. Ele, agora segurando minha cabeça pelos meus cabelos, começa a foder minha garganta igual fodia as bucetas das putas que ele comia pra aliviar seu tesao. Ficou nisso por uns 15 minutos e logo ele disse que ia gozar. Segurou minha cabeça contra seu pau e jorrou todo seu leite dentro da minha boquinha. Me disse que era pra engolir dando um tapa em meu rosto, e disse que se eu desperdiçasse um pingo daquela gala, ele iria dizer a meu tio que me fazia de putinha desde criança. Eu, com medo, engoli todo seu leite e ainda limpei sua piroca, deixando-a sem nenhum vestígio de gala. Ele ordenou-me para que eu me deitasse e ficasse de conchinha com ele e fosse dormir, pois eu iria acordar com um presentinho. Dito e feito, de manhã acordei com ele dedilhando meu cuzinho. Eu disse a ele que nunca tinha dado, e foi ai que ele ficou com mais vontade de me comer ainda.

Lucas: Acordou, viadinho? o meninão aqui em baixo ja acordou também, e ta doido pra provar esse cuzinho delicioso. (disse passando a cabeça rosa de sua piroca no meu reguinho)
eu: Eu nunca dei primo, vai doer muito. Eu n quero!
Lucas: Relaxa priminho, vou colocar só a cabecinha. Não vai doer, putinha, te juro!

Antes que eu pudesse relutar, ele me colocou de quatro na cama, cuspiu no meu cu e enfiou toda sua piroca de uma vez dentro de mim. Na hora eu gritei, mas meu grito foi quase imperceptível pois foi abafado pelo travesseiro.

eu: Aí, Primo. Caralho! Ta doendo muito. Para, Para, Para!
Lucas: Calma viadinho. Já já a dor vira prazer, relaxa e geme pra mim porra! (disse ele aumentando o ritmo das estocadas no meu cuzinho)

Ele me fodia igual um ogro, me dava tapas, socos, me xingava e eu amava tudo aquilo. Troquei os gritos por gemidos de prazer, e só pedia pra que ele me comesse com mais força e me desse leitinho. Ele revirava os olhos e seu suor pingava em mim enquanto ele me comia de quatro naquele quarto abafado.

eu: Vai Lucas, Me fode caralho! Me da teu leitinho vai, dá leitinho pra tua putinha aqui vai. (eu disse gemendo enquanto seu pau me corrompia por dentro)

Lucas soltava urros e mais urros, gemia feito louco! (meus tios tinham ido na noite anterior pra feira da cidade e só voltariam a tarde daquele dia, então gemer alto era de boa) Ele me chamava de putinha, viadinho, baitola, cachorra e outros vários xingamentos que só aumentavam meu tesao.

Depois de uns 30 minutos me fodendo nessa posição, ele me coloca de frango assado e manda eu pedir pica. Eu imploro, maluco de tesao por ele, pra que ele enfie a piroca em mim logo. Ele atende aos meus pedidos e bota tudo de vez, porém ele vai me fodendo devagarzinho agora, aumentando o ritmo aos poucos enquanto me da um quente e molhado beijo de língua.

Passado mais uns 20 minutos me fodendo dessa forma, ele pede pra eu novamente ficar de quatro. Eu o obedeço, e ele dá mais umas 2 estocadas no meu cu até gozar. Logo, sinto sua rola pulsando dentro de mim e seu leite quente e grosso se espalhando dentro do meu cuzinho. Nós ficamos deitados de ladinho na cama com a rola dele no meu cuzinho até ela amolecer e sair sozinha de dentro de mim, e temos o seguinte diálogo:

Lucas: Puta que pariu Gabriel! Que cuzinho delicioso que tu tem viadinho. Se eu soubesse teria te comido bem antes!
eu: Não conta pra ninguém primo.
Lucas: Relaxa, não quero dividir esse cuzinho com ninguém! Vc é só meu, escutou?
eu: Sim..
Lucas: Muito bem! agora vai tomar teu banho que eu vou vestir a roupa e ir colocar comido pra os Gado. Aproveita e tira uma fotinha do estrago que eu fiz no teu cuzinho e me manda. Quero guardar de recordação pra eu lembrar da primeira vez q devorei o cuzinho do meu primo viadinho.
eu: Ta certo, Lucas. Não demora pra voltar, tenho uma surpresinha pra vc de noite..
Lucas: Pode deixar priminho! Capricha na surpresa, vou voltar doido pra aliviar a rola em alguém.

Mais tarde posto a continuação! Rolou muita putaria nesse 1 mês que passei lá em titio. E além disso, eu não dei apenas pra Lucas nesse 1 mês q fiquei na fazenda, rs…

Se estiver afim de me conhecer, matar alguma curiosidade, fazer umas perguntas.. me chama lá no tele: @heitormartinni

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,76 de 42 votos)

Por # # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

2 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Putinha ID:1dor7kqt6q22

    Continuaa pff

  • Responder Yuri ID:1dak515n41

    Conta pfv logo