# # # #

Puta cara de 15 anos (versão gay menino)

3159 palavras | 5 |4.37
Por

Transei com um adolescente de 15 anos com o consentimento dos pais numa viagem de trabalho

Estava eu de viagem a trabalho, rumo ao nordeste, interior do sertão, peles bandas de Caicó, Jeremoabo, terras esquecidas pelos homens, lugares inóspitos, que a meu ver não deveriam ser habitados, enfim esta é uma questão social e não me meto em política.
Como dizia, viajando no meu carro o ar condicionado no máximo, um calor infernal, como se não bastasse a solidão; sim minha esposa havia ficado em minas na casa da mãe, e eu a um mês rodando.
Uma coisa tenho que confessar nesses lugares não se encontram putas fáceis, como em Minas ou São Paulo, que brotam aos montes em cada esquina, quase pulando no seu colo; e a essa altura do campeonato eu estava numa secura, mais seco do que aquele terra dura e a boa e velha mistura de um pornô batendo uma não estava resolvendo mais.
Cheguei num povoadozinho com meia dúzia de casas uma distante da outra mais ou menos um quilometro, se você precisasse de uma xicara de açúcar de um vizinho iria ter que andar muito ou tomar café amargo. Parei e vi um casebre de barro uns meninos brincando no fundo de um quintal com uma árvore grande, no meio de umas poucas galinhas e uma cabra magrele, uma cerca torta feita com troncos tortos e uns três fios de arame velho. Mas uma coisa me chamou a atenção, um belo rapaz com uma bermuda larga porém curta, feita de malha leve costurada quase no improviso deixando amostra o volume, e uma camiseta vermelho desbotado de alça larga, provavelmente reaproveitada de alguém que deixava à mostra os minúsculos músculos em crescimento. Era baixinho branco, porem um pouco queimado de sol, o cabelo meio despenteado, típico do povo de lá!
_ Boa tarde! Cadê seus pais? Perguntei com cara de questionamento
_. Meu pai está no fundo debulhando milho e minha mãe foi na bica! Ele de prontidão disse.
_Hum! Tem um copo com agua aí?
_. Vem cá já vou te dar. Respondeu ele me chamando para passar pela porta da cozinha no quintal mesmo.
Nisso o pai dele veio andando de lá um senhorzinho de uns cinquenta com chapéu de palha, calças com as pernas arregaçadas na altura do joelho, e um bigodezinho safado.
_ Que que “cê” faz pra essas banda? Só vai encontrar poeira e mais nada!
_ Trabalho para o governo, estou mapeando essas terras, para fazer estradas, sabe –lá Deus quando! Sorrimos em tom de deboche.
_. Tem alguma cidade aqui mais próxima, com mais opções? Eu perguntei
_ Depende do que procura, a mais próxima está daqui umas duas “hora”, e como já beira cinco não aconselho “cê’ ficar rodando pressas banda não, tem muito bicho, sem contar buraco.
Eu logo concordei já que estava no meio do nada, estrada de terra e sem iluminação, posto de gasolina ou local para comer.
_. Mas não tenho opção, ou tenho?
_. Pode “fica” aí essa noite, comida e cama eu garanto, o banho é frio de balde!
Pensei comigo, melhor que nada, mas ainda faltava matar a minha sede de sexo, 30 dias, cinco horas, dez minutos e quarenta e sete segundos para ser mais preciso, já estava com neura.
Adiantando a história depois de me refrescar mais a noite e após jantar, os meninos tinham se recolhido, a mãe estava fazendo um bordado no quarto enquanto o belo rapaz penteava seus cabelos agora molhados, e eu e o pai dele na sala conversando enquanto ele soltava baforadas de um cigarro de palha fedido.
_. Cá entre nós, com todo respeito, o senhor é homem e me entende! Por essas bandas não tem uma casa de diversão? Perguntei com medo de descobrir que não tinha
_ Há há há, puteiro? Você fala de puteiro? Pode falar! aqui eu não tenho frescura!
_ Sim, respondi com um sorriso amarelo
_”Tê” não tem não, mas tem uma forma de você se aliviar.
_ Se você fala de bater uma, não resolve mais! Respondi já desmotivado
_ Meu menino! Ele falou com cara de desdém
_ Que isso? Ele é uma criança? Você faz isso? Tem esse costume por acaso? Respondi com uma certa rispidez e em tom de repudio, mas no fundo estava doido querendo.
_Ele já tem dezoito “ano” já, nessa idade eu já fazia menino! De mais a mais ele já deu sinal que gosta é de “ome” e eu quero tirar essa dúvida.
_Ele tem cara de ser mais novo; o que a sua esposa acha disso?
_. Nada! Ela sabe! Ela que falou que era pra eu parar de tentar levar ele pra conhecer mulher.
_ Não vou mentir, se eu falar que não achei o rapaz bonito, estaria errado, e na condição que me encontro, não recusaria não, sou hetero mas quero me aliviar e se ele gosta!
_ Sem problema, só que tem um preço! Mil conto!
Pensei, velho safado! Cafetão do inferno, está querendo me extorquir, essa puta ia ficar cara!
_ Isso tudo? Perguntei engolindo seco
_ Onde “cê” vai ter uma oportunidade de “desvirginar” um virgem de dezoito?
_Realmente, não tem preço que paga mas eu tenho aqui quinhentos, o resto tá no cartão.
_ Me dá esse relógio bonito aí no seu pulso! Falou o olho grande.
_Tudo bem, você venceu!
_ Tem um “quartin” lá nos fundos pode ir lá daqui a pouco o menino vai.
Nove e meia da noite, me lembro bem a última vez que olhei as horas naquele relógio caro, custou seiscentos, a essa altura do campeonato a minha secura estava me custando mil e cem reais, mas a recompensa estava por vir.
Ele entrou no quarto e fechou a porta, a cabeça baixa e eu perguntei se estava tudo bem. Ele respondeu que sim e disse que o pai dele falou que hoje ele iria confirmar se gosta de homem ou mulher, e a mãe disse que isso era para uma boa causa, então eu perguntei: _ E você? O que acha? Pra minha surpresa ele respondeu que estava pronto e sempre sonhou fazer “aquilo” com um homem e não com as moças da comunidade.
Eu sentado e ele em pé na minha frente comecei a acariciar os cabelos e passar a mão no corpo esguio e pequeno porém gostoso dele, que parecia de uma rapaz de quase vinte tirei a alça da camiseta e deixei cair ele ficou de bermuda com aquele volume crescendo aso poucos a mostra e começou a querer me abraçar.
Comecei a alisar ele de baixo pra cima subindo as mãos devagar até a bermuda e iria tirar a cueca, porém ele estava sem.
_ Você não tem cueca?
_ Pro que nós vamos fazer não precisa! Ele respondeu com um sorriso safado e me beijando
Então me soltei, a essa altura meu pau já tava pulsando, ele começou a tirar minha roupa com desespero naquele fogo e eu disse: Calma meu jovem, essa é sua primeira vez não quero que você se lembre dele como uma coisa qualquer, como você quer que eu te chame ou te trate? Como sua puta disse ele com um sorriso no canto da boca
Deitei ele na cama, tirei toda roupa e beijava ele, o cuzinho branco rosado, tinha apenas alguma penugem loura uns fios minúsculos, saco protuberante já parecendo de homem feito, tive que me segurar pra não gozar só de ver. Comecei a chupar ele e ele derretendo, falando que não sabia o quanto isso era bom, depois de deixar ele bem relaxado falei com ele:
_ Você já se masturbou, introduzindo algo?
_ O que é isso?
_. Colocar o dedo ou algo lá dentro e brincar. Eu respondi com serenidade!
_ Não, sempre tive vontade, principalmente quando ia na feira e pegava nos pepinos e cenouras, mas não tive coragem de enfiar! Respondeu com uma inocência, porém havia ali uma safadeza disfarçada misturada com curiosidade.
_. Vou começar só que pode incomodar um pouco, tá?! Se quiser que eu pare é só falar!
Ele acenou com a cabeça que sim me olhando com os olhos apaixonados e brilhantes, enfiei o dedo e ele não esboçou muita reação, homem do agreste aguenta dor.
_. Agora eu vou te penetrar, é igual ao dedo só que deve incomodar um pouquinho mais
_ E como é isso? Ele perguntou
_. Eu vou enfiar o meu pinto em você. Sabia que é assim que os meninos como você viram putas?
_. É mesmo? Ele respondeu com um sorriso radiante.
_. Sim você vai virar puta igual sua mãe, e você vai ver uma nova utilidade para o seu bumbum.
_. Como é isso? Veio a curioso
_ Tem uma semente, em forma de um leite branco que só os homens tem, quando ele entra na rapaz como você ele faz mudar tudo lá dentro igual fermento na massa do pão, sabe? Falei em tom de contador de histórias, porém dentro de mim um lobo doido pra devorar aquele caça.
_ Sério? Leite? Perguntou o jovem com pau duro sentado na cama coçando a cabeça.
_ Não vai me dizer que você nunca bateu e nunca gozou antes??
_ Não, eu olhava os homens e sentia um calor depois eu começava a alisar meu pau sentia algo tipo querendo fazer xixi depois parava. E me dava vontade de enfiar algo na bunda mas…
_ Então você realmente é completamente virgem, vou entrar em você
_E dói?
_ Só um pouquinho quando o pinto tá entrando, depois passa e você vai gostar!
Então olhando ele nos olhos, ele deitado de frango assado, segurei os braços dele e com carinho fui introduzindo devagar meu membro dentro dele, tão apertado, parecia que as paredes dele estavam me esmagando e eu rompendo cada anel interno dele, ele começou a fazer cara feia e disse: _ Tá doendo, para um pouco, e eu disse tá quase lá e ia entrando pouco a pouco devagar mas como uma broca perfurando uma rocha, rompendo as paredes, os obstáculos, então ele começou a chorar, só com lágrimas o rosto branco ficou corado:
_. Para! Tá doendo muito!
_ Calma minha puta! Tá quase!
_. Não quero mais!
_. Você não quer virar puta? Por isso sua mãe disse que era pra uma boa causa, dói mas vai valer a pena! Falei reconfortando ele enquanto terminava de encaixar os últimos dois centímetros que faltavam entrar
_. Mas dói muito
_. Fecha os olhos esquece um pouco da dor e concentra lá embaixo! Eu falei
Então comecei a pulsar o pau nele que viu algo diferente, então comecei a tirar devagar
_. Estou saindo olha!
_. Sim! Ele respondeu olhando com os olhos ensopados com uma carinha inocente
Depois entrei de novo, e saí novamente tudo devagar, agora ele já não estava mais com cara de choro, e senti ele se dilatando mais. Avisei que iria aumentar um pouco da velocidade e se incomodasse muito era pra ele falar. De repente quando me dei conta estava num frenesi de vai e vem nele como se fosse uma mulher. Ele já estava aberto e agora estava gostando e começou até dizer que bom, continua mais. Depois de um tempo no auge do sexo ele disse com os olhos arregalados:
_. Quero fazer xixi!
_. Isso não é xixi! Disse eu sorrindo _. Isso é gozo, você está gozando! Que maravilha está gozando com pau no cu, solta esse leite minha puta.
Ele soltou tudo na barriga e no rosto, peguei um pouco da porra dele coloquei na cabeça do meu pau pra lubrificar e enquanto eu dava as estocadas nele, e no bater da virilha o liquido dele espalhava por todo lado espumando em volta do cu, formando uma espécie de chantily. Ensinei eles várias posições e disse que era pra ele usar com o marido na noite de núpcias, enquanto eu usava ele.
Comecei a quere gozar então parei um pouco reduzi a marcha e voltei para os carinhos.
Enquanto conhecia cada canto do corpo daquele jovem com minha língua pensei comigo, se eu estou pagando caro vou aproveitar.
Falei com ele que agora iríamos fazer de trás, eu tinha que ensinar aquele veadinho uma lição! De toda forma ele já tava louquinha pulando que nem pipoca no meu colo.
_. Agora eu vou te mostrar como realmente se deve pegar uma puta por trás! Falei com cara de lobo mal
_. Serio? Me mostra meu macho, sou sua fêmea!
Virei ele de costas, puxei a anca dele pra trás estilo cachorrinho, minha gentileza tinha acabado, agora ele não era mais uma florzinha, se gozou agora é puta, e puta nasceu pra tomar no cu! Cuspi na cabeça do pau que já estava bem molhada dele e introduzi a cabeça que passou pelo primeiro anel e fez o “ploc” som característico depois empurrei de uma vez!
_ Cuidado!!!! Ele falou dando um sobressalto pra frente tentando se desvencilhar de mim
_. Fica quieto e relaxa senão vai doer muito mais.
_. Você não vai devagar?
_Ok ok vou devagar! Respondi suspirando
De repente uma força se apoderou de mim e fiquei cego, então comecei a fuder o cu dele, com força violentamente, rápido, a cada estocada meu saco dava um tapa no saco dele, que a essa altura estava rosado e o pau dele murcho balançando e escorrendo aquela baba, o veado gozou e ainda estava sentindo prazer no rabo, tanto que vazava sem parar como uma torneira pingando, fios compridos, viscosos e cristalinos de precum. Pof Pof Pof, socando e ele gritando, só que eu coloquei a mão na boca dele,
_. Cala a boca vadiazinha, agora você é minha puta, minha mulher e eu faço o que quiser de você!
Eu estava completamente dopado pelo sexo, comendo o cu dele freneticamente e quando estava quase gozando, ouvi alguns passos perto da porta e um raspar de garganta do pai dele, foi onde tirei o pau já querendo dar as primeiras golfadas, meu cu já deu as duas primeiras travadas, aqueles quando se vai gozar, e caí deitado do lado dele e ele caiu do meu lado
Como uma jovem vadia usada, suja, comida, minha princesa gostosa, agora minha eterna mulher. Um silencio no ar nós dois ofegantes o pai dele foi embora, provavelmente escutou os gritos, perguntei ele se ele gostou de ele disse que sim, _. No começo foi ruim mas gostei! Foi quando me surpreendi com a pergunta daquela putinha gostosa:
_. Quando você vai me fazer virar uma puta de verdade?
_. Já´ fiz você gozou e várias vezes olha a cama ensopada!
_. Não tente me enganar, só quando sua semente estiver em mim eu vou me sentir completo, uma puta, uma femea “prenhada” pelo seu macho! Falou já se levantando e subindo em cima de mim
_. Bem como posso dizer, isso é um pouco mais complicado, tem certeza disso? Depois de ser inundado por um macho não tem mais volta! Você vai ficar viciado em leite de macho!
_. Claro que sim! Meu sonho não te disse? Eu ouvi diversas vezes atrás da porta do quarto do meu pai, minha mãe gemendo e as vezes gritando e sempre depois de um tempo ele ficava gravida, e eu querendo ser como minha mãe, dando pra um macho! Disse a bonequinha surpresa.
_. Pois é! E quando eu for embora amanhã. Já pensou nisso?
_ Você não é homem suficiente pra me possuir? Anda fala! Disse ele me encarando atrevido.
_. Você não sabe o que está falando!
_ Frouxo! Disse ele com cara de deboxe
_. Em que mundo você vive? Sua mãe não fala nada?? Falei meio indignado _. Quantos anos você tem mesmo?
_ 15 anos! Falou categórico com a certeza de um rinoceronte
_. Seu pai me disse que eram dezoito?!
_ Ele me falou que se contasse a verdade você não ia me querer!
_ Tão novo e tão gostoso assim? E tão puto?! Me apaixonei. Eu falei entusiasmado
_. Então vai ou não?
_ Tudo bem, mas tem um preço; vou fazer você sangrar lá embaixo
_Machucar?
_ Não, não isso é algo natural acontece quando as veados vão entrar na fase da adolescência e perdem as pregas, que é o preparo pra ser uma boa puta.
_ Ahhh sim ! Então faça o que tiver que fazer!
Aquilo foi como se fosse a largada de uma corrida, em segundos meu pau subiu que a essa altura estava meia bomba com a conversa, virei ele e a sentei no colo e encaixei meu pau que agora já entrava mais suave, olhei nos olhos dele peguei na nuca dei um beijo e disse:
_. Agora eu vou te transformar em uma puta
Ele foi cavalgando, cavalgando, o pau dele até com um bom tamanho estava duro espremido entre nossas barrigas, nós dois transando a luz de lamparina, a sombra dos nossos corpos projetada na iluminação amareleda da parede senti espasmos e dei uma pausa e parei pra que ele sentisse:
_. Olha meu amor você vai sentir agora minha semente!
Mal acabei de falar e meu pau começou a golfar, jatos, um, dois, três, quatro, cinco, seis, sete, oito, nove, dez, dez jatos grandes dentro dele e ele se desfalecendo nos meus braços, sentindo cada vez que o pau pulsava entre as paredes dele, inundando ele por dentro.
_ Ahhh nunca gozei tanto! Geralmente uns sete ou oito jatos, mas dessa vez foi excepcional _ O que achou?
_. Gostoso, muito gostoso! Senti algo quentinho, tipo xixi entrando em mim
_. Quer ver? Perguntei a recém formada puta
_. Sim! Respondeu ele curioso
_. Então levanta! Falei dando dois tapinhas na bunda dele
Ele saiu e ficou em pé e começou a pingar e escorrer o leite pelas pernas brancas dele, ele passou o dedo sentiu a textura cheirou e colocou na boca, eu ri, e concluí que eu tinha acabado de criar uma vagabunda, comedora de porra. Ele ficou louco, agachou pôs a mão embaixo tirou tudo o que saiu dele e colocou na boca depois começou a chupar meu pau
_. Isso! Isso limpa sua cadelinha sedenta por leite de macho
_ E agora? Como sei que eu virei puta?
Eu acenei com a cabeça e os olhos apontando para a direção da parte de baixo dele, ele olhou e viu escorrendo um fiozinho de sangue pela perna
_. Você agora é uma puta, eu tirei sua virgindade, te marquei para sempre!

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,37 de 27 votos)

Por # # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

5 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder jeremias ID:1dbfi46wwkx9

    Já comi um garoto mais ou menos desse jeito, só que a pedido da mãe, A mãe desconfiou que ele era gay e pediu-me que o seduzisse e tentasse pegar ele, pois assim ela saberia se ele era mesmo gay. Somos do norte de Minas cidade pequena e pacata. Fiz amizade com o garoto, convidei ele para irmos pescar e lá eu fiz um teste com ele. Quaando ele estava bem perto tirei minha pica e pus-me mijar e fiquei prestando atençaõ nele. Ele não tirava os olhos do meu pau, com os olhos abertos como se estivesse maravilhado ele olhava para o meu pau.. Perguntei a ele acha ele bonito, ele disse que sim, quer pegar um pouquinho e ele se aproximou e pegou nele. O garoto pegou meu pau com delicadeza e ficou alizando. Então eu lhe disse: Chupa ele Guto e ele o colocou na boca meio sem jeito e começou a chupar.O moleque devia ter uns l5 anos e eu perguntei a ele: Eu quero comer você, quer dar pra mim? E ele respondeu, querer eu quero mais eu tenho medo da mãe não gostar. Então eu disse a ele, ela não precisa ficar sabendo pode ser um segredo nosso, o que você acha? E ele respondeu, você jura que não fala nada? Pode confiar em mim, Então ele desceu o calção se colocou de quatro e falou, pode me comer então.Então eu disse: Calma vamos devagar, e ele sabe tio faz tempo que eu quero dar por isso a pressa.Você acha que aguenta minha pica perguntei? e ele respondeu: Se colocar bem devagar

  • Responder Messin ID:w735kv9c

    Faz uma continuação dele com esse menino de novo por favor

    • TJContador ID:xlq64n28

      Faremos sim com certeza!

  • Responder Novin15y ID:1d7ghk7z13u7

    Eu tenho 15a e sou de paulista, Pernambuco, se algum cara novo quiser conversar, mas so se morar perto 🙂 .. meu teleg é:onyhaass

    • Casado olinda ID:gnruj2dv2

      Tem local sou de Olinda quero chupa seu cuzinho e fuder até gozar dentro