# # #

Passei do limite: Tirei o cabaço do garotinho

1396 palavras | 6 |4.73
Por

Sou Charley, negro, 185cm, 90kg, 40 anos, bem apessoado. Sou casado com uma mulher bonitona de 35 anos, sem filhos e moro com minha esposa a 5 quarteirões do hospital municípal da minha cidade. Ela é técnica de enfermagem lá, eu sou uber e vendo umas paradas proibidas. O pessoal da família dela é do interior e vive vindo aqui pra casa quando precisam de hospedagem ou ir buscar serviços no hospital.
Certa vez a tia dela, que vou dar o nome de Karen aqui, veio do interior pra fazer consulta no hospital que minha esposa trabalha, ela trouxe o filho dela Gustavo de 10 anos. Karen e minha esposa decidiram deixar ele aqui em casa das 8h as 12h comigo, eu disse que tudo bem, realmente tava nem aí, a casa era cheia de grades e com muro de concreto, ele iria ficar por lá brincando e vendo tv na sala.
Fiquei na cozinha preparando o almoço e tal e ele na sala vendo televisão, filmes de dvd e desenho.
Depois de fazer o almoço fui buscar minha toalha pra tomar um banho, e passando pela sala em direção ao meu quarto ele estava na sala vendo um filme da barbie que tinham deixado na estante, lá estava ele de bruços no tapete felpudo no chão da sala, apoiado nos cotovelos com as mãos no queixo segurando o rosto igual uma garotinha. Era de conhecimento comum pra qualquer um que ficasse mais de 20min perto dele que aquela fruta era fanta kkk entrei no quarto e tirei minha roupa e na hora de colocar a toalha na cintura, bateu um sensação de desejo e curiosidade sobre como o garoto ia reagir vendo um homem pelado, até então eu estava só de onda, foi aí que eu decidi sair com a toalha no ombro pelado, passando pela sala ele não me notou, voltei para o quarto e repeti a cena, mas dessa vez, falei “diminui o volume gayzinho” e ele olhou na minha direção e falou “tá bem”, meio nervoso e chocado comigo nu, um olhar de curiosidade de puta, eu juro. Fui tomar banho e tava com o pau igual a um ferro duro, masturbei um pouco, cheio de tesão e fiquei pensando que eu tava doido, mas não conseguia parar de pensar em como seria pequeno e apertado o cuzinho dele, sem nenhum pelo e vermelinho e ficava duro ainda mais. Sai do banheiro no impulso e me sequei, joguei a toalha longe fiquei nu e tive uma ideia, fui na sala e falei “quer ajudar o titio a lavar minha motocicleta no quintal”, ele disse que sim balançando a cabeça, me olhando curioso, com o olhar pálido que sempre ia no meu pau com desejo. Eu tava pelado e ele sabia no fundo que aquilo significava alguma coisa e queria saber, e eu queria mostrar.
Chegamos no quintal e falei “tem que ficar pelado Gustavo pra não molhar tua roupa”, ele disse “vou ficar de cueca apenas”, eu insisti “fica pelado, só tem macho aqui, tu é gay?” aí ele balançou a cabeça e disse “não sou”, eu falei “então fica pelado logo”, ele tirou tudo, e vi aquele corpinho magro, lisinho, parecia que uma pena podia derrubar, a bunda pálida e branca igual de um fantasma.
Lavei só com água por 2 minutos a moto, meu pau duro, e observei que o dele também. Chamei ele pra entrar que já tinha acabado, ele chegou a porta, eu disse que não era pra molhar o corredor e que não tinha toalha, ele ficou parado eu peguei ele no colo rápido sem ele ter tempo de reagir e disse “deixa que te enxugo pra vc não molhar a casa”, carreguei ele para o quarto, com ele igual uma noiva nos meus braços, depois sentei com ele no meu colo e comecei a enxugar o cabelo dele, o meu pau duro como pedra começava a doer com aquele tesão daquela bundinha sentada em cima. Não resisti e joguei ele de bruços rapidamente e comecei a secar ele de costas, ele não falava nada só ficava igual uma boneca, foi aí que a loucura bateu e eu me deitei em cima dele entre as pernas dele e meu pau de 18cm ficou encaixado naquela bundinha bonitinha e lisinha, nesse momento ele falou “não quero mais ficar aqui no quarto vou voltar pra sala”, e eu coloquei o dedo em cima do cuzinho que parecia um pontinho e falei “deixa eu brincar um pouco aqui”, ele se debatei embaixo de mim querendo levantar e disse “não quero não isso”, eu falei “se tu deixar eu te dou o dvd da barbie”, ai ele mexeu a cabeça em sinal de sim.
Eu estava com o pau duro com ferro, eu sabia que entraria com muita dificuldade e que ele ia amarelar na hora, levantei e fui na cozinha e peguei um pouco de azeite de oliva e melei meu pau, voltei e melei o cuzinho dele, e coloquei o pau em cima do pontinho, deitei em cima dele com todo meu peso, arrumei ele na cama com os braços dobrados embaixo do próprio corpo já prevendo a hora do rompimento do lacre, ele ficava parado e obediente igual uma bonequinha. Então comecei a empurrar devagarzinho, mas parecia que meu pau estava numa parede sólida, coloquei o dedinho e dei umas dedadinhas leves na entrada pra preparar a região, depois voltei meu pau lá em cima do buraquinho, deitei em cima do corpo dele pressionando ele imobilizado na cama, as pernas não tinham como fechar com meu peso, e nem ele como levantar. Pressionei levemente e meti a cabeça, enquanto dilatava ele começou a estremecer de dor e pedir “para tio dói muito isso eu não quero mais o dvd”, falei “calma que dói só no comecinho já vai parar de doer”, e fui metendo a cabeça até ficar toda a cabeça do meu pau pra dentro, ele estremecendo de dor embaixo de mim, mas eu tava no meu limite de tesão prestes a gozar e não iria aguentar muito metendo devagarzinho por muito tempo até ele acostumar senão ia gozar muito superficialmente, e eu tava fim de encher ele do cuzinho daquele garotinho com minha porra. Decidi que ele ia ter que aguentar, pressionei ele embaixo de mim e fui metendo o pau mais fundo, ele começou a falar “tá doendo vai devagar””, eu falei “eu to devagar é que dói no começo depois vai parar calma”, comecei o vai e vem, ia fundo e voltava, metia fundo até na base do meu pau, eu olhava e tava até o talo dentro dele, eu metia e ele tava choramingando e descendo lágrima do olho dele, mas não protestou, apenas sentia a dor e choramingava sentindo a dilatação machucar o cuzinho dele.
Era muito apertado, meu pau doia de tesão e pressão de tão apertado que ele tava dentro do cuzinho do Gustavo, meti com força mais e mais bem fundo, ele só chorava sem poder se mexer, tentava ir para o fundo da cama e eu ia junto, quando meu pau não aguentou o cuzinho apertando ele eu meti bem fundo e gozei muitos jatos de porra dentro do cuzinho daquele garotinho. Deitei em cima dele até meu pau amolecer e tirei de dentro, quando olhei o cuzinho dele estava todo sujo de sangue, umas gotinhas de fezes e bastante porra minha misturada, falei pra ele ficar lá deitado pra eu limpar ele, peguei um pano rápido e molhei e voltei lá e limpei o cuzinho dele, abri um pouco pra dar uma olhada e tava com uma fissura escorrendo sangue, aí de repente ele peidou e saiu escorrendo pra fora muita porra que deixei dentro, limpei de novo e falei pra ele “não vai contar pra ninguém”, ele disse “não vou” mandei ele tomar banho e se vestir, e ele saiu do quarto andando devagar.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,73 de 30 votos)

Por # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

6 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder ER ID:1g69bdiq6ia

    Absurdo’ abuso sexual é crime’ ainda mais com menores. Deveria ser derrubado

    • Dan1598 ID:gsutsaqra

      Que delícia @dan1598

  • Responder luiz ID:dlns5khrd

    O viadsinho gosta de ser bem comido é bom quando o homem nao ta nemai para o viadinho so que gozar, muito bom, aconteceu outras vezes?

  • Responder FH ID:1dak1dkbd4

    cuzinho de moleque é muito bom, fazer com carinho eles apaixonam

  • Responder admirador ID:40vom29km9i

    perfeito!

    • Cristiano ID:19p379gd0

      Absurdo.