# # #

Irmãzinha

3320 palavras | 3 |4.54
Por

Minha infância com irmãzinha era maravilhosa

Eu e minha irmã mais nova sempre fomos muito unidos por ser só nos dois e minha mãe era separada e quando saia para trabalhar e deixava a gente sozinhos sobre os cuidados de dona Cida uma vizinha do lado de casa. O que dona Cida fazia era perguntar por cima do se estava tudo bem e a gente respondia de dentro de casa gritando que sim.

Quando eu tinha uns 11, naquela época eu me masturbava (aprendi vendo Playboy), a partir dali eu me masturbava todos os dias no banho na cama onde dava. Minha irmã tinha 7 anos e era gostosinha, era magra, não tinha peitos eram uma pequena manchinha rosada e uma bunda empinadinha, pele branquinha, cabelos castanhos e olhos azuis.

Até que um dia as coisas entre eu e a minha irmã mudaram, a gente resolveu tomar banho juntos numa brincadeira inocente até então pois fazia mais de 30 graus, e tínhamos chegado da escola e ninguém queria espera o outro e eu entrei primeiro e ela estava com pressa e entrou correndo achando que eu iria deixa-la para trás, aí nós tiramos a roupa e nisso meu pau ficou duro, aí quando eu olhei pra ela, ela sorriu e falou – Ele tá duro! Por que?

Eu não falei nada, com aquela situação, fiquei muito envergonhado e pra piorar minha irmã, sem falar nada levou a sua mão ao meu pau e aí apertando ele, o que me deixou mais excitado, mandei ela tirar a mão e peguei o sabonete e comecei a passar sabonete pelo corpo bastante no meu pau e passei na cabeça e no rosto que nesse momento fechei os olhos ela jogo agua no meu pau e ficou olhando bem de perto. Me enxaguei e perguntei_ O que você está fazendo? Ela_ Deixa eu ver? Porque ele fica assim? Respondi _ Um dia deixo e te conto. Agora toma seu banho

Fiquei olhando ela se lavar e comecei a prestar atenção no seu corpinho na bundinha redondinha e na pepequinha lisinha eu quase fui a loucura fiquei imaginando mil coisas e ela logo falou _ O que eu estava fazendo, ai parado? Respondi _ Você fico me olhando então também posso Ela_ Mas você ficou bravo comigo Eu_ Não fiquei, você é muito curiosa.

Me enrolei na toalha e fui correndo pro meu quarto bater a melhor punheta da minha vida. Depois daquele dia, eu ficava excitado e de pau duro sempre que pensava nesse banho com minha irmã, pois ela tinha pegando no meu pau.

O tempo foi passando e meu tesão nela estava aumentando, e eu pensava como seria comer ela e se ela ia querer. Mas eu ainda era virgem e nunca tinha ficado com nenhuma garota, porque era tímido, demais como eu ia fazer para ter ela.

Sempre que eu olhava pra minha irmã, lembrava do banho e meu tesão ia nas nuvens sentia uma vontade muito doida de comer ela, quando ela sentava no sofá do meu lado, eu ficava olhando pra ela e imaginando coisas. Aí quando ela via que eu estava a olhando, ficava toda sem graça e mandava eu parar de ficar olhando pra ela.

Certo dia estávamos a tarde na sala. Ela me mandou parar de olhar para ela e porque eu ficava assim. Então criei coragem e falei_ Lembra daquela vez que tomamos banho e você me perguntou sobre o meu pinto ficou daquele jeito Ela_ Sim, mas você nunca contou né! Falei_ Eu fico pensando como te mostrar e contar, mas você não pode falar para ninguém muito menos para a mãe. Ela_ Tá bom, mas porque não pode contar? Eu_ Tá vendo você já quer contar pra todo mundo. Tem que ser segredo. Você tem que fazer tudo que eu mandar combinado, então ela acenou que sim.

Mandei ela sentar no sofá e fiquei em pé na sua frente abaixei o short junto com a cueca e meu pau saiu todo duro apontando para ela. Nisso ela sorriu e ficou vermelha, aí eu lembrei ela de como ela pegou e se ela queria pegar de novo, só que nesse exato momento tocou a campainha e era filha da vizinha amiga dela chamando para brincar o que ela logo recusou e dispensou a amiga rapidinho e entrou e sentou no sofá e pediu para continuar.

Coloquei para fora e ela pegou com as duas mazinhas e ficou admirando quase que cheirando ele perguntei se gostou ela balançou a cabeça com um sim e não soltava e ficou pegando no saco puxando a pele pra cabecinha sair e ficou assim um tempão até que Ela_ Porque ele fica assim? Eu_ Você sabe que o meu é diferente do seu e apontei para a sua xaninha. Ela concordou e falou que era muito diferente mesmo. Falei tira sua roupa para eu te mostrar.

Ela levantou tirou toda a roupa e ficou comparando os dois. Já soando e com a boca seca e quase sem palavras. Então disse assim:_ Tá vendo a diferença? Mas eles são feitos um para o outro, Ela_ Como assim? Veja o formato de cada um (falei já colocando a mão na sua bucetinha) o meu encaixa no seu é para isso que foram feitos e o meu só pode entrar se tiver bem duro como agora. Ela_ Então aquele dia e hoje você que colocar aqui (batendo na xaninha) né? Falei que sim mas só se ela quiser. Ela_ Para que você quer colocar aqui? Eu_ É normal e muito gostoso e porque é a coisa mais gostosa da vida, todo mundo faz só não falam para os outros. Se você quiser eu te mostro uma revista que ensina tudo? Fui buscar uma revista.

Peguei uma revista de bolso com historinha em preto e branco que estava debaixo da minha cama e levei para ela na sala, dei na mão dela e sentei ela ficou ali em pé olhando as cenas com os olhos arregalados ela não sabia ler ainda.

Interrompi_ E aí gostou? Viu é normal e gostoso só faz bem todo mundo fica feliz. Você quer tentar? Peguei a revista e joguei no sofá levantei e fiquei na sua frente e ela estava pensativa e estática alisei seu rosto e ela não se mexia chamei ela e nada então dei um selinho nela que logo voltou ao normal. Que você está fazendo? Respondeu brava.

Respondi_ Eu te chamei e você não respondia então te beijei. Você não respondeu se vai quer fazer o está na revista eu já te expliquei o que você pediu agora sou eu que estou pedindo uma coisa para você.

Fiz ela sentar e sentei do seu lado ela parecia um boneco então peguei sua mão e coloquei no meu pau e ela nem se mexeu comecei uma punheta com a sua mão depois deitei ela e comecei a passar a mão em seu rosto e descendo devagar pelo corpinho até suas coxas e ela só respirava fundo passei a mão na sua bucetinha e seus biquinho estavam durinhos alisei eles e desci até o meio das suas pernas e ela começou a respirar forte e logo levantou mandou eu parar e foi para o seu quarto. Tive que terminar na punheta mesmo.

Depois daquele dia minha irmã e eu ficamos meio estranhos um com o outro, quando a gente ficava sozinhos, ela saia de perto e me evitava de todo jeito e eu respeitava isso com medo dela contar para minha mãe. Passaram muitas semanas e voltamos ao normal mas sem tocar no assunto.

Uma vez ela estava deitada no chão da sala de bunda para cima com um shortinho de seda e sem calcinha vendo tv, eu sentei atrás dela no sofá, fiquei olhando a sua coxa e bundinha, aí ela falou _ O que você está olhando? e olhou para trás, eu tentei disfarçar e disse _ Nada, por você que ele fica assim! Ela _ Assim como? Assim deitada com esse short mostrando tudo, não dá pra olha outra coisa respondi nisso ela puxa o short até aparecer as polpas da bunda e sua xaninha. Sentei do seu lado e baixei o short e ela puxou de novo falando deixa assim.

Tá bom eu gosto assim e passei a mão da sua bundinha e dentro do short e ela não falou nada fiquei alisando toda sua bundinha e ela assistindo a tv comecei a apalpar e apertar e dizendo como era deliciosa muito gostosa fui baixando o shortinho dela e ela até deu uma forcinha levantando o quadril ai comecei a passar a mão entre suas pernas na xaninha e no meio da bundinha, logo ela abriu as pernas e percebi a xaninha molhada deitei sobre ela e fiquei esfregando meu pau na sua bunda, não deu 5 minutos e gozei na sua bunda.

Ela perguntou o que tinha acontecido o era aquilo e passou a mão e levou até o nariz cheirou Eu_ Isso é como ele e a sua fazem quando gostaram muito, e você gostou? Ela_ Sim, foi muito gostoso só isso aqui que é nojento e limpou a mão no tapete.

Ela olhou para meu pau e falou agora ele fico mole e pequeno. Falei quer fazer ele crescer? Ela_ Quero! Então pega ele disse logo ela aceitou dizendo como é que se faz, então peguei sua mão e disse vou te ensinar a bater punheta comecei subir e descer sua mão e não demorou 1 minuto e já estava duro de novo ela ficou alegre eu perguntei se ela gostou e se queria sempre fazer isso, concordou e não parou de bater falei que ia gozar e ela queria ver então mandei ela deitar e fiquei em cima da sua barriga logo comecei a molha sua mão e saiu um jato tão forte e melou barriga e até seu rosto e lábios que sem querer ela passou a língua e disse que era meio doce. Sai de cima dela e foi se lavar.

Assim foi por semanas sempre depois da escola e da minha mãe sair para trabalhar, eu corria para meu quarto tirar o uniforme e nos encontrar na sala para mais putaria.

Foi quando um dia ela voltando do banho eu já estava de pau duro, nisso eu vi a sua buceta linda, pequena e branquinha. Aí eu olhei pra minha irmã e sorri, em seguida eu comecei a alisar sua bucetinha minha irmã começou a gemer um pouco baixinho, ela se contorcia e dizia “isso é muito bom ”, Eu _Ainda nem comecei, vai ficar muito melhor!.

Aí eu me levantei, e peguei sua mão e a levei pro meu quarto, lá deitei ela na minha cama e deitei sobre ela com meu pau sobre sua bucetinha e comecei a acariciar seu rosto passando pelo seus futuros peitinhos e descendo pelo seu corpinho até sua bucetinha onde abri uma das perna e coloquei meu pau bem na entradinha e falei baixinho no seu ouvido _É aqui que ele vai entrar! E nós vamos ser muito feliz! Ela _Faz o que você quiser. Eu _Você vai gostar tanto, e eu também!.

Um tempo depois fiquei esfregando meu pau na buceta dela que gemia bem baixinho e falava que aquilo era muito gostoso, em seguida eu parei, aí falei _Vou colocar ele lá dentro bem devagarinho.

Aí e comecei a enfiar, fui bem devagarinho, logo senti a cabeça entrando, e nisso senti uma leve pressão e ouvi a minha irmã dar um grito alto, aí eu parei e perguntei _Quer parar?. Ela _Não!. Eu_ Eu posso continuar então?. Ela – Sim!.

Eu fiquei mais um tempinho parado, em seguida eu perguntei se podia continuar de novo e ela disse que sim, aí continuei enfiando e logo estava todinho dentro da sua bucetinha que gemia bem alto, mas não pedia pra tirar, e lá dentro era gostoso, era apertadinho, quentinho e molhadinho também nunca tinha experimentado nada igual foi incrível minha primeira trepada. Aí eu iniciei um vai-e-vem bem devagarinho, e assim fiquei por uns 2 minutos, pois logo senti uma enorme e boa vontade de gozar, e ela veio tão forte e repentina, que eu não consegui tirar o meu pau, gozei tudo dentro da bucetinha da minha irmã (eu não sabia do erro que era isso).

Depois daquele dia eu e a minha irmã ficamos uns dias sem se conversar talvez por vergonha, muito porque ela fingia que nem me via e eu respeitava seu espaço.

Uma vez, ela estava no quarto, deitada na cama mexendo no seu celular, aí eu entrei e puxei conversa porque ela estava brava comigo se era por causa da nossa brincadeira. Então ela sentou na beirada da cama e falou: _Estou com vergonha! Acho que não devia ter feito aquilo.

Me virei para ela peguei seu rosto e olhando para o seus olhos falei _Você não gostou? Ela _Gostei, mas acho que foi errado. Eu _Não é errado se foi bom e não machucou ninguém, além do mais foi eu que pedi para você e eu gostei muito, você é muito bonita e gostosa, eu queria fazer todo os dias só com você. Nisso eu percebi que ela ficou feliz até sorriu Ela _ Verdade? Eu _Claro, pense bem nisso. E sai do quarto e fui para a sala.

Um tempo depois ela veio e deitou no sofá para ver tv e virou para mim e perguntou _Eu sou bonita mesmo? Eu _Muito.

Nisso ela levanta e tira a blusinha e mostra seus peitinhos Ela _Eu não tenho peitos sou magra e branca, em seguida eu na frente dela e comecei a passar a mão nos seus biquinhos e falei _ Não importa um dia eles cresceram, mas agora tudo que você tem é perfeito, lindo e gostoso. Ela _O quê que eu tem? Eu _ um rosto lindo, a boca deliciosa, um corpo macio e cheiroso, pernas perfeitas a bucetinha mais gostosa e uma bunda que me deixa doido de tesão, você é mais que perfeita. Então sentou do meu lado sem coloca a blusinha pensativa eu comecei a massagear seus cabelos ela foi deitando a cabeça no colo e o rosto em cima do meu pau que já estava duro. Ela _Nossa ele está sempre assim? Eu _Só por você. Nessa hora ela enfia a mão por dentro do meu short e fica segurando ele.

Depois baixei o short e deitei sua cabeça no meu colo e fiquei esfregando a cabeça do meu pau nos seus lábios, ao mesmo tempo eu fiquei acariciando o seus cabelos e dizendo chupa meu pau. Logo abriu a boca e começou a chupar o meu pau, ela ficou um tempão me chupando, enquanto isso eu fiquei alisando seu rosto com a boquinha cheia e disse que ia gozar na boca dela e ela ia beber o meu gozo. Ela só olhou para mim e então enchi sua boquinha que logo cuspiu no chão e levantou e foi lavar a boca. Fiquei no sofá com o pau mole vendo a tv.

Um tempo depois ela veio sem roupa e deitou no tapete da sala com a bundinha para cima eu deitei em cima dela esfregando o meu pau na bundinha dela por um tempão, depois eu coloquei a cabeça do meu pau na entradinha da bucetinha dela e comecei a enfiar devagarinho, como ela estava bem melada o meu pau entrou de uma só vez.

Nisso eu iniciei um vai-e-vem devagarinho, mas aí veio a vontade de gozar veio e eu acelerei, fiquei metendo rápido e gozei dentro da buceta dela que estava gozando também. Aí a gente ficou uns minutos deitados e engatados meu foi amolecendo e escorregou para fora, ela virou para mim sorrindo e me deu um selinho, depois eu levantei e fui tomar banho, e assim que eu saí do banheiro ela entrou toda nua e feliz.

Depois daquele dia eu e minha irmã, sempre que estávamos sozinhos nós andávamos pelados em casa, a noite eu ia pro quarto da minha irmã pra transar com ela.

Um dia a gente estava tomando banho, falei: _Deixa eu comer seu cuzinho. Um tempinho depois a minha irmã terminou o banho em silêncio, pegou sua toalha e saiu do banheiro, aí eu terminei o banho e fui atrás dela no seu quarto, entrei também e tirei minha toalha, nisso ela olhou para meu pau que estava duro igual uma pedra. Aí eu fui até minha irmã e fiquei parado na frente dela que não tirava seus olhos do meu pau, em seguida eu virei ela de costas, sem falar nada e coloquei as mãos dela na cabeceira da sua cama e comecei a esfregar meu pau em seu cuzinho.

Um tempo depois meti o meu pau no meio das suas coxas e fiquei meio que simulando uma foda, esfregando e ela gemia bem baixinho. Aí eu apontei meu pau pra entradinha da sua bundinha e enfiei devagar, nisso ela deu um gritinho e me xingou de filho da puta, em seguida ela falou – Tá doendo não quero mais… Assim dói!. Eu – Relaxa, que vai fica bom… (fiquei com dó dela mais eu estava com muito tesão) E fui empurrando e entrou a cabeça parei e deixei ela parar de reclamar.

Aí eu iniciei um vai-e-vem devagarinho, ao mesmo tempo eu fiquei massageando suas nádegas e chamando ela de gostosa, fiquei falando que a bunda dela era apertadinha, bem quentinha e gostosa demais. Em pouco tempo senti que estava muito perto de gozar, então empurrei todo meu pau e gozei dentro dela, depois eu deitei do lado dela, ali ficamos até pegar no sono pelados.

Teve um dia em que eu ela quase transamos na presença da nossa mãe a gente estava deitados no sofá, meio de conchinha. Aí a minha irmã começou a rebolar do nada, eu logo fiquei de pau duro, olhei rapidinho pra nossa mãe que estava no outro sofá, completamente distraída com a novela. Eu então e comecei a esfregar o meu pau na bunda da minha irmã, ainda por cima das roupas, em seguida eu tirei ele pra fora, meti ele no meio das coxas dela e fiquei metendo por uns minutos.

Um tempo depois a minha irmã olhou pra trás, e aí disse _Me come, em seguida ela desceu sua calcinha e guiou o meu pau até a sua bunda. Eu nem pensei, apenas enfiei de uma só vez, mas nesse exato momento ouvimos a nossa tia chamando o nome da nossa mãe que levantou e abriu a porta, nisso eu tirei meu pau e guardei ela subi a calcinha e sentou. Aí minha tia entrou e sentou-se junto com a minha mãe e elas começaram a conversar, enquanto isso eu via minha irmã olhar furiosa pra nossa tia, porque ela estragou nossa foda.

Aí o tempo foi passando, o sexo entre eu e ela foi ficando cada dia melhor (a gente transava todo os dias, várias vezes por dia), no quintal, na cama da minha mãe, na varanda da frente da nossa casa atrás da murinho com as pessoas passando na rua

Hoje passado mais de 40 anos ainda tenho vontade nela mas casamos e seguimos nossas vidas e nunca tocamos no assunto.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,54 de 13 votos)

Por # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

3 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Paranaense123 ID:g3jumjfij

    Alguém compartilha desse gosto peculiar mas assim sem violência

    • Di Camargo ID:8cipe1boic

      Eu já tive experiência quando adolescente
      Muito bom esse conto.

  • Responder Paranaense123 ID:g3jumjfij

    Excelente relato tive experiência ótimas na vida mas foram enteada