# # #

Sábado de putaria no clube… Mais um pai com filhinho

5140 palavras | 17 |4.70
Por

Convertemos mais um pai adorador de novinhos…

Na sexta-feira, saí do trabalho mais cedo, como é toda sexta-feira com a carga horária reduzida, e fui tomar umas cervejas com o pessoal. Batemos um papo, conversa vai e vem, comemos, bebemos, por volta das 20 horas fui pra casa. Tomei um banho e deitei no sofá pra assistir uma série. Abri mais uma cerveja e fiquei tomando sozinho. Me deu um tesão danado e tentei ligar pra algumas mulheres que eu comia, mas algumas já tinham compromisso e outras nem consegui falar. Pensei em Daniel, mas não podia ligar àquela hora pra chamar ele. Lembrei que Renanzinho estava na casa do pai, e liguei pra Cleitinho.

Cleiton: “Fala aí, mano!”

Eu: “E aí, Cleitinho…Tá por onde?”

Cleiton: “To em casa. O que manda?”

Eu: “Tá de boa? Quer vir com Renanzinho pra cá e beber alguma coisa?”

Cleiton: “Pow manos, seria uma boa, mas Renanzinho já dormiu. Dormiu cedo hoje. O dia foi cansativo pra ele. HAHAHA”

Eu: “Puta que pariu. To num tesão da porra, doido pra foder. Já liguei pra umas minas aí, mas tudo de caô. O pau chega tá doendo. HAHAHA”

Cleiton: “Se ele tivesse acordado, era seu. Mas amanhã a gente se encontra e você mata essa vontade.”

Eu: “Falando em amanhã, tá de pé o clube se tiver sol?”

Cleiton: “Já é! A gente se fala de manhã e acerta tudo direito.”

Desligamos o telefone e fui procurar um pornô pra assistir, quando meu celular apita uma mensagem e era de Cleitinho.

“Não tem ao vivo, mas te ajuda a dar uma aliviada aí, mano.”

Seguido de três vídeos, um com Renanzinho brincando pelado no chão da sala, e seu cuzinho todo vermelho e melado, e os outros com ele chupando e dando pro pai. Já assisti com o pau na mão batendo uma punheta.

“Caralhooo, assim é covardia. Vou aí acordar ele e trazer pra dormir comigo. HAHAHA.”

Gozei gostoso vendo os vídeos de Renanzinho dando pro pai. O tesão tava foda, custei a dormir. Naquela noite foram mais duas punhetas pras relaxar legal.

No sábado acordei pouco mais de 9 da manhã. Já tinha uma mensagem de Cleitinho no telefone perguntando do clube, respondi, marcamos direitinho e antes do almoço ele estava passando lá em casa pra me buscar. Como é caminho pro clube, era mais fácil. Renanzinho já estava de sunga no carro, quando entrei ele veio correndo me abraçando, pulando pro banco da frente no meu colo.

Eu: “É moleque, quer deixar o tio de pau duro?”

Renanzinho riu e voltou pro banco de trás. Chegamos no clube, não estava lotado, mas tinha mais gente do que na semana anterior. Fomos pra uma mesa, pedimos uma cerveja, refrigerante pra Renanzinho, pedimos alguma coisa pra ele comer também. Já tinha um tempinho que estávamos ali, um bate papo, Renanzinho brincando na piscina, quando vejo Ricardo e filho Pedrinho chegando. Pedrinho, o moleque que eu tinha colocado pra mamar na sauna, no final de semana anterior. Falei rapidamente com Cleitinho quem era. Eles vieram andando, quando Ricardo me viu e parou pra cumprimentar.

Ricardo: “Opa, Arthur! Beleza?”

Eu: “Fala aí Ricardo, tudo tranquilo, e tu? Esse daqui é um amigo, Cleiton.”

Eles se cumprimentaram.

Eu: “E aí Pedrinho, como vai, carinha?”

Pedro: “Oi, tio Arthur, to bem!”

Pedrinho veio até mim, me deu um abraço e nisso Renanzinho já estava saindo da água e vindo até a mesa. Quando ele chegou, apresentei os dois. Falei com Ricardo pra sentar com a gente, ele aceitou, os meninos já foram correndo pra água brincar. Perguntei pelo irmão de Ricardo, e ele disse que estava trabalhando, que aquele final de semana ele estava de plantão. Ficamos batendo um papo, os meninos almoçaram, nós pedimos um tira gosto. O clube foi ficando vazio na parte da tarde, depois das 15 horas.

Eu: “Vou dar um pulo pra ver se a sauna tá ligada.”

Ricardo: “Opa, vou junto que aproveito pra ir no banheiro.”

Fui até a sauna e Ricardo foi em direção ao mictório, vi que estava ligada e voltei pra avisar que ia fazer. Aproveitei e parei ao lado de Renato e fui mijar também.

Eu: “Dá uma mijada aqui antes da sauna.”

Ricardo: “Acho que vou fazer uma sauna também.”

Fomos até a mesa onde estávamos sentados, falei com Cleitinho e ele preferiu não fazer naquela hora, ia ficar vigiando os garotos. Ricardo chamou Pedrinho e disse que ia na sauna comigo, e era pra ele ficar brincando com Renanzinho e Cleitinho ia ficar vigiando.

Chegamos na sauna, estava vazia, sentamos.

Eu: “Pow, sauna é bom fazer pelado, mas é bom quando o clube tá mais vazio que não corre o risco de ninguém entrar e fico mais relaxado. HAHAHA”

Ricardo: “Mais tarde esse clube vai tá vazio.”

Eu: “Então mais tarde volto e vou fazer de novo. HAHAHA”

Rimos e Ricardo já emendou o assunto…

Ricardo: “Pow Arthur, aquele dia que tu teve aqui, que conversamos da curiosidade do moleque, tá lembrado?”

Eu: “Curiosidade? Ah sim, to ligado! E aí?” – Fingi esquecimento.

Ricardo: “Quando chegamos em casa, a mulher já tava pra igreja. Coloquei ele no banho e entrei junto, a gente sempre faz isso, mas ele ficava me olhando com uma carinha diferente.”

Eu: “Diferente como?”

Ricardo: “Parecia que tava gostando do que estava vendo. RS”

Eu: “Pow, Ricardo, isso é normal! Ele tá na idade de descoberta do corpo, acontece com todo menino.”

Ricardo: “Só que teve uma hora que ele pediu pra pegar no meu pau de novo.”

Eu: “E você?”

Aquela conversa já estava me deixando de pau duro, ainda bem que não tinha tirado a sunga pra fazer a sauna, pelo menos com o vapor, dava pra disfarçar.

Ricardo: “Fiquei pensando no que você me disse, que eu deveria tirar as curiosidades dele, acabei deixando ele passar a mão. Mas foi uma coisa rápida, fiquei com remorso de deixar meu filho tocar no meu corpo assim.”

Eu: “Normal, mas ele fez mais alguma coisa?”

Ricardo: “Agora só quer tomar banho comigo, fica fazendo pirraça com a mãe falando que vai me esperar chegar do trabalho. To realmente preocupado de ter deixado meu filho pegar no meu pau durante o banho.”

Eu: “É como te falei, ele é seu filho e tem curiosidade, o ideal é você mesmo tirar as dúvidas dele, você é pai e sabe como fazer pra não machucar o moleque. Mas como você se sentiu deixando ele pegar em você?”

Ricardo: “Foi meio estranho, cara…Ao mesmo tempo que era meu filho, um menino de 7 anos, também era uma mão fazendo carinho, o pau quis dar sinal de vida. Logo repreendi esse sentimento e cortei.”

Eu: “Te entendo! Olha, eu não tenho filho pra te aconselhar da melhor maneira, mas se eu tivesse, seria uma coisa normal pra mim. Se ele tem curiosidade, não teria problema nenhum resolver, responder as perguntas, deixar pegar. Mas podemos fazer o seguinte, se você quiser, podemos conversar com Cleitinho, o filho dele também tem essa idade e as vezes ele pode te ajudar com algum conselho, cara. O que tu acha?”

Ricardo: “Sei lá, fico bolado em falar esse assunto com alguém, só falei contigo porque trocamos aquela ideia no outro dia.”

Eu: “Pode ficar tranquilo, ele é de boa e vai poder te aconselhar direito.”

Ricardo concordou e ficamos mais uns minutos na sauna, troquei de assunto porque precisava amolecer o pau, aquela conversa me deixou maluco. Eu sabia que Pedrinho queria chupar o pai, eu tinha despertado aquele desejo no moleque. Era só questão de tempo.

Voltamos pra mesa, Cleitinho estava sentado mexendo no celular.

Cleiton: “Já?”

Eu: “Foi rápido, mais tarde eu faço com calma.”

Nisso, Pedrinho chamou o pai na beira da piscina e aproveitei pra falar com Cleitinho sobre o que rolou na sauna, ele deu uma risada.

Eu: “Agora é contigo…pensa que é mais um cuzinho pra foder e mais uma boquinha pra dar mamadeira. KKK”

Cleiton: “Deixa comigo!”

Ricardo voltou para a mesa, ficamos conversando, bebendo, comemos mais alguns tira gostos. Já eram quase 17h, o clube estava praticamente vazio, muita gente já tinha ido embora, e via algumas pessoas arrumando pra ir embora também. Percebi que Ricardo já estava um pouco alterado por conta da cerveja. Acho que ele era fraco pra beber no nosso ritmo. Então resolvi arriscar.

Eu: “Aproveitar que o clube tá vazio, vou fazer uma sauna com calma e relaxar.

Cleiton: “Agora eu vou também.”

Eu: “Bora, Ricardo?”

Ricardo: “E os meninos?”

Eu: “Leva eles, se eles não quiserem ficar na sauna, podem ficar brincando lá dentro.”

Ricardo: “Beleza, vamos então!”

Chamamos os meninos e fomos. Entramos todos na sauna, de início os meninos entraram, mas não ficaram, pediram pra brincar na parte de fora onde tinham os chuveiros e armários. Então ficamos só nós, os adultos, na sauna.

Eu: “Agora sim tá bom pra fazer sauna daquele jeito. HAHAHA”

Eles riram, e se sentaram, sentei na parte onde os degraus se juntam, fazendo a quina, Ricardo do meu lado direito e Cleitinho do lado esquerdo. Resolvi não perder tempo, já fui logo falando, aquela era a oportunidade perfeita.

Eu: “Cleitinho, Ricardo tá com uma parada pra te perguntar, ele veio conversar comigo, mas eu não sou a melhor pessoa pra aconselhar. Eu não tenho filho, aí falei pra ele conversar contigo.”

Cleiton: “Fala aí Ricardo, o que manda?”

Ricardo: “É complicado, eu fico sem jeito, mas vamos lá… Meu filho, Pedrinho, tá com umas atitudes estranhas. Ultimamente, ele só quer tomar banho comigo, fica pedindo pra pegar no meu pau, quando vou mijar, ele fica na porta olhando com cara de admiração, não sei o que tá acontecendo.”

Cleiton: “Entendi! Olha, mano, eu acho isso normal, todo moleque nessa idade tem a curiosidade.”

Eu: “Eu falei isso pra ele.”

Cleiton: “O que eu acho é que você tem que ajudar ele. Aconteceu a mesma coisa comigo.”

Ricardo: “Eu fico bolado em agir assim.”

Cleition: “No início é assim mesmo, você fica sem graça, tenta reprimir pra não falar demais, mas depois você acostuma, e vai ver que é só uma fase de curiosidade.”

Ricardo: “Mas o que você fez pra tirar as dúvidas dele?”

Cleiton: “Olha só, teve uma vez que estávamos tomando banho e do nada ele pegou no meu pau, levei um susto de início, mas agi naturalmente pra não assustar, meu pau quis dar sinal de vida, porque por mais que seja seu filho, um menino novinho, é uma mão pegando e é super normal ficar assim.”

Ricardo: “E o que você fez?”

Cleiton: “Deixei rolar, mas ele tirou a mão e saímos do banho. Quando estávamos deitados pra dormir, ele me perguntou porque meu pau tinha ficado daquele jeito na hora do banho, e eu expliquei que a gente sente isso quando alguém coloca a mão, que é normal. Ele pediu pra colocar a mão de novo e eu deixei. E dessa vez ficou duro de vez na mãozinha dele. Mano, o que meu filho quiser saber ou sentir do meu corpo eu deixo. Antes aprender comigo do que na rua com alguém que não vai ensinar direito nem com carinho.”

Naquela hora eu já tava com o pau pulsando na sunga.

Ricardo: “E pra ele é normal? Como ele age?”

Cleiton: “Eu expliquei pra ele que algumas pessoas podem não entender, que ele não pode falar ou fazer isso perto de qualquer um. Ele mora com a mãe, mas nos finais de semana fica comigo, e quando tá comigo, deixo ele andar sem roupa em casa, eu também fico pelado, não tenho problemas em ajudar e ensinar meu filho. As vezes estamos assistindo televisão e ele deita com a cabeça no meu colo, fica com o rosto perto do meu pau.”

Nessa hora eu senti que Ricardo deu uma ajeitada no pau pela sunga. Pronto, era só falar mais alguma coisa que ele ia aceitar.

Ricardo: “Mas fica só nisso?”

Cleiton: “Ele já pediu pra dar beijo igual nos filmes. Já pediu pra eu fazer carinho na bundinha dele, dar beijinho. Já pediu pra colocar meu pau na boca, porque ele tinha visto na internet. Como eu disse, o que meu filho quiser saber ou sentir do meu corpo, eu deixo.”

Eu precisava agir, aquele era o momento…

Eu: “Bom, deixa eu jogar uma água no meu corpo pra aguentar mais tempo essa sauna, já volto.”

Saí e Ricardo ficou fazendo mais perguntas pra Cleitinho. Os meninos estavam brincando quando cheguei no chuveiro. Renanzinho veio correndo e disse que queria mijar, falei pra ele ir no último chuveiro, mesmo. E chamei Pedrinho pra perto, me abaixei pra conversar com ele.

Eu: “Pedrinho, você contou da nossa brincadeira aquele dia pra alguém?”

Pedro: “Não, tio.”

Eu: “Você ainda quer brincar com seu pai?”

Pedro: “Quero!”

Eu: “Então o tio vai te ajudar, mas você não pode falar que fui eu que te ajudei nem ensinei. Combinado?”

Pedro: “Combinado!”

Renanzinho voltou e eu fui pro chuveiro. Quando sai chamei ele pra falar.

Eu: “Renanzinho, vem cá!” – Ele chegou e eu abaixei pra falar com ele também. – “Daqui a pouco você entra na sauna e pede pra dar um beijo no seu pai, e faz carinho no pau dele.”

Renan: “Tá bom, tio! Mas e o pai do Pedrinho? Ele vai ver.”

Eu: “Não tem problema, ele não vai contar pra ninguém. Beleza?”

Renan: “Beleza!”

Voltei para a sauna e disse que tinha encontrado com os meninos brincando. Eles ainda estavam conversando.

Eu: “Olha, se vocês não se importam, eu vou tirar a sunga pra relaxar mais na sauna.”

Já fui logo tirando, com a água fria do chuveiro, meu pau estava meia bomba. Sentei novamente no lugar onde estava antes. Eles ainda estavam conversando.

Ricardo: “Se a mãe dele souber que ele tem essas curiosidades, ela vai ficar muito brava.”

Cleiton: “Mas você tem que falar com ele, da mesma forma que eu fale com o meu, que é uma coisa nossa, que ele só pode perguntar pra mim, não pode fazer com outra pessoa. Só se eu deixar.”

Eles conversando e eu sentado pelado entre eles. Nesse momento Renanzinho entra na sauna, acompanhado de Pedrinho e vai em direção ao pai, dando um abraço.

Cleiton: “O que foi, filho?”

Renan: “Pai, posso te dar um beijo?”

Cleiton: “Claro, filho!”

Renanzinho foi em direção da boca do pai e Cleitinho inclinou o corpo de encontro ao filho, dando um selinho nele.

Renan: “Não pai, não quero assim, quero do outro jeito.”

Então Cleitinho deu um beijo de verdade no filho. Quando olhei pro lado, Ricardo estava olhando como se não acreditasse no que estava vendo. Renanzinho parou o beijo e segurou no pau do pai, por cima da sunga, e ficou apertando.

Cleiton: “O que você quer?”

Renan: “Brincar.” – E apontou pra sunga do pai.

Cleiton: “Pode brincar, filho.” – Disse fazendo carinho no rosto do filho

Renanzinho tirou o pau do pai pra fora da sunga e ficou fazendo carinho. Eu já estava de pau duro olhando a cena e Ricardo parecia assustado, mas nesse momento vi que ele passou a mão o pau, sobre a sunga e apertou. Pedrinho ainda estava de pé perto da porta, olhando tudo.

Eu: “Pedrinho, senta aqui perto do seu pai, carinha.”

Ele veio e sentou entre o pai e eu. E foi justamente quando Renanzinho, levou a boquinha até o pau do pai e deu um beijinho. Logo em seguida colocou a cabecinha na boca

Ricardo: “Eita, porra!”

Eu: “Pois é, qualquer um ia ficar de pica dura vendo essa cena.”

Segurei meu pau e dei uma balançada. Pedrinho olhava pra mim e pro seu amiguinho.

Eu: “Já tinha visto um adulto de pinto duro, Pedrinho.”

Pedro: “Não!” – Falou sem tirar os olhos do meu pau.

Eu: “Nem seu pai?”

Pedro: “Não!”

Eu: “E você quer ver?” – Pedrinho apenas balançou a cabeça afirmando. – “Então pede pra ele te mostrar.”

Pedro: “Posso ver, pai?”

Ricardo, ficou me olhando, parecia que estava sem acreditar no que tinha escutado.

Cleiton: “No início é assim, mano, só relaxar e não pensar.”

Ricardo levantou um pouco o quadril e abaixou a sunga, expondo seu pau duro. Não era grande, parecia mais uma linguiça de churrasco, um pouco maior, mas bem grosso. Pedrinho levou a mão e segurou. Ficou fazendo carinho e movimentos leves. Eu comecei uma punheta bem de leve, olhando Renanzinho brincando com o pau do pai. Ricardo também ficava alternando os olhares para Renanzinho e para a mão do seu filho fazendo carinho no seu pau.

Cleiton: “Quer brincar com o tio Arthur, filho?”

Renan: “Quero!”

Cleiton: “Então vai lá.”

Renanzinho veio engatinhando até ficar entre minhas pernas. Eu tirei a mão do meu pau e deixei à disposição dele, que já foi pegando e levando até a boquinha, me arrancando um gemido abafado.

Eu: “É uma delícia, você devia experimentar.” – Disse olhando pra Ricardo.

Cleiton: “Aproveita, mano!”

Ricardo: “Quer colocar na boca, filho?”

Pedrinho inclinou o corpo e levou a boca até o pau do pai. Quando encostou, Ricardo fechou os olhos e fez um barulho de prazer, jogando a cabeça pra trás. Esperei um pouco pra ver a reação dele.

Eu: “E aí, o que achou?”

Ricardo: “Puta que pariu, que sensação gostosa.”

Cleitinho e eu rimos, e eu já pensei que esse seria como eu, agora que provou, não ia querer outra coisa.

Ficamos nessa alguns minutos, Renanzinho alternando entre o pau do pai e o meu, enquanto Pedrinho se concentrava no pau do seu pai.

Cleiton: “Filho, quer brincar com o tio Ricardo também?”

Renanzinho olhou pra ele e deu um sorriso falando que sim, Cleitinho falou pra ele ir. Quando chegou perto, Pedrinho chegou pro lado e Renanzinho já segurou enfiando o pau na boca. Agora Ricardo ia ver o que era a chupada de um moleque novinho e experiente no que estava fazendo.

Eu: “Pedrinho, quer brincar comigo e com tio Cleiton?”

Pedro: “Quero!”

Eu: “Então pergunta seu pai se pode.”

Pedro: “Posso, pai?”

Ricardo: “Pode!” – Disse gemendo e se deliciando com a chupada de Renanzinho.

Novamente ficamos nessa mais um tempo. Aproveitando e gemendo com as chupadas que estávamos ganhando. Pedrinho tinha se revelado uma verdadeira putinha.

Renanzinho já estava chupando seu pai novamente, e Pedrinho estava dividido entre meu pau e o do seu pai.

Cleiton: “Quer sentar no colo do pai, filho?”

Renan: “Quero!”

Cleiton: “Então vem cá!

Cleiton, sentado, colocou o filho de pé, com uma perna de cada lado do seu corpo, em cima do degrau e ficou no meio… a bundinha do moleque ficou na reta da sua cara, tirou a sunga do garoto e meteu a língua. Passava o dedo, enfiando e abrindo caminho. Segurou o filho pela cintura e foi descendo a bundinha até encostar na cabeça do pau. Foi entrando com mais dificuldade, pois estava sem lubrificante, mas isso não impedia de empurrar a pica no cú do moleque. Quando Ricardo viu a cena, não acreditou.

Ricardo: “Caralho, o moleque aguenta?”

Eu: “Tu ainda não viu nada!”

Quando Cleitinho colocou até o talo, começou a subir e descer o filho na sua pica. Renanzinho de olhinho fechado, gemendo e totalmente entregue. Pedrinho estava me chupando, peguei ele no colo e coloquei de quatro no degrau onde eu estava sentado, com a bundinha virada pro seu pai, e ele continuava me chupando. Desci a sunga dele.

Eu: “Aí, cara, já sentiu o gosto de um cuzinho novinho e virgem?” – Ricardo olhando pro cuzinho do filho piscando na sua frente. – “Mete a boca aí.”

Ricardo abaixou e sentiu o cheiro de cuzinho virgem que exalava no ar, passou a pontinha da língua e automaticamente Pedrinho piscou o cuzinho e deu uma gemida abafada pelo meu pau na sua boca. Eu segurei a bundinha dele, abri pra facilitar pra Ricardo. O cara parecia que tinha liberado uma fera, chupava o cú do moleque com tanta vontade, parecia que ia arrancar com os dentes. Eu comecei a dar uns tapas de leve. Cleitinho já tinha coloca Renanzinho de quatro no degrau da sauna e estava socando com vontade.

Ricardo levantou o corpo e passou o pau no cuzinho de Pedrinho.

Ricardo: “Será que aguenta?”

Eu: “Não sei, tem que tentar pra ver, e nada mais justo do que você ser o primeiro, já que tu é o pai, tem todo o direito de tirar o cabacinho.”

Ricardo apontou a cabecinha na entrada e tentou, o moleque retraiu o corpo pra frente e reclamou de dor.

Pedro: “Ai, ai, ai…” – Disse choramingando.

Ricardo: “Ele não vai aguentar.”

Eu: “Primeira vez é assim mesmo, tem que ter calma.”

Acho que Ricardo ficou com medo de machucar o garoto e desistiu de tentar, se abaixou e volto a chupar o cuzinho dele. Cleitinho desengatou o pau do cú do filho, chegou perto do ouvido dele e disse pra Renanzinho pedir pra sentar no pau no tio Ricardo. Prontamente ele foi. Chegou perto e chamou por Ricardo.

Renan: “Tio?” – Ricardo levantou olhando pra ele. – “Posso sentar?”

Ricardo olhou pra Cleitinho que fez sinal de sim com a cabeça. Ricardo ajeitou o corpo e Renanzinho ficou de costa pra ele, abrindo a bundinha. Quando Ricardo o colocou a cabecinha do pau no cuzinho de Renan, entrou com facilidade, ele já estava com o cu aberto pelo pai. Entrou tudo sem reclamar. A expressão na cara de Ricardo era de puro prazer.

Eu: “Pode foder sem medo, ele aguenta e gosta.”

Ricardo começou a subir e descer Renanzinho no seu colo. Pedrinho entre minhas pernas me chupando. Cleitinho foi em direção ao filho e colocou o pau em sua boca. Era uma visão deliciosa, três homens grandes com dois molequinhos de 7 anos nos servindo. Enquanto Ricardo e Cleitinho fodiam o cuzinho e a boca de Renanzinho, peguei Pedrinho, coloquei no meu colo, sentado com o cuzinho apoiado na minha pica e dei um beijo de língua nele. Ele não sabia beijar, mas isso era o de menos.

Eu: “Pedrinho, você é um menino lindo e seu pai tem muita sorte de ter alguém como você morando com ele.”

Pedrinho deu um sorriso de canto de boca, como se estivesse sem graça, puxei novamente para beijar, coloquei as mãos na sua bundinha, que estava empinada no meu colo e fiquei passando o dedo no cuzinho dele. Passei salina e tentava enfiar a ponta do dedo, ele sempre retraia o corpinho. Com calma e muito esforço, consegui colocar menos da metade do dedo. Enquanto isso Renanzinho estava sendo destruído pelos dois. Ele gemia de tesão.

Cleiton: “Tá gostando de sentar no pau do tio Ricardo, né?”

Renan: “Aham” – Disse entre gemidos.

Cleiton: “Sua putinha, safada!” – E deu um tapa de leva no rosto dele. – “Vem, mama gostoso!”

Empurrou o pau até a garganta de Renanzinho, fazendo ele engasgar. Tirou e fez de novo.

Ricardo: “Tu vai matar o moleque engasgado. HAHAHA”

Cleiton: “Que nada, se não fizer assim ele reclama.”

Eu: “E aí, Ricardo, o que tá achando desse cuzinho.”

Ricardo: “Caralho, é uma delícia.”

Eu: “Coloca ele de quatro que você vai ver como ele aguenta socada forte.”

Cleitinho tirou o pau da boca do filho e chegou pra trás, dando espaço. Ricardo entendeu e segurou o moleque no colo já colocando ele de quatro no degrau. Começou a socar com tanta força, que o corpinho de Renan sacudia pra frente e pra trás, fazendo o garoto gemer bastante.

Cleiton: “Aguenta, filho, tio Ricardo já fazendo do jeito que você gosta.

Eu estava fudendo o cuzinho de Pedrinho com a ponta do dedo, alternava com a cabeça do meu pau esfregando na entrada do seu cuzinho. Cleitinho sentou no degrau acima, batendo uma punheta e ficou observando seu filho ser fodido.

Depois de um tempo, Ricardo saiu de trás de Renanzinho dizendo que se ficasse ali ia acabar gozando. Cleitinho desceu e já foi engatando o pau. Segurou com uma mão na cintura e a outra no cabelo do filho, e socou com força.

Ricardo: “Porra, ele aguenta com força mesmo.”

Eu: “E aqui, será que já aguenta?”

Quando Ricardo olhou, eu estava com a ponta do dedo enfiada no cu de Pedrinho, e ele deitado no a cabeça apoiada no meu peito. Tirei o dedo e segurei com uma mão em cada banda, abrindo bem. Ricardo veio direto e colocou a cabeça da pica na portinha do cuzinho de seu filho. Forçou a entrada e Pedrinho começou a reclamar.

Eu: “Shiiii, calma, calma! Seu pai tá brincando com você.”

Pedro: “Tá doendo!”

Eu: “É só no começo, depois passa.”

Ricardo: “Eu vou machucar ele, entrou a pontinha do pau e ele não tá aguentando.”

Eu: “Vai machucar não, ele aguenta, pode enfiar.”

Ricardo tentou empurrar mais um pouco, mas o filho fez som de que ia chorar.

Eu: “Calma, Pedrinho! Você não quer brincar com seu pai?”

Pedro: “Quero, mas tá doendo.”

Ricardo: “Vou tentar mais não.”

Eu: “Vai lá, chupa o pau do seu pai.”

Pedrinho desceu do meu colo e já caiu de boca no pau do pai, arrancando gemidos de prazer. Eu me levantei e fui pra perto de Cleitinho com o filho.

Eu: “Pode meter um pouco? Matar a vontade que eu tava ontem. HAHAHA”

Cleiton: “Chega aí, mano. Não precisa nem pedir.”

Saiu de trás do filho e eu já empurrei até o talo.

Eu: “Esse cuzinho me deixa maluco.”

Renanzinho deu um sorriso com uma carinha de safado. Cleitinho sentou no degrau em frente ao filho e colocou o pau pra ele chupar. Ricardo gemendo com o pau na boca no filho, também.

Ricardo: “Chupa o pai gostoso, vai! Boquinha gostosa!”

Ficamos assim por um tempo…

Eu: “Tio pode jogar leitinho dentro desse cuzinho?” – Renan apenas balançou a cabeça, com o pau do pai na boca.

Cleiton: “Vai, goza no cuzinho dele que eu dar leite na boca, pra essa putinha tomar.”

Acelerei as socadas e jorrei muita porra dentro daquele cuzinho.

Eu: “AAAAAAAAAA CARALHO! Cuzinho tá cheio de leite do tio!”

Cleiton: “Agora o pai vai te dar leite na boquinha pra você tomar.”

Fiquei com o pau no cu de Renanzinho e Cleitinho acelerou as socadas na boca do filho. Ricardo olhava espantado e com tesão, como um menino de 7 anos conseguia aguentar rola daquele jeito. E gostava. Ele segurava a cabeça de Pedrinho e fodia a boca do filho.

Cleiton: “Não tira a boca! AAAAAAAAAAAA toma o leitinho do pai, toma!”

Renanzinho tirou o pau da boca do pai e engoliu a porra toda, sem desperdiçar nada. Ricardo olhava sem acreditar que o moleque tinha engolido a porra toda que seu pai tinha jorrado na boquinha dele.

Eu: “Pedrinho vai tomar o leitinho do papai?”

Ricardo: “Será que ele consegue?”

Eu: “Só tentando pra saber.”

Sai de trás de Renanzinho e fui em direção aos dois novatos. Me abaixei por detrás de Pedrinho, encostei meu pau na bundinha dele e fiquei fazendo carinho.

Ricardo: “Vou gozar!”

Eu: “Goza na boquinha dele!” – Segurando a cabeça do moleque pra ele não tirar. – “Pedrinho, não tira a boquinha daí, aguenta firme.”

Ricardo: “To gozando! AAAAAAAAAA QUE DELÍCIA!”

Pedrinho quis tirar a boca, mas eu não deixei. Quando seu pai parou de gemer e relaxou o corpo, tirei minha mão da cabeça de Pedrinho e disse pra ele não cuspir, puxei a cabeça dele devagar pra cima, puxando pelo cabelo, fazendo ele olhar pro pai. A boquinha dele estava um pouco aberta e cheia de porra. Ricardo fez um carinho no rosto do filho…

Eu: “Pedrinho, tenta engolir, seu pai vai ficar muito feliz de ver você tomando todo o leitinho dele.”

Pedrinho tentou engolir, mas deu vômito. Falei pra ele acalmar e tentar de novo de uma vez só. Ele tentou e conseguiu. Quando abriu a boca e mostrou que tinha engolido, Ricardo deu um gemido e abraçou o filho.

Eu: “Isso aí, rapazinho! Sabia que você ia conseguir, você é um menino muito esperto.”

Me levantei e sentei ao lado de Ricardo. Cleitinho estava sentado no degrau com Renanzinho deitado em seu colo.

Cleiton: “Filho, chama o Pedrinho e vão tomar um banho.”

Eles vestiram as sungas e foram pro chuveiro.

Eu: “E aí, Ricardo, como tá se sentindo?”

Ricardo: “Que experiência maluca e gostosa. RS”

Eu: “O que achou de foder um cuzinho de 7 anos?”

Ricardo: “Cara, que cuzinho gostoso esse moleque tem. Quem ensinou ele a fazer isso tudo?”

Cleiton: “Ué, ele quis aprender, eu, como pai, tive que ensinar. HAHAHA”

Ricardo: “E ensinou direitinho.” – Ficou um pouco pensativo e depois falou. – “E agora, como vai ser essa situação minha com meu filho?”

Cleiton: “Agora você age naturalmente, se ele quiser saber de mais alguma coisa vai te procurar, aí você tira as dúvidas dele. Fala, mostra, faz … o que quer que seja.”

Ficamos conversando mais um pouco, Ricardo fazendo algumas perguntas, elogiando Renanzinho. Saímos da sauna e os meninos ainda estavam brincando no chuveiro. Já estávamos pelados, e fomos tomar nosso banho. Os três rindo e relaxados com a gozada que cada um deu, os meninos estavam pelados também, era um clima de descontração.

Quando terminamos e saímos do vestiário, já tinha escurecido e não havia mais ninguém no clube. Trocamos telefone com Ricardo e ficamos de marcar um churrasco na minha casa. Se desse certo, seria no domingo mesmo.

Segui com Cleitinho e o filho pro carro, Ricardo foi com Pedrinho pro dele. Me deixaram em casa e seguiram para a casa deles.

Já cheguei tirando a roupa e lembrando da tarde gostosa, breve comeria o cuzinho de Pedrinho, era questão de tempo e de honra…

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,70 de 47 votos)

Por # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

17 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Anônimo_RS ID:muj13lxia

    Delicia de conto, continua 😈🔥

  • Responder Chama no tel Mil2mil2000 ID:ona2xs920j

    Conto muito bom.. vamos trocar ideia

  • Responder pppp ID:477hls5ozri

    chamem no telegram: @wngsks, bora bater um bater e fantasiar gostoso

  • Responder SimonSp5 ID:41fwbh6ia

    Caramba que conto maravilhoso. Se tiver algum papai ou mamãe precisando de ajuda. Vamos conversar rs. @ simonsp5

  • Responder asdf ID:7xbywvp49b

    Melhor escritor do site. rs…. Um conto melhor que o outro.
    Queria muito trocar uma ideia contigo, cara.

  • Responder Thi ID:gsudr849b

    Porra mano que top, não vejo a hora de ver o Pedrinho chorar na rola, se ele começar com muita frescura já sabe o que tem que fazer kkkkk

  • Responder Anônimo-SP ID:xlorikhm

    Delícia de sacanagem… Já quero conhecer esse clube…

  • Responder haus ID:2x0gwlybqrk

    mt foda! eu amo seus contos

  • Responder Luiz ID:dlns5khrd

    Eu tenho um filho de 8 anos não tenho tesão nele mas gostaria de vê um dotado comendo meu filhinho

    • Sérgio Sá ID:831hpceoib

      Eu torei as preguinhas de um de dez aninhos, com o pai assistindo td. Ele tinha um tesão danado na bundinha do garoto, mas não tinha coragem de torar as preguinhas dele, tinha medo, receio…sei lá. Mas depois de uns dois meses que eu estava comendo o pivete, ele passou a comer tbm, e quase perdi aquele cusinho gostoso. Foram dois anos divindo as deliciosas mamadas e o cusinho do menino, e rolou dele ser promovido no trabalho, mudou de lá, e nunca mais nos vimos. O garoto deve estar com uns 17a hj, e se continuou do jeito que estava qdo mudou de lá, deve estar agindo como uma “gazelinha” hj, pq na época já estava cheio de trejeitos, e gracinhas…mas gostava de uma rola hein. E como gostava, tanto que dormiu muitas vezes em minha casa, e dormia de conchinha com a rola enterrada no cusinho…

    • Anônimo-SP ID:xlorikhm

      Delícia… Fácil arrumar um pra brincar com seu menino… Se for de São Paulo dá um toque…rs

    • Safado2002 ID:gqbzyxvm2

      Deixa o ctt

    • Mano Pervo ID:8eezg08d9a

      Divide comigo
      Vamos ensinar teu mlk a ser macho de verdade, vamos gozar gostoso nele e ensinar ele a se aliviar
      Bora curtir a 3

  • Responder Seceol ID:40vom29koi9

    Tesao ! Se houver alguem com experiência real desse tipo querendo ouvidos para estimular ainda mais minhas taras pervertidas, vou adorar quem quiser compartilhar comigo…..Delícia!….meu telegram @Seceol

  • Responder Macho do john Deere ID:bf9e1q1hrd

    Continua

    • Macho,o John Deere ID:g3jjxse8l

      Né veado,em vez de ir atrás de mulher,parte é pra veadagem das mais descabidas,não é mesmo?Cuidado veado,não pense que a propagação da bactéria gay por você não será punida,estou nas ruas,comigo veadagem e veado acabam na coça!

  • Responder @dukc7duck ID:7r03o5or8j

    vamos conversar!!