# # #

Filho do Policial 7

3551 palavras | 7 |4.71
Por

Gilmar não tem mais como negar. Também conhecido por O Filhinho do Policial – Cap.7

As ** são interrupções camaradas, enquanto acontece uma coisa em um lugar, acontece outra em outro lugar e por isso as **

———

-Ou você fala onde está meu filho ou vou ter que quebrar muito essa sua carinha de noia desgraçado! – diz Gilmar, pai cheio de fúria tentando descobrir onde levaram seu filho.

**

Logo após receber o primeiro DVD Gilmar (pai) a qual tinha uma grande amizade com o investigador do sequestro, resolveu abafar os holofotes para que nada daquilo fosse noticiado tanto em jornais locais ou grande mídia, quanto do próprio quartel. Para o pai do moleque sequestrado, a honra da família era muito mais importante do que a própria segurança de seu filho, que é o que pode se constar até o momento. Fez com que sua filha Thaís e sua mulher Tamara não abrisse o bico para ninguém sobre o que está acontecendo, Thaís ficou numa ira só porém a contragosto acata as ordens de seu pai já sua mãe, está todo dia aos prantos e rezando para que seu único filho seja solto.

Gilmar (pai) enquanto o investigador – devia muitos favores para Gilmar (pai), esse foi um dos motivos pelos quais decidiu deixar tudo por debaixo dos panos, sem o conhecimento de ninguém – cuidava do caso às escondidas, buscava por respostas com seus próprios métodos das quais exerceu com mão pesada todos esses anos, isto é, quebrar nóias até tirar toda verdade deles, se acaso morressem com seus métodos nada ortodoxos de investigação, desovava em algum terreno baldio por aí.

Passou os dias dando batidas pelos nóias do bairro, espancado com todo gosto possível cada um que visse andando pelas ruas ou onde ele bem sabia que ficavam escondidos para usarem drogas. Teve joelhos quebrados, socos, pontapés, dedos quebrados, apagava os cigarros de maconha na pele dos nóias e tudo aquilo estava um inferno para eles, o policial fdp piorou 100% de antigamente e sempre interrogava cada um dos meliantes sobre onde levaram seu filho, tirava confissões até mesmo sem que as mesmas tivessem qualquer resquício de verdade, alguns indicavam quem poderia ter feito e etc.

O investigador entrevistou todas as pessoas com que Gilmar teve contato no dia além de sua família, professores, alunos, conhecidos, amigos e tudo mais. Inquiriu os vizinhos ao redor da escola onde o moleque estuda e ninguém viu nada – ou não queriam ter envolvimento com o caso. Soube do moleque que fazia bullying com Gilmar chamado Eduardo e o inquiriu profundamente, Eduardo nada sabia. Alan e William também nada sabiam. O nome do investigador – sim gosto de uma história detalhada meus camaradas – é Célio Almeida Dias, careca em torno de 50 e poucos anos, fumante inveterado, barriga levemente saliente, poucos pêlos, olhar frio e sorriso cínico, não é de todo honesto, sujo até o pescoço com várias acusações sobre si de negligência e corrupção, mas nunca conseguiram provar nada contra ele e como um bom concursado demissão está fora de cogitação. Separado, pai de duas filhas, hoje vive nos puteiros da cidade de São Paulo ora comendo mulheres, ora travestis.

Gilmar (pai) ficou meio a contragosto de confiar em Cláudio sobre o caso, mas era o único a qual poderia confiar o caso.

Cláudio quando assistiu ao DVD não aguentou e socava várias para o moleque sendo tratado daquele jeito pelos meliantes.

**

-Agora a gente vai fazer valer seu apelido vagabundo! – e continuava o pai irado -Advogado Xixi! hahaha que merda hein? Mas também um lixo feito você só poderia ser chamado assim mesmo!

Marcelo Emanuel da Silva, vulgo Advogado Xixi ganhou esse apelido graças ao defender uma vez um nóia de um dos enquadros brutais que Gilmar (pai) dava e levou um cacete tão grande de Gilmar, com aquele cacetete de madeira maciça, que se mijou todo e a partir daquele dia Marcelo não era mais Marcelo nem para os nóias, mas Advogado Xixi.

Gilmar levou o Advogado Xixi para uma construção abandonada e começou suas investigações batendo tanto no homem que chegou a quebrar os dentes dele e até hoje se acredita que ele ficou com demência graças a esse dia. Não conseguiu arrancar nada do pobre coitado, mas os nóias chefões já estavam furiosos com o PM FDP.

O segundo DVD foi entregue a família do moleque e dessa vez apenas Gilmar (pai) assistiu ao conteúdo e está mais furioso do que nunca! Agora ele vai revirar o mundo inteiro e ser mais cruel ainda para saber quem são os culpados por aquilo que está acontecendo ao seu filho!

E chega de crueldade meus camaradas, vamos voltar a história!

Gilmar (filho) acorda no outro dia próximo ao do capítulo anterior da história, ainda peladinho havia dormido repleto de porra e nem havia tomado banho antes. Deram-lhe um jarro de água, ele escovou seus dentes, na sala 3 dos meliantes fitavam-no jogando baralho, lava o rosto, arruma o cabelo despenteado e já sente o cheirinho do café da manhã invadindo o ambiente. Ia tomar café e impediram-no.

-Já sabe menininha, pra cumê tem que mamá primeiro!

E Gilmar novamente de joelhos, mama cada um dos 3 meliantes bem como punheta – 1, 3 e 5 – na sala que continuaram a jogar cartas.

-Tá pegando o jeito mmmm ein mmm putinha! – diz o Meliante 1

Ficaram um tempinho assim e logo gozaram no rostinho do moleque que olhava para os 3 com uma cara de donzela desamparada. Gilmar teve que tomar os mesmos comprimidos que tomava todos os dias e da qual nunca soube quais comprimidos eram. Tomou seu café numa esganação tremenda parecendo o único neanderthal do grupo que também comiam juntos a refeição matinal.

Assim que terminou o café da manhã o Meliante 5 apontou para a mesa e Gilmar pode ver o que era: Um vestidinho branco justíssimo, daqueles que marcam mesmo e também calcinhas micro daqueles que o rabo engole, meias finas brancas e também um kit de maquiagem: batom, esmalte vermelhos, rouge – esse conjunto de maquiagem Gilmar teve que aprender na marra a usá-los.

Ficou bem maquiada, olhou num espelhinho e fez o máximo para fazer uma boa maquiagem. Detestou o lápis de olho, deixou seus olhos vermelhos e logo vinha os outros apetrechos.

Gilmar olhou tudo aquilo com olhar de apreensão até que sentiu um tapa estalando em suas nádegas PLAHHH!

-Pode começá a pô as ropinhas aí menininha -Gilmar acatou após sentir o cano da calibre 12 próximo a sua cabeça que veio logo em seguida ao tapa que ele recebeu nas bandas de sua bunda.

-Pera lá, pera lá Mara – Gilmar olhou com cara de ódio para o meliante após ouvi-lo chamar por aquele nome – Deixa eu ligar a câmera aqui rapidão… assim, perai, ah! assim mesmo vambora! -ligou a câmera e filmava Gilmar que relutante já começava a pegar as calcinhas, o meliante gravava e amassava o cacete dentro das calças.

Coloca as diminutas calcinhas que lhe deram, sua bundinha fica mais gostosa ainda com as levantadinhas que ele dá nela – que vontade de morder aquela bundinha hmmm!

-Mais devagar princesa! – pontuou o Meliante 1 e o moleque com rubor nas bochechas e visivelmente desanimado.

O pacotinho dele fica bem robusto na parte da frente e logo com um desânimo terrível pega as meias finas.

-Agora senta! Isso, isso! Boa garota! – diz o Meliante 3

Sentado de pernas cruzadas tal como o mandaram, logo ele as move e delicadamente vai colocando as meias finas. Coloca o pé do qual começou a vestir a meia fina para cima, ele meio que arqueia o pezinho fazendo um semicírculo, notando o quão gracioso estava ficando, pegou-se admirado e logo seu pauzinho começava a reagir ficando duríssimo contemplando aquele pezinho de anjo Mexe os dedinhos e logo tratou de colocá-las até o fim, sua bundinha pulava e ela dava umas reboladinhas para elas chegarem até o fim no meio de sua barriguinha. Os meliantes já estavam de prontidão para atacar, todos com seus paus explodindo de tesão dentro de suas calças.

-Caralhoooo meooo! Que delícia do caraeee! Puta que pariu! – O Meliante 5 não se aguentou e se expressou de prontidão

-Meu Deus do céu! Se segura zé, ela ainda não terminou não hahaha – brincou o Meliante 1

Logo Gilmar pega o vestidinho branco apertadíssimo, coloca bem devagar tal como o mandaram. Era curtíssimo de fato, ele tentava abaixar, mas toda hora levantava deixando metade de sua linda bundinha à mostra. Logo em seguida ele pega as perucas de longas mechas escuras, tal como era os cabelos de sua irmã – o moleque estava ficando mais bela que Thais. Ajusta, Gilmar mesmo está morrendo de tesão e não queria demonstrar que estava, Mara louca para olhar em algum espelho, mas não havia nenhum. E por fim coloca um sapato feminino de salto alto, com uma naturalidade fora do normal ele consegue se manter em pé.

-Agora desfila mocinha! – Plahh um tapa na sua bundinha de moranguinho

Gilmar ao contrário de vários homens quando usam salto alto pela primeira vez é um completo desastre, dominou muito bem, com incrível naturalidade, deu umas leves desequilibradas, mas se manteve firme, sentia um calor, um tesão, sentia-se poderosa e ali na frente deles realmente já não era mais um moleque, mas sim uma garota completa, Mara estava linda! – não vamos chamar Gilmar de Gilmar mais, vocês estão de acordo leitores?

Os 3 só assistindo a cena maravilhosa na frente deles era impossível não olhar para o moleque e não ter uma ereção, qualquer hétero deixaria suas namoradas ou esposas por Mara, ela faz mais o estilo fofinha.

Agora eles podiam contemplar a total transformação de Gilmar para a Mara.

Sapatos de salto altos, meia fina, uma bela calcinha bem feminina, o volume do pauzinho se formou e marcou bem o vestidinho branco que acentuava a gostosura do corpo daquela garota! O rosto bem delicado, com um olhar meio inocente, meio que se perguntando o que iria acontecer depois, as mãozinhas estão bem afeminadas, aqueles cabelos escuros longos deixava Mara mais graciosa, o batonzinho vermelho hmmm nem se fala! Eles não poderiam se segurar muito mais! É nesse momento que nós gostaríamos de estar no lugar dos meliantes.

O Meliante 3 foi o primeiro a avançar, chegou por trás do moleque numa encoxada que fez Mara até ficar arrepiada, ela estava com as mãozinhas paradas, o Meliante 3 alisava sua bundinha e bolinava, Mara desmorona quando o Meliante 3 beija seu pescocinho que em seguida morde a pontinha de sua orelinha, diz ainda no ouvidinho de Mara:

-Você é uma delícia garota! Gostosa pra carae! – e o Meliante 3 logo pede um espelho grande que eles deixaram no lado de fora para os outros 2 que de imediato foram buscar, colocou na frente de Mara que recebia as carícias quentes do Meliante 3 -Olha, olha bem, olha como você é gostosa e maravilhosa! Você nasceu pra ser muié rapá! – Mara contempla toda sua beleza naquele espelho grande na sua frente, olhou-se dos pés à cabeça, uma estremecida percorreu seu corpo, ele estava admirado, sua boquinha estava um pouquinho aberta -Tá vendo? Até você mesmo tá babando por você olha hahaha

Gilmar não conseguia dizer palavra!

-Agora dexa eu vê essa piroquinha aqui – colocava a mão por baixo do vestidinho de Mara e ainda está por trás encoxando, Mara geme deliciosamente, mas tenta afastar a mão do meliante do seu pintinho -Hahaha você lutando desse jeito pra eu num pegá nessa piroquinha, tá é rebolano gostoso nu meu pau hahaha – o Meliante 3 sentia toda a abundância do moleque no seu pau que inclinado daquele jeito já revelou mais que a metade do seu rabinho.

As mãos do Meliante 3 eram fortes e as mãozinhas de Mara por mais esforço que fizesse não conseguia separar aquelas mãos ágeis e brutas que acabaram por revelar seu pauzinho duro de dentro das calcinhas para os outros dois meliantes verem que assistiam a tudo de boca aberta.

-M..me me deixa eu… paz… che . chega ahhh! – mordidinha de lábio e gemida, todos notaram

-Inclina vagaba! – Mara se inclinou -Rebola gostosooo! – Mara rebolou, o Meliante 3 coloca as calcinhas de Mara para o lado, cuspiu no cuzinho dela e logo foi entrando e enquanto o Meliante 3 comia o cuzinho dela também punhetava seu pauzinho, já não tinha nem como Mara resistir mais e sem que o Meliante 1 e 5 pedisse – foram nus para próximo do moleque – Gilmar caia de boca em um e punhetava o outro

-Hohoho! Agora ela se entregou de vez!

Mara viu a porta aberta e precisava se posicionar de uma maneira que conseguisse escapar. Atuou o máximo que conseguiu, seu plano teria que dar certo:

-Vamos em outra posição gatos! – Sem a parte da atuação, a voz de Mara estava ficando mais feminina de fato – o que será que estavam dando para ela? -, eles olharam perplexo para a gracinha que até outro dia se fazia de difícil e satisfeitos compraram as falas do moleque – Mara já estava conhecendo seu poder de sedução, no fundo ela ficou satisfeita em saber daquilo.

Indicou para o Meliante 3 se deitar no chão, esse felizardo da vida fez sem nem questionar, Mara montou nele, a pica entrava e saia daquele cuzinho gostoso, o Meliante 3 sentia um prazer imenso naquela delicia cavalgando no seu pau, Mara não fez pelo prazer não – me engana que eu gosto -, os outros dois meliantes estavam com seus paus perto dela para ela punhetar e boquetear eles.

-Ooo delicia ahhhh safada ahhh que cuzinho gostoso ahhh – dizia o Meliante 3

-Hmmm chupa gostosinho Mara, você é sedenta por rola né garota? hmmm – dizia o Meliante 1

-Que viadinho mais hmmm gostoso – dizia o Meliante 5

Mara então aproveitando que o Meliante 3 já estava prestes a gozar no seu cuzinho, já se prepara. Um tempinho depois sente o gozo quente preenchendo seu brioquinho, dá uma bela mordida no pau do Meliante 5 e um aperto forte nas bolas do Meliante 1, os 3 fracos ela logo tratou de escapar e quando chegou na porta lá estava o Meliante 4, Mara se assustou e um gelo percorreu sua espinha.

-Vai pra onde aberração! Você é nossa, vai tirando o cavalinho da chuva que vai escapar! – abaixa Mara sem muito esforço e Mara com os olhos arregalados logo vê o gordinho abaixar os zíperes de sua calça, a desabotoou e logo abaixando suas cuecas o pau dele cai como uma pedra no rostinho de Mara.

-Pensou que ia escapar né viadinho do caralho? Chupa bem que vai entrar quente no seu cu hoje! – levantou a mão para um tapa, mas só ameaçando mesmo e Mara caiu gostoso de boca no pau do gordinho. O gordinho logo trata de levar Mara para dentro.

-Esse filha da puta quase escapa Sérgio! – olha mais um nome aparecendo ai meus queridos.

Os outros meliantes estavam com uma dor terrível do aperto nas bolas e da mordida de Mara.

-Vocês são frouxos! Se deixa levar por esse viadinho filha da puta gostoso e deixa ele fazer o que quiser, mas comigo aqui isso muda!

O gordinho posiciona Mara de uma maneira bem dominante pegando com aquela mão máscula no pescoço do moleque e está por trás dele. A bunda de Mara está completamente revelada, o gordinho sem pestanejar logo enfia seu pauzão naquele cuzinho maravilhoso. O espelho ainda estava no mesmo lugar e Mara quando o gordinho soltou seu pescoço segurando seu quadril, viu novamente toda sua beleza e não podia mais aguentar, estava adorando e agora admitiu enfim para si mesma que era inútil lutar, já estava gostando desde o começo e agora finalmente queria aproveitar cada segundo e que se foda todo mundo, ele (ela) era a mulherzinha daqueles homens sim e ele (ela) gostava! Nunca sentiu tanto tesão namorando garotas de sua sua idade e se pegou pensando em Alan seu amigo, William e Eduardo seu bullying, todos falavam de sua bunda maravilhosa e de fato tinha mesmo uma bundinha deliciosa! Vendo ela pulando daquele jeito das estocadas que levava do gordinho quando olhava no espelho, lhe dava mais tesão ainda.

-Como pode, seus amiguinhos nunca quiseram comer esse cuzinho seu não? – Mara não pode mais aguentar, mordeu o lábio inferior e gemia gostoso agora, uma gemida maravilhosa e todos ficaram chocados ao notar a súbita mudança no rapaz e o gordinho -Hohoho o viadinho se entregou é? Hmmmm AHHHH! Cu gostoso do caralho, papai nunca punhetou olhando pra você não? – As imagens do pai nu de Mara vinha na cabeça dela, macho peludo, da rola grossa, voz firme… – Fosse filha minha não ia perdoar esse rabinho não! Ia levar rola todo dia!

-Ahhh caralhoo fodeee meu cuzinho fodeee! ahhh ahhh ahhhh ahhh Me arrebenta caralho ahhh ahhh ahhh soca até o talo no meu cuzinho ahhh ahhh

-Ahhh ahhh mas é uma safada mesmo essa aberração! – dois tapas na bunda branca de Mara PLAHH PLAHH – toma vagabunda haha ahhh ahhhh Huuuu Você gosta disso é putinha? Ahhh Tá gostando de ser putinha dos machos todos aqui tá? Ahhh

Os outros meliantes logo trataram de chegar perto e nisso chegavam os Meliantes 2 e 6 e ficaram perplexos na mudança do moleque, aliás, garota!

Enquanto ela dava o cuzinho para o gordinho feito uma cadela, Mara mama as várias rolas que chegaram próximas de si, sem olhar para o rosto de quem era com um apetite danado e quem ela não mama ela punheta, seu pintinho toda hora balanga das investidas do gordinho, as bandas de sua bundinha chacoalham e ele está num tesão tremendo. Suada, linguinha para fora, Mara encarava todos aqueles paus e seu semblante era de prazer e suas súplicas eram por mais rola.

O gordinho goza gostoso no cuzinho dela e logo um deles substitui o gordinho, levou Mara para o sofa e com as pernas bem abertas, Mara levava no cuzinho do Meliante 5 (negão) e os olhos recebiam boquete dele e punhetas.

-Ques ahhh ahhh pauzão gostosoo ahhh fode a menininha de vocês mmm isso isso ahhhh ahhhh soca gostoso esses p…paus ahhhh deliciosos no meu cuuuu! ahhhh

O Meliante 6 fez Mara chupar seu cu, Mara nunca havia feito isso, mas gostou, sentia toda hora as bolas roçando em seu rosto, o cuzinho era bem peludo e o Meliante 6 gemia sentindo a língua do moleque no seu cuzinho e esse mesmo meliante que era famoso por segurar porra e trepar tempos seguidos sem descanso, goza gostoso e Mara sentiu a porra do Meliante 6 pingando na sua barriguinha e ninguém parou não! Continuaram a foder Mara que segurava o gozo só para aproveitar o máximo que podia. Mara acaba gozando, mas a maioria deles que não havia gozado não dá descanso para o moleque não, cada um deles com exceção do Meliante 7 – que daria as caras só no dia seguinte -, gozaram no cu de Mara e Mara naquele dia foi dormir sorridente com o cu repleto de porra de macho.

Logo após:

-É Sérgio, vamos mandar mais gravação para os pais dele não, Antonio que se foda com o plano dele – diz o Meliante 6

-Eu concordo com você! Essa aberração é delícia demais, minha mulher é feia, toda caindo, embarangou pra caraleo e ver essa delicinha para a gente fazer o que a gente quer não é para qualquer um amigo! – e continuou -Eu bem sei que o filho da puta do pai dele ferrou nós todos naquela vez, ele se saiu como bonitão dos rolos e nós aqui se fudemos!

O Meliante 6 e Sérgio (Meliante 4), chamaram todos numa roda e discutiram sobre e entraram em acordo em não mandar mais gravações para os pais de Mara (Gilmar), talvez eles poderiam ficar muito mais tempo com aquela gracinha não mandando toda hora gravações do que eles faziam com aquela delicinha de moleque.

Continua


Capítulos anteriores ao 6 foram postados pelo user: Putinho
O 5º capítulo foi eu Jack Felix escritor original do conto quem postou, porém o site manteve o user Putinho no lugar. Obrigado meus queridos.

⏩ O melhor site de desenhos animados pornô do 🇧🇷, HQs eróticas🔥

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,71 de 14 votos)

Por # # #
Comente e avalie para incentivar o autor

7 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Nelson ID:3c793cycoid

    Cara cadê o final?

  • Responder Duda ID:19p2e07v0

    Nossa queria ser Mara

  • Responder Ronaldo ID:1yr0tan41

    Dessa vez você posta o desfecho ou vai dar migué igual fez nos outros sites?

  • Responder eduardotamaro ID:45xyqk9kd9a

    aqui vai pora marinha !!!.

  • Responder O Tinhoso ID:8pt4ks6xv4

    Adoraria raptar um novinho branquinho e leitar o cu dele todos os dias

  • Responder Escritor misterioso ID:5vaq00tfi9

    Muito bom mesmo.

  • Responder markudo ID:bf9ux7y49b

    finalmente deixa eu já preparar a punha aqui