# # #

O padrasto da minha esposa transformou todos , inclusive eu

3187 palavras | 5 |4.46
Por

Vou me chamar apenas de Silva sou moreno claro tenho 35 anos tenho 1,70 de altura 80kg e sempre gostei de exercícios pra ficar em forma, moro em Manaus, quando conheci dona Regina uma coroa gostosa de 43 anos, ela era solteira, um mulherão de peitos grandes não exagerado e um bundão gostoso de se ver e todos queriam comê-la inclusive eu que na época era solteiro ela morava em um quarto alugado perto da minha casa, ela tinha duas filhas, Jéssica e Anne que que eram filhas de pai diferente.
Dona Regina sempre aparecia com um namorado diferente mas sempre separava, o tempo foi passando e eu fui me envolvendo com Jéssica que era a filha mais velha nesse tempo eu já trabalhava como engenheiro de robótica no distrito industrial de Manaus eu tinha 25 anos e já estava construindo minha própria casa e já estava finalizando, firmei noivado com ela tínhamos os nossos planos de casal normal.
E nesse tempo dona Regina que eu já chamava de sogra pra todos ouvirem se envolveu com seu Jair um mulato grande de 1,80 de altura mais ou menos, cabelo grisalho já coroa, ele era caminhoneiro e passava a semana toda na estrada chegando na sexta e saia na segunda de manhã cedo pra luta, ele se dava muito bem com as filhas dela que o tratavam como pai (assim eu achava) ele sempre andava com seus dois primos seu Zé e outro coroa que trabalhava com ele na mesma firma, que conheci só depois de uma tempo como Marcão e assim o tempo foi passando e casei com Jéssica, ela era uma baixinha loira meio gordinha muito gostosa seus seios médios com bicos bem clarinhos e uma bunda que puxou da mãe onde eu me acabava já que ela adorava um anal e eu achava que era o máximo ter 18 cm de rola que era grossa por sinal, sua irmã anne era o oposto, bem magra de cabelos preto bem cacheado peito pequeno mais tinha um corpo bem proporcional e sua bundinha bem empinada era um tesão, nos mudamos pra nossa casa e enfim éramos um casal normal , só que toda vez que o namorado de sua mãe chegava ela queria fazer uma visita pra mãe e eu deixava já que até eu me dava bem com ele, só que em 2020 no ano passado no mês de Maio Manaus vinha passando por uma crise devido a pandemia de covid19 e minha sogra não estava conseguindo abrir sua banquinha de café da manhã devido o decreto da quarentena e não tinha grana pro aluguel, Jéssica queria muito ajudar sua mãe e não sabia como, então dei a ideia dela chamar sua mãe pra morar na parte de trás da nossa casa que íamos alugar pra ter uma renda extra, ela adorou a idéia e disse que eu era o melhor marido que ela poderia ter, fizemos amor bem gostoso naquela noite e disse que ia ser o presente dela de aniversario pois ia fazer 25 anos e de manhã cedo foi dar a noticia pra sua mãe e não perdeu tempo começou a levar suas coisas, assim eu e seu jair fomos nos aproximando e sair pra tomar umas só eu e ele , que era bem controlado com a bebida assim como eu e nunca paquerava nenhuma mulher por isso eu botava a mão no fogo por ele.
Um dia teve um assalto grande na rua de casa e resolvi colocar cameras de segurança em toda a casa incluindo nosso quarto, Jéssica não queria, dizia que era exagero demais mas eu não dei ouvido e eu mesmo comprei e fiz a instalação das cameras ensinei apenas a parte manual pra Jéssica que não entendia nada dessas coisas tecnológicas e seu padrasto era mais assíduo pra isso e perguntou se dava pra controlar via online e eu disse que sim, peguei o celular e mostrei pra ele que reparou que acendiam uma luz vermelha nas cameras, assim passou cerca de três semanas e numa sexta feira liguei pra Jéssica pra ver se ela ia querer que eu comprasse alguma coisa como de costume e não atendeu então liguei pra sua mãe e sua irmã e nada também, por isso resolvi ligar as cameras via online pra ver se tinha alguém em casa e quase tive um infarto com a cena, na minha sala dona regina sendo comida de quatro por seu Zé no sofá e no chão Marcão estava socando por cima de anne que mau aparecia no vídeo eu cliquei na camera do quarto pra procurar Jéssica e o susto foi maior quando vi ela cavalgando na rola de seu padrasto Jair, fiquei sem chão,
Minha esposa que era a melhor das mulheres e o cara que dizia ser meu amigo transando na minha cama e sua mãe e sua irmã trepando na sala fazendo da minha casa um centro de suruba, me bateu uma raiva que botei no computador e coloquei no modo gravar pra usar como prova e deixei rolar e toda vez que alguém entrava na minha sala eu despachava logo e voltava pra assistir , quando voltei pro computador seu Zé tinha deixado Regina e estava no meu quarto com o pau enfiado na boca de Jéssica enquanto seu Jair metia forte nela de quatro, ele parou de bombar e saiu do quarto deixa seu Zé a sós com ela e foi pra sala onde dona Regina se masturbava assistindo a filha ser comida por Marcão que foi interrompido por Jair e saiu de cima dela indo pra cima de Regina, e Jair passou a enfiar a rola na boca de anne como se fosse uma buceta fazendo ela sufocar. Então fui chamado pra fazer um concerto na máquina de solda da prancha de produção da empresa e quando voltei já tinham terminado e estava apenas seu Jair com regina no sofá e Jéssica preparava alguma coisa pra comer com anne, enquanto os dois já tinham ido embora. Desliguei tudo e fui pra casa preparado pra fazer o maior barraco só que quando entrei Jéssica me abraçou dando um beijo que perdi a coragem de brigar, tratei todos normalmente e vi que o certo era separar sem discussão, quando fui dormir Jéssica me chamou dizendo que queria fazer amor e eu ignorei o fato dela ter tido uma suruba antes e comi ela com vontade botei no cuzinho dela pra ela não esquecer tão cedo e ela rebolava pedindo mais forte e pra ver o jeito dela tirei quando estava prestes a gozar e fiz ela engolir tudo e ela nem fez recusa de nada só disse que tinham sido ótimo e queria ser comida assim mais vezes por mim.
Sábado de manhã sai pro distrito como de costume assim que eu entrei na minha sala liguei as cameras e se repetiu a cena só que desta vez era seu Jair e seu Zé no meu quarto comendo Jéssica numa dp alucinante enquanto dona regina estava cozinha e anne passava pano na sala eu não sei onde estava com a cabeça que eu me ajeitei e comecei uma punheta gostosa vendo eles se revezarem na minha esposa, então fui chamado na linha de produção pra fazer uns ajustes onde demorei parte do dia e quando retornei estava só Jéssica nua abraçada com seu padrasto na cama enquanto sua mãe dobrava roupas do lado deles que não ligavam pra ela e se beijavam feito dois namorados. Como de costume no sábado trabalho até as 14:00hr e quando cheguei estavam todos como se nada tivesse acontecido então seu Jair me chamar pra acompanhar um frete com ele e eu mesmo morrendo de ódio fui com ele, no local enquanto os ajudantes faziam o desembarque das mercadorias ele me chama pra dentro do carro e fiz que precisava ter uma conversa seria comigo, eu pensei é agora que eu quebro esse fdp, ele me pediu pra só ouvir sem dizer nada até ele terminar, e eu concordei pois queria ver até onde ia a ousadia dele.
Ele antes de tudo ele me pediu calma e me tinha como um filho e amigo e que sabia que eu já tinha visto o que estava acontecendo na entre eles pois tinha visto a luz da camera acesa indicando que estava online e como eu não causei nenhum escândalo ele não via porque esconder nada, ele explicou que vem de uma família que pratica incesto e suruba entre eles e que tinha oferecido isso pra Regina que estava loucamente apaixonada por ele e eles por ela que não queria perde-lo por isso ela incentivou suas filhas a transar com ele e seus primos e depois que ela viu que suas filhas estavam adorando tudo isso passou a aceitar esse estilo de vida de prazer com muito respeito e discrição, e mesmo que eu não acreditasse ele se importava com minha opinião e se preocupava com sua enteada e que ela me amava muito, eu já mais calmo perguntei se eles faziam isso a muito tempo e eles disse que desde quando eu era noivo dela , ele continuou falando que eu só tinha a ganhar se me juntasse com eles pois ia ter três mulheres e quem eu quisesse da família dele que ainda ia me apresentar aquilo me fez sentir um misto de emoções e pensei, porque não, eu disse ok então vamos ser o que tiver que ser então, e ele entrou em festa e foi apressar os peões pra irem mais rápido e quando chegamos em casa estávamos rindo e Jéssica veio me receber e dona Regina foi receber seu jair que foi logo falando que tinha um comunicado a fazer e disse que tinha me contado tudo e eu ia fazer parte das festa dali pra frente, Jéssica ficou paralisada e perguntou como assim? Eu disse que tinha visto tudo pela camera e ele me convenceu a fazer parte disso tudo e ela continuou sem acreditar até que eu mostrei o que eu tinha gravado no celular, minha sogra e anne riam com aquilo tudo e Jéssica foi se conformando com minha aceitação e disse que eu ia ser sempre o marido dela que amava ainda mais. Todos tomamos banho e seu Jair me pediu pra escolher quem vinha pra ser o terceiro homem da foda e eu como tinha mais amizade com seu Zé escolhi ele, que veio me cumprimentando e dizendo bem vindo a família e rimos, mandaram eu escolher quem eu queria começar comer aquela noite eu estava indeciso e Jéssica disse escolhe a mamãe amor ela sempre quis fuder contigo e ela caiu na gargalhada dizendo para com isso Jéssica, e seu Jair perguntou se podia começar com Jéssica e eu disse vcs que sabem, enquanto seu Zé já estava pelado de pau duro na frente de anne que começava a punhetar e beijar ele chamando ele de safado, minha sogra veio e me pegou pela mão e me levou pro quarto e comecei beijando ela no pescoço pegar naquela bunda com vontade e ela se vira e me manda tirar a roupa e eu fiz sem pensar duas vezes e ela fez o mesmo revelando aqueles peitos que apesar da idade eram uma delícia e finalmente eu ia me satisfazer neles, sua bunda era grande e firme eu me deitei e ela começou a chupar meu pau de forma lenta lambendo e sugando sem esquecer do meu saco, ela dava aula de oral, eu gemia chamando ela de puta e agora ela era minha vadia, ela dizia que sim e eu fazer dela tudo o que eu quisesse e tava doida pra mãe dar o cuzinho dela, ela veio pra cima de mim e esfregava os peitos na minha cara e eu começo a mamãe eles e dar mordidas leves no bico deles fazendo ela gemer baixinho eu queria meter nela e mandou ir com calma, pra não gozar antes da hora e queria brincar um pouco mais então eu fiquei por cima dela e comecei a chupar sua buceta e vi que ela gostava de ser judiada então eu enfiei meu dedo no cú dela enquanto chupava ela, derrepente eu escuto gritos e gemidos vindo da sala das filhas dela que pareciam está gozando ao mesmo tempo, aquilo aumentou meu tesão e continuei naquela buceta cheirosa da minha sogra, coloquei meu dedo pra ela chupar e disse prova teu cu sua puta e ela lambia e chupava gemendo, eu peguei um lubrificante e labusei minha mão ela entendeu minha intenção e ficou tida aberta e fui enfiando dedo por dedo naquele bucetão que pingava, até que meu pulso estava todo enterrados nela e comecei mexer aumentando velocidade aos poucos e ela não resistiu mais e começou a gritar de prazer incontrolável quando ela começou ter um orgasmo que tirou seu fôlego eu parei de mexer enquanto ela gozava, saiu tanto liquido que melou a cama, eu deitei por cima dela e beijei ela e ela disse que queria dar o cu dela e sempre sentia tesão de quando ela via pela porta eu comendo o da filha dela e agora era vez dela, ela ficou de meio de lado e eu abri sua bunda e mordia dando tapas deixando a marca nela então fui metendo devagar até entrar tudo, comecei a movimentar lentamente e ela rebolava pedindo mais forte, eu atendo ela, e começo um tira bota de uma vez fazendo ela urrar que nem uma cadela eu pergunto dela se era isso que ela queria, então pega sua puta e metia sem dó, ela mordia o lençol e chorava mais não pedia pra parar, queria mais e mais, era uma putona mesmo e vi que a filha tinha puxado a mãe em gostar de rola no cú, as duas deliravam no anal, mandei ela ficar de quatro e meti forte meus 18cm de rola sem cerimónia arrancando um grito dela que me chamava de puto safado e ia querer minha rola todo dia agora e eu me sentia satisfeito mesmo sabendo que minha esposa era devorada por seu padrasto na minha sala com sua irmã fudendo do lado com outro mudamos de posição onde eu deitei e ela veio por cima de costa e ela foi encaixando minha rola no seu cú, ela se jogou pra trás e eu enchia minha mão no peito dela apertando enquanto ela rebolava com meu pau dentro do cú dela, ela começa um sobe e desce sempre dando uma rebolada gostosa, vi que ela estava cansando e coloquei ela em pé e ela se apoiou na cama ficando meio de quatro e meti com vontade dando tapas na bunda dela e não demorou muito anunciei o gozo e virei ela pra enfiar a rola na boca dela e gozei no fundo da sua garganta que engoliu tudo e fiquei ali parado enquanto ela limpava toda minha rola com a lingua, eu fui me lavar e me deparei com o outros que fudiam feito loucos em cima da minha Jéssica e anne que já tinham até trocado de parceiro, e quando saímos do banheiro eles estavam sentados e as meninas foram se lavar também, dona Regina se ajoelhou e começou a lamber o pau deles que estavam mole e melado da filhas dela e só então vi que os dois tinham paus enormes que fazia meus 18cm parecer pimbinha na frente deles e quando as duas saíram estávamos os três de pau duro de novo mais anne não queria mais por está dolorida então eu chamei Jéssica pro nosso quarto, então ela perguntou como eu estava e respondi que estava tudo bem e que sua mãe era fenomenal e que tinha que aprender muito de foda com mãe, ela riu e se declarou dizendo que era a mulher mais feliz do mundo agora que não escondia nada e eu completei dizendo, feliz e puta né, e ela me beijou e começou a punhetar meu pau enquanto eu apertava o peito dela que suspirava. Derrepente entra seu Jair no quarto e pergunta se pode participar ela olha pra mim que falo chega mais e digo pra ela, que ela vai ser uma puta na minha frente agora ela se vira e fica dividindo seus beijos entre nós que nem eu ou ele ligava pra nada , ela segurava na rola dele que sua mão nem fechava direito, se levanta e fica chupando uma rola dois a outra ele fala que ela é que ele mais gosta de fuder e eu estranhamente me sentia orgulhoso dela, fizemos rodízio nela até ela ficar sem forças e trêmula e finalizamos fazendo uma dp nela que eu estava louco pra fazer eu abria bem a bunda dela pro seu padrasto meter sua rola enorme no cú dela, senti um tesão com o sofrimento dela que dei uma gozada no fundo da buceta dela enquanto ele metia feito louco e quando ele gozou ficou um tempo por cima dela sem tirar a rola de dentro, ele caiu pro lado e la fez o mesmo ficando no meio, eu adormeci e acordei de madrugada com seu Zé em cima dela fundendo feito louco e eu não liguei devido o cansaço e fiquei só assistindo sem interromper e quando ele gozou foi embora e ela toda acabada dormiu rápido enquanto Jair parecia uma pedra dormindo.
Acordei no domingo como minha cunhada anne nua me punhetando e estava só eu e ela no quarto ela era toda delicada e seus 19 anos fazia ela parece uma inocente menina só que eu sabia que era uma puta e trepamos com vontade. Assim foi nosso domingo que ficou em descanso e foda. Eu me aceitei com a vida de corno, passando a ver tudo como um estilo de vida sem ofensa mesmo porque fazíamos tudo em sigilo e tinha respeito onde todos tinham sua vez e a vantagem de fuder a mãe e a irmã dela sem esconder nada, como essa sacanagem era de família da parte dele não demorou muito pra seus outros primos e sobrinhas querer fazer uma visita, mais vou contar em outra oportunidade.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,46 de 13 votos)

Por # # #

5 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Comedor de Esposas

    Muito bom esse conto…más isso não é uma familia é um puteiro…rsrssrs Onde todos os homens tem uma puta vantagem come todas as mulheres da familia.

  • Responder jose arimateia

    amo muito estes contecentos , passo a maioria do tempo lendo contos ,,, de inceto e zofilia

  • Responder Pachecao

    Gostei gostaria que a família da minha esposa fosse assim. Continue não demore a publicação

  • Responder Putão

    Você tem uma fixação com o numero 25 ne, os seu conto ficou muito mirabolante, pra amarrar as pobtas você fica indo e vindo nessas explicações que quebram a dinâmica do conto, as vezes menos é mais.

    • Carla

      Meu amigo putão, tú deve ser muito chato mesmo viu.