# #

Realizei meu primeiro fetiche

1302 palavras | 4 |4.64
Por

Hoje com 22 anos consegui uma estabilidade na minha vida, cursando educação física e mantendo a boa forma, passei a ir mais a praia e com isso conquistei um bronzeado que caiu muito bem em mim, além de combinar com meu modo de vestir e meu cabelo que era loiro, mas veio escurecendo com o tempo. Eu tenho vários fetiches, mas a coragem pra realiza-los é o que me falta, ainda mais namorando um rapaz certinho, só que as vezes o destino ajuda nisso e recentemente por um acaso acabei concretizando um desses. Tudo começou quando fomos pra uma festa com amigos e conhecidos deles, nesse dia todo mundo encheu a cara até não poder mais e no final pra ir embora dividiram a turma em três carros com os mais sóbrios pra guiar. O primeiro carro era o das meninas, mas eu sobrei e acabei indo no segundo com o amigo do meu namorado e dois conhecidos dele, enquanto que no terceiro meu cunhado, a namorada dele e meu namorado iriam, todos rumo a casa da garota que seguia no primeiro carro por ser a que morava mais perto. Só que dentro do carro onde eu estava o clima começou a esquenta comigo bêbada e os rapazes assanhados, o que só deixava o tesão acumulado explodindo. No banco de trás a brincadeira passou do ponto quanto o menino que tava comigo meteu a mãos entre minhas pernas e eu aceitei. No começo ele alisou apenas por cima da calcinha, mas depois já estava socando os dedos dele dentro da minha xaninha. Fiquei molhada tão rápido que dava pra ouvir o barulho dele metendo os dedos enquanto eu gemia e ouvia o outro conhecido do amigo do meu namorado falando pra levar a gente em um canto antes de ir pra casa da menina. Nem me importei, aquilo tava muito bom e durante a parada em um semáforo, o outro rapaz que estava na frente veio pro banco de trás também pra participar da brincadeira. Aproveitei que o espaço no banco de trás era largo e me ajoelhei ali pra chupar os dois. Fui alternando entre um pau e outro, sempre que estava quase engolindo um, o outro me puxava pelo cabelo e botava pra mamar também, nisso aproveitavam pra apalpar meu corpo, descer meu vestido até o carro parar em uma rua deserta. O amigo do meu namorado saiu e me deixou sozinha com os dois, foi ai que fizeram a festa mesmo. Subi em cima de um e coloquei a calcinha de lado, sentando na pica dele até entrar todinha na minha buceta, a lubrificação ajudou a deslizar até o fundo. Comecei rebolando devagar somente pra provocar enquanto ele descia as mãos pelas minhas costas e subia meu vestindo, dando tapinhas na bunda, mas o amigo dele não tinha paciência e puxou minha cabeça pra chupar o pau dele de novo. Enquanto mamava em um, o outro controlava o ritmo em que me comia, as vezes acelerava, outras dava uma socada forte e estacionava o pau bem dentro de mim antes de puxar de volta e meter de novo, era gostoso demais, só que em uma dessas a pica dele escorregou pra fora e o que eu tava chupado se posicionou atrás de mim, encaixou na minha xaninha e começou a meter com força. Esse era mais apressado, nem tinha paciência pra curtir, apertava meu quadril e bunda enquanto sentava o pau na buceta sem dor. Fique tentando não gemer alto, mas o que tava em baixo de mim também começou a beijar e morder meu pescoço, descendo uma trilhando onde abocanhou meus peitos e chupou os dois com força. Foi então que o que estava me comendo deu uma estocada mais forte e puxou meu quadril, depositando a porra dele dentro de mim. Caramba, sentir outro cara que não é meu namorado esporrando dentro de mim foi uma sensações de maior adrenalina da minha vida, a gente nem pensa nos riscos, só no prazer. Aquilo me deu mais tesão, mas ouvi o outro reclamar pelo amigo ter gozado dentro. Na minha cabeça eu queria mais, então não quis que estragassem o clima, por isso sussurrei pra ele vir comer meu cuzinho que tava limpinho pro corno. Aquilo pareceu um combustível pra ele que afastou o amigo e me empurrou de lado do banco, onde fiquei de quatro com a bunda empinada. Confesso que sinto falta do meu namorado demonstrando interesse no meu rabinho, mas quando um outro cara mostrou vontade, isso me deu um tesão danado. Relaxei minhas preguinhas e sentir a cabeça do pau dele passando, então empurrando o resto do até as bolas bater na minha xaninha. Gemi de manha e isso pareceu ter dado mais tesão a ele, começando em um ritmo forte que me obrigava a continuar gemendo daquela maneira até o outro amigo dele me calar enfiando o pau na minha boca. Comecei a chupar um enquanto o outro comia meu cuzinho, controlando a intensidade pra saborear mais. Tive meu primeiro orgasmo fazendo sexo anal naquela noite e isso deixou meu rabinho mordendo o pau dele que forçou passagem e acabou cedendo, tirando e gozando muito nas minhas costas, sujando meu vestido por trás. Fiquei cansada, mas o outro logo tomou o lugar e também começou a comer meu cu, aproveitando que tinham aberto caminho. Ele ficou sozinho comigo no carro fodendo meu cuzinho por uns dez minutos no mesmo ritmo, somente mudando de posição, me deixou ardida antes de me encher de novo com a porra dele. Quando ele saiu do carro, fiquei deitada no banco de trás até ver o amigo do meu namorado espiando pela janela pra saber como eu estava. Sorri e disse pra ele que se ele não comesse hoje, não comeria mais. Notei o receio dele, mas a provocação deu certo e ele abriu a porta de trás, me puxando pela cintura até ficar na beira do banco, abrindo minhas pernas fora do carro e encaixando o pau na minha xaninha também. Nossa, pra ele eu fiz questão de gemer gostoso e sempre encarar os olhos enquanto ele me comia, apertando meus próprios seios pra que ele descarregasse todo o tesão. Pena que não durou nem três minutos direito e logo ele gozou na minha barriga. Naquele momento me senti satisfeita, nem me importava se aquilo daria problema depois ou não. Na hora de seguirmos caminho, o que tinha gozado dentro de mim foi no banco de trás comigo e pediu minha calcinha de recordação enquanto eu me limpava com ela. Já iria jogar fora mesmo, então entreguei a ele que me puxou pra sentar no colo dele no restante do caminho, marcando meu pescoço com um monte de chupão e dizendo que queria me comer de novo. Quando chegamos na casa da menina já tava todo mundo dormindo, então procurei o banheiro pra tomar banho e o cara que veio comigo no banco de trás me seguiu. Tive de dar pra ele de novo, dessa vez só o cuzinho que tava todo ardido. Na hora que sai do banheiro com ele tava quase amanhecendo, procurei o quarto onde meu namorado tava dormindo e me deitei abraçada com ele só de toalha, torcendo pra descansar um pouco depois daquela loucura de noite, mas que pelo menos tinha me rendido a realização de um fetiche inesquecível.

Avalie esse conto:
PéssimoRuimMédioBomExcelente
(Média: 4,64 de 28 votos)

Por # #

4 Comentários

Talvez precise aguardar o comentario ser aprovado
Proibido numeros de celular, ofensas e textos repetitivos
  • Responder Indio77

    Lindo conto e excitante conta mais aventuras sua putinha do caralho quero gozar muito com vc

  • Responder mamador discreto de Reci

    Queria ter três machos ativos assim prá mim

  • Responder Guilherme S.

    Um dos melhores e mais bem escritos contos q li. Deixou meu pau latejando e babando caldinho. Vc se comportou como uma verdadeira puta.
    Vc foi puta assim outras vezes? Vou passar o dia imaginando esse conto acontecendo comigo lá, metendo muito em vc, enquanto vc geme gostoso igual uma vadia safada q vc é.

  • Responder Anônimo

    Caralho, gozei aqui meu pau ficou uma pedra conforme eu fui lendo, que vadia gostosa, tesão da porra